17 nov 2016

O segundo filho, a melhor decisão e o maior amor que a vida já me trouxe

img_4896

Em novembro de 2012, escrevi um dos textos mais acessados e comentados aqui do blog: sobre as minhas reflexões e dúvidas a respeito de um segundo filho. Exatamente um ano depois, no dia 17 do mesmo mês, nascia Leonardo, nosso segundo filho.

Muitas pessoas ainda me escrevem a respeito desse texto, dizendo que têm os mesmos anseios e dúvidas. E tem até aquelas que me perguntam se, afinal, eu tive um segundo filho, ou não. Eu sempre sorrio quando leio isso, porque eu não só tive como ele completa 3 anos hoje.

Lembro de tudo que ouvia das pessoas ao nosso redor – das conhecidas e das desconhecidas. Que não ter filhos era o fim do mundo, que ter somente um era injusto, que ter dois era suficiente – mas tinha que ser casal, né?! Que três já era loucura. Quatro, então?! Aí já era caso de internação por falta de juízo. E isso acontece até hoje, infelizmente. As pessoas se julgam no direito de questionar quantos filhos os outros devem ter – ou não ter. Nessas situações, sempre tenho uma vontade louca de dizer: “um é pouco? dois é bom? três é demais? … mas, pra quem?”. 

Eu tinha muitas dúvidas e medos todas as vezes que pensava em ter mais filhos, além da Mel. Pensava nas coisas que não conseguiria fazer, nas coisas que teria que abrir mão. Pensava se daria conta de mais um, se não diminuiria o amor e a atenção que antes eram de um filho só. Pensava se seria capaz de amar na mesma medida, de me doar da mesma forma. Pensava se teria o discernimento de não cometer os mesmos erros novamente, e, principalmente, se queria correr o risco de cometê-los outra vez. Além disso, muitas outras coisas rondavam a minha cabeça: a questão financeira, o tempo passando cada dia mais apressado, o relacionamento a dois, a logística da nossa vida em família. Até que certo dia eu acordei e senti vontade de me arriscar novamente, de entrar de novo naquele barco. Especialmente quando imaginava que dali a algum tempo, outro pequeno ser humano estaria ali ao nosso lado, navegando junto.

Lembro de ter refletido muito a respeito da nossa família – aquela que já estava formada – e de sentir uma vontade imensa, bem lá no fundo do coração, de que Melanie pudesse experimentar a vida tendo um irmão ao seu lado. Mas isso não aconteceu por causa da pressão das outras pessoas, nem com hora marcada. Apenas bateu em mim. Com uma força tão grande que não tive como fugir ou ignorar. E com isso me entreguei àquela nova jornada, me sentindo mais alerta e atenta, mas ainda assim com um dos olhos fechados. O futuro ainda dava medo, ainda soava meio incerto, mesmo que naquela época eu já tivesse um vislumbre do que a maternidade realmente é e do quanto ela nos transforma.

Três anos depois, posso afirmar que Leonardo foi a melhor coisa que fiz na minha vida. Sem sombra de dúvidas. Tudo mudou depois dele, por causa dele, para ele. Melanie deu início à essa vida linda, complicada e de um amor sem medida, três anos antes. E o ele veio depois, para continuar desenhando essa estrada sinuosa, de altos, baixos e de felicidades extremas. Ter filhos torna a vida mais extraordinária do que ela já é. E o extraordinário pode ser tudo – o que podemos ou não compreender.

Se tivemos que abrir mão de algo? Acredito que sim. Algumas coisas foram adiadas, outras mudaram de direção naturalmente, afinal, sonhos mudam junto com a gente. Mas isso não quer dizer que os antigos sonhos se perderam, eu acho. A gente apenas vai moldando os sonhos e desejos dentro da nova vida que temos, dessa vida que escolhemos viver todos os dias.

A casa ficou mais barulhenta e mais bagunçada. As horas de sono ou de descanso diminuíram ainda mais. A conta do supermercado aumentou e a água do feijão na panela, também. A paciência e a serenidade tiveram que aprender a crescer mesmo no meio do caos. Os erros foram repetidos e as soluções reaprendidas novamente. O cansaço e exaustão vieram mais fortes e por vezes mais impiedosos do que na primeira vez, mas passaram sem deixar muitos traumas. As lágrimas rolaram mais consoláveis que as primeiras e os risos vieram ainda mais carregados de alegria do que antes. O romance teve que dar espaço ao bom – e ao mau – humor para sobreviver e os longos diálogos tiveram muitas vezes que dar espaço aos apressados “você já deu os remédios?” ou “já colocou eles no carro?” de todo dia. O amor, por sua vez, teve que se multiplicar, se dividir e, às vezes, até doar uma casa decimal para o número vizinho que precisava mais naquele momento. Mas todos os envolvidos sobreviveram.

Hoje, em que Leo completa três anos de vida, não consigo imaginar a casa sem ele montado em seu carrinho do volante partido, correndo como louco em volta da mesa. Não consigo imaginar o almoço sem ouvir ele reclamar que não tem peixinho, ou que o frango acabou. Não consigo imaginar outro dvd passando no repeat lá no aparelho da sala e fazendo com que a gente decore todas as falas. Não consigo imaginar como teriam sido esses anos todos sem ter acompanhado seu desenvolvimento tão rápido, cada choro, cada sorriso, cada pequena conquista que ele teve. Não consigo imaginar companheiro melhor para as traquinagens da Mel, nem irmãozinho mais xarope, quando ele decide ser. Não consigo imaginar uma vida mais feliz e completa para ela – tão amada e tão querida quanto o irmão que veio depois. Não consigo imaginar boa noite mais perfeito do que o que ele me dá ao dizer que me ama e perguntar com a voz mais linda do mundo “você cuida de mim, né?”. Não consigo imaginar como eu, como nós teríamos sido sem ele. Nem quais rumos nossa vida teria tomado.

O que eu sei, lá dentro do meu coração, é que ter o segundo filho foi a melhor decisão que já tomei em toda minha vida. Me trouxe o Leo, me trouxe a vida nas mãos novamente. Uma vida ainda mais desafiadora, mais visceral e cheia de esperança de fazer o melhor que pudermos fazer – para nós e para ele. Foi uma decisão cheia de medos, assustada… mas aquela que acertou em cheio no alvo, sem deixar um milímetro de dúvida para depois.

Feliz três anos, meu amor. Você, junto com sua irmã, sempre foi a luz da minha vida, mesmo quando ainda nem nos conhecíamos. Obrigada pelo privilégio de ser meu filho, pelo privilégio de vivermos ao seu lado. Obrigada por me fazer ver todos os dias tanto de mim mesma, dentro de você. Que a vida continue sendo linda, cheia de bençãos e aprendizados. Obrigada, obrigada, obrigada.

img_4954

img_4952

19 comentários no blog

  1. Cristiane em

    Nossa Michelle que texto lindo!

    Responder
  2. Samantha em

    Perfeito… Amei!

    Responder
  3. Aparecida em

    A história é a mesma minha até chorei ao ler a única diferença é que ñ é o leu é a luiza Kkkkkk

    Responder
  4. Luciana em

    ❤❤❤ puro amor!!!

    Responder
  5. Monique Rabello em

    Parabéns Leo! Que você tenha muita saúde e seja sempre motivo de alegria para seus pais e sua irmã!

    Responder
  6. Vivian em

    Michelle sempre me emociono com seus textos… eles são de uma delicadeza , puro amor e me toca profundamente… estou pensando em engravidar novamente, tenho meu pequeno Heitor ele já está com 6 anos :O …
    Parabéns pelo texto como sempre inspirador!!!
    beijoo

    Responder
  7. Juliana em

    Mi, primeiramente: parabens pela familia linda! te acompanho desde a epoca da minha gravidez.. e sinto como se fossemos conhecidas haha
    estamos tentando o segundo e li esse texto dos anseios esses dias. mulheres, todas iguais!
    espero receber o positivo o quanto antes. 3 meses de chororô ja ta xarope.
    abração. e novamente parabens pela familia!

    Responder
  8. Liliane Patricia R Silva em

    Parabéns texto lindo,minha historia só aumenta mais uma kkkkk,eu tive três meninas Anna Luísa, Maria Eduarda,Júlia, e não canso de perguntar ao meu Deus se eu mereço tanto,são tudo pra mim,minha vida???????

    Responder
  9. Tamara em

    Nossa chorei muito ao ler essas belas palavras, ja tenho minha pequena grande Giovana, e depois de quase 12 anos estou a espera da minha pequena Júlia, sei que ela vai completar ainda mais nossas vidas,#mamaeanciosa#

    Responder
  10. Mirela Costa em

    Uma declaração de amor de tirar o fôlego!

    Responder
  11. Carlos em

    Belas palavras

    Responder
  12. Jesus em

    Que bonito,Belas palavras

    Responder
  13. Josefá em

    Que linda história! Espero também ter os meus um dia!

    Responder
  14. Jesus em

    Que bela declaração, Amei

    Responder
  15. Marcos em

    muito lindo,belas palavras

    Responder
  16. silva em

    Muito lindo esse texto

    Responder
  17. Helena em

    Que bonito,Belas palavras

    Responder
  18. Patricia em

    Amei, muito lindo

    Responder
  19. Mirela em

    Que palavras lindas ,amei

    Responder

Deixe seu comentário!