09 maio 2013

O desfralde da Mel – parte 2

Já faz dois meses que escrevi esse post contando sobre o início do desfralde da Mel. Hoje volto com a parte dois.

Quando percebi que o momento de iniciar o desfralde se aproximava, decidi que faria dar certo, que iria trilhar o caminho certo e não o caminho mais fácil, como fiz diversas vezes nessa minha vida de mãe. E olha, valeu muito a pena.

Como já disse no post anterior, paciência é a palavra chave no desfralde (e em tantas outras situações). Tive que ser extremamente paciente diante dos inúmeros xixis na calça na primeira semana e da resistência em fazer cocô no peniquinho na semana seguinte.

Acontecia sempre o mesmo: ela dizia que queria fazer cocô e pedia a fralda. Eu explicava que ela não usava mais fralda, só para dormir, e ela, chorosa, aceitava. Sentava no penico e ficávamos lá por minutos indefinidos. Eu a abraçava, confortava, dizia que estava ali, junto com ela. Mas nada saía, literalmente.

Iniciamos a segunda semana confiantes, eu e ela, que voltou da escola sem ter tido nenhum escape. Lágrimas rolaram de orgulho. Mas ainda nos restava um desafio: o cocô no penico.

Lembro de estar na cozinha (incrível como sempre estamos ou comendo ou preparando a comida quando eles resolvem fazer cocô, não é?!) e de repente ela me chamou. Fui até lá e ela já estava sentada no peniqinho. Alguns segundos depois e tcharam… o bendito cocô no peniquinho saiu. Eu comecei a fazer a maior festa mas ela começou a chorar, meio envergonhada, dizendo desesperada “limpa mamãe, limpa!”.

Naquele momento percebi que ela tinha vergonha do cocô, do ato de fazer cocô. Abaixei na altura dela e disse: “é só cocô filha, todo mundo faz cocô, não tem problema meu amor”, dei um abraço bem apertado e continuei dando os parabéns e elogiando.

No dia seguinte ela fez o mesmo, foi sozinha até o penico e só me chamou quando terminou. Levantou e começou a fazer festa “a Mel fez cocô mamãe, um cocozão!” :-) e foi lindo ver ela superar esse obstáculo. Pra gente, é só um cocô, mas sabe-se lá para eles o que significa fazer isso fora da fralda, aquela que eles foram acostumados por tanto tempo.

E desde então seguimos assim, sem escapes, com idas ao penico para o menor xixizinho que seja e direito a cenas fofas como a do final de semana no mercado: mal entramos e ela saiu correndo pra um dos lados dizendo “xixi mamãe, socorroooo!”. Own <3

Hoje, na necessarie da mochila entraram calcinhas e calças/shorts extras, ao invés de fraldas. Mas o pacote de lenços umedecidos continua lá, muito melhor do que o papel higiênico, especialmente para limpar o cocô.

Por um tempinho tive que carregar o penico dela numa sacola, em todas as vezes que saíamos de casa. Uó. Ela se recusava a usar o vaso comum ou mesmo com o redutor. Depois de um dia no plantão pediátrico onde ela não tinha opção, aprendeu que podia usar o vaso grande sem problemas. Mamãe e papai estavam lá para segurá-la.

A fralda noturna ainda não tirei e nem sei quando será possível já que ela faz muito xixi de noite. Mas não estou com pressa. Tudo a seu tempo. Sei que tenho orgulho de termos conseguido, com calma e paciência e, acima de tudo, no momento certo, no momento dela.

Agora tenho outro desafio pela frente e esse sim, muito mais difícil: tirar a chupeta.

Quanto ao desfralde, minhas dicas continuam sendo:

1. Decida começar por você e pelo seu filho, não por pressão alheia, não por aquilo que os livros ditam como a idade “certa”. É muito importante que ele/ela já consiga perceber a vontade e o ato de fazer xixi ou cocô e que seus esfíncteres já estejam prontos. Esse é o primeiro indicativo de que ele/ela pode estar pronto para começar.

2. Veja o que ele/ela prefere: penico ou redutor. É bacana ter as duas opções em casa.

3. Convide seu filho constantemente para ir no banheiro, nessa fase você funciona como um despertador mesmo. Mas nunca force a barra para que ele/ela use o penico ou redutor.

4. Incentive bastante, dê exemplos usando livrinhos, dê o seu próprio exemplo. Tudo de maneira muito lúdica, já que nessa fase a criança aprende brincando. Monte seu arsenal: penico, redutor, calcinhas, cuequinhas, livros e tudo mais que possa ajudar.

5. Xixis e cocôs no penico ou no vaso devem ser muito comemorados para que a criança se sinta orgulhosa de sua façanha. Eu fiz tanta festa que parecia final da Copa.

6. Não brigue, não repreenda, não chame a atenção da criança. É cansativo e frustrante limpar xixi o dia todo, eu sei. Mas lembre-se de que ele/ela não fez por mal. Ainda está aprendendo. Brigar pode gerar um trauma desnecessário, que pode vir a atrapalhar todo o desfralde.

7. Se certifique de forrar o sofá e de que o berço ou a caminha do seu filho está com protetor de colchão. Quando forem sair, forre a cadeirinha do carro também.

8. Nas saídas leve muita roupa extra, desde calcinhas ou cuequinhas até meias, calçados, partes de cima e de baixo. Uma toalhinha pequena também pode ser útil no caso de você precisar secar as perninhas da criança (lenço umedecido também vale).

9. Tenha muita, muita paciência mesmo. Nesse momento seu filho precisa de apoio, carinho e compreensão. Entenda que é um processo com diversas fases e que é completamente normal os escapes.

10. Mantenha-se calma, tente não ficar muito ansiosa(o). Essa mudança é um marco na infância da criança e merece toda a atenção e respeito principalmente. Logo vocês passarão juntos por essa fase e sentirão orgulho por mais uma conquista rumo a autonomia do seu filho.

Boa sorte e não desanime :-)

9 comentários no blog

  1. Mirela Costa em

    É uma etapa vencida! Mas o difícil é a paciência… Podia ter para vender na loja… Hoje a minha está curtíssima e eu me culpo por isso. Mas são quase 7 meses sem dormir direito, tudo para eu resolver… Cansa, né? Bjo grande na Mel por essa conquista!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Mirela Costa em

      Pois é Mirela, podia vender sim! Eu percebi que se teria um momento em que a paciência seria tudo, seria no desfralde. Então já fui preparada e deu certo :)

      Bjo pra vcs

      Responder
  2. Fábia em

    Nossa, com Olívia foi TÃO tranquilo, que durou apenas uma semana de escapadas, na seguinte ela já estava fazendo xixi e cocô no penico, ou redutor (na casa dos meus pais) ou no vaso, na falta dos outros dois. Atualmente ela faz sozinha no vaso, com 2 anos e 7 meses, uma graça!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Fábia em

      Com a Mel foi super rápido tbm, foi uma semana pro xixi e mais alguns dias pro cocô (que escapou somente uma vez). Se a gente começa no tempo certo, vai de vento em popa :)

      Responder
  3. Mamãe do Otávio em

    que bom que está dando certo Miiiiii! bjão

    Responder
  4. Bruna em

    Eu morria de medo do desfralde mas deu tudo muito certo! Acho que a chave do sucesso foi ter começado na hora certa, no tempo dela! E voilá: em uma semana a Manu estava totalmente desfraldada! Hoje, um mês e meio depois, ela não usa nem pra dormir mais!!!
    A próxima etapa aqui também é a chupeta… outra coisa que estou morrendo de medo… nem sei como começar já que ela ama a tal da “pepe”!!! hehehe

    Responder
  5. Flávia Ozik em

    Aqui tentamos quando ela tinha 2 anos e acabamos desistindo assim que as férias começaram… mas ok… agora ela não tem mais interesse, deixei escapar a chance por não ter paciência. Mas na escolinha nova eles disseram que incentivam a partir dos 2 anos e meio o resultado é mais preciso, antes sempre rolam as escapadas e quando um pouco mais velhos eles entendem melhor suas vontades.
    Um amiga é pedagoga e tem uma filha pequena tbm, que ja desfraldou, e me disse que se vc tira a fralda de dia deve tirar da noite também, para a criança não ficar confusa com relação a onde e quando fazer o xixi ou cocô. Vou tentar quando começar o desfralde por aqui, assim vc tem o trabalho uma vez só!

    Sobre a chupeta, eu tenho uma boa dica…
    Aqui em casa até uns 2 meses atras, ainda rolava a chupeta( 2 anos e meio) e eu estava querendo tirar… na escola eles davam o minimo possível, para todos os alunos… e fui diminuindo em casa tbm… até q li que fazer um corte na ponta da chupeta era o canal… fiz em 1 delas… resultado, ela não quis pq tava estragada… e chorou… acabei dando a outra… fiz um corte muito grande… ai na outra depois de uns dias eu furei com uma agulha…. váaaarios furinhos na chupeta… mas ela chupava… e como ja estava mordendo a mesma, uma hora ela rasgou… ela pediu outra, dei a q eu havia cortado e ela nao quis… deu umas choramingadas e eu falei q tinha estragado… e ela de noite mesmo ou de dia, acabava largando a chupeta… que ela mesmo estragou. E foi assim que nos livramos da danadinha… ainda tenho as furadas guardadas pq as vezes ela pedia… mas ja largava… hj quando pede eu ja digo q ela não usa mais!

    Responder
  6. Débora em

    Olá!
    Indicando leitura desse texto à uma amiga, resolvi registrar: aguardando relato do desfralde noturno (:

    Abraço!

    Responder

Deixe seu comentário!