Categories: Estilo de Vida/ Passeios e Atividades

Passeio: Beto Carrero World

IMG_6736

O Beto Carrero World é um dos lugares mais procurados para passeios com as crianças aqui no Brasil. Fica no balneário de Penha, no litoral da linda Santa Catarina e é imenso – com 14 milhões de metros quadrados e mais de 100 atrações, tanto que normalmente se indica dois dias para conhecer o parque todo.

Tem uma boa estrutura de serviços, como alimentação – restaurantes, lanchonetes, sorveterias e cafeterias, fraldário, banheiros espalhados por todo o parque, estacionamento, guarda-volumes, farmácia, ambulatório e várias lojas de souvenirs. A praça de alimentação é ok (tem um carrossel no meio para as crianças brincarem), tem uma boa variedade de opções – comida por kilo, lanches, petiscos, etc. Existe a possibilidade de alugar carrinhos – para bebês e crianças maiores, aqueles de empurrar – e até carrinhos elétricos para adultos. A maioria dos funcionários é bem solícita. Pegamos um ou outro de cara mais fechada. Achei que os banheiros mereciam um pouco mais de atenção, mas acredito que o fluxo de pessoas fazendo uso diariamente não permita uma higienização a todo momento. Porém, é algo que me incomodou um pouco, principalmente ao levar a Mel.

Nós visitamos o parque por duas vezes. A primeira ida foi em um domingo, em julho de 2013. Eu estava grávida de cinco meses do Leo e decidimos ir para lá bem em cima da hora. O tempo estava estranho, fechado, parecendo que a qualquer momento iria chover. Mas, como eu estava louca para levar a Mel num passeio mais bacana, fomos mesmo assim. Saímos de casa tarde e chegamos no parque perto do meio dia, o que eu realmente não aconselho. Assim que passamos pela bilheteria, começou a chover fraquinho, o que nos obrigou a comprar as capas de chuva amarelas que são vendidas no parque.

A chuva ficou muito mais forte depois disso e aproveitamos muito pouco. Não dava para expor a pequena deliberadamente na chuva, ainda mais no frio. Melanie se divertiu apesar de tudo, claro. Eu não estava com aquele pique de dar inveja porque, né, gestante cansa muito mais.

O parque estava relativamente vazio e não tinha fila de espera nos brinquedos, o que é uma maravilha. Porém, eu não saberia dizer se isso aconteceu pela época do ano ou pelo clima chuvoso. Talvez pelas duas coisas. Não exploramos ou aproveitamos nem a metade do parque, tivemos gastos com ingressos, estacionamento, pedágio e combustível – o que nos deu uma sensação de ter gasto muito dinheiro para pouco aproveitamento. Ainda bem que a pequena curtiu bastante a aventura.

IMG_3627
Melanie bem pituquinha, na primeira vez no parque, em 2013
IMG_3630
os amarelinhos :)

 

A segunda visita ao parque aconteceu há pouco, num sábado, dia 20 de dezembro. Apesar de termos decidido ir apenas alguns dias antes, dessa vez checamos a previsão do tempo e nos preparamos com uma certa antecedência. Comprei os ingressos pelo site (estava mais barato do que os vendidos diretamente na bilheteria do parque) e na noite anterior ao dia do passeio preparei uma mochila para levarmos, contendo:

Para a Mel

– ela foi usando aquele short verde jeans, camiseta branca e tênis.

– levei uma troca de roupa de calor com camiseta e short mais fresquinho, sapatinho, meia e calcinha extra (caso ela se molhasse em algum dos brinquedos de água)

– troca de roupa mais quentinha, caso esfriasse, com calça legging e blusa de fio.

– protetor solar e lenço umedecido (para usar no banheiro, limpar as mãos quando não houvesse uma torneira por perto, limpar o rosto, enfim).

– lancheira térmica com água, suco, cereal, biscoito doce e salgado, etc. coisinhas que ela gosta de comer no lanche quando estamos na rua.

– esqueci de levar boné e tive que comprar lá. achei bem salgado o preço: R$40,00 o boné infantil (!). mas não havia como deixá-la sem, por causa do sol forte.

Para nós:

– levei uma blusinha para mim e uma camiseta para o Alexandre, para o caso de nos molharmos também.

– garrafinha térmica com água (que fomos reabastecendo com água mineral que compramos no parque).

– carteiras e celulares de nós dois e o mapa do parque.

Tudo isso dentro de sacos plásticos, para o caso de chuva.

IMG_6645
coisinhas para a Mel, para levar na mochila

 

 

No sábado então, minha mãe chegou cedinho para ficar com o Leo e saímos de casa antes das 6h30 da manhã. São cerca de 3 horas de viagem daqui de Curitiba até Penha e calculamos chegar lá na hora de abertura do parque, às 9h. A viagem foi bem tranquila e chegamos no horário.

Quem me acompanha no Instagram viu que não levamos o Leo e realmente não nos arrependemos de tê-lo deixado em casa com a avó, porque o dia estava muito quente. Acredito também que ele esteja numa idade e numa fase um tanto difícil para ir em passeios desse tipo. Ele já anda, corre, mas ainda não tem noção de nenhum perigo e se desequilibra com facilidade. Vi muitas pessoas lá com bebês pequenos, de colo, e acho que nesses casos até dá para arriscar porque os pequeninos ficam bem no carrinho, no sling ou mesmo nos braços dos pais, tios e avós. A única coisa é que alguém ficará responsável por cuidar do bebê e assim deixará de lado as atrações do parque. Vale pesar tudo isso.

Então, afinal, dá para levar crianças pequenas? Eu até arriscaria levar uma criança com essa idade – de 1 ano e pouco – mas, fora da alta temporada, por causa do calor e da quantidade de pessoas visitando o parque. É muito cansativo, para eles e para nós. No nosso caso, a gente queria dedicar um dia inteirinho só para a Mel, sem ter que dividir nossa atenção.

O dia estava lindo, ensolarado, céu azul e pouco vento. Mas, estava MUITO quente. Muito mesmo. Foi puxado andar o parque todo naquele sol escaldante, ainda mais para o Ale, carregando mochila e por vezes carregando a Mel no colo, porque ela se cansava. E, por esse motivo, nos arrependemos de não ter locado um carrinho para ela. O carrinho serviria até mesmo para carregar a mochila. Fica a dica. (todo mundo estaciona os carrinhos ao lado dos brinquedos e o povo respeita, ninguém mexe).

Achei que a Melanie aproveitou muito mais agora, com 4 anos, do que na outra vez, com 3. Conseguiu ir em mais brinquedos (por já ter altura para isso), não teve medo de algumas coisas que a aterrorizaram da outra vez (tipo as cavernas ou a ilha dos piratas) e curtiu muito ver os animais no zoológico. Aguentou melhor o ritmo também.

No parque, além dos brinquedos para as crianças, existem os chamados brinquedos radicais, que são para os adultos e os mais corajosos. Alexandre queria conhecer e fomos em apenas um deles: a Star Mountain. Nos revezamos com a Mel e fomos cada um de uma vez. Escolhemos a Star Mountain porque era o brinquedo com menos fila naquele momento. Alexandre gostou, saiu dizendo que era “tenso” apenas e abriu um sorriso. Eu fui e… ODIEI. Juro, se você tem enxaquecas constantes como eu, fuja desses brinquedos. A cada tranco ou solavanco que o carrinho dava minha cabeça parecia que ia estourar. Fora a pressão nas descidas ultra rápidas e nas curvas alucinantes. Saí do carrinho passando mal e jurando nunca mais ir. Obrigada.

Para evitar as grandes filas, há a opção de comprar o Fast Pass, que é o acesso especial às principais atrações do parque. Você compra e recebe uma pulseirinha individual que dá o direito a 12 acessos nas atrações FireWhip, Big Tower, Star Mountain, Betinho Carrero 4D, Crazy River Adventure e DinoMagic, ou seja, onde tem as maiores filas. Lá no parque um funcionário nos disse que a quantidade de pulseiras vendidas diariamente é limitada, portanto, quem quiser tem que comprar o quanto antes. Cada pulseira custava R$60,00 e achamos que sairia muito caro esse valor vezes três. (consultando no site hoje, vi que o valor chega a R$84,00 na alta temporada!).

Muita gente se pergunta se dá para conhecer o parque todo em apenas um dia porque são muitos brinquedos, muitas atrações e shows e perde-se tempo nas filas. Eu digo que você consegue conhecer grande parte do Beto Carrero e aproveitar quase todos os brinquedos, mas, tem que optar entre explorar e brincar ou assistir aos shows performáticos. Indo num dia só não é possível fazer tudo. A gente sempre acaba optando por aproveitar o parque, com exceção do show do Velozes e Furiosos que Alexandre não perde por nada e eu também curto. Mas, como da outra vez, Mel ficou assustada com o barulho e tive que sair com ela para dar uma volta, enquanto o pai acabava de assistir a apresentação.

Já os brinquedos preferidos da Mel foram: o Baby Elefante, o DumDum, as Xícaras Malucas, o Bate-Bate, e um barquinho inflável e dirigível (que não me recordo o nome) que ficava numa piscina e era pago a parte. Fomos no Raskapuska e ela gostou muito, mas se assustou na descida do final, em que o barquinho dá um tchibum na água (eu acho meio macabro aqueles bonecos e bonecas que ficam se mexendo lá dentro, rs, meio filme de terror anos oitenta). A Ilha dos Piratas, Aldeia Indígena e o Fort Alamo são áreas muito bacanas também. Fora isso, Mel amou estar num lugar tão grande, cercado de natureza e bichinhos, especialmente o Zoo.

O passeio e nosso dia lá foi muito bacana, o que judiou bastante foi o sol de rachar e as filas de espera nos brinquedos e atrações – em alguns nem conseguimos ir, de tanta gente que estava aguardando. Foi um dia super bacana, Melanie curtiu muito, cada minuto. Porém, eu não iria novamente num final de semana na alta temporada. Tenho certeza que nos dias de semana o parque é mais sossegado, mesmo nos meses de férias, como janeiro e fevereiro. 

No site do parque tem uma seção só de dúvidas frequentes. Vale dar uma lida lá antes de comprar o ingresso.

Para finalizar, minhas dicas para quem vai são:

– dê preferência aos dias de semana, que são mais tranquilos porque o parque tem menos visitantes e consequentemente, menos filas. se puder ir na baixa temporada, dá para arriscar ir aos finais de semana.

– cheque a previsão do tempo para a data escolhida.

– compre os ingressos pelo site, se for possível. os preços são menores e ainda há a opção de parcelar. tem promoções super boas para dois dias também.

– aniversariante não paga indo ao parque no dia do aniversário (claro, hehe) e apresentando um documento.

– chegue cedo, de preferência na abertura do parque, às 9h.

– vistam todos roupas e calçados confortáveis e adequados ao clima do dia.

– para as crianças, principalmente, leve trocas de roupa e calçado extra, caso elas se molhem. e também, uma roupa mais quentinha para o caso de esfriar no fim do dia.

– leve protetor solar para reaplicar de três em três horas e boné para proteger bem os pequenos (e os grandes também).

– leve uma lancheira com algumas comidinhas que a criança goste, para quando bater aquela fome e vocês estiverem numa fila e não puderem sair para comer, por exemplo.

– leve, tome e ofereça muita água aos pequenos, o tempo todo. ainda mais no verão.

– vale a pena locar um carrinho daqueles de empurrar, para as crianças maiores. para os bebês, é bacana levar o próprio carrinho ou um sling.

– aproveite o parque e todas as atrações sem pressa, seguindo o ritmo da criança. apressá-los só gera stress para todo mundo e não permite que eles curtam o momento.. deles! relaxe e curta você também!

Agora, alguns dos registros que fizemos por lá :)

IMG_6651
na ida, feliz da vida, dizendo que era seu grande dia :)
IMG_3562
no Baby Elefante
IMG_6674
ansiosa para ir no barquinho

IMG_6688

IMG_6681

IMG_6728
protegendo os tímpanos no show dos carros (saímos logo em seguida porque ela ficou com medo)
descansando no meu colo na sombra e esperando o papai
descansando no meu colo na sombra e esperando o papai
IMG_6710
ponte da Ilha dos Piratas
IMG_6705
nem teve medo dessa aranha gigantesca :)

IMG_6730

IMG_6746
até os bichos estavam amuados de tanto calor (queria um desses pra mim)
IMG_6753
no maior pique!
IMG_6751
foi embora cansada e muito feliz <3

 

E vocês? Já foram ao parque com os pequenos? Como foi sua experiência por lá? Tem mais alguma dica? Deixe nos comentários! :)

comentários via facebook

34 comments

  1. Estou planejando em ir em setembro , minha filha de quase oito anos me cobra bastante, moro no sul de santa catarina, nao é muito longe do parque, eu vou estar com uma bebezinha de seis meses, mas como você disse que opta por levar criança ainda muito pequena nao aproveita muito, vou pela minha Eduarda e depois minha Isadora vai estar maiorzinha, vai ficar mais difícil
    , estou planejando ir no sábado e voltar no domingo para aproveitar bem o passeio.. :)

  2. Leu meus pensamentos Michelle!!! Quase te mandei uma msg perguntando sobre o parque no domingo a noite…rs. As meninas estão loucas para ir, passa comercial o tempo todo no canal de desenho. Vc acha q compensa ir de avião pra Santa Catarina e alugar carro pra ir até o parque? Pousar e, hotel próximo do parque e curtir por 2 dias? Estou perdida, não sei nem por onde começar…kkkk. Bjos e obrigada pelo post.

    1. Oi Telma!

      Como a viagem de vocês é mais longa, porque né, vocês vem de longe, hehe, acho que compensa sim pegar dois dias para conhecer e aproveitar o parque. No próprio site do Beto Carrero tem opção de pesquisar por hotéis, você vê por proximidade, valor, etc.

      Quando a ir de avião e alugar um carro, acho que pode ser uma boa sim. Não sei te dizer financeiramente o que compensa mais, sabe?

      Qualquer coisa grita :)

      Bjão

      1. Vou olhar direitinho no site. Marido q não gosta de dirigir cogitou irmos de carro (?!), rs, financeiramente falando acho q compensa mais, mas não sei como será muito tempo com as meninas no carro, nunca fizemos viagens longas. Quem sabe dê para fazermos uma visita a Curitiba e tomamos um café/chá?!!. Beijos e obrigada pelas dicas.

  3. Amo seu trabalho e acompanho pelo face book, parabéns pelo sucesso. Também quero inovar nesse aniversário de meu filho, será uma experiência impar.

  4. Adorei as dicas. vamos semana que vem, minha pequena tem 2 anos e meio, mais é muito esperta, acho que ela vai adorar!
    Obrigada pelas dicas, não tinha nem passado pela minha cabeça levar boné!
    beijos

  5. Olá Michele! Sou de Sorocaba – SP e estou programando para ir ao parque em julho. Aproveitar férias e aniversário do meu filho de 7 anos. Será que dá pra aproveitar? É muito frio? Bj

    1. Oi Valéria,

      Talvez vocês não tenham tanta coragem para os brinquedos de água, por causa do frio. Mas aproveitar a gente aproveita sim! Só veja direitinho porque julho sendo mês de férias deve ser bem cheio.

      Bjo

  6. Olá!!! Adorei suas dicas, ajuda bastante e muito quem vai pela primeira vez.
    Só mais uma perguntinha, pode entrar com Lanchinho? Com água, sucos, sanduíches, com bolsinha térmica?!?
    Como que funciona a entrada a este respeito?!?
    Obrigada desde já.
    Gaby.

  7. Olá Michele,
    Pretendo ir na próxima segunda feira 20.07.2015 no parque com a família.
    Quero levar comida na mochila, será que eles vão pedir para ver o que tem dentro das mochilas?
    Será que dia de segunda-feira é mais vazio de gente?

    obrigado

  8. Olá adorei as dicas. Vou comemorar o aniversario do meu filho de 5 anos e irei na semana que vem. terei que levar mochila e comidinha para o bebe de 10 meses que terei que levar, então queria saber se tenho comoe squentar a painha em algum lugar?! Alguns brinquedo poderemos ser molhados, mas se levarmos uma capa vc acha ser o suficiente?!

    1. Oi Fabiana! Desculpe a demora em te responder. Tem microondas em algumas das lanchonetes e restaurantes sim. Pelo menos tinha no ano que fomos. Quanto às roupas, leve uma troca a mais para cada um (dependendo do clima) e a capa de chuva deve bastar.

      Bjo

  9. Olá Michele,
    Adorei as dicas, mas gostaria de saber mais sobre situação de gestante no parque.
    Estou planejando ir quando estiver com 6 meses, como é minha primeira gestação, não tenho noção se conseguirei aproveitar, ainda mais que será para acompanhar meu sobrinho de 6 anos – comemoração será no parque.

    1. Oi Priscila, tudo bem? Como contei no post, na primeira vez que fomos eu estava grávida do segundo filho, o Leo, estava com 4 para 5 meses de gestação. Eu achei tranquilo mas naquele dia choveu então acabamos não explorando o parque todo.

      Acho que se não for num período de verão onde o calor judia mais (ainda mais das gestantes), seria tranquilo para você. Desde que respeite seu ritmo, pare pra descansar quando o corpo pedir, tome bastante água, etc. As montanhas russas e brinquedos mais radicais acredito que não sejam indicados para gestantes.

      Espero ter ajudado!

deixe seu comentário!