15 fev 2013

Sobre o desenvolvimento da fala

assinatura_colaboradora_carol sepeda_fono

Um dos principais assuntos que geram muita ansiedade e preocupação de mães e pais é o desenvolvimento da fala de seus filhos. Muitas são as dúvidas em relação a esse assunto. No entanto, o mais importante é saber que tudo tem o seu tempo, e que relaxar sem descuidar é o melhor a fazer.

Com o objetivo de fugir um pouco da rigidez de livros e revistas especializados, trazemos alguns esclarecimentos sobre esse tema tão discutido, tentando minimizar a angústia e fazer com que o processo seja o mais agradável possível.

E, por favor, nada de comparações exageradas: cada criança é única!

 1. A partir de que idade é esperado que  o bebê pronuncie suas primeiras palavras?

Logo no início da vida, aproximadamente entre os 3 e 6 meses, o bebê já emite alguns sons isolados e incompreensíveis, que é famoso Balbucio. O Balbucio é inato, ou seja, todos os bebês balbuciam. Após esse período, por volta dos 6 a 9 meses, dá-se a fase da Lalação, que compreende o início da pronuncia de fato, das primeiras sílabas. Com o primeiro ano de vida, começam a ser pronunciadas as primeiras palavras com significado.

2. Existe algo que possa se fazer para garantir um bom desenvolvimento da fala para a criança?

Garantir é um termo muito pesado, o ideal seria facilitar.

Em primeiro lugar está a realização do “Teste da Orelhinha”, se possível, antes da alta da maternidade. Minimizada a hipótese de perda auditiva ao nascimento, nada pode ser comparada a estimulação sensorial. Todo bebê deve receber estímulos auditivos variados durante o seu desenvolvimento. Conversas, brincadeiras educativas, músicas infantis, tudo isso pode ajudar não só no desenvolvimento da fala, como no desenvolvimento global da criança. Porém, vale lembrar, que a fala é uma habilidade natural do ser humano e deve se dar de forma espontânea.

3. É normal uma criança de 2 anos pronunciar poucas palavras?

O esperado é que por volta dois anos, a criança consiga reproduzir parte do vocabulário com o qual tem contato, sem, necessariamente, formar frases completas. Sendo que o mais importante que a fala propriamente dita, é a capacidade que a criança tem de compreender o mundo a sua volta, o que lhe é dito e de alguma forma, se fazer entender.

4. Quando podemos esperar as primeiras frases?

Geralmente, por volta dos 2 anos de idade. Inicialmente as frases são curtas e exprimem a vontade da criança naquele momento. Exemplo: “me dá”, “não quero”.

5. A criança não fala o que deseja, mas usa o “apontamento” como forma de se expressar. O que fazer?

Sempre que a criança apontar o que deseja, é muito importante que a fala seja estimulada. Mesmo que a criança não pronuncie a palavra corretamente ou se recuse a falar, o “outro” deve sempre lhe oferecer o modelo correto e não atendê-la prontamente ao apontar.

6. O que fazer quando a criança fala “errado”?

Em primeiro lugar, nunca se deve repetir o erro da criança! Outra atitude muito importante é a de não corrigir o erro. Sempre que a criança pronunciar alguma palavra errada, deve, imediatamente, receber o modelo correto, sem que seu erro seja reforçado. Exemplo: “Quero uma biquiqueta.” O adulto deve dizer: “você quer uma bicicleta?”

7. Existe alguma maneira ideal para os pais se comunicarem com uma criança?

A fala correta e adulta é o modelo ideal. É muito importante evitar a infantilização da fala do adulto, não usar diminutivos, não criar outras palavras para nomear objetos e não usar onomatopeias para se referir a animais. Por exemplo: a chupeta chama-se chupeta e não pepeta. O cachorro chama-se cachorro e não au au.

8. Até quando pode ser considerado normal os erros de fala?

Depende do erro e depende da idade da criança. Uma criança de 3 anos que não fala o R e o L nos grupos consonantais (prato, blusa), não pode ser considerada como uma “criança que fala errado”. Do mesmo modo, uma criança de 3 anos que não fala o P e o B (papai, bola), que são os primeiros fonemas a serem adquiridos, já merece maior atenção dos pais em procurar uma orientação profissional.

9. Quando pensar que a criança realmente pode ter uma alteração na fala?

Até os 4/5 anos, as crianças estão em processo de aquisição dos fonemas e podem apresentar alguns erros na fala. Mas é preciso que se fique atento se esses erros não se corrigem naturalmente ou se a fala da criança é extremamente diferente dos seus colegas da mesma idade.

É muito importante que o adulto tenha paciência e atenção para com o desenvolvimento da criança. No entanto, quando a criança fala muito errado e isso impede que ela se comunique, é importante procurar ajuda profissional.

10. Que profissional devo procurar se meu filho apresentar alguma alteração de fala?

O Fonoaudiólogo é o profissional habilitado para avaliar, diagnosticar e tratar os problemas relacionados à fala.

Sem radicalidade, saiba quando cada som já deve estar sendo pronunciado da forma correta.

Até os 3 anos:

/p/ como em pato;

/b/ como em bola;

/t/ como em teto;

/d/ como em dedo;

/k/ como em casa, quero;

/g/ como em gato, gol;

/m/ como em mamãe;

/n/ como em nada;

/nh/ como em ninho;

/f/ como em feliz;

/v/ como em vaca.

Até os 4 anos: 

/s/ como em sapo, céu, escola;

/z/ como em zebra, casa;

/ch/ como em xícara, chuva;

/j/ como em janela, gelo;

/tch/ como em tia

/dj/ como em dia

/r/ como em arara;

/R/ como em rato, carro;

/-R-/ como em porta, amor (dependendo da região).

Até os 4/5 anos 

Encontros consonantais (planta, braço, droga, blusa, trigo)

artigo escrito por Carolina Sepeda, Fonoaudióloga – CREFONO1 9930/RJ

7 comentários no blog

  1. Michelle Amorim em

    Obrigada pelo texto super esclarecedor Carol!

    Responder
  2. CAMILA em

    POST PERFEITO!!
    PARABÉNS!!

    Responder
  3. Telma Teixeira em

    Adorei o post, principalmente as dicas sobre os sons e a idade da criança. As meninas estão com 2 anos e 2 meses e falam praticamente todas as palavras da lista, mas vou prestar atenção no som exato que elas emitem e ensiná-las outras que elas ainda não falam.

    Responder
  4. Muriel em

    Nossa!!! Caiu como uma luva já que o Caio quase não fala.

    Responder
  5. Bruna Dofen em

    Gostei muito!
    A Manu tem 2 anos e ainda não fala nada além de papai e mamãe e usa muito os gestos pra se comunicar… o que me deixa uma pouco mais tranquila é o fato dela entender tudo. Mas coração de mãe sempre é ansioso né?

    Parabéns pelo blog cada dia mais completo!
    Bjs

    Responder
  6. Mirela Costa em

    Amei!

    Responder
  7. hermes outlet store em

    Sobre o desenvolvimento da fala | Vida Materna xciruzoaad oijuvqjynqi wippvvkwe uuydnyhbdy npwoswu zohfjr

    Responder

Deixe seu comentário!