21 set 2015

Mudanças na rotina e comportamento do Leo depois de sua ida para a escola

Leo_casa da vovo

Depois de um longo período analisando prós, contras e as nossas necessidades, decidimos colocar Leo na escolinha, como contei para vocês há algumas semanas atrás. Relatei nesse post como foram os primeiros dias da adaptação, que ocorreu de forma rápida, simples e feliz. E hoje, queria falar do que mudou na rotina e no comportamento dele, desde então.

Horários, sono noturno e soneca diurna

Antes da escola: ultimamente os horários aqui andavam meio bagunçados e eu estava achando que tudo acontecia mais tarde do que deveria acontecer. Leo tomava leite e fazia lanche de tarde e acabava jantando só lá por 19h15 ou 19h30. Consequentemente o banho era dado mais tarde também e ele estava indo para a cama entre 21h30 e 22h – horário que eu não considero bom para crianças pequenas porque acabam ficando super estimulados e dormem mal. Durante a madrugada, ele acordava uma ou duas vezes, às vezes até mais. Geralmente despertava de vez umas 9h30 e começava o seu dia. Após o almoço, levávamos a Melanie para a escola e na volta ele tirava uma soneca – na maioria das vezes dormia das 14h30 às 15h30 ou 16h – alguns dias mais, outros menos (e outros beeem menos).

Depois da escola: tive que adiantar os horários do jantar, banho e ida para a cama, porque ele chega bastante cansado. Agora ele janta lá por 18h30, brincamos antes do banho e logo o preparo para dormir (remedinhos, homeopatias, leitinho e escovar os dentes). Ele tem ido dormir entre 20h30 e 21h, alguns dias antes disso até. Nas primeiras semanas da adaptação na escola ele chegava um pouco irritado e dormia pior, tinha um sono mais agitado e acordava muitas vezes durante a madrugada. Na última semana passou a dormir melhor e mais tranquilo – eu inclusive tive o privilégio de dormir da meia noite às sete da manhã, sem interrupções, há alguns dias atrás. Quem também não sabe o que é ter várias horas de sono ininterruptas há anos, irá me entender.

A soneca diurna está indefinida ainda. Existem os dias em que ele acorda muito cedo – às 7h00, por exemplo – e acaba fazendo um soninho antes do almoço. Outros em que ele acorda num horário intermediário – 9 horas, por exemplo – e acaba fazendo uma soneca na escola, pouco antes de irmos buscá-lo. Porém, na maioria das vezes, ele não tem dormido de dia e aparentemente não tem mais sentido tanta falta dessa soneca diurna. Eu, como mãe do pequeno, preferia que ele ainda tirasse um pequeno cochilo de dia. Seja antes do almoço ou na escola, depois da sopinha. Porque percebo que o sono da noite flui melhor quando eles não estão exaustos e sim apenas cansados. Vamos ver se consigo ajustar isso.

Alimentação

Antes da escola, todas as refeições eram feitas em casa (exceto se estivéssemos na rua, claro). Mais ou menos assim: Leite ao acordar / Café da manhã com fruta-pãozinho-bolo / Almoço + fruta / Leite e/ou lanche de tarde / Jantar + fruta / Leite antes de dormir

Depois da escola: Leite ao acordar / Café da manhã com fruta-pãozinho-bolo / Almoço / Na escola: Fruta / Lanche da tarde + Suco natural / Sopa / Em casa: Jantar (novamente, porque o horário da sopa na escolinha é bem cedo, antes das 17h) + fruta / Leite antes de dormir (que ele tem tomado cada dia menos e em breve não deve precisar mais).

Em geral ele continua comendo bem, tanto em casa quanto na escola.

obs: Leo toma fórmula infantil de leite de soja, por causa da alergia à proteína do leite de vaca. Na escola não é utilizado leite de vaca, justamente por causa das crianças alérgicas. Como ele tem alergia à clara de ovo também, os bolinhos são feitos separados para ele, sem ovos.

Comportamento

Nas primeiras duas semanas ele ficou um pouco impaciente, irritado e até agressivo em casa – mesmo tendo se adaptado muito bem à sua ida para a escola. Tivemos que ter paciência para lidar com as birras e frustrações dele. Logo isso passou e hoje percebo Leo muito feliz e tranquilo, na maior parte do tempo. E, vejam, quando digo feliz e tranquilo não quero dizer que ele deixou de aprontar, de se desentender com a irmã ou de chorar e pedir colo. Continua fazendo essas coisas, como qualquer criança. Mas aquela irritação que ele apresentou nas primeiras semanas, não mais.

Percebi uma grande melhora em relação ao entendimento dele de que, às vezes, precisa esperar para ser atendido. Ele já compreende bem quando dizemos “mamãe já vai pegar a sua água”“sua comidinha está quase pronta, o Leo já vai comer” ou “já estamos chegando em casa, amor” – ele se acalma e espera – na maioria das vezes.  O mesmo ocorre em relação a ficar parado para colocar as meias ou os calçados, por exemplo. Ele espera terminarmos (mas ainda sai correndo pelado para fugir das trocas de fralda ou de roupa, vez ou outra). E também, aprendeu que precisa esperar a sua vez em algumas coisas, como para ir no escorrega, por exemplo.

Ele também tem entendido e aceitado melhor nossos “comandos”. Por exemplo, quando acorda e nós descemos, e ele ainda está com a chupeta e o cheirinho, eu digo “Leo, dá a chupeta e o cheirinho para a mamãe guardar que é só para dormir, tá?” e ele me entrega numa boa. Ver esse amadurecimento tem sido bem legal.

Anda falando cada dia mais, cantando e começando a formar pequenas frases. Uma fofura! Ontem estávamos conversando e eu perguntei “onde está o cachorro, Leo?” e ele disse “ali o au au”, apontando para a rua.

Tem se concentrado mais ao brincar com algumas coisas e brinquedos. Passa um tempo maior com uma mesma coisa, bem entretido.

Quando saímos de casa, já não quer sair imediatamente correndo e tão desesperado como antes. Acredito que ele esteja entendendo que terá o seu momento de sair, mas que em certos outros precisa ficar ali, ao nosso lado. Tem andado de mãos dadas conosco com mais alegria do que antes também.

Na escola está bem entrosado e interage bem com as outras crianças, todas da mesma faixa etária que ele. Já em casa, tem se desentendido bastante com a irmã e isso tem nos causado muita dor de cabeça. Vamos levando e acreditando que seja mais uma dessas fases, porque elas vão e voltam, sempre. Eles estão se amando e num minuto estão brigando. E depois de cinco minutos, estão se amando novamente.

Começou a comer sozinho e a cada dia domina melhor a colher e todo o equilíbrio que isso envolve. Tanto em casa quanto na escola, ele fica com uma colherzinha e nós com a outra, para ajudá-lo.

Ah, tem se mostrado canhoto, até agora. Se tem a oportunidade de escolher com qual das mãos ou pés fará algum coisa, escolhe sempre o lado esquerdo. E realmente tem mais habilidade com a mão esquerda. To achando um charme que só.

Essas são as coisas que consigo me lembrar por agora.

Então, se me perguntarem como avalio a ida dele para a escolinha aos quase dois anos de idade, eu digo que: cada dia é diferente com crianças, especialmente as pequenas, que são únicas e, por isso, precisamos estar sempre adaptando uma coisinha aqui e outra ali. No geral, percebi mudanças boas na rotina e no comportamento do Leo. Agora só falta adaptar a nossa rotina como família, o trabalho e tudo mais, para que tudo flua da melhor maneira possível. Mas isso é assunto para outro post.

9 comentários no blog

  1. Marcela Munhoz em

    Olá Michelle!
    Adoro o seu blog e posso dizer com sinceridade que foi seu texto de pós parto (e não de depressão pós parto ;-) ) me salvou. Guardei como uma bula, e repasso pras minhas amigas grávidas sem elas pedirem, com cópia pros maridos/companheiros/companheiras…Porque o trem pira a gente mesmo!rs
    Bom, vou pitacar aqui se me permite, só para ficar “quite” contigo e tentar ser útil. Minha pequena tem 1 ano e 5 meses, foi para a escola aos 4 meses (nem preciso comentar o quanto me doeu né?!), mas me ajudou a conhecer o que é rotina. Ela não fica integral, assim como o Léo só meio período, mas resolvi adotar a rotina da escola em casa, do mesmo jeitinho. Foi ótimo para as sonecas diurnas e para uma adaptação saudável quando vez ou outra ela fica na escola mais tempo que o previsto (por conta do meu trabalho). Experimente…vai que dá certo…. Desde já, agradeço seus textos sempre reconfortantes. Um abraço, Marcela.

    Responder
  2. Mayara em

    Michelle, também tenho um filho que é APLV e alérgico ao ovo, ele tem dois anos, ele pode tomar o leite de soja, mas o pediatra disse que faz mal ser oferecida a meninos, já tentei duas marcas diferente de proteínas hidrolisadas mas ele se recusa a aceitar, gostaria de saber se não há problema, pois o nosso pediatra pode estar ultrapassado.
    Obrigada, beijos.

    Responder
  3. Patricia em

    Minha menina também não vai pra escola por enquanto. Mas quero adaptar nela uma rotina como na escolinha, pois acho muito importante!
    E também porque na escola, creio que eles aprendem mais do que em casa.
    Beijos e obrigada, como sempre, pelas informações.

    Responder
  4. Ana Paula Santos em

    QUE LINDO ADORO SEU BLOG AMO SEUS PEQUENOS .PARABÉNS E FELICIDADES .

    Responder
  5. Alexandra Feliciano em

    Que bom que tudo deu certo. Isso me dá forças para tentar colocar o meu na escolinha num futuro próximo. obrigada por compartilhar conosco. Bjo

    Responder
  6. Juliana em

    Minha pequena foi cedo pra creche devido a minha volta ao trabalho, tentei tardar ao máximo, o pai ficou com ela durante um mês, a vovó ficou mais um mês, mas aos 7 meses ela teve que ir mesmo. No início, por ser não pequenina, ficou doentinha algumas vezes. Sempre percebi que apesar de ficar longe de casa, da mamãe, do papai, ela voltava bem, as vezes fazendo gestos que aprendeu, sorrindo, cantando enroladamente, enfim, feliz e apaixonada por uma das tias. Ela fala desde muito cedo, muitas palavrinhas saem corretamente, demorou um pouco para andar, por volta de 1 ano, come super bem, dificilmente recusa um alimento ou outro, entretanto não engorda, tem o peso ideal para a idade (confesso que gostaria de vê-la mais gordinha), compreende bem as regras, mas também tem o momento “quero agora porque quero”. Ela é muito feliz e todo mundo percebe isso e muitos comentam! Hoje (com 1 ano e 4 meses) ela ama ir e percebo o quanto ela gosta de voltar pra casa também, temos uma rotina, ela dorme entre 20:30 e 21:00 depois de comer uma frutinha às 18:30 e mamar as 20:30, também temos a seção madrugada para uma mamadeira, acorda por volta das 7:00 ou as vezes mais tarde. Ela fica em período integral. As adaptações as vezes são mais lentas, pois todas elas passam por um processo de aprendizado, portanto estaremos aprendendo e se adaptando eternamente às mudanças necessárias, dolorosas ou saudáveis que a vida nos impõe. Obrigada por compartilhar isso nos ajuda bastante! Bjos!

    Responder
  7. Ludmila em

    OLÁAA…ahh que maravilha….como ele esta fofo e crescendo nao é…parabens…eles se adaptam facilmente a coisas que nós achamos que será SUPERRR difíceis né…..aii eu vejo mta coisa parecida com a minha filha que é da idade do Léo…fico feliz com as mudanças como vc e toda mamae…ah hque elgal ele ser canhoto…minha irma e meu irmão são tbm….minha filha SUPER destra como eu e meu marido ……eu chego ser engraçado tentar fazer algo com a mao esquerda……bom fico feliz pela adaptação rapida e pela melhora do Leo a cada dia…e alergia é aprender conviver e se passar ótimo senao passar pelo menos ja aprendeu conviver ne……nao é facil mas é questao de adaptar ne…bjokas e abraços pra vc e pros pequenos.

    Responder
  8. Michele em

    Michelle,
    Poxa, que depoimento bacana. Se a escolinha melhorou pra ele e para ti é sempre bem válido. eu não queria colocar a minha mas ela é diferente do irmão, então ela vai quase na mesma idade do Leo, com uns quinze a dezoito meses.
    Descobrimos a alergia ao ovo e ela foi liberada ao leite e vem engordado…fiquei mais feliz!!! Eu ouvi outro dia na rua uma mulher falando que mães de alérgicos vem se unindo e ajudando uma a outra, e isso é ótimo!!! Você já entrou com a injeção nas crianças??? Eu estou quase desistindo da homeopatia, acho q não faz muito efeito.
    Dormir é uma coisa, depois q tive filho…nunca mais dormi quanto gostaria. Mas ando dormindo da meia noite as sete, o que é um alívio. Mas o cansaço é grande mesmo, mas força e bola pra frente tenho duas vidas que dependem de mim então a preguiça e o cansaço tem q ir embora.
    Ansiosa pela festinha do Leo, o que será??? Eu vivo falando de festas e as pessoas acham q tenho cabeça de vento, mas virou hobby mesmo. Eu gosto desperta a criatividade. Meu sonho é ser doceira de mesa de festas…quem sabe eu chego lá??

    Responder
  9. Crisleine Manuela Rodrigues em

    O meu guri tbm "era" canhoto como o pai…depois fazia com as duas mãos e hj é destro como eu…a pequena ainda come de canhota mas desenha com a direita! Eu queria tanto um canhoto aqui..como o pai..tbm acho um charme!

    Responder

Deixe seu comentário!