Categories: Nascimento & pós-parto

Playlist de parto

cd playlist parto leo

Desde que fiz o post do relato de parto do Leo, muitas de vocês me perguntaram sobre a tal playlist de parto, que eu preparei para a ocasião. Dia desses no facebook, uma queridona que está grávida pediu algumas recomendações de músicas para a playlist dela e então lembrei de escrever sobre isso. E foi muito bom, por vários motivos: falei de algo que eu amo, que é música; falei um pouco de mim ao invés dos filhos e principalmente, relembrei um dos dias mais lindos da minha vida e dei muita risada :)

Uma coisa é certa: durante todo o processo – trabalho de parto, parto e pós parto – muita coisa a gente não ouve e não vê, apenas sente. O êxtase é tamanho, que não sobra nenhum sentido funcionando cem por cento no nosso corpo. Mas, temos nossos momentos de sanidade e por esses momentos, vale preparar um CD especial para ouvir.

Claro que a seleção das músicas para se ouvir durante o trabalho de parto e durante o parto em si é uma escolha muito pessoal e depende do que a pessoa gosta, musicalmente falando. A gente dá uma ideia aqui, outra ali, mas no final é o seu gosto, aquilo que agrada aos seus ouvidos, que vai parar no CD. Ou aquilo que você imagina que será legal de ouvir no dia D. Embora esse raciocínio nem sempre dê certo e vocês irão entender o porquê.

Como eu fiz (clicando no nome das músicas vai para o clipe no youtube)

Todo mundo tem as suas músicas da vida, aquelas preferidas, do coração. E eu também, claro. Só que algumas das minhas músicas preferidas simplesmente não se encaixavam no momento “parir”, sabem? Exemplos: November Rain do Guns N Roses e Purple Rain do Prince. Simplesmente não me imaginava parindo ao som dessas músicas, porque cada uma delas marcou outros acontecimentos importantes na minha vida.

Fui então selecionando algumas bandas e artistas que eu gostava (e é uma mistureira só, porque eu gosto desde Metallica à Edith Piaf), algumas coisas mais recentes e outras bem antigas, que eu escutava há tempos atrás. E não deixei de fora as músicas que marcaram a segunda gravidez (mentira, deixei La Barca de fora, porque né… eu não ia conseguir dar a luz ouvindo o Luis Miguel cantar).

Das que eu mais lembro:

No Recreio, Cássia Eller

na teoria: a música é linda, o clipe é lindo e a Cássia também. essa música marcou demais a nossa correria para se mudar, às 37 semanas de gestação. não tinha como escutar e não lembrar de mim mesma subindo e descendo as escadas com caixas e mais caixas e aquele barrigão enorme de nove meses.

na prática: ouvi muitas vezes dentro do carro, quando estávamos batendo perna na rua, quando começaram as contrações. foi ótimo, bateu um sentimento bom de “não vejo a hora”, sabe?  a letra tem tudo a ver. mais tarde, lembro apenas de ter ouvido na saída de casa para a maternidade, também dentro do carro. depois, ela foi escolhida para abrir o clipe de nascimento do Leo.

Pra Você Guardei o Amor, Nando Reis

na teoria: assim que ouvi essa música pela primeira vez, no comecinho da gestação do Leo, sabia que era uma das nossas músicas. bateu de cara, entrou no caração e ficou.

na prática: ouvi muito durante a gravidez e no caminho até a maternidade, e me deu uma sensação de felicidade inexplicável. depois, não lembro mais. essa foi a segunda música escolhida para o clipe.

Debaixo d’água, Maria Bethânia

na teoria: clássicos dos clássicos nos partos, de vários que já assisti. letra linda e tudo a ver.

na prática: essa música me emocionou muito durante a gestação e foi bacana ouví-la no trajeto até a maternidade, quando eu estava num nível 5 de dor. me ajudou a me conectar com o meu corpo. depois, também não lembro de ter ouvido mais.

Faz Parte do Meu Show, Cazuza

na teoria: amo essa música e ouvi muito durante a gravidez.

na prática: “putz, por que cargas d’água eu coloquei Cazuza na playlist do parto?”, eu pensava. me irritou muito e – entre gemidos e pseudo gritos – pedi para trocarem de música. “põe na próxima, não quero ouvir essa!”.

Paciência, Lenine

na teoria: essa é demais, daquelas que ouço sempre e ouvirei a vida inteira. se tornou ainda mais especial na gestação do Leo, porque tive realmente que ter muita paciência, para a obra acabar, para a mudança acontecer e por fim, para esperar pelo Leo. se tornou uma das nossas músicas, minha e do Tutuken.

na prática: eu amo o Lenine mas, caramba! ele me judiou demais me pedindo “um pouco mais de paciênciaaaaaaaa” quando eu estava lá, tendo os puxos no expulsivo, gritando de dor e xingando meio mundo. ele cantava e eu mentalmente dizia “pra pqp com essa sua paciênciaaaa, Lenine!”. mas a música é perfeita, eu colocaria num terceiro CD de parto, com certeza. porque realmente, a vida é tão rara.

Espatódea, Nando Reis

na teoria: Nando fez essa música para a filha dele, a letra é maravilhosa, a melodia idem. imagina se uma música que diz “não sei se o mundo é bom, mas ele está melhor, desde que você chegou” ficaria de fora da minha playlist.

na prática: ouvi muito, muito mesmo nos últimos dias da gestação, durante os pródomos e tocou umas duas vezes durante o parto. foi lindo, me deu mais forças e me inspirou muito. aumentou a sensação de que tudo aquilo valia muito a pena.

Where Is My Love, Cat Power

na teoria: Cat Power é uma das minhas cantoras preferidas e essa música foi escolhida a dedo para entrar no CD.

na prática: lembro de ter ouvido apenas uma vez e foi ótimo, consegui me concentrar e me acalmou um pouco. piano sempre me acalma.

Every Teardrop is a Waterfall, Coldplay

na teoria: outra que ouvi muito durante a mudança e marcou bastante. é uma música que sempre me animou.

na prática: confesso que fiquei com medo, depois de ter colocado no CD, que ela me irritasse, já que era uma música agitada em meio a tantas baladinhas. mas foi bom porque me distraiu um pouco da dor. e tudo a ver né, porque as lágrimas estavam correndo soltas nessa hora.

Caught a Long Wind, Feist

na teoria: outra artista que eu amo há tempos. essa música é muito especial até hoje, porque foi a música que eu estava ouvindo quando confirmei a gravidez do Leo, no quarto beta hcg que fiz (ele me deu uma canseira para descobrir a gestação mesmo).

na prática: até hoje ela me emociona muito e na hora do trabalho de parto foi maravilhoso ouví-la e relembrar de várias coisas que aconteceram naqueles nove meses. e Leo é meu “little bird” mesmo.

Requiem on Water, Imperial Mammoth

na teoria: essa é a música que toca quando a Bella descobre que está esperando a Renesmee (li e assisti sim, sou adolescente). apaixonei desde então e claro que foi para a playlist.

na prática: foi lindo, lindo, lindo. ouvi quando estava lá nos 10cm de dilatação, perdendo as forças já. me encheu de amor.

Figura, Orlando Moraes

na teoria: sempre amei essa música e pela letra, me parecia uma boa ideia colocá-la no CD.

na prática: me irritou MUITO. só me vinha a Rutinha na cabeça, o Tonho da Lua, enfim, a Mulheres de Areia inteira. não recomendo.

Fire in the Water, Feist

na teoria: Feist, outra vez, porque gosto muito mesmo.

na prática: essa música tem algo de evolutiva, de crescente, pra mim, então, ajudou pacas ouví-la durante o parto.

I Wanna Be Yours, Arctic Monkeys

na teoria: uma das bandas que mais amo nessa vida de meu Deus. tinha que estar presente e a escolhida foi essa porque gosto da melodia.

na prática: não lembro de ouví-la durante o parto. deve ter tocado quando eu estava berrando ou muito, muito fora de mim.

Do Amor, Tulipa Ruiz

na teoria: linda música, linda voz da Tulipa.

na prática: me irritou na hora do parto. aquele “vem, vai, vem, mais” dela, me deixou puta. mas depois nos reconciliamos, Tulipa e eu. hoje canto Do Amor para o Leo dormir.

Gravity, John Mayer

na teoria: ah, o John. um dos meus artistas favoritos também. e a música para estar na playlist não poderia ser outra.

na prática: eu lembro perfeitamente do momento em que essa música tocou, quando o Leo estava quase nascendo e foi extraordinário. a guitarra, a voz, a letra, tudo.

Comfortably Numb, Pink Floyd

na teoria: eu amo Pink Floyd desde que me conheço por gente e Comfortably Numb (junto com Time) me leva pra longe. além disso, acho o David Gilmour muito, muito incrível. tipo, ídolo mesmo.

na prática: outro momento que eu lembro super bem e ó, não deu certo. cada vez que eu ouvia “there’s no pain, you are receding” eu tinha vontade de dar na cara deles todos. com assim “não há dor”? o que eu mais tinha naquele momento era dor!!! mas eu colocaria de novo. ou não.

Turning Page, Sleeping At Last

na teoria: outra música de Twilight (#mejulguem) que é a coisa mais linda da vida.

na prática: nessa hora eu estava gritando tipo, MUITO. e sentindo MUITA dor. o piano e a voz calminha do cara me consolaram um pouco, foi ótimo. fora que ouvir na hora de parir “eu esperei uma centena de anos, mas eu esperaria mais um milhão por você” é coisa de louco. foi lindo. eu choro até hoje porque consigo sentir aquele momento, outra vez.

All Star, Cássia Eller

na teoria: adoro a Cássia e essa, escrita pelo Nando Reis para ela, sempre foi uma das minhas preferidas.

na prática: Leo nasceu ao som dessa música e nada poderia ter sido mais perfeito. foi aleatório, ao acaso. nem tenho o que dizer porque me emociono demais mesmo, de lembrar de tudo. dá vontade de ter aquele mesmo dia, aqueles mesmos momentos, outra vez. <3

É isso. Espero que vocês aproveitem alguma coisa dessa minha loucurada musical eclética toda e, como é bom sair do foco de vez em quando, enquanto se toma um vinho – nem tão bom assim – e se vai pra cama às 2 da manhã, com um dos dias mais importantes da sua vida transpirando em você novamente.

comentários via facebook

10 comments

  1. AMEI! Algumas das músicas já até havia selecionado e/ou pensado para o meu parto. Gostei bastante das observações “na teoria” e “na prática”. Bem gostoso ler este relato musical, sou apaixonada por música e dança! (:

  2. Linda sua seleção, ri imaginando vc pensando na Rutinha durante o trabalho de parto, ainda bem que não foi essa a da hora H! rs
    Vou copiar várias.
    Andreia

  3. 3 músicas legais também são :

    A casa é sua – Arnaldo Antunes (não sei se seria algo irritante na hora do parto, mas pra ir pra maternidade deve ser contagiante)

    Asas – Maskavo (a letra e a melodia são fofinhas)

    Tu vens – Alceu Valença (a letra que diz “tu vens, eu já escuto os teus sinais” e a melodia é gostosa de ouvir)

deixe seu comentário!