17 jul 2013

Sobre como a cama compartilhada aconteceu aqui em casa

As pessoas tem as mais diversas opiniões sobre a cama compartilhada e assim como quase tudo na maternidade, ela gera polêmica e muitos, muitos pitacos alheios.

Com o post de hoje, quero contar um pouquinho de como ela “aconteceu” conosco, da parte boa e da parte ruim, no nosso caso.

A Mel nasceu quando ainda morávamos no nosso antigo apartamento e dormiu até pouco mais de 2 meses no carrinho, ao lado da nossa cama. Em agosto o inverno ainda é bem rigoroso aqui em Curitiba, por isso ficávamos tranquilos de que lá ela estaria bem quentinha. Além disso, facilitava muito a amamentação, especialmente nas madrugadas frias.

Nos mudamos para essa casa (que fica atrás da que estamos construindo) quando ela tinha três meses e como é uma casa pequena, ficamos no mesmo quarto, nós três. O berço ficou ao lado da nossa cama e foi quando ela passou a dormir nele.

Ela nunca me deu muito trabalho para adormecer, mas em compensação acordava muitas vezes por noite. Isso se repetiu até ela completar 1 ano e meio, se me lembro bem. Depois as acordadas passaram a ser únicas ou no máximo duas por noite.

Em algumas delas ela pedia para mamar, em outras poucas ela levantava e queria ir pra nossa cama. O que nós sentíamos era de que ela gostava de dormir no berço, se sentia segura e confortável ali.

Quando ela ficava doente, principalmente se tinha febre, eu preferia que ela dormisse junto com a gente. Assim eu podia monitorar a temperatura, dar os remédios e o carinho que ela precisava naquele momento.

Com isso, as acordadas noturnas para ir para a nossa cama se tornaram mais e mais frequentes e a cada dia num horário mais cedo. No início, ela ia dormir conosco lá pelas cinco da manhã. Depois, passou a ir às três. E então, o que era esporádico passou a ser rotina.

Nós percebemos que ela, quando dormia na nossa cama, não acordava com tanta frequência, dormia muito melhor. E consequentemente, nós também.

Em janeiro deste ano, trocamos o berço dela por uma caminha, o que trouxe um pouco de novidade para a hora de dormir da pequena. Mas que acabou durando pouco. Ela dormiu nela por poucas noites e na maioria delas, acordava lá pelas 2h querendo ir pra nossa.

E desde então ela tem dormido em geral muito bem. Junto com a gente.

Em vários artigos que li sobre o assunto, a recomendação é de que a criança não durma no meio dos pais e sim ao lado, de preferência do lado da mãe. Aqui, nunca conseguimos dormir assim. A Mel dorme entre nós dois.

Nunca aconteceu de a esmagarmos ou de rolarmos em cima dela. Pelo contrário. Quem apanha somos nós. Já levamos socos, cotoveladas e chutes enquanto ela dormia. (pode denunciar?)

Nesse tempo, acho que nos acostumamos tão ou mais que ela com essa situação. Especialmente eu. Me acostumei a dormir abraçada com ela, a sentir seu cheirinho, fazer carinho e dar beijinho na hora que der vontade. Além disso, a Mel não dorme coberta. Mesmo dormindo ela chuta os cobertores e edredons, sente o mais leve deles e joga longe. Mesmo dormindo com pijamas de soft e cheia de roupas, nunca acho que ela esteja quentinha o suficiente e passo a noite tentando que ela permaneça coberta ou pelo menos, o mais próxima de nós.

Sinto que ela gosta de dormir conosco, que se sente segura, protegida, acolhida. E quem não se sentiria? Para a criança, a criação com apego é muito importante e eu diria vital até. Não acho que a cama compartilhada vá influenciar na independência ou autonomia dela.

O lado ruim é que não dormimos mais tão bem quanto poderíamos, já que não podemos nos “esparramar” muito na cama, nem nos virar pra lá e pra cá de qualquer jeito, como acontecia antes dela dormir com a gente. E claro, não podemos dormir de conchinha, o que é tão bom!

Na questão da intimidade, acho que a cama compartilhada tem seu peso sim, mas não a ponto de atrapalhar, de fato, a vida sexual do casal. Esse caso requer um pouco de criatividade e como todo mundo já sabe, existem outros lugares da casa (ou fora dela) e momentos para que o sexo aconteça. É uma questão de se adaptar e é somente mais uma das adaptações que a vida passa após a chegada dos filhos.

Ocorre que hoje, a poucos dias dela completar três anos de idade, tenho pensado que chegou a hora de fazer essa transição, definitivamente. Por vários motivos.

1. Eu estou grávida, como vocês já sabem. Completei cinco meses de gestação ontem, dia 16. A barriga ainda está pequena, mas tende a crescer muuuito até o final. Então penso em como irei conseguir dormir bem sem ter muitas opções de posições e tendo que me virar pra dormir num pedacinho da cama (mesmo ela sendo grande).

2. Temos mais um filho a caminho, e acho que depois que ele chegar, ficará mais difícil fazer com que a Mel durma sozinha. Ou então teremos que comprar uma cama giganorme para comportar nós quatro.

3. Acho que quando nos mudarmos para a casa nova, o que deve acontecer em dois ou três meses (peloamordedeus!), ela vai curtir ter um quarto só dela. Quarto aliás que será preparado com todo carinho, só pra ela. Não acho que essa transição será fácil, mas acho sim que será uma transição feliz e benéfica, no final.

4. To com saudade de dormir assim, eu e o Alexandre. só nós dois. Acho que ele sente o mesmo, já até comentou que achava que deveríamos fazer essa mudança. Esse é o principal motivo, eu acho, e é bom me sentir um pouco egoísta depois de quase quatro anos (gestação + os 3 anos da Mel) sem saber o que é esse sentimento. Me sinto humana, novamente. Obrigada.

A previsão de chegada do bebezinho (o que pra mim não passa mesmo de apenas uma “previsão”) é 16 de novembro. Sendo assim, tenho quatro meses para resolver duas paradas duras (bem duras) com a Mel: retirada da chupeta e transição cama dos pais > cama e quarto próprios.

Ps: Decidi voltar atrás e fazer uma mudança de cada vez > leia mais aqui.

Para a retirada da chupeta, tenho me preparado psicologicamente há meses e pretendo realmente agir depois do aniversário dela. Me sinto melhor assim, estabelecendo uma data, na minha cabeça. Para o segundinho, ainda não sei se darei chupeta ou não.

Por fim, acho que a cama compartilhada é realmente uma opção dos pais e que cada família sabe o que funciona melhor dentro da sua rotina e de seus filhos. Se está bom pra todo mundo, se vocês gostam e curtem esse momento de dormirem juntos, os pitacos alheios e o certo e errado deixam de existir.

Amo dormir juntinho da Mel e acho que esses momentos foram muito importantes. Mas sinto também que esse ciclo está acabando e que é hora do próximo passo. E também, se rolar uma saudade, ela pode sempre dar uma escapadinha pela manhã (ou na madrugada, quem sabe).

2013-01-13-15-18-33 cópia

Alguns posts interessantes que li sobre cama compartilhada, citando pontos a favor e contra:

Cama Compartilhada: por que é bom e seguro?

Pulando de cama em cama

Cama Compartilhada: proteção, amor e saúde que beneficiam mães, bebês e famílias

Cama compartilhada: Pode?

E por aí? Rola a cama compartilhada? Como foi a experiência de vocês?

38 comentários no blog

  1. Mel em

    Aqui a Rúbia dormiu no berço ao lado da nossa cama até 9 meses, pq tinha prometido o berço para minha cunhada…aí passou a dormir na nossa cama, no meio também… durante a noite levávamos ela pro quarto dela, no berço…quando fez 2 anos, desmontamos o berço e montamos a cama… mas até hoje adormece na nossa cama, levamos pra cama dela, e quase toda noite vem pra nossa cama… por enquanto tá muito bem assim pra nós, não é muito confortável, mas por enquanto tá traqnuilo, ela está com 3 anos e 8 meses…bjs

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Mel em

      Se dessa forma está bom pra vocês, é o que importa :)

      Bjo

      Responder
  2. Isabella em

    Ser mãe solteira é uma vantagem nessa hora! Eu compartilho minha cama com a minha pequena de 1 ano e 7 meses, agora no frio não tem nem como ser diferente a minha chuta os cobertores do mesmo jeito e eu passo anoite tentando cobri-la, ela que me acorda de manhã da beijo, morde, faz cócega, canta, tudo pra eu levantar logo e ir fazer o “mamá” é muito amor, eu adoro e pretendo levar assim até quando ela quiser.

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Isabella em

      No frio é realmente muito gostoso dormir com os filhotes! Por isso estou esperando o inverno passar para fazer essa transição :)

      bjo

      Responder
  3. Paula Luiza em

    Michelle tenho duas babys uma de dois anos e meio e outra de dois meses,compartilhamos tabém a cama com nossa pequena de dois anos, mais não todos os dias,posso te dizer que mesmo com aquele barrigão do oitavo/nono mês de gestação não tive coragem de tira-la da nossa cama, pois vc assim como eu sabe que a chegada de um novo bebe na casa já ira tirar muitas coisas do bebe mais velho,então tudo que a gente pode evitar que ela perdesse evitamos!
    Após o nascimento da segunda bebe ,a coisa até melhorou pq a bebe mais nova dorme no moises ao lado da nossa cama e como ela via que a irmãzinha mais nova não dormia com a gente ela tbm passou a querer ter seu cantinho e passou a dormir mais no berço dela,então ficamos assim no quarto:berço/moisés/cama do casal,todos felizes e a mamãe aqui sem culpas por ficar mais com uma ou outra!rs
    Criei uma meta tbm para a transição para o quarto delas em dezembro qnd já estiver bem quentinho e a bebe mais nova já estiver com 6/7 meses vão as duas ,juntinhas para o novo cantinho delas!
    Quanto ao bico pensamos da mesma maneira,não tiramos ainda até por instrução da pediatra que usou a seguinte frase pra mim quando questionei : Mamãe ela já vai perder tantas coisas com a chegada da irmãzinha , colinho/ atenção/brincadeiras ,v c não acha que perder o bico tbm é um pouco demais?!
    Espero que minha experiência tenha agregado alguma coisa !
    Beijos e boa sorte nessa nova jornada com dois filhos, que é muito compensadora mais nada fácil!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Paula Luiza em

      Oi Paula! Logo que fiz o post comecei a pensar sobre retirar a chupeta justo agora, e depois dos comentários de vocês, mais ainda! Acho que será muito pesado todas essas mudanças juntas, então devo repensar as coisas por agora :)

      Bjo

      Responder
  4. Pauline Incutto em

    Oi, Michele!
    Sempre fui e sou contra a cama compartilhada, o que não quer dizer que não tenha praticado. Rs…
    Assim como a Mel, a Gi dormiu até 1 mês e meio no carrinho, mas como ela é muito espaçosa, logo foi para o berço. Dormia super bem. Acordava as 2/3h da manhã para mamar e depois novamente as 6h da manhã. Após essa mamada, eu preguiçosa comecei a colocar ela pra dormir comigo e o pai ia trabalhar. Assim ela foi acostumando e querendo cada vez mais dormir com a gente.
    Pra mim sempre foi relativamente tranquilo, pois a Gi gosta de dormir grudada no pai.
    Antes dela completar um ano, determinei que era hora de dormir no berço e ficamos um tempão nessa “briga”.
    Com mais ou menos 1 ano e meio percebi que como ela era espaçosa, estava um pouco incomodada com o berço, se sentia presa. Aí passamos para a mini cama. Montei a cama e ela dormia lá de dia, ficava brincando. Aproveitei e fiz algumas alterações no quarto pra ficar com menos cara de bebê. Com tudo pronto rolou aquela conversa de que agora ela tinha um quarto novo e cada um teria que dormir na sua caminha. Criei uma rotina para noite e tudo fluiu bem.
    Contudo, tem mais ou menos um mês que ela retrocedeu. Ficou doentinha, foi para nossa cama e acostumou de novo. Agora tô tomando coragem para retornar o processo, o que não vai ser fácil.
    Como disse lá em cima, eu não gosto de cama compartilhada, não me sinto confortável, não durmo bem (mas não critico quem faça). Com certeza as crianças amam e têm essa sensação de proteção. Acho incrível a necessidade que a minha filha tem de que estejamos juntos. Seja dormindo na mesma cama, descendo juntos no elevador, vendo televisão, passeando. Por ela a gente passava o dia colado! Rs… É muito amor!
    Sucesso nas suas novas empreitadas! Com paciência e persistência você vai conseguir! Eu tô tomando coragem para o desfralde e para retirada da chupeta!
    Bjs… para família toda!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Pauline Incutto em

      Eu não posso dizer que durmo bem em termos de descansar e de conforto, sabe Pauline? Mas durmo melhor no sentido de que a Mel não acorda, ou acorda uma só vez por noite, haha.

      Boa sorte pra você tbm! :)

      Bjos

      Responder
  5. Fabiana em

    Olá!!!
    Aqui em casa a CC acabou completamente depois dos 5 anos da Ana Luiza. Quando eu estava grávida do Gu ela tentou ir pra cama dela. Digo “tentou” pq ela acordava vááááárias vezes de madrugada e eu, com aquela barriga enorme, não aguentava mais levantar e me espremer em uma cama de solteiro com ela. Então, ela veio pra nossa cama novamente. Ao lado da nossa cama de casal, colocamos uma de solteiro. Era pra Ana dormir na de solteiro, mas… ela acabou dormindo comigo na de casal e o pai na de solteiro.
    Qdo o Gu nasceu, mantivemos ela na nossa cama. O Gu dormia no bercinho desmontável ao meu lado. E, qdo ele completou 6 meses, foi pro quartinho dele.
    Somente esse ano a Ana passou a dormir no quarto dela. Tem noites que acorda, outras não. Foi punk, difícil mesmo, mas com carinho e determinação foi possível!
    E hj, depois de 5 anos, voltamos a dormir de conchinha! rs

    Beijokas

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Fabiana em

      Que legal saber da tua experiência, Fabi! E que coisa boa voltar a dormir de conchinha, ainda mais nesse nosso FRIOOOOOOO, haha

      Bjo

      Responder
  6. Luciana em

    Olá Michele, sou do grupo das que não curte cama compartilhada, entretanto abro algumas exceções: quando a Júlia está doente ou acorda assustada por um sono estranho…Engraçado, que pelo meu marido ela estaria na cama conosco, pra qualquer coisa ele fala: “Lú coloca a Júlia aqui na cama”!Eu, realmente, não consigo dormir bem com tantos chutes, braçadas e qualquer barulhinho que ela faz eu desperto, não tem jeito…Bjos!

    Responder
  7. Mamãe do Otávio em

    Mi, esse post foi escrito por mim? vc só trocou de Otávio para Mel, e de Tobias para Alexandre! rs
    Como pode ser tudo tão igual? uau!

    Só queria te dizer (mas n fique chateada ok?) que EU acho que vc vai fazer errado e vai acabar frustrada ou frustrando! =s
    Tu está querendo tirar da Mel a coisa mais gostosa que uma criança tem (experiencia minha) cama dos pais e o bico! ainda mais agora com a chegada do irmão! já pensou se ela associa o irmão com perdas? deusolivre!
    só te desejo do fundo do coração BOA SORTE!
    beijos

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Mamãe do Otávio em

      Tami, logo depois de postar fiquei pensando no tanto de mudanças que eu estava pensando em impor pra ela. E depois dos comentários de vocês, tive certeza.

      Vou fazer uma coisa de cada vez, respeitando o tempo dela ;-)

      Bjão

      Responder
    2. Claudia respondeu Mamãe do Otávio em

      Kkkkkkk
      Não sou só eu que senti que parece que eu mesma escrevi esse post… apenas os nomes foram trocados…
      Aliás… descobri esse maravilhoso blog faz poucos dias e tenho me identificado com várias das leituras..
      É muito reconfortante saber que mais mamães passam ou já passaram pelo que estou passando. Minha filha está com 1 ano e 5 meses e as vezes me sinto frustrada com algumas coisas que faço e sempre disse que faria diferente qdo tivesse um filho.
      Mas vamos aprendendo diariamente e sempre com muito amor e carinho pra dar aos nossos filhotes.

      Bjsss a todas mamães.

      Responder
  8. Débora em

    Eu dormia com a minha irmã na mesma cama quando éramos pequenas. Quando fiquei adolescente ganhei meu próprio quarto. Mas, não conseguia dormir sozinha nele. Eu ficava imaginando como seria bom ser casada e ter um marido para dormir todo dia juntinho. Como eu era muito nova, não dava para ter um marido. Então, eu ganhei uma cachorrrinha e trouxe ela para dormir comigo todo dia. Ela morreu e eu dormia com outra cachorrinha. Hoje sou casada e nunca dormi sozinha na minha vida. Quando viajo a trabalho e durmo num quarto sozinha, morro de medo. Acho que seria melhor se eu tivesse sido acostumada a dormir sozinha desde bebê. Assim eu não teria essa dificuldade. Agora está tudo bem, mas já foi um problema.

    Responder
  9. Fabi em

    O meu mais velho (3 anos e 5 meses) sempre dormiu no berçinho dele, desde q chegou da maternidade, no quartinho dele, tudo lindo! Mas o caçula veio para eu pagar a minha língua pq até hj, com 1 ano e 8 meses, ele teima em compartilhar a cama conosco. Não gosto pq fico com a qualidade de sono ruim, já q ele tem um dormir muito agitado! Essa noite mesmo, botei ele na mini cama de madrugada e não deu 5 minutos, olha ele no quarto de novo? Fiquei na espreita, fingindo q estava dormindo, aí ele não achou espaço pra subir, não quis chorar e deitou na cama do irmão! Saí atrás dele pela casa e o achei lá, metade do corpinho na cama e a outra metade pendurada, aí carreguei, botei todo lindo na mini cama dele e o danadinho veio atrás de mim. Não aguentei a pressão e botei na minha cama, kkkkkk O detalhe é q ele dorme pegando em meus cabelos e no do pai a noite toda – huahauhau
    Agora a parte de sentir o cheirinho, ficar vendo aquele trocinho lindo dormir, é maravilhosa mesmo! Pena q acordo com as costas doloridas todo dia, rs!
    Bjs, Fabi

    Responder
  10. Mirela Costa em

    Aqui não gostamos dessa ideia não, mas tem dia que eu coloco o Heitor na cama para a mamada das 6h. É muito gostoso, mas para dormir acho muito desconfortável. Eu acordo quebrada. Ele dorme no quarto dele desde que nasceu. Eu ia dormir na cama babá para meu marido poder dormir melhor, mas não no nosso quarto e assim é até hoje: nós no nosso quarto e ele no quarto dele, no berço.

    Responder
  11. CAMILA em

    QUANDO EU ENGRAVIDEI MINHA MÃE PARECIA UM CD QUE SÓ TOCAVA UM MANTRA: ” FILHO NÃO PODE DORMIR NO MEIO DO CASAL”…E ASSIM FOI ATÉ O SAMUEL NASCER… AI ELA MESMA VENDO AQUELA COISINHA LINDA E PEQUENA FALAVA, ” NOSSA, EU NÃO IA DESGRUDAR DELE NEM PARA DORMIR” (OI?!!!!)

    POIS EH, TALVEZ INFLUENCIADA POR ELA, OU MESMO MEDO DE NUM MOMENTO POSTERIOR TER QUE TRAVAR A BATALHA DA SEPARAÇÃO A CAMA AQUI NUNCA FOI COMPARTILHADA.

    POR SORTE SAMUEL SEMPRE FOI DAQUELES BEBÊS QUE PARECEM QUE NASCERAM PRONTOS E AI FOI FÁCIL, ELE DORMIU NUM BERÇO PORTÁTIL AO LADO DA NOSSA CAMA POR 20 DIAS, POIS FIZ CESÁREA E LEVANTAR TODA HORA ERA UM TRANSTORNO, ENTÃO ELE ALI PERTINHO QUANDO CHORAVA MEU MARIDO LEVANTAVA E COLOCAVA ELE NO MEU PEITO…COM 20 DIAS JÁ SEM OS PONTOS FIZEMOS UM TESTE E O COLOCAMOS NO BERÇO DELE NO QUARTO DELE…LIGAMOS A BABÁ E AS PORTAS ABERTAS E PIMBA! ( ALGUÉM AINDA FALA ISSO?) SONO TRANQUILO E ININTERRUPTO A NOITE TODA ATÉ HOJE…OU SEJA, FOI BEM NATURAL AQUI TAMBÉM.
    CONFESSO AMAR COLOCAR ELE PARA DORMIR E AINDA TER UM TEMPO NA MINHA CAMA PARA LER, OUVIR MÚSICA, CONVERSAR E NAMORAR COM MEU MARIDO .
    POUCAS VEZES CONTADAS NOS DEDOS DE UMA MÃO DORMIMOS JUNTOS E FOI UM HORROR ( PARA nÓS OS ADULTOS), FOMOS MASSACRADOS E ACORDEI COM CARA DE ZUMBI, ENTÃO ISSO É RARO POR AQUI COMO QUANDO O AR DEU DEFEITO NO QUARTINHO DELE E DORMIMOS AQUI NO MEU, MAS AI ABRO O BERÇO PORTÁTIL E PRONTO.

    A SEGUNDINHA ESTÁ A CAMINHO E VOU TENTAR REPETIR A FAÇANHA POR MAIS QUE SAIBA QUE CADA BEBÊ É ÚNICO…

    MAS RESPEITO IMENSAMENTE QUEM COMPARTILHA, E ACHO INCLUSIVE QUE COMPARTILHAR OU NÃO A CAMA NÃO É DETERMINANTE PARA A FORMAÇÃO DA CRIANÇA, CONHEÇO QUEM DORME JUNTO DOS FILHOS E PASSA O RESTO DO DIA AUSENTE DA VIDA DA CRIANÇA E OUTROS QUE DORMEM EM QUARTOS SEPARADOS E QUE PASSAM AMOR PARA OS FILHOS SÓ PELO OLHAR…ENTÃO, É CURTIR DO JEITO QUE MAIS GOSTA ESTA FASE DOS NOSSOS BEBÊS QUE PASSA TÃO DEPRESSA E QUE DEIXA UMA SAUDADE ENORME!

    BJUS.

    Responder
  12. Thais em

    Em casa compartilhamos a cama também desde que ele era bebê, e acho uma delícia. Porém, não é a regra. Quer dizer, ele dorme bem na caminha (e dormia no berço), mas vez ou outra colocamos para dormir com a gente. De fato, ele dorme muito melhor (nós não.. apesar de eu ficar mais segura quando ele está conosco). Eu só não sei se aconselharia tirar e chupeta e a cama compartilhada ao mesmo tempo. Será que a chupeta não ajuda nessa transição, já que tranquiliza um pouco na hora de dormir? bjo

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Thais em

      Sim simmm, logo depois de postar fiquei pensando no tanto de mudanças que eu estava pensando em impor pra ela. E depois dos comentários de vocês, tive certeza que não era o melhor caminho.

      Vou fazer uma coisa de cada vez, respeitando o tempo dela :)

      Bjinho

      Responder
  13. Juliana em

    Olá! Nossa, me identifiquei muito com seu post! Há algum tempo atrás fiz um post contando também como aconteceu por aqui e foi muito parecido!
    Concordo com tudo que vc disse!!!
    Parabéns pelo texto!!!!
    Bjos

    Responder
  14. Elaine em

    Por aqui desde que Helena nasceu fazemos quarto compartilhado que se tornou com o tempo cama compartilhada. Hora de dormir é sagrada pra mim, então as atividades entre eu e marido tinham que acontecer antes de nos recolhermos. Marido também sempre dormiu mais tarde do que eu, então não acho que a cama compartilhada tem influenciado na piora da nossa vida sexual.
    A problema da cama compartilhada é o espaço. Eu e Helena somos muito espaçosas. Por isso, coloquei o berço (atualmente apenas o colchão, pois desarmei minha cama pra evitar quedas) ao lado da cama, para que pudessemos manter um espaço decente. É lógico que vez ou outra ela invade nosso espaço rsrs.
    Durmo muito melhor sabendo que ela está bem e a apenas uma esticada de braço pra devolver a chupeta perdida. Sinto até saudades nos dia em que ela dorme no berço.

    Responder
  15. Mistelko em

    Ai que inveja,a Nati não dorme com a gente de jeito nenhum!! Dorme no berço grudado na nossa cama, mas com a gente nem pensar hehe. Desencana Mi, curte todo amor e carinho que vcs podem compartilhar! Logo cresce e vc vai morrer de saudade! Beijo e muita saúde pra vcs!

    Responder
  16. Gleice em

    Olha, minha sugestão… resolve primeiro a questão da caminha compartilhada e depois que o bebê nascer a questão da chupeta.
    Pra muitas crianças chupeta é um afago na alma. Deixa ela amadurecer a saída da cama de vocês, depois a vinda do irmão e aí pensa na chupeta.
    Bjos.

    Responder
  17. Michele em

    Michelle,
    Tema muito controverso esse. Meu filho dorme desde que nasceu no berço dele. Tem uma cama lá no quarto e a gente se revezava para ficar com ele. Com uns dois meses nós não aguentamos mais e ele ficou no quarto dele. Sozinho. Fui criticada como a mais cruel das mães e que não deveria seguir o que meu marido fala e etc.
    Ele se acostumou e nós também. Fernando tem um sono muito leve e qualquer barulho ele acorda. Quando ele dormia com a gente em viagens e na casa de praia a gente estranha e ele também. Ninguém dorme bem. Ficamos loucos para chegarmos em casa e tirar um soninho gostoso.
    Mas agora ele está curtindo dormir com a tv ligada e no nosso quarto tem tv e no dele não. Depois que ele dorme ele vai para o berço dele mas sei que se acostumá-lo ele vai querer ir para nossa cama e não é sempre que deixo só quando está dengoso ou doente. Ele não tem medo do escuro e adora dormir bastante.
    Eu me sinto uma estranha no ninho, já que todos preferem a tal cama compartilhada. Mas não abro mão do meu quarto, meu espaço e o tempo que meu marido e eu temos junto.
    Ele dorme bem, acorda bem. Nunca tivemos babá eletrônica pois o quarto é bem pertinho, as portas são frente a frente. Eu acho que a tal cama é mais uma insegurança dos pais do que um desconforto para os filho. Mas cada um cria o seu filho do seu jeito, esse é o meu lema.

    Responder
  18. Daniela Luiz Alves em

    Oi, Michelle.
    A sua história é muito parecida com a minha. O Pedro Henrique desde que veio da maternidade dormia no berço dele, feliz da vida. Mas como na cidade onde moramos o inverno é bastante rigoroso, é óbvio que surgiram gripes, resfriados e febres. Como você disso, é muito mais fácil monitorar a temperatura e administrar os remédios, além do mais como a criança está fragilizada o nosso carinho tende a ajudar. Então o Pedro dormir conosco se ternou um hábito, delicioso por sinal, pois é muito bom dormir abraçada sentindo o cheirinho delicioso do meu filho. Porém, por falta de experiência, afinal, sou mãe de primeira viagem, pelas leituras que havia feito sobre CC, havia muitas controvérsias, então ficava em dúvida se era certo ou errado. Porém, ao ler uma matéria que apresentava os dois lados da questão, um fato me chamou muito a atenção, pois afirmava que “mamífero ADORA dormir junto, pois se sente seguro e confortável”. Era justamente assim que eu sentia quando olhava a carinha de satisfação do Pedro ao dormir em nossa cama. Passei a aceitar numa boa. Agora ele está com quase três anos, fazemos ele dormir em nossa cama e o levamos para o berço, no quarto dele. Ele dorme a noite toda e raras vezes acorda querendo vir conosco. Enfim, esse é um assunto muito particular e de como cada família vivencia isso. Beijo grande, e felicidades com novo baby.

    Responder
  19. Gabi Sallit em

    Mi, olha que delícia de ajuda:
    http://hsmerch.com/artistas/pequeno-cidadao-tchau-chupeta-livro/

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Gabi Sallit em

      Ownnn preciso pra já! haha

      Responder
  20. Juliani em

    Eu também sou mãe solteira, então no quesito intimidade do casal não existe. Meu filhote tem 2 anos e 4 meses, e assim como a Mel se descobre nas noites frias de Curitiba, compartilhei sempre o quarto com ele, e sempre ele vinha pra minha cama, e o que era esporadico virou rotina. Claro que tem a parte gostosa de dormir com o filhote, mas minhas noite não são mais as mesmas, inclusive já cai da cama, estou aos poucos fazendo a transição para a caminha dele. Fico com ele segurando sua mãozinha até ele adormecer e quando ele acorda de madrugada vou até sua cama e acalmo ele lá, sem levar pra minha cama. É cansativo mas já vejo prevejo uma noite bem dormida!
    Beijos e boa sorte!!
    Ahhh queremos fotos da Barriga!

    Responder
  21. Claudia Lobo em

    Tenho um filho de 3 anos e outro de 3 meses. Meu filho mais velho dorme na nossa cama nos finais de semana e quando está doentinho…
    Daí qd estava quase ganhando o segundo, montamos um moisés no nosso quarto…o mais velho teve um “pití”! Ate jogar coisa em cima de mim ele jogou, coisa que nunca fez. Depois passou uma semana dormindo na nossa cama…foi uma luta.
    Só estou contando isso pra vc ter cuidado e paciência nessa transição tão importante pra vcs.
    Bjs

    Responder
  22. Adriane em

    Nossa…me vi nesse texto. A Isabelle tbm dorme com a gente, ouço tanta coisa contra…mas é tão bom, não atrapalha em nada o casamento..mas agora tbm estou grávida, e vou ser obrigada a tirá-la da cama. Estamos reformando o quartinho dela e já que está vindo outra menina, vamos colocar as duas juntas e resolvi comprar uma cama com outra embaixo para eu dormir com elas até a Belle se sentir segura, aí EU vou saindo aos poucos. Tiramos a chupeta com 2 anos e meio, mas a mamadeira não…e tbm não estou preocupada com isso, até a faculdade ela para de mamar kkkkk

    Responder
  23. Silene em

    Tenho passado por aqui várias vezes por coincidência pois tudo que preciso acaba caindo aqui rs…este blog se tornou meu referencial e amo!Parabéns pelo capricho e o modo bacana de escrever.
    Tenho passado por esse dilema quase igual…minha pequena depois dos três meses começou com crises constantes de gripes,dor de ouvido e tosses que não me deixavam dormir e eu cabeça dura não aceitava por ela na cama até que um dia não suportei e coloquei…pronto não tinha mais jeito!Ela dormiu tão bem que na noite seguinte não pensei duas vezes quando ela acordou e coloquei novamente e no meio como vc e assim foi indo.Noites ela dormia bem no berço,outras ela acordava as 6,depois as 4 e agora as 2…percebo que já não tem incômodos pra ela no berço e sim vontade de dormir no meio dos pais dela…perdi o controle e já não tenho mais ânimo pra ficar com ela no colo tentando por no berço,não sei onde isso vai dar,ela tem 1 ano e eu passei 11 meses sem dormir direito,agora desfruto do meu soninho acompanhada daquele cheirinho que sabemos bem como é bom!Vamos ver no que dá né,só o tempo vai dizer…

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Silene em

      Obrigada pelo carinho Silene!

      Bjo

      Responder
  24. Maria Brassan em

    Me vi no seu post rsrsrs, é igualzinho. Só muda o começo, minha filha dormia no bercinho dela, no quartinho dela até praticamente um ano e pouco…daí ela teve uma pneumonia e o quarto dela começou a ficar com cheiro de mofo por conta das chuvas. Eu que sempre falava tanto que era contra a cama compartilhada acabei me rendendo. Hoje, está difícil tirá-la de lá, quando coloco no berço ela se revira, olha pra mim com aqueles olhinhos “me leva mamãe” e eu não aguento. Adoro dormir de conchinha com ela, acho que acostumei tanto quanto ela. Mas sei que preciso fazer a transição, estou aproveitando o inverno como desculpa e jogando a mudança para o início da primavera rsrs

    Responder
  25. Juliana em

    Oi Michelle, Não conhecia teu blog até ontem a noite quando em uma conversa com uma amiga ela me falou sobre os terrible twos. Tenho várias para falar sobre isso, mas como segui lendo o blog, os outros textos, cheguei nesse da cama compartilhada. A Marina tem 1 ano e 8 meses. Como moramos com a minha sogra ela não tinha o quarto dela. No entanto ela teve o cantinho dela montado no nosso quarto, fizemos um lado todo pra ela. Pintado de rosinha, com faixa, enfim, tudo especialmente feito pra ela. E ela para minha sorte foi uma menina super tranquila, sempre dormiu a noite toda e no berço. No inverno ela tinha já uns 6/7 meses então já era maiorzinha, mesmo assim o cuidado é sempre redobrado, porém ela no berço e nós na cama.
    Mas escrevo para dizer que ela teve os rompantes de querer ficar na nossa cama, quando ficou doente. Claro, ficar cm ela na nossa cama é muito mais prático na hora de dar mama, medir temperatura, dar remédios…. Enfim, o que aconteceu foi que ela começou a querer ficar por mais e mais tempo com agente na cama. Foi quando li algum artigo sobre isso, e me dei conta que estava ficando complicado (apesar de nossa cama ser uma king size) por ela ser muito espaçosa, se mexer de mais, sim, pq ela literalmente gira dormindo. E eu acabava acordando mais cansada ainda. Então resolvemos que a farra ia acabar. Aos poucos fomo colocando ela no berço, seguindo algumas dicas, como o conversar com ela, explicar que cada um tinha sua cama, que a dela era só dela, enfim: SUCESSO! Ela nunca mais saiu do berço. Porém, ela foi ficando maior, e muito mais observadora, e também, mais falante e esperta. Com isso veio a necessidade dela ter o quarto dela. E fomos em busca disso. Desmontamos um quarto vazio da casa, que era literalmente um depósito, pintamos colocamos lustres, deixamos com a carinha dela, e iniciamos a etapa número 2: A saída do nosso quarto. Assumo que a primeira semana foi complicado. Fizemos a troca no inicio do inverno, em maio. O quarto dela fica ao lado do nosso. Instalamos a baba eletrônica. E hj ela dorme super bem no cantinho dela. Ela sabe que lá é o espaço dela. E muitas vezes a noite ela pede para ir para o “quaco” dela. Já que ela adora a “pama” dela!! To adorando ler e relembrar essas fases…. Vou ver se escrevo sobre os terrible twos. Pq pra esse tenho assunto…. Beijos e uma nova gestação excelente!!!!

    Responder
  26. Josi em

    Oi Michele, desde a minha gravides acompanho seu blog acho maravilhoso a forma que você escreve me vejo nos seus post. Aqui em casa ta bem dificil as coisas a Minha pequena esta com 1 ano e 3 meses. No começo ela dormia no moises ao lado da cama mas ela tinha muita colica então acabava que ela dormia em cima de mim e assim foi passando o tempo e ela ficando cada vez mais na cama. Agora estamos nessa situação, dorme na minha cama quando pega bem no sono coloco no berço (ao lado da minha cama), de madrugada acorda pra mamar e ja fica na minha cama.
    Nos ultimos tempos essa situação anda me incomodando, até nem tanto o fato dela dormir comigo mas mas o mamar porque ela acorda de 2 em 2 horas pra mamar ou seja não durmo nada, acordo morta com farofa!!!
    Pra eu tirar ela do peito tenho que tirar da cama e uma coisa leva a outra ate porque durante o dia ela não mama mais só anoite, então eu morro de dó…
    Eu já nem sei mais o que fazer, alguem tem alguma sugestão??
    Beijosss

    Responder
  27. Amanda em

    Oi Michelle,

    É incrível, mas na minha casa estamos bem assim, com minha filha de quase 3 anos dormindo com a gente e eu com uma barriga de 27 semanas de gestação passando pelo dilema de retirar a chupeta e colocá-la na cama novinha que compramos… Mas realmente é tão bom ter aquele serzinho dormindo do meu lado, abraçadinha comigo… Sei que ela se sente mais segura e concordo que em nada isso atrapalha sua segurança ou autonomia. Pelo contrário, acho que ela se sente segura e protegida para tomar suas decisões, pois sabe que tem sempre quem a acolha! Resolvi não me cobrar muito e fazer as tentativas de tirá-la da cama aos poucos. E principalmente acho que não devemos nos sentir culpadas e seguir sempre nossos instintos!

    Beijos!

    Responder
  28. Simone em

    Eu não tenho filhos, mas sou a mais velha de muitos irmãos, então acompanhei a criação de cada um deles. Na minha casa o lema sempre foi “na nossa cama não!”. Nunca dormimos com nossos pais (apesar de que durante o dia o quarto deles é a nossa “sala” até hoje! rs). Mas aí veio a caçula e mudou tudo. Como ela é adotiva, acho que teve uma necessidade maior de acolhimento. Nunca aceitou dormir sozinha, sempre pulava p cama dos mais pais ou das outras irmãs.
    As irmãs também nunca dormiram na cama com nossos pais, mas sempre dormiram juntas, e mesmo quando cada uma ganhou sua própria cama, até hoje elas juntam as camas p dormirem amontoadinhas (uma de 8 e duas de 9 anos).
    A caçula está agora com 3 anos e meio. Dorme uma parte na noite na cama dos pais, outra parte na cama das irmãs, enfim, nunca sozinha. E adora!

    Responder

Deixe seu comentário!