Categories: Casa & Decoração/ Dicas de Organização

Reorganizando a casa: farmacinha e kit de primeiros socorros

reorganizandoacasa_capa_1

Lembram desse post Colocando ordem na casa novamente? Nele, falei sobre como a casa ficou de lado depois que nossos filhos nasceram, especialmente depois do nascimento do Leo. Com a correria do dia a dia, nunca sobrava tempo para cuidar do nosso lar e, com isso, as coisas foram ficando bagunçadas e a nossa vida, idem.

No final do ano passado, percebi que precisava voltar a olhar com carinho para a nossa casa, organizá-la, deixá-la mais funcional e, por que não, mais bonita e fofinha. Hoje, começo a mostrar para vocês os primeiros progressos que tivemos por aqui e assim seguiremos, firmes no nosso propósito de facilitar a nossa rotina e deixar a casa (a vida) mais bonita, certo? Lembrando que eu não sou nenhuma guru da decoração/organização. Só vou fazendo as coisas do meu jeitinho :)

Tenho chamado essa “série de posts” de #reorganizandoacasa e no Instagram do blog (já me segue por lá?) sempre estou postando as novidades.

Começando pela farmacinha

Comecei por ela porque era algo que estava me incomodando muito e nos fazendo perder tempo procurando as coisas. Fico até envergonhada de mostrar essa zona numa parte tão importante, que é a farmacinha que normalmente mantemos em casa, mas, esse blog é de vida real, então, espero que vocês se compadeçam da minha pessoa e se identifiquem também.

Eu sempre mantive tudo organizado, quando éramos só eu e Alexandre. Era uma tarefa relativamente fácil porque só tínhamos medicamentos de uso adulto em casa. Logo a quantidade era muito menor. Depois que a Mel nasceu, eu consegui manter a organização usando uma caixinha só para os medicamentos dela. E isso durou até pouco tempo antes do irmão nascer. Depois, a bagunça foi tomando conta, as coisas já não eram mais guardadas e sim jogadas nas caixas e nunca dava tempo de fazer aquela faxina por lá.

Ao me tornar mãe e consequentemente responsável pela saúde e pelos cuidados de outras duas pessoas, além de mim, passei a me preocupar mais com essa questão e com o que ingerimos quando ficamos doentes. Sempre tive curiosidade e interesse pela homeopatia e comecei a utilizá-la com a Mel em 2013. De lá para cá a saúde dela melhorou muito (como contei para vocês neste post) e a quantidade de remédios alopáticos aqui em casa diminuiu. Não paramos de usá-los, mas não mais como primeira e única opção. Com o Leo também uso homeopatia.

Continuando a falar da organização, eu não quis gastar com caixinhas ou cestinhos novos ou mais bonitos para essa área porque ela fica escondida, numa prateleira alta de um armário na cozinha. Por isso usei caixinhas de madeira que eu já tinha e uma de calçado (que pode até ser encapada depois), que quebrou o galho.

A primeira coisa foi verificar a data de validade dos medicamentos e separá-los. Medicamentos não devem ser jogados no lixo comum (nem no lixo reciclável, claro!) ou nos vasos sanitários, porque as substâncias químicas podem contaminar tanto o solo quanto a água, o que pode vir a prejudicar a saúde de outras pessoas.

O correto é entregar nas farmácias que disponibilizam coletores para medicamentos não utilizados e vencidos, separarando os itens que podem machucar ou contaminar quem for manusear o lixo e os que não apresentam perigo. Exemplo: seringas, agulhas, ampolas e frascos de vidro danificados, são itens que oferecem perigo. Cartelas de comprimidos, frascos plásticos, frascos de vidro intactos, caixinhas, embalagens de pomadas, etc, podem ser colocados juntos. (leia mais aqui)

Depois, separei em uso adulto e infantil e, em seguida, em nichos, digamos assim: medicamentos, pomadas, primeiros socorros, etc. Dessa forma ficou mais fácil acomodar tudo nas caixinhas.

Usei duas para os medicamentos de uso adulto: uma fechada para os menos usados e outra aberta com os medicamentos que usamos no dia a dia. Retirei alguns das caixinhas e coloquei as cartelas em copinhos (de festa, hehe), deixando a mão aqueles que mais usamos (tipo remédio para dor, gripe e dor de cabeça) e assim, ocupando menos espaço. Nessa caixa ficou também o nosso termômetro (como tenho dois, uso um para nós e outro para as crianças).

Para os medicamentos infantis, usei uma caixinha grande de madeira tipo bandeja, que fica bem fácil de ver o que tem dentro e de retirar do armário, quando preciso. Organizei por alas, tipo, kit de homeopatia, remédios para dor e febre, antialérgicos, xaropes, medicamentos para inalação, ouvido e outros. Lá também coloquei uma bolsinha com os termômetros (uso um digital, de colocar abaixo da axila mesmo, e aqueles de ouvido, que não confio mais como antes porque sempre marcam a menos do que o outro).

Já o kit de primeiros socorros foi colocado numa caixinha de sapatos. Mais para frente devo colocar tudo numa maletinha plástica, para ficar mais práticos. Nessa caixinha, deixei os itens mais usados por aqui: curativos tipo band-aid de tamanhos diversos, gaze, esparadrapo, micropore, spray antiséptico, água oxigenada 10 volumes, Merthiolate, tesoura pequena e pomada para picadas de insetos. Atrás, deixei o álcool 70%, soro fisiológico e algodão. Ataduras, luvas descartáveis e outros itens de primeiros socorros foram guardados na nossa caixa de adultos. E o nebulizador foi para a prateleira de cima.

Os medicamentos de uso contínuo e diário – da Mel, do Leo e nossos – como as homeopatias, vitaminas, sprays para limpeza nasal e outros, ficam numa outra caixinha, em cima de uma das bancadas da cozinha. Mantenho assim para não esquecer de dar a eles e de tomar também.

Achei que ficou bem prático e visível, especialmente para quem não está tão acostumado com o lugar das coisas como eu. Leia-se o meu marido e as avós dos pequenos que ficam com eles aqui de vez em quando.

O resultado do antes e depois, vocês veem abaixo.

farmacinha

É algo tão simples, não é? Mas faz uma baita diferença estar organizado.

É muito importante lembrar que medicamentos só devem ser tomados e ministrados com prescrição ou recomendação médica, ainda mais quando se trata de crianças, certo? Além disso, é importantíssimo que os medicamentos fiquem num local que as crianças não tenham acesso.

Agora é manter essa organização e partir para as próximas etapas.

E por aí? Como vocês se organizam com a farmacinha e os itens de primeiros socorros?

comentários via facebook

10 comments

  1. Adorei a organização…
    Por aqui também separo os medicamentos em mais e menos utilizados, adultos e infantis, em caixinhas, cestinhas e copos separados… E também em copinhos de festa, heheheh (ou água, branquinhos mesmo, desses descartáveis).. a diferença é que corto as cartelas de comprimidos separando eles um a um e identifico no copo o que tem la dentro…

  2. Michelle,
    A farmacinha é um item superimportante aqui em casa também. São dois filhos, duas rotinas homeopáticas que tem aqui. Fernando é alérgico e tem um conjunto de remédios específicos que tenho que começar agora para durante o frio não estar tão atacado. Agora começou outra rotina de remédios pois a pediatra suspeitou que ele está com início de toc. Ele morde as unhas sem parar e não quer fazer coisas novas. Ela acha que ele desenvolveu isso pela chagada da irmã, mas ele faz isso há muito tempo, suspeitei de verme mas ela disse que não.
    A Beatriz tem uma dessas sacolinhas com várias divisões que vive na bolsa com salsep, mylicon e vitaminas…e tenho outras dessa em um potinho lá na cozinha ( aqui tudo é em dois, uma pra casa, outra pra bolsa).
    Guardo essas coisas na cozinha, mas deixo na minha cara senão eu esqueço ( amei você dizendo que esquece de dar homeopatia, é eu tb…). Onde fica esse seu armário? Como faz para não esquecer de dar homeopatia?
    Beijo grande nas crianças…e porque não faz um IG da Mel? Eu vi um de criança leendo (@rebeccabueno) e só lembrei dela. E Leo também, o menino mais estiloso do pedaço!!! Eu sei que é mais trabalho pra ti, mas eles são tão lindos e às vezes a gente quer uma resenha de uma marca de roupa, como fica o caimento e é um saco achar isso no IG de uma forma geral.

    1. Oi Mi! Esse armário fica na cozinha, em frente à mesa. Nele guardamos comida e bebidas de um lado e louças no outro. Numa prateleira mais alta mantenho a farmacinha que mostrei :)

      As homeopatias e remédios que usamos no dia a dia eu deixo numa caixa ao lado do bebedouro, em cima de uma das bancadas da cozinha também.

      Sobre o instagram dos pequenos, acho que eu não daria conta de atualizar mais contas do que já tenho, hahahaha

      Bjooo

  3. Gostei muito do post, pra mim foi mais uma alerta, um puxão de orelhas… Do meu filho sempre tenho os remédios e emergenciais em casa. Mas já pra mim ou pro marido, é caso de sair correndo até farmácia mais próxima.
    Sou daquelas que só toma algum remédio quando não tem mais jeito mesmo. Mas reconheço a importância de ter essa organização e estoque em casa.
    Beijo

  4. Olá, Michelle!
    Sou farmacêutica e notei que vc guardou os medicamentos na cozinha… Na verdade, pela grande variação de temperatura e umidade que há sempre na cozinha, esse não é o melhor lugar para guardar os medicamentos. O mesmo vale para o banheiro (onde muitas pessoas guardam!)…
    O ideal seria no quarto, ou na sala, enfim… E lógico, num local alto, que impeça as crianças de alcançarem!

comentar resposta para Mônica Soares Cancelar