Categories: Maternidade/ Nascimento & pós-parto/ Publieditoriais

Ômega 3 tem grande impacto na produção dos neurônios

shutterstock_80458576

Hoje em dia muito se fala na importância de mantermos práticas alimentares saudáveis, visando a saúde e o bem-estar, tanto físico quanto psicológico. Estudos apontam alimentos que fazem bem ao coração, que diminuem o colesterol e que contribuem para o bom funcionamento do nosso organismo como um todo.

Mas, é raro ouvirmos alguém preocupado se está alimentando bem o seu cérebro ou não. Normalmente não fazemos essa associação cérebro/alimentação, não é? Mas sim, nosso cérebro precisa ser alimentado desde a sua formação e vamos entender o por quê.

Há pouco tempo falamos aqui no blog sobre a importância do DHA (ácido decosahexanóico) para o desenvolvimento intelectual da criança. Hoje, vamos falar sobre o grande impacto que o Ômega 3 tem na produção de neurônios, que podem ser considerados a unidade básica da estrutura do cérebro e do sistema nervoso, responsáveis pela condução do impulso nervoso.

Como falamos anteriormente, o Ômega 3 é composto por três frações específicas – ALA (ácido alfa-linolênico), EPA (ácido eicosapentaenóico) e DHA (ácido decosahexanóico) – e não é sintetizado naturalmente pelo organismo.

O Ômega 3 DHA melhora o desempenho cognitivo e a comunicação entre as células do cérebro, além de ter um efeito vasodilatador, melhorando a circulação cerebral e aumentando o aporte de oxigênio e nutrientes. Por isso, é muito importante que ele seja consumido na dieta, especialmente por gestantes e lactantes.

Já sabemos que bons hábitos alimentares e uma gravidez tranquila contribuem para um bom desenvolvimento do bebê dentro da barriga, e isso inclui também todo o desenvolvimento cerebral.

Porém, mesmo tendo-se uma dieta balanceada e rica em alimentos que possuam Ômega 3, dificilmente uma gestante conseguirá atingir a quantidade mínima diária indicada, que é de 200mg de DHA/dia, conforme recomendação da Comissão Europeia, desde 2007.

O Proepa Gesta é uma ótima opção de suplementação do Ômega 3, pois suas mini cápsulas contém 250mg de DHA concentrado, devendo ser tomada de 1 a 2 vezes ao dia ou conforme recomendação do obstetra responsável pelo pré-natal.

A ingestão de Ômega 3 DHA durante a fase de amamentação também é  super recomendada, já que o bebê recebe todos os nutrientes através do leite materno.

Lembre-se apenas de conversar com seu médico antes de iniciar qualquer suplementação alimentar.

Publipost Vida Materna - Identificação

comentários via facebook

7 comments

deixe seu comentário!