02 ago 2011

Summer Infant Slumber Buddies

Comprei esse sapinho (na verdade só descobri ser um sapo agora, pesquisando sobre ele – até então jurava ser uma tartaruga) depois de me apaixonar por um produto parecido que a Camila colocou na wishlist há algum tempo. Gostei tanto da ideia de um quarto cheio de estrelas que quando vi esse produto à venda no Target, nos EUA, resolvi experimentar.

Ele é da Summer Infant, uma marca que produz vários produtos de qualidade, desde banheiras até babás eletrônicas. Por isso fui com fé na compra, certa de que ficaria satisfeita – mas não foi o que aconteceu. Não gostei logo de cara, ao abrir a caixa.

Até aí tudo bem.

Olhando assim rapidamente, o sapo é bem bonitinho – mas quando se olha mais de perto, em detalhes, a impressão que se tem é de que os materiais nele usado não são de qualidade. O material da pelúcia é bom, macio, mas a parte de plástico me pareceu mal-acabada, com partes esbranquiçadas e tortas. É um detalhe bobo, que não altera o produto em si, mas acabei me incomodando com isso.

Pelúcia.
Parte de plástico.

O principal diferencial dessa marca (comparada àquela que a Camila postou) é que além de iluminar o quarto com estrelinhas, ela também produz sons diversos. São três tipos: barulho do coração (um clássico entre produtos para recém-nascidos), barulhos da natureza e músicas de ninar. Coisa que parece bem interessante, não?

Pois eis outra decepção: a qualidade do som é péssima. Sério, horrorosa. São agudos e irritantes – o contrário do que um bebê precisa para dormir, convenhamos. Não sei o que é pior, se é o barulho do coração, que chega a ser assustador, ou as músicas, barulhentas e absolutamente irreconhecíveis. O volume é regulável, mas não adianta: o segredo é deixar desligado, sempre.

Três opções: barulhos da natureza, coração e música.
Volume.

Já a parte da iluminação funciona muito bem: de fato deixa o quarto lindo e aconchegante. As estrelas podem brilhar na cor azul, verde ou âmbar. Minha preferida foi a verde. Depois de 30 minutos acesa, a luz se apaga sozinha, junto com o som.

O sapo aceso. Só não consegui fotografar o mais importante, as estrelas no teto. Mas dá para imaginar, né?

No final das contas, achei que não valeu a compra, e como ainda estava nos Estados Unidos, resolvi devolver o produto. Dias depois, encontrei à venda a tartaruga da Cloud B, a marca que a Camila havia indicado, e resolvi experimentar. Mas sobre esse produto, falo no próximo post! ;)

Ah sim, antes que eu me esqueça: além do sapo verde, há a opção borboleta cor-de-rosa para as meninas.

Preço médio: Nos Estados Unidos custa 25 dólares. Não encontrei à venda no Brasil.

Conclusão: Funciona bem para deixar o quarto bonito e aconchegante, com uma luz gostosa e divertida – mas há outros produtos que também fazem isso e que têm maior qualidade. Não recomendo.

Deixe seu comentário!