25 fev 2013

O uso da chupeta sob o ponto de vista odontológico

assinatura_colaboradora_Mirela

Quando a Michelle sugeriu que eu escrevesse algo para o blog relacionado a parte oral da criança (chupeta, mamadeira, higiene…), pensei: será um desafio! O motivo? É que muitas pessoas tem a sua maneira de pensar e agir e, eu como profissional da odontologia, não sou diferente. Tenho visto o tema “chupeta e mamadeira” criar uma discussão ferrenha e até criar inimizades. Minha intenção não é gerar nenhuma polêmica; quero apenas tentar trazer um pouco de informação e a minha experiência como mãe.

A chupeta… Danadinha ela, não? Como pode uma coisinha tão pequena ser uma vilã poderosa? Mas ela é. Bom, os problemas nos dentes e na parte óssea que os sustenta, estão relacionados também com a hereditariedade. Nesses 10 anos de atuação, 9 trabalhei com a ortodontia e vi que alguns pacientes que nunca tinham feito uso da chupeta, tinham problemas severos nas arcadas, outros que a chuparam por anos e tinham problemas mais leves e aqueles que a chuparam com moderação e tinham pouco ou nenhum problema. O fato é que podemos, por exemplo, herdar os dentes delicados da mãe e o maxilar do pai. Neste caso podemos ter uma arcada grande com dentes pequenos, o que resultaria em “sobra” de espaço, que são os diastemas.

Numa situação contrária, o maxilar da mãe com os dentes robustos do pai, resultaria numa falta de espaço para que todos os dentes ficassem devidamente acomodados nas arcadas. Isso geraria o que chamamos de apinhamento, que são os dentes “emboladinhos”. Cada escola ensina de um jeito e onde estudei, aprendi que a chupeta sozinha não causa as deformidades. Ela é um fator agravante. Se a criança já tem tendência a ter as arcadas mais protruídas, ou seja, mais “para frente”, o uso da chupeta pode agravar esse problema. Lembrando que a criança que tem a dentição decídua, ou seja, a “de leite”, ela apresenta espaços entre os dentes que são chamados espaços primatas e eles são importantes para que os dentes permanentes, que são maiores, possam “caber” nas arcadas.

A chupeta pode causar:

* Mordida aberta: a criança quando oclui as arcadas, na parte posterior os dentes se encontram e na parte anterior fica um espaço entre eles, entre os superiores e os inferiores. Em alguns casos, só a remoção da chupeta já melhora essa condição, mas em muitos casos é necessária a correção com o aparelho;

* Mordida cruzada: a arcada inferior fica mais “aberta” com relação à superior;

* Musculatura dos lábios e língua flácidos, o que pode dificultar na sucção ao seio, na mastigação e na fala;

* Interfere na respiração: algumas crianças podem passar a ter a respiração bucal, o que acarreta outros problemas que poderemos discutir mais tarde;

* Há crianças que deixam de aceitar o seio, já que o “bico” é diferente.

A meu ver, o ato de chupar o dedo não é diferente e o acho muito pior, pois a chupeta pode ser removida e guardada e o dedo está sempre à disposição da criança, além de causar um abaulamento maior no palato, já que a criança suga o dedo e este força o palato para cima e ainda traz os dentes para frente. O tanto que a chupeta pode interferir na boquinha do bebê, vai depender da frequência de uso dela, da duração e da intensidade. Um bebê que passa 24h com a chupeta terá uma maior tendência a desenvolver alguma má-oclusão do que aquele que a usa só para dormir, por exemplo.

Minha intenção não é fazer com que as mães corram para tirar a chupeta de suas crianças. Cada uma teve um motivo para dá-la ao seu bebê. Também sou mãe e sei que em alguns momentos nos sentimos cansadas, enfraquecidas, desgastadas com a nova rotina que um bebê traz. Um bebê que chora sem parar é desesperador. Não cabe a mim julgar nenhuma de vocês, apenas orientar. Como para tudo na vida, devemos usar o nosso bom senso na hora de decidir o que é melhor para nossos filhos e, creio que nós mães sempre temos razão, mesmo quando erramos tentando acertar! E não deixem de consultar o dentista da sua cidade. Ele é o profissional que poderá tirar sempre as dúvidas que possam surgir e avaliar pessoalmente a boquinha dos filhos de vocês!

colaboração de Mirela Costa, Dentista e mãe do Heitor de 4 meses

11 comentários no blog

  1. Lari em

    Ta aí, tirou a minha duvida! Heheh excelente texto!!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Lari em

      Que bom que vc gostou Lari! ;-)

      Responder
      1. Mirela Costa respondeu Michelle Amorim em

        Eu tbm fiquei feliz, pq estava com medo de apanhar via internet, hehehe…

        Responder
  2. Carol em

    Mirela, seu texto foi muito informativo e super claro! Adorei ;-)

    Responder
  3. Michele em

    Mirela, muito bom e informativo o seu texto, acredito que não causará nenhuma inimizade… rsrs. Sofri um pouco para tirar a mamadeira da minha filha mas vi que o esforço valeu. Obrigada pelos esclarecimentos!
    Abraços
    Michele
    http://www.lambendoaminhacria.com.br

    Responder
  4. Vivian em

    Ótimo texto, Mirela e Michelle! Sou dentista, com aperfeiçoamento em odontopediatria e quando engravidei, não admitia pensar que minha filha iria usar chupeta e mamadeira. Enfim, a vida nos encarrega de muitos aprendizados com um filho, e o meu maior vem sendo “nunca diga nunca” rss… Eu voltei a trabalhar super cedo, pois tenho consultorio particular e meus pacientes nao me esperariam por 4 meses. minha filha ficava com minha mãe, e um dia, ao voltar pra casa, a vi no berço…. Chupando o dedo! Tb concordo que o habito com o dedo é muito pior, sai correndo e comprei uma chupeta. Depois, veio a mamadeira, e enfim, estou aí aprendendo com minha baixinha de 1 ano e meio, e sempre na esperança de fazer o melhor por ela! Bjs!

    Responder
    1. Mirela Costa respondeu Vivian em

      Vivian, depois que temos filho, tudo muda… Eu achava um absurdo um bebê ver tv tão cedo… E mesmo sem querer, Heitor se contorce para vê-la… E nunca fui contra chupeta ou mamadeira, mas se pudesse evitar era melhor, mas só eu sei como o início com o meu filho foi difícil. Ele mama ao seio e a chupeta eu dou para dormir, mas ele não gosta dela e a cospe em segundos, rsrsrs…

      Responder
  5. Liz em

    Olá Michelle, conheci o seu blog ontem e já li muitos posts interessantes e que me chamaram atenção, já que estou grávida do meu primeiro baby.

    Sou filha de dois dentistas (pai Ortodontista e mãe Radiologista) e até cheguei a fazer Odonto durante dois anos. Meus pais sempre me disseram que a chupeta tem um lado psicológico muito importante e que, se o bebê precisar, o uso é positivo. Claro que não precisa ficar durante 24 horas. Eles sempre defenderam que é mais fácil usar aparelho depois em uma fase que todo mundo usa do que causar um nervosismo desnecessário quando bebê.

    Ainda não sei como vai ser aqui em casa, mas acho que só esperando para ver como as coisas vão acontecer…

    Beijos e parabéns pelo blog!

    Responder
  6. Adri em

    Oi, adorei o texto. Estou bem nesta fase de decidir sobre o que fazer com o pequeno e sua pepê. O problema aqui nem é o tempo que ele a utiliza, já que fica a maior parte do dia sem. Mas ele não pegou a número 3 da Nuk, indicada para sua idade (3 anos), ele usa a número dois, indicada para bebês até 18 meses….será que o prejuízo será grande?!
    Bj

    Responder
  7. Vanessa em

    Meu Deus MIchelle, como foram sabias as suas palavras!!!! Como dentista odontopediatra ( moro em Bh pertinho de você), fui um dos poucos artigos que vi em que realmente nao ” trucidaram” a pobre da chupeta!!! Eu creio ( e aprendi lendo vários artigos) que a chupeta realmente e importante para o bebe…mas o uso em excesso pode trazer problemas ortodonticos…como profissional concordo com você: depende da freqüência de uso…e digo mais, depende de ate quantos anos a criança usa a chupeta… Ainda nao sou mamãe, mas como dentista e treinante a mamãe, digo que usarei a chupeta!!! Nas horas certas, e claro!!!! Rs… No mais, gostari mesmo de parabenizar pelas sabias palavras!!!!

    Responder
  8. LUCIANA M VICCO em

    Adorei mamães profissionais que nos entendem, troca perfeita bjs

    Responder

Deixe seu comentário!