11 mar 2013

Pronta para o amor, outra vez.

Há cinco anos atrás eu costumava consultar com um clínico geral, um senhor de idade já e muito bom médico. Um dia, em meio aos preparativos para o nosso casamento (meu e do Alexandre) marquei uma consulta de rotina para pedir alguns exames de sangue e lembro que lhe contei sobre meus planos de engravidar. Ele, categórico, me disse: “ah, mas não faça essa besteira menina! não seja louca, por favor”.

Eu estranhei muito essa resposta e juro que esperava ouvir uma gargalhada a seguir, mas ela não veio. Perguntei então o motivo dele ter dito aquilo e ele me disse que filhos não servem para nada, que incomodam quando pequenos, acabam com a vida do casal, e que depois de grandes, dão muita despesa, se casam, se divorciam, querem morar em outro país, enfim, que só davam dores de cabeça e incômodos. Essas foram as palavras dele, um senhor de mais de setenta e cinco anos, pai de uma moça com idade, na época, para ser minha mãe provavelmente.

Confesso que por muito tempo aquele discurso totalmente contrário à maternidade, à própria vida, me deixava por vezes desconcertada, desacreditada da humanidade. Eu não conseguia entender e me sentia compelida a desafiá-lo, a mostrar-lhe que estava errado, muito errado.

No ano seguinte nos casamos e um mês depois descobri minha gravidez. Hoje, se alguém me pedisse que em uma palavra definisse a maternidade, eu diria sem titubear: amor.

E aqui, cabe um parágrafo sobre o que o amor significa pra mim.

Não é aquele amor lindo e perfeito de novela da Globo, de princesa encarcerada na torre a espera do príncipe encantado. É amor de novela mexicana, de gente de verdade, de ser humano, que sofre, que chora, que quebra a cara, que sente dor, que abdica, que se decepciona. Mas que também ri, que sente com intensidade, que se apaixona, que se alegra, que se admira, que compartilha, que se dedica, que canta, que vira poeta e se emociona. Aquele amor que meu marido me disse um dia, na descrição dele: “um amor que chega a doer dentro do peito, de tão grande”.

Por isso pra mim não tem descrição mais perfeita quando se fala de maternidade. Porque não há nada que valha mais a pena nessa vida do que amar e ser amado em troca.

Os percalços são tamanhos, claro. Tudo aquilo que a gente já sabe, todos os incômodos e medos na gestação, no parto, na amamentação, as noites mal ou nunca mais dormidas, o choro, as birras, o cansaço, a perda da liberdade… Mas o amor gente, esse que vem junto com a nova vida que geramos, esse não se encontra em nenhum outro lugar, senão na maternidade. Nada se compara, nada enaltece mais do que ser pai e mãe. Não existe amor e doação maior que essa e provavelmente nunca irá existir.

Em novembro do ano passado, fiz um post falando sobre meus medos e anseios acerca de ter um segundo filho.

Logo depois de colocar “no papel” o que eu sentia em relação a isso, consegui compreender melhor meus sentimentos e vi que muitas leitoras também se sentiam conflitantes em relação a serem mães novamente, da mesma forma que eu. Isso me trouxe alento, conforto.

Uma leitora muito querida, a Maria Carolina, escreveu que “pensar demais era anti reprodutivo”. E essa frase me acompanhou durante dias, semanas. Logo em seguida, um amigo do meu marido também lhe disse algo parecido: que “se pararmos para pensar mesmo, não tem lógica ter mais de um filho”.

E lógica não tem mesmo. E mais uma vez o motivo é o amor. O amor não tem lógica, não segue mapa, nem relógio, nem bússola de direção. Só temos que sentí-lo apenas, nada mais.

Meu marido já havia se decidido há tempos atrás. Só faltava a minha convicção, a minha vontade. A vontade de me arriscar, de me jogar de cabeça, de me apaixonar novamente. Essa vontade veio com força total no final do ano. E a coragem para parar com a pílula, veio um mês e meio depois, junto com aquela sensação de embrulho no estômago que sentimos em frente a um novo desafio. Mas esse é só o primeiro que a decisão de ser mãe traz. E assim estamos. Quando Deus quiser, quando for pra ser, será.

Eu ainda não sei o que leva uma pessoa, como aquele médico lá do início do post, a ter uma opinião tão sombria e negativa da maternidade/paternidade. Quero eu acreditar que a vida talvez não tenha sido muito gentil com ele ou que ele na verdade nunca tenha conhecido o amor. Quem sabe.

Ao pensar em ter mais um filho eu sentia muito medo de errar novamente. E esse medo de errar acabou virando vontade de acertar, de fazer diferente, de amar diferente e outra vez. Ainda sinto que há muito a aprender, a amadurecer. Mas o medo tem se mostrado cada vez menos presente por aqui.

A música que segue é de uma cantora que gosto muito, chamada India Arie. A descrição dela sobre “Ready For Love” não poderia ser mais perfeita:

“Essa música é para Deus… para a energia do amor vir e abençoar minha vida. E é por isso que eu amo tanto essa música. Porque toda vez que eu a canto, é a minha afirmação. Porque … eu estou pronta para o amor.”

Então, eu dedico essa música para mim, para você, que quando pensa em ter um filho também sente essa mistura de medo e excitação, para você que planeja ser mãe, para você que já está tentando engravidar, para você que mesmo depois de frustrar-se por diversas vezes ainda não desistiu de ser mãe, para você que está grávida neste momento, para você que foi surpreendida por uma gravidez inesperada, para você que já é mãe de um, de dois, de três ou mais e aprende todo dia um pouco mais com a maternidade.

Para você que também está pronta para o amor, com toda sua alegria e sua dor.

Eu estou pronta para o amor

Por que você se esconde de mim?

Eu abro mão da minha liberdade rapidamente

Para ficar presa em seu cativeiro

 

Eu estou pronta para o amor

Toda a alegria e a dor

E todo tempo que leva

Só para cair em sua graça

 

Ultimamente eu tenho pensado que talvez

Você não esteja pronto para mim

Talvez você pense que eu preciso aprender a ser madura

Eles dizem pra tomar cuidado com o que se pede, pois pode conseguir

Mas se você me perguntar amanhã, eu direi a mesma coisa

 

Eu estou pronta para o amor

Você pode me ouvir?

Eu prometo que não reclamarei

Só preciso que você saiba que estou aqui

 

Se você me der uma chance

Eu provarei isto pra você

Eu serei paciente, gentil, fiel e verdadeira

A um homem que ama música

Um homem que ama a arte

Respeita o mundo espiritual e pensa com o coração

 

Eu estou pronta para o amor

Se você me levar em suas mãos

Eu aprenderei o que você ensinar

E farei o melhor que puder

 

Eu estou pronta para o amor

Aqui, oferecendo minha voz

Meus olhos, minha alma e minha mente

Me diga o que é suficiente

Para provar que eu estou pronta para o amor

 

Eu estou pronta.

31 comentários no blog

  1. Muriel em

    Coisa mais linda esse post!!! *chorando*
    Mi, que Deus te abençoe ricamente com outra jóia, pois você está mais que pronta!!! Estou torcendo!!!
    bjo

    Responder
  2. Camila em

    Lindo post que veio a calhar com meu momento, como vc disse: “Quando Deus quiser, quando for pra ser, será”. Confesso que as vezes me pego pensando e me dá aquele friozinho na barriga de medo, insegurança. Mas, também estou pronta e esperando o amor.

    Responder
  3. Renata em

    Adorei o post e desejo toda felicidade, eu sou mãe de duas e posso afirmar que é MARAVILHOSO, puxado, lindo, cansativo, divertido……

    Responder
  4. Rossana em

    Q lindo!! Se Deus quiser logo teremos uma boa noticia por aqui!! Fui mãe pela segunda vez há um ano e é duplamente maravilhoso. Você passa a ser capaz de amar de mil maneiras, de amar as igualdades e as diferenças. Se pararmos mesmo para pensar pode parecer loucura colocar mais alguém nesse mundo, mas o amor vive de outras lógicas, e na lógica do meu amor dá vontade até de ser mãe de três!!! rs.
    Parabéns e boa sorte!!

    Responder
  5. Evelyn em

    Frase mais perfeita!!!

    Responder
  6. Joana em

    Oi Michele. É primeira vez que comento um post seu, mas a acompanho diariamente. Confesso que quando li um outro post seu no qual você se questionava acerca de ter ou não um segundo filho, não concordei muito. Até porque tenho uma filha de 1 ano e 8 meses e estou no nono mês de gestação, esperando a chegada de minha segunda filha para a primeira semana de abril. Agora, lendo esse post de hoje fiquei muito emocionada! Também não sei o que me espera e sei que não será fácil, mas não consegui me furtar de sentir todo esse arroubo de emoções que significa ter um filho. Beijos.

    Responder
  7. Mistelko em

    Que lindo, Mi! Deus abençoe vcs!!

    Responder
  8. Flávia Rebelato em

    Olá Michelle,
    Muito legal esse post e verdadeiro! Estar grávida já é maravilhoso, quando nascer minha filha então, o amor que já sinto vai multiplicar por 1 milhao…ai que emoçao!
    Bjos

    Responder
  9. Daniele Ishiki em

    Nossa Michelle, eu realmente chorei…pois estou tentando o segundo filho, e não estou conseguindo. Já tive dois abortos e essa música traduziu exatamente o que eu estou sentindo….uma vontade enorme de ser mãe novamente e foi como se eu estivesse pedindo que o bebê venha, mesmo com tantos medos e erros acertos, mas será tão amado…..
    Beijocas adoro o seu BLOG. Comecei um tratamento e se Deus quiser gostaria de deixar a minha história no seu blog.
    Abraços

    Responder
  10. R. em

    oi, michelle! jurava que no final vc ia dizer que está grávida pela segunda vez… pensei que o post tinha sido uma preparação para o anúncio, rsrsrs.
    beijo e boa sorte!

    Responder
  11. Jorgea em

    Mi, lindo post e ficarei na torcida por mais um bb na sua vida.
    e como sempre falo o essencial para ser mãe é amor.
    bjs

    Responder
  12. Mamãe do Otávio em

    :’)
    que lindo Mi…
    to emocionada… isso que vc escreveu “Os percalços são tamanhos, claro. Tudo aquilo que a gente já sabe, todos os incômodos e medos na gestação, no parto, na amamentação, as noites mal ou nunca mais dormidas, o choro, as birras, o cansaço, a perda da liberdade… Mas o amor gente, esse que vem junto com a nova vida que geramos, esse não se encontra em nenhum outro lugar, senão na maternidade. Nada se compara, nada enaltece mais do que ser pai e mãe. Não existe amor e doação maior que essa e provavelmente nunca irá existir.” disse TUDO!
    A um mês atrás eu tinha a certeza de que estava grávida… a pior TPM da minha vida! mas dessa vez fiquei em conflito de emoções pq não é a hora certa e decidi começar com a pílula!
    Olhando as fotos do Otávio com 2 meses nesse final de semana senti uma coisa tão louca que to muito decida a engravidar novamente… E NÃO DA PRA PENSAR, PENSAR EM COMO O MUNDO ESTÁ, COMO SERÁ O FUTURO…!
    Só precisamos sentir e viver o amor!

    beijos

    Responder
  13. Daniella em

    Me sinto igual a você neste momento: um misto de medo e vontade de ter outro filho. A vontade às vezes supera o medo e vice-versa. Também estamos esperando a chegada de mais um amor em nossa família. Que ele venha quando tiver que ser. :-)

    Responder
  14. Juliani de Paula em

    Você descreveu perfeitamente o que é a maternidade, amor, amor, muito amor. Amor esse que nunca se sente por nada, só por um filho.
    Que seu novo amor venha cheio(a) de saudade, que você tenha uma ótima gravidez….
    Beijos

    Responder
  15. Carol em

    Lindo demais Mi! Admiro sua reflexão, sua coragem, mas principalmente seu coração… Eu ainda não me sinto pronta, acho que ainda fico pensando demais, dormindo de menos, sei lá… rsrs Que o melhor aconteça! ;)

    Responder
  16. Maria Carolina em

    Oi Michelle,
    Mais uma vez post lindo, fico feliz que não tenha esquecido minhas palavras: pensar demais é anti reprodutivo. O segundo amor é diferente, é leve, é menos angustiante, é sem cobranças.
    Que seu novo amor chegue em breve.
    Beijos

    Responder
  17. Ana Carolina em

    Fiquei super emocionada! Que Deus já ilumine esse serzinho, que mesmo sem ainda ter sido gerado, já é tão amado!

    Responder
  18. Carla em

    Chorei ao ler seu post. Sou mãe de duas maravilhoas crianças, o Arthur de 07 anos e a Bia de 1 ano e meio, e fui pega por uma gravidez inesperada, mas que agora já motivo de alegria em nossa casa. Mesmo depois de duas gestações, ainda me sinto aquela menina de 25 anos insegura, grávida do primeiro filho, mas que aprendeu com essas bençãos o que é o verdadeiro amor!

    Responder
  19. Telma Teixeira em

    Lindo, adorei o seu post…e confesso ter ficado na expectativa de no final vc nos falar que estava gravidinha de novo. De qualquer forma, tbm acho que vc está prontíssima para se aventurar novamente, pq a maternidade pra mim é uma grande aventura, com muito amor, desafios, medos e alegrias. Estou na torcida, bjos.

    Responder
  20. Fabi em

    Sou mãe de dois menininhos (3 anos e 1 ano e 3 meses) e sou apaixonada, vidrada na minha duplinha! Claro q é cansativo, trabalhoso, mas ver o meu amor e de meu marido multiplicado em duas pessoinhas não tem preço! É revigorante, uam alegria sem fim! E ao mesmo tempo um aprendizado constante pq cada filho vem de um jeito, mas amamos loucamente!
    Parabéns e boa sorte nessa linda jornada!
    Bjs

    Responder
  21. Amanda em

    Oi Michele!
    Lindo post, me emocionei!
    Quero te fazer uma pergunta. Encomendei de um site da interenet a garrafa anti respingo da giro baby, mas ainda não chegou. Tu sabes me dizewr se ela cabe no porta mamadeira da mam?
    Bjs

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Amanda em

      Oi Amanda! Olha, não sei te dizer com certeza, mas talvez a garrafa seja um pouco maior que as mamadeiras da MAM. Mas só testando mesmo pra ver se cabe!

      Responder
  22. Mirela Costa em

    Michelle… nem sei o que dizer… O texto é lindo, a música tbm… E eu não estou pronta para o amor, hehehe… Meu marido quer outro filho, mas eu ficaria só com um… QUem sabe mais adiante? Eu não gostei de ficar grávida, sabe. Passei mal os 9 meses, passei à base de remédio para enjoo até na véspera de ganhar. O parto normal foi o mais fácil de tudo. Amamentar me tirou o sono… Ainda preciso digerir. Só de pensar sinto o enjoo… afe… QUe Deus lhe presenteie com outra bonequinha como a Mel ou um bonequinho lindo como o meu Heitor!

    Responder
  23. Fernanda Dahmer em

    Olá Michelle

    Acompanho o blog porque quero ser uma mãe melhor a cada dia e acho os teus posts reais e não cheio de charme e flores porque a maternidade no meu ponto de vista é difícil e não um mar de rosas como muitos inclusive da minha família dizem. Tenho uma menina de 10 meses e acho que não vou querer ter outro filho mas admiro as mães que querem porque só nós sabemos o que temos que abrir mão na nossa vida por esse amor que são nossos filhos, vale a pena e muito mas não quer dizer que a caminha não seja difícil. Bjs

    Responder
  24. Larissa em

    Oi MIchele…
    Nossa, que lindo!
    Achei o maximo o post! Que bom!
    Eu estou louca p engravidar de novo, meu marido mais ainda…
    So que acabamos de voltar p o Brasil, e precisamos no minimo nos estabilizar, digo com casa, escola p Bea e tudo mais! Ai sim! A gravidez da Bea ja foi super conturbada, no meio de tantas mudanças… Quero no minimo estar tranquila na proxima e poder curtir muito mais!

    Boa sorte e Que Deus te abençoe!

    bjs

    Responder
  25. Siare em

    Oi Michelle! Fico feliz por você!!! Ainda estou na dúvida quanto ao segundo filho. A pressão da família é grande! Beijos

    Responder
  26. Letícia em

    Felicidades para vcs!
    Li seu post sobre o segundo filho e entendi sua decisão perfeitamente pois minha bebê está com 7 meses e estou na fase de não querer outro de jeito nenhum AGORA. A gestação e o parto foram experiências maravilhosas mas este negócio de emendar não é comigo. Tem que desejar mesmo porque amar é se doar. Acho que vc esperou um tempo bom e o segundo filho vai vir na melhor hora. Parabéns pela decisão! beijos

    Responder
  27. Claudia em

    Lindo posto, Michelle. Acho que todas nós esperamos ansiosas a chegada desse novo anjinho.
    Agora fugindo um pouco, estou montando um blog e gostaria de saber como vc faz esses corações lindos nas suas imagens, pois ja tentei alguns mas nenhum me agrada.
    Depois e passo o endereço.

    Beijos, e parabéns por tudo!

    Responder
  28. Gabriela em

    Obrigada Michelle! Por compartilhar conosco uma experiência tão intima e que ao mesmo tempo é tão “de muita gente”. Estou casada há 4 anos e somente agora “eu estou pronta”. Ja estamos nos preparativos e que venha no tempo de Deus. O turbilhão no estômago ainda existe, mas o amor que ja cresce dentro de mim faz com que tudo seja muito mais fácil. Obrigada por nos ajudar a passar por isso de uma forma mais acolhida e que vc seja abençoada em breve com mais um lindo baby ;)
    Beijos com carinho

    Responder
  29. Mariana Sant'ana em

    Achei o seu blog e já consegui ler todos os posts e esse foi o ultimo e muito especial! No meu caso eu sou uma maquina de fazer bebes… Já tenho 2 filhas lindas Lana e Sarah de respectivamente 7 e 8 anos. Elas fazem aniversario no mesmo mês! Tive quase gêmeas e foi tudo muito cansativo, passei mal durante os 18 meses literalmente. Mas passou… Hoje elas estão lindas grandes independentes e minha vida estava no eixo… Até que…. Estou gravida novamente e até então minha ficha e principalmente do meu marido nao caiu…. rsrs…. Para nos nao tinha lógica ter mais um filho de novo…. Mas entendi que o amor não tem lógica! Estou aos prantos amando muito meu novo bebe! Ele será uma benção como minha duas princesas! Será que agora vem um príncipe?

    Responder
  30. Carina Cadima em

    Que partilha linda . Obrigada!

    Responder

Deixe seu comentário!