23 nov 2012

Minhas reflexões sobre ter um segundo filho

Eu recebo uma quantidade grande de e-mails todos os dias. Dúvidas, sugestões de posts, pedidos de dicas e outros tantos somente para dizer o quanto gostam do blog (obrigada gente <3). Gosto muito dessa interação com vocês que leem e gostam do que eu escrevo. Respondo todos os comentários (principalmente os de dúvidas e perguntas) e e-mails, e considero que sou rápida até. Quem já me escreveu sabe :) (algumas pessoas me respondiam admiradas “nossa, como você me respondeu rápido! nem achei que você iria responder!”. Imagina gente, ter um blog é isso mesmo: interação.

Entre os e-mails dos últimos dias, um me chamou a atenção em especial, porque era um assunto que eu quis falar por aqui, nos últimos tempos. Mas era aquele texto que nunca saía dos rascunhos.

Toda vez que leio seu blog, tenho uma curiosidade e por isso decidi escrever…  “Você pretende ter outo filho???”

Quando eu li, confesso que abri um sorriso meio maroto, do tipo de quem está aprontando, sabe? E os olhos, ah os olhos quiseram lacrimejar. Mas foram interrompidos pela razão.

Pensando nisso agora, aqui sentada no sossego do meu lar – provisório – tomando um chá de limão gelado e escrevendo pra vocês, eu diria que sim.

Ocorre que nem sempre, quando penso no assunto, a resposta é sim. Eu sou a pessoa mais questionadora que conheço. Minha cabeça é cheia de “será”.

É exatamente como diz no livro/filme da Liz Gilbert, o Comer Rezar Amar:

Ter um filho é como fazer uma tatuagem na cara. Você precisa ter certeza antes de se comprometer.

Eu sou (típica capricorniana) muito pé no chão, perfeccionista, sempre quero fazer as coisas da melhor forma possível. Penso muito antes de tomar qualquer decisão. Das pequenas às grandes. Antes de dar um passo, quero sempre estar com a fundação do passo anterior totalmente solidificada.

Na gravidez da Mel, confesso que deixei esse meu lado ansioso/perfeccionista para trás e embarquei no otimismo e alegria contagiante do meu marido leonino. Não pensei muito não. Pelo menos não nesse lado emocional. Talvez por esse motivo tanta coisa tenha me pego de surpresa, tanta coisa me frustrou. Eu estava totalmente preparada para o lado prático da maternidade, mas não para o lado emocional. Porque nada pode nos preparar para isso, afinal.

Ao optar por ser mãe eu deixei alguns sonhos e desejos para trás. Alguns foram esquecidos, outros substituídos por novos sonhos e outros apenas adiados. As viagens, a dança, o curso de fotografia, a faculdade de design. Uma segunda gravidez significaria adiar (ou renunciar) novamente a esses sonhos e vontades. Será que estou preparada pra isso?

Sei que existem muitas mães que dão conta dos filhos, trabalho, marido, casa, estudam e ainda fazem aquele curso de cerâmica no final de semana. Eu admiro vocês. Muito mesmo. Mas eu não dou conta não. Já fui multi tarefa. Hoje não sou mais.

Agora, eu já sei de algumas coisas, sei dos meus acertos e dos meus erros (tantos). E aí gente, aí a coisa pega. Será que eu quero “errar” de novo? (porque a gente sempre erra, mesmo que não sejam os mesmos erros)

A questão da idade também ronda a minha cabeça. Estou eu no alto dos meus 31 anos. Não sou mais uma menininha. Não me vejo sendo mãe aos 38, por exemplo. Não porque tenho preconceito, longe disso. Mas porque vejo que minha energia e disposição não são mais as mesmas da casa dos 20 anos. Nem o meu corpo. Imagina com o passar de mais alguns anos?

A Melanie daqui há pouco terá 3, 4, 5 anos. Fase considerada por muitos pais e mães como sendo “a melhor” das crianças, em que elas são amorosas, curiosas e companheiras. Poderíamos fazer aquelas tantas viagens que aguardam a Melanie estar maiorzinha. Aí eu penso: Será que eu quero começar tudo de novo?

Ah, tem a parte dos palpites claro, principalmente da família, do que seria o ideal. Os que eu mais ouço:

“Não espere muito pra ter outro não! Tá passando perregue com um, passa com dois. Depois fica tudo sossegado e eles crescem juntos!” (ah sim, claro, pimenta no dos outros é refresco)

“Tem que esperar mais, pelo menos até a Mel estar com uns 4 anos. Assim ela já será menos dependente” (duvido!)

“Ih…. se vocês esperarem muito vão ficar com preguiça de começar de novo e não terão mais filhos” (mãe Dinah que prevê o futuro)

“Ah, quem tem um tem dois!” (essa é clássica e… verdadeira?)

Agora, pensando na minha filha única e atual, de 2 anos e 3 meses.

O pequeno lado ruim (para mim)

Drama na hora de comer: sim, muitos, infinitos. Dá pra dizer que foi o meu maior e único “sofrimento” materno. Um porre.

Birras, manhas, pitis e afins: alguns mais intensos e outros menos, normais dos terrible tows. Mas claro, tiram a gente do sério e dá vontade de pedir socorro.

Noites de sono ininterruptas: Cadê? Por aqui, nós perdemos.

Liberdade de ir e vir, cadê? Fazer as coisas na hora que tenho vontade e não “quando dá”: Você se torna mãe, perde o direito de ser egoísta e pensar só em você automaticamente (em você leia-se você e seu marido, namorado, companheiro, etc). Nunca mais será só você. Essa foi uma das coisas que senti mais falta no começo dessa vida de mãe, confesso. Agora já me habituei, claro.

O grande lado bom (para mim)

A Mel é linda. E quando digo linda, não é só da beleza exterior que eu falo. Ela é uma criança muito, muito querida, carinhosa, sabe o que quer, é destemida, saudável, esperta, alegre, super ativa e o principal: é uma criança muito feliz.

Quando vejo tudo isso eu penso: Opa, devo (devemos) ter feito algo certo então!

Tenho certeza que ela foi a melhor coisa que fiz na minha vida. Sem sombra de dúvidas. Por ela conheci aquele amor, o maior do mundo.

Eu também mudei. Sou uma pessoa mais humana, mais compreensiva (na medida do possível né, porque quem me conhece sabe, eu sou pavio curto) e mais sensível (se é que dá pra ser mais). A maternidade trás, junto ao caos do começo (de sempre!), um amor, uma serenidade, uma calma e uma força que não existiam antes.

Quem nunca pensou ou se sentiu meio super heroína, com aquela coragem de leão? Tipo, “eu sou mãe p*****!” (enfrento qualquer coisa).

Eu poderia escrever um longo texto só falando do quanto é doce ter um filho. Falando de como a gente se derrete só de olhar pra eles. Mas tudo isso a gente já tá careca de saber, né? Eles deixam a gente de quatro, como dizem. Fato.

Na real, ter um filho não dá pra definir em uma frase ou com um texto. É uma experiência avassaladora e acredito que a maior que um ser humano possa viver.

Sempre que alguma amiga me diz que está pensando em ter um filho e me pergunta o que eu acho (risos), eu digo que ter um filho é f***. Isso quer dizer: céu e inferno, doce e amargo, alto e baixo. É assim que eu vejo a maternidade: uma montanha russa.

Claro que haverá aquelas mães que dirão que não é assim não, que a maternidade é susse, tudo lindo, tudo azul, tudo na paz. Que bebês são lindos, fofinhos, que ser mãe é tudo, e mais um monte de coisas lindas e rosas. E claro, crianças são diferentes. Umas mais tranquilas, outras menos.

A maternidade é sim maravilhosa. Mas não é SÓ maravilhosa não. Isso é utopia, comercial de margarina. Ter filhos, educar filhos, formar cidadãos, é punk minha gente.

Depois de todas essas minhas divagações, voltemos ao assunto central do post de hoje.

Se dependesse somente do meu marido, nós já teríamos mais um filho. Desde que a Mel tinha 6 meses ele me pede mais um, mais dois… (socorro). Mas eu sempre respondia que ainda não. Sabe por que? Porque não me sentia preparada. E sigo assim. Um dia me sinto pronta, no outro não. E provavelmente nunca vou estar. De verdade.

Analisando hoje, a Melanie preenche tudo e mais um pouco na nossa vida. Fico pensando se terei esse mesmo amor que tenho por ela, desse tamanho, pra dividir com outro filho. (pelo menos dizem que a gente sempre tem).

Fico pensando no que nos faz decidir ou ter vontade de ter um filho. Legado, família, amor, vida, instinto? Talvez tudo isso junto.

Outra questão importante no nosso caso é a construção da casa nova. (espero que meu marido leia essa parte e se sinta sensibilizado e pare de aumentar/alterar o projeto).

Juro pra vocês que sinto como se estivéssemos construindo desde 1968. Como esse treco demora! Começamos em setembro de 2010. Já são 2 anos de obra. E olha, cansa viu. E os gastos enlouquecem a gente. As previsões sempre mudam, se estendem. A “última” é de que em março talvez poderemos nos mudar. Construção demora por dois motivos: precisa de gente que trabalhe bem e de dinheiro. Assim que uma das duas coisas diminui, a obra pára.

Por isso eu nem penso em engravidar antes que a casa fique pronta. Já passei muito nervoso na gravidez da Mel por causa disso e sei bem como é. Nós temos um lugar pra morar, claro, mas a expectativa com a casa nova é muito grande. Principalmente pelo espaço (pra gente e pra Mel), pela falta de organização por aqui e outros tantos motivos.

Então o que a gente acertou: quando a casa ficar pronta, nós conversamos sobre ter mais um filho. E assim vamos vivendo. As paredes de tijolos sendo erguidas lá na casa e os alicerces de amor e de coragem sendo construídos aqui, nesse coração.

Ainda tenho muitas coisas para trabalhar e desenvolver em mim mesma, como ser humano, antes de ser mãe novamente. Uma delas, é a paciência. Palavra chave pra tudo – ou quase tudo – nessa vida.

“Enquanto o tempo acelera e pede pressa, eu me recuso, faço hora, vou na valsa… a vida é tão rara.”

 

99 comentários no blog

  1. Mônica em

    Amei o post, como todos, muito sincero! De uma coisa tenho certeza, que quando você decidir ser mãe novamente será novamente uma grande mãe, super dedicada e amorosa. E tudo que a gente faz com amor Deus nos abençoa grandemente. Tenho certeza que vocês serão agraciados com um bebê no momento certo, quem sabe dessa vez com um lindo garotinho… Admiro sua forma de pensar, sem planos e projetos estamos longe de algo perfeito ou quase perfeito.

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Mônica em

      Muito obrigada pelas palavras e pelo carinho Mônica! Com certeza se for para ser, será na hora certa :)

      Bjo

      Responder
  2. Ana em

    Parabéns pelas suas palavras, você disse exatamente o que eu penso também, e até me fez chorar! Beijos!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Ana em

      Ah, obrigada Ana! Que bom que você se identificou :)

      Bjo

      Responder
  3. Pauline em

    Ameeeeeiiiii!!!
    Concordo plenamente com tudo que você falou sobre a maternidade.
    Sim, eu quero ter um segundo filho (queria mesmo outra filha!). Na verdade meu sonho seria ter mais 2! E queria ter logo, com intervalos de 2 anos entre eles. MAS (tem sempre um mas)o que pega é o $$$.
    Bjs…

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Pauline em

      Que bom que você gostou :)

      A questão financeira pesa bastante também, a gente que já tem filho sabe quanto custa, haha. Tem que planejar bem mesmo.

      Bjo

      Responder
  4. Bruna Lyra em

    Michelle, você já sabe que te acompanho diariamente! Sou fãzoca do blog! Aqui, no Instagram, aonde for! Estou sempre espiando!
    Hoje, confesso que fui tocada! Alguns trechos do seu texto me emocionaram de um tanto que estou aqui no trabalho com os olhos marejados! Escreveu com muita veracidade como eu (todas nós) me sinto (nos sentimos) com a maternidade!
    Parabéns! Continue me (nos) emocionando!
    Que a casa fique pronta logo!!! :)

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Bruna Lyra em

      Oi Bruna!

      Muito obrigada pelo carinho! Fico feliz que você tenha se identificado com o que escrevi. Foi de coração mesmo :)

      E nossa, tomara que a casa fique pronta loooogo!

      Bjo

      Responder
  5. Muriel Coelho em

    Ai Michelle que coisa mais verdadeira! Vc me fez chorar, lembrando das minhas duvidas na segunda gestação. Dentre as coisas q lembrei, uma foi quando estava gravida do Caio, uns oito meses, e liguei pra minha mãe chorando dizendo que eu não conseguiria amar outro bebe como amava o Guga, e minha mãe sabiente me acalmou e sinceramente me disse que dava sim para amar outro filho, que cada um com seu jeito diferente, conquista o coracao da mãe.
    Engraçado vc pensar assim, Michelle, me indentifiquei ainda mais pelo site! Show!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Muriel Coelho em

      Oi Muriel!

      Que bom saber que a gente consegue sim amar bastantão um segundo filho (e um terceiro, quarto, haha). Fico feliz que vc tenha gostado tbm :)

      Bjo grande

      Responder
  6. Camila Tavares em

    Post Lindooo! Me emocionei! Tb me pego pensando igual a vc, se vou conseguir amar outro bebe como amo minha Liz, se estou disposta a renunciar novamente a tantos projetos, se vou dar conta… pq se for pra ter outro bebe, tenho q me dedicar completamente (afinal eles dependem de nós)… me identifiquei demais com esse texto… acho q hj meu dia vai ser de reflexão sobre ele… ai ai
    Bjus Michelle

    Deus abençoe sua linda família! <3

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Camila Tavares em

      Oi Camila!

      Muito obrigada pelas palavras e pelo carinho! Acho que saberemos quando for a hora certa, se for para ser :)

      Que Deus abençoe vocês tbm.

      Bjo grande

      Responder
  7. Mamãe do Otávio em

    Bom… depois de toda essa reflexão e vendo que tu sabes T.U.D.O, posso afirmar que tu estás preparadíssima pra ser mãe outra vez! Agora é só acertas os ponteiros e decidir a hora certa!
    Boa sorte amiga, o que é pra ser, será! A Mel não merece crescer sozinha, eu teria engatado um no outro se tivesse grana, mas aqui ela é curta pra caramba!
    E todos esses teus sonhos/planos podem se realizar sim! Que coisa feia essa “gente grande” se achar “velha” aos 31! Não não não! É uma guria ainda! ;)
    beijooooos <3

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Mamãe do Otávio em

      Hahahahha, ah tinha que ser você pra vir me puxar a orelha! Dia 10 de janeiro completo mais um ano de vida. Tá ficando preocupante a questão “tempo” por aqui, hehe.

      Obrigada pelo carinho Tami! Você sabe que mesmo à distância te gosto um tantão :P

      Bjo pra vc e Otávio

      Responder
  8. Juliani em

    Mi;
    Se superou hoje heim!
    Como voce disse ter filhos é uma entrega de alma, vc deixa de ser um e passa a ser dois. Claro tem seu lado bom, mas é uma entrega muito grande.
    Sou mãe solteira então ter outro filho pelo menos por agora esta fora de cogitação, mas entendo voce. É uma tatuagem na cara.
    Sobre a reforma da casa, entendo completamente, passei anos com a casa reformando, é chato cansativo!
    Beijos

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Juliani em

      Oi Juliani! Que bom que você gostou do post :)

      E olha, como é cansativo construir/reformar e afins… fora o poço sem fundo dos gastos. Mas sei que valerá a pena!

      Bjo

      Responder
  9. Maria Carolina em

    Post LINDO!!! Chorei. Sou mãe de 1 menino de 4 anos e 1 menina de 2 anos. Renunciei a tudo, ou a maioria das coisas, a tv parece que foi programada em apenas dois canais (Discovery Kids e C.N.), os passeios só são feitos onde as crianças podem ir, ou seja, se resumem ao zoo, parques, praças, e restaurantes em que eles possam brincar, os jantares a dois podem ser contados nos dedos nesses 4 anos. Tenho a certeza de que não sou uma mãe perfeita, que errei muito principalmente com o primeiro filho mas, te garanto que com o segundo filho é bem mais fácil, menos angustiante,flui melhor. E segundo meu marido diz: “Pensar é anti reprodutivo”. Se pararmos para pensar na falta de $$$, paciência, tempo e tudo que deixaremos de fazer é claro que não teremos mais de 1 filho. Eu brinco dizendo que ser mãe é uma profissão ingrata, não reconhecida, não remunerada e muito sofrida(pq a gente sofre, né?). Longe de mim dar conselho ou palpite mas, penso que não certo ou justo nenhuma criança ser sozinha, não ter irmão. Ter irmão é muito bom, sou louca pelos meus e olha que brigávamos muito quando eramos pequenos. Por isso, não pensa muito não. (também sou carpricorniana e sei que o perfeccionismos e pensar muito nos atormenta sempre). Por isso, deixa acontecer.
    Beijos!!!!!!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Maria Carolina em

      Oi Maria Carolina!

      As mamães dizem mesmo que com o segundo a coisa muda de figura. Não é a toa que tanto se fala que “o segundo filho deveria vir primeiro”, haha.

      A questão que mais pega pra mim é essa dela ter um irmão/irmã. Família. Então talvez eu decida ter mais um pensando mais nela, pra depois cair de amores e pensar “do que eu tinha tanto medo?”. Tomara!

      E olha, eu até tento ser da filosofia “let it be” mas é difícil!

      Bjos

      Responder
    2. Maria respondeu Maria Carolina em

      Gostei da frase pensar muito é anti-reprodutivo, risos; realmente, se pensar demais não tem nem o primeiro! Por outro lado, concordo com a Michelle, tem de estar preparada para ter o segundo filho, gostei da metáfora ter um filho é como fazer uma tatuagem na cara. Tenho 37 anos e estou na fase de decisão, se tenho ou não. Vontade, mas tenho um pouco de medo. Clinicamente, estou liberada pela ginecologista após vários exames. Verdade é que cada caso é um caso! Eu sempre disse que podendo ter dois é o ideal! Mas um filho realiza completamente! Sou exageradamente apaixonada pela minha filhota de 3 anos! Não estava nos meus planos ter dois, mas de uns dias para cá esse tema tem tomado conta de boa parte dos meus pensamentos! Michelle, você ainda tem um tempinho bom para decidir, se puder ter até os 35 anos é melhor! Bom conversar com vocês! Se eu optar por ter o segundo, depois venho compartilhar minha experiência com vocês! Ótima semana! Beijos.

      Responder
      1. Camila respondeu Maria em

        Tenho 18 anos uma Filha de 3 e vou me casar em setembro e o noivo quer mt um bebê eu já não quero mt ! Me sinto insegura :( ter ou não ter essa é a questão ! :s O noivo enche o saco todo dia kk

        Responder
        1. Maria respondeu Camila em

          Oi Camila, você é tão nova, quanto tempo pela frente, né?! O desejo de seu futuro marido em ser pai é plenamente aceitável! Converse bastante com ele sobre o melhor momento para seu segundo filho, se assim for o caso. O bom diálogo entre o casal é essencial. Não sei quais são as prioridades hoje para você, mas se, de repente, for investir em sua carreira profissional, provavelmente ele a entenderá! Curtir o início do casamento TB é muito gostoso, afinal o início da paternidade é maternidade limitam bastante a vida do casal! No meu caso, não pude esperar, devido a minha idade. Mas verdade é que tudo na vida da gente aos poucos se ajeita! Não há tantas regras! Desejo que vc e seu noivo se entendam quanto ao momento mais adequado para o seu segundo filho! Um abraço.

          Responder
      2. Maria respondeu Maria em

        Meninas, venho compartilhar com vocês minha experiência, prova de Deus em minha vida! Como postei recentemente (03/abril), estava em fase de decisão entre ter ou não o segundo filho (na verdade, havia um desejo no coração, mas eu não conseguia decidir, confesso que foi uma fase muito difícil). Poucos dias depois, acreditam que Deus decidiu por mim? Uma única tentativa, é sério! Estou grávida de meu segundo filho (até agora não acredito…). Agora oro muito para ter uma gravidez tranquila e que meu filhote nasça e cresça com muita saúde! Sinto que a experiência me tranquiliza! Sei das dificuldades iniciais, mas tenho certeza que passa…é quando passa…a vida se torna ainda mais linda!!! Um beijo com carinho a todas!

        Responder
  10. Ciça Gambôa em

    Parabéns pelo post, adorei!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Ciça Gambôa em

      Obrigada Ciça! :)

      Responder
  11. Magale Seixas em

    Michelle,
    sou leitora anonima e fã do seu blog a algum tempo. Tenho 32 anos e uma filha de 1 ano e 11 meses. Me emocionei muito com seu post, porque me identifiquei com tudo o que voce escreveu. Parecia que era eu que estava escrevendo até. É bom saber que não sou a unica a ter essas divagações sobre o 2º filho, já que sou cobrada a toda hora a respeito disso. Voce falou tudo quando disse que estava preparada para o lado pratico da maternidade, não para o lado emocional. Eu também. E te digo que não estou até hoje. Sei que meu marido quer muito ter outro filho, mas não me sinto preparada. Quando falo isso as pessoas me olham como se eu fosse um E.T., porque?, dizem, voce tem uma filha linda, perfeita, inteligente, ativa, saudavel? Mas não é fácil explicar, mesmo. Só sei que não me sinto preparada para começar tudo de novo e para renunciar a certas coisas como faculdade, trabalho, sono, namoro com marido, etc. As pessoas parecem não entender a seguinte questão: não estou arrependida de ser mãe, foi a melhor coisa que me aconteceu, sou uma mãe realizada, mas não penso em ter outro filho agora. Talves mude, não sei.
    Mas enfim, amei o post, e virei mais sua fã.
    PS.: Ah, estou pegando algumas ideias do niver da sua filha para a festinha da minha Helena, tudo bem? Bjos!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Magale Seixas em

      Oi Magale,

      Me identifiquei com o que você escreveu também. A pressão é grande por parte da família, do marido, enfim. é complicado. Parece que somos as bruxas más que não querem dar um irmãozinho para as nossas filhas, rs.

      Fico chateada quando falam (generalizando) que filho único é mimado. Não é por aí não. Não dá pra generalizar já que cada família é única. E cada casal tem o direito de decidir o que julgam ser o melhor para eles, para a família.

      Obrigada pelas palavras e pelo carinho! E que bom que você deixou de ser anônima :)

      E boa sorte na festa da Helena.

      Bjo

      Responder
  12. Camila Venancio em

    Nossa Michele me identifiquei em cada frase do seu post será que por que também sou capricorniana?!
    Tenho 22 anos e uma menininha de 26 meses ( Lavínia) também não penso em ter filho tão cedo,deixei muitas coisas de lado, que agora quero voltar a fazer, quero cursar Designer também, e amo fotografar.
    Mudei muito apos a morte de minha Mãe a 4 anos atras e depois que minha filha nasceu, hoje em dia me considero uma manteiga derretida me sensibilizo com fatos que antes nem dava importância. (Como agente cresce,amadurece, e aprende…)

    Más a falta de paciência ainda é meu sobrenome kkkkkk…

    Mudamos para nossa casa tem 2 meses, ai que sonho realizado, uma casa cheia de espaço e confortável para todos nos,assim como sera a de vocês.

    Bjs, tudo de bom sempre pra vcs!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Camila Venancio em

      Oi Camila!

      Você tem tempo ainda, para pensar em mais filhos, se quiserem. Isso é ótimo porque te dá tempo de fazer as outras coisas que você deseja :)

      Por aqui não vejo a hora de nos mudarmos para a casa nova!

      Bjo

      Responder
  13. Telma Teixeira em

    Michelle, assim como todas as outras mães me emocionei bastante ao ler o post.
    Eu brinco que só teria outro filho se ganhasse na mega sena…rs, assim teria condições financeiras e físicas (casa espaçosa), vai que vem mais dois!!! Como a minha gestação gemelar foi natural e tenho esta tendência, meu medo é vir mais de um novamente. Nos tempos de hoje criar muitas crianças é muito complicado, requer boas condições financeiras para dar boa alimentação, boa educação, boa assistência médica… enfim, vou ficar só nas minhas princesas que completaram 02 anos ontem e já dormem quase todas as noites sem me acordar!rs

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Telma Teixeira em

      Oi Telma!

      Ah, ganhar na mega sena seria ótimooooo, haha. A questão financeira pesa bastante mesmo. E que bom que suas pequenas já dormem bem! Como elas se chamam?

      Bjo

      Responder
  14. Adriana G. de Oliveira em

    Adorei o post! Verdadeiramente, esta é uma questão muito pessoal, muito particular de cada casal e não há certo ou errado. Também escrevi sobre o assunto:

    http://adriana-fiatlux.blogspot.com.br/2011/07/irmao-cachorro-e-natacao.html

    Abç

    Responder
  15. Gracy Marcello em

    Oi, Michelle!

    Parabéns pela franqueza e coragem de botar pra fora todos esses sentimentos dúbios que rondam a cabeça de nós mamães. Também me emocionei ao ler. Concordo com a Maria Carolina acima que disse que pensar é anti-reprodutivo. A gente pensa demais, a casa certa, o carro melhor, a viagem, o momento profissional. Eu também sou capricorniana e racional demais. Na gravidez do Davi também fui envolvida pela empolgação do marido e foi a melhor coisa que fiz na vida. Mas, pra um segundo estou deixando a minha razão falar mais alto. Sorte que o marido também está com o pé mais no chão e também não quer por agora. Eu tenho certeza que quero outro, mas esse momento ideal é que é o difícil! Eu já tenho meu molequinho, queria uma princesa, assim como agora vc quer o seu rapaz. O meu prazo é um pouco maior que o seu, quem sabe quando o Davi fizer uns 5 aninhos… O tempo dirá!

    Bjs pra vc e pra Mel <3

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Gracy Marcello em

      Oi Gracy,

      Cada casal sabe, sente, quando é o momento “certo”. Condições físicas, emocionais, financeiras, todas elas são importantes :) E concordo que pensar é anti-reprodutivo, haha

      Bjo grande e obrigada pelo carinho

      Responder
  16. Carol em

    Lindo Seu post Michelle! Concordo com absolutamente tudo. A única diferença é que por aqui já foi estabelecido que o Bento será o único…

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Carol em

      Oi Carol,

      Que bom que vc gostou! :)

      Bjo

      Responder
  17. Bianca Barrilari em

    Ai Michelle, seu post me emocionou e me fez ver (mais uma vez) que não sou a unica que sentiu várias coisas que vc mesma declarou no seu post. É engraçado pq a gente sempre escuta só das maravilhas de ser mãe, mas o lado difícil, de nós “perdermos” a nossa liberdade, isso ninguém fala né… Tenho um bebê de 6 meses, e como a maternidade é muito recente pra mim, é muito difícil ainda pra mim ter que lidar com isso… sei que vou me acostumar à nova vida, mas é complicado, por maior que seja nossa amor, e tudo mais…de repente, temos um bebê que depende exclusivamente de nós, e nós dependemos de outras pessoas (coisa que nunca aconteceu antes). pra eu poder fazer algo, hoje, preciso que alguém possa ficar com o Bernardo, então as coisas mudam demais, de um dia pro outro….acho a maternidade bem difícil sim, linda demais, surreal, porém dificil,. Por isso acho sim, que vc deve pensar bem antes do segundo filho!
    Beijo enorme e parabéns pelo post e pelo blog que eu AMO

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Bianca Barrilari em

      Oi Bianca,

      No início é bem difícil essa parte mesmo. De de adaptar à nova realidade, à nova rotina, agora como mãe (e ainda sim, mulher, profissional, etc etc). Depois vamos nos acostumando e o mais importante: aprendendo a lidar melhor com as situações.

      Hoje eu vejo que a maturidade vai vindo aos poucos e uma coisa que aconteceu no início e que eu achei um bicho de sete cabeças, hoje eu encararia numa boa, sem maiores traumas.

      Filhos mudam tudo e é preciso estar bem certo antes de fazer esta escolha :)

      Bjo e obrigada pelo carinho

      Responder
  18. Camila em

    Amei o post! Lindo! Sempre tive vontade de te fazer essa pergunta, mas nunca tive coragem. Se resolver ter outro filho, será a mesma mãezona que é para a Mel. Eu ainda to no dilema da primeira gravidez. Afff, como é díficil tomar certas decisões! Beijos

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Camila em

      Oi Camila,

      Obrigada pelo carinho! Quem sabe no ano que vem você não será mais uma gravidinha lendo o Vida Materna, haha

      Bjo

      Responder
  19. Daniela em

    Michelle, muito sinceras tuas palavras. Me identifiquei muito, pois estamos em situações muito parecidas. Também sou capricorniana, tenho 32 anos, um filho de 2 anos e quinze dias e nenhuma vontade de ter outro. Desde que me casei, há 5 anos atrás, meu marido fala em três filhos. Depois que tivemos o Pedro Henrique ele fala em “apenas” mais um. Eu, porém, não quero mais. Me sinto completamente realizada com este, no sentido mais amplo da palavra, com o pacote completo da maternidade. Mas o problema é que as pessoas não entendem, sempre nos cobram mais filhos. E não é fácil explicar que não quero mais. Diante disso tudo, me sinto egoísta, pois no casamento somos uma parceria, e quando o marido é um super pai, e quer mais um filho, o que fazer? É certo tirar do meu filho o prazer e a possibilidade de ter um irmão? Sabe Michelle, são muitas perguntas, e eu tenho deixado a vida seguir seu curso. Quem sabe um dia estejamos preparadas, né? Mas claro, sem esquecer de tomar meu anticoncepcional todo santo dia!!! Um beijo, querida

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Daniela em

      Oi Daniela,

      “me sinto egoísta, pois no casamento somos uma parceria, e quando o marido é um super pai, e quer mais um filho, o que fazer? É certo tirar do meu filho o prazer e a possibilidade de ter um irmão? ”

      Exatamente!!! Acho que pra mim, são as duas coisas que mais pesam nessa decisão.

      Estou tentando aderir ao estilo de vida “let it be”, haha, mas é complicado pra uma pessoa pés no chão como eu. Vamos ver o que o futuro nos reserva :)

      Bjo e obrigada pelo carinho

      Responder
  20. Enehbria Chinaski em

    Você sabe que te acompanho não sendo mãe, morrendo de medo de ser, deixando tudo para os 30 e continuando fazendo minhas porra-locagens, mas você tem uma sensibilidade incrível. E mesmo eu não me interessando em absoluto sobre algum apetrecho infantil, gosto de ler o que você escreve sobretudo pelo “como” você escreve. E esse post foi lindo! Te admiro vida!! E te amo! Parabéns!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Enehbria Chinaski em

      Owwwnnnn vida!!! Então é isso dona Lais? Vem aqui agora pra me fazer chorar?! :D

      Obrigada, pra mim é importante saber que meus textos te agradam, mesmo que no momento estejamos nos opostos da vida, haha. Um dia, quem sabe, estarei eu te ajudando a montar seu enxoval.

      Beijo enorme, TE AMO e já tou com saudades <3

      Responder
  21. Vanessa em

    Lindo o post, sempre leio o que você escreve, mas este esta simplesmente o máximo!!!Parabens!

    Responder
  22. Graziella em

    Adorei o post tb…Só a gente sabe o que é melhor para nós neh, ngm mais no nosso lugar pode decidir isso, a não ser a família que cosntruimos. Eu aqui quero ter outro, tenho um de 8 meses, mas moro longe de todo mundo, muito difícil sozinha…Mas Deus faz td certo e o fardo ser leve. Beijos, sou uma super fã sua, falo de muito de vc para o meu marido…rs

    Responder
  23. Lucia Rizzo em

    Michelle, este post realmente encantou muitas mães. E faço parte deste grupo. Acompanho o blog desde quando era “sobre fraldas”; foi meu fiel companheiro no começo, abriu horizontes, já me consolou e aconselhou. Acompanho diariamente as publicações e amo este tipo de conteúdo, assim como o da Barducco, que nos fazem ver que estamos no caminho certo, que existem outras mães na mesma labuta diária, de angústia, ansiedade, incertezas, auto questionamentos e fé num mundo melhor, em que nossa responsabilidade é fornecer pessoinhas melhores para esse mundo. Ah, e claro, ter mais paciência! Obrigada pelo trabalho de vocês!

    Responder
  24. Ana Carolina em

    Texto excelente, lúcido e muito capricorniano mesmo. Eu sou taurina, marido capricorniano, filho taurino – aqui a terra impera e a gente pondera-pondera-pondera. Para fazer um já foi uma revolução… o segundo? Bem, vai ficar para outra vida. Mas também admiro quem tem coragem para encarar (e pique, MEODEOS, que com 34 e 37 eu e marido achamos que não vai ter coluna que aguente um segundo, não).

    Responder
  25. Mirela em

    Michelle, me vi no seu texto! Claro que ainda não penso no 2º filho, afinal o meu bebê vai fazer um mês na segunda-feira. Mas no quesito “emoções”, é uma montanha russa mesmo! Eu chorei nos primeiros dez dias dele, todos os dias, por motivos diversos e sem motivos tbm. As lágrimas vinham e eu as deixava cair. E para isso não há mesmo preparação. E me pergunto se passarei por isso de novo, pq apesar de um bebê tão novo, as pessoas já questionam se teremos outro… Não sei, ainda estou me recuperando da gestação, do parto e do baby blues!

    Responder
  26. Debora Roncato em

    Faço minhas palavras, ipsis litteris!
    Não é só uma questão de grana, pelo menos pra mim, pois o dinheiro não compra tempo, sonhos, paciência…não diminui a culpa…

    Responder
  27. Lidiane em

    Michelle, sempre leio seu blog e adoro as dicas. Nao pude deixar de comentar esse texto. Sempre desejei muito ser mãe, amo minha filha mais do que tudo na vida. Tenho certeza de que se tivesse alguem para me ajudar com as criancas (leia-se uma das avós por perto) eu teria o segundo sem pensar. Agora, morando longe das duas familias fica muito complicado. Bj e parabens pelo blog mais uma vez.

    Responder
  28. Abner em

    Oi meninas, espero não estar invadindo este cantinho tão apreciado por inúmeras mulheres, pelo que pude ver.

    Sou pai e achei o blog por acaso, pois precisei fazer uma pesquisa de fraldas para um chá de bebê. E, como minha filha já está com 8 anos, estou desatualizado e surpreso com as novas nomenclaturas “toque de algodão”, “touch”,rsrs.

    Consegui encontrar o que procurava, valeu mesmo! E também pude ler essa reflexão sobre ter ou não o segundo filho… que poderia ser sobre o primeiro ou terceiro, ou quiçá, o quarto… Não há diferenças, e os receios humanos são os mesmos.

    E não são só as mulheres que os têm. Nós homens também os temos, mas talvez consigamos camuflar melhor.

    Hoje, eu e minha mulher estamos muito bem resolvidos com a decisão de mantermos a unigênita. Muitos falam “filha única vai sentir falta de irmãos…” mas é tudo mentira! Ela é super feliz, minha casa sempre recebe seus amiguinhos para brincarem com ela. Ela também os visita… é uma festa só!

    Não cobro de nenhum casal o ter o primeiro filho. Quanto mais o segundo, terceiro…

    Michelle, muito mais do que pensar no segundo, temos que pensar em darmos condições para que nossos filhos também tenham condições de verem o reino de Deus. De nascerem de novo. Parece papo de religião, mas, não é não!

    Um forte abraço e obrigado pela ajuda!

    Abner

    Responder
  29. Sandra Mara em

    Estava precisando ler algo assim. Minha filha tem 3 meses e to me sentindo nessa montanha russa q vc descreveu. Eu me achava um monstro por me sentir desesperada, ou por simplesmente querer desaparecer em alguns momentos. As pessoas me julgavam falando que eu nao merecia ser mae mas eu era livre e de repente me vi presa. Quando olho o sorriso da minha filha vejo tambem que foi a melhor coisa q veio de mim, mas que eu emocionalmente tambem nao estava preparada. Aos poucos to tentando me encontrar mas nao e facil realmente. Me perguntam se quero outro filho e eu nao me vejo com mais um bb. So se for a vontade de Deus.

    Responder
  30. Giuliana em

    Ah, Michele… eu nem tive tempo de “decidir” sobre isso. Fazendo revisão do parto, aos 7 meses do meu primeiro bebê, descobri estar grávida novamente. E o que eu achei de tudo isso? As duas primeiras semanas da notícia foram de terror para mim, e de pura felicidade para meu marido. Depois desse curto prazo, aceitei a idéia e passei até a achar bom. Realmente, concordo que vai ser uma trabalheira danada, mas vai ser tudo de uma vez. MAS, preste atenção, acho que não tem essa de dividir o amor… AQUI EM CASA NÓS VAMOS É SOMAR, MULTIPLICAR! Beijo grande para vc, e que bom que vc não pretende deixar a Mel sem irmãos.

    Responder
  31. Danielle em

    Mi, que post incrível…parece que li minhas próprias palavras, meus questionamentos mais íntimos…
    Tb sou capricorniana e quero e não quero ter o segundo filho. O Pedro tem 5 anos e me vejo em constantes “serás” todos os dias. Quando estou decidida a engravidar, me pergunto e ando 2 passos pra trás, e qdo estou decidida a ficar só com ele, penso e ando 2 passos pra frente. Enfim, as indagações vão continuar e vamos ver onde me levarão… Parabéns pelo blog, suave, franco e muito útil!

    Responder
  32. Cris em

    Pois é… seu blog é muito bom, bem escrito e realista…
    Na verdade não me encaixo muito … queria mesmo é que
    Alguém decidisse por mim, mas sei não dá….
    Em 2013 completo 35 e ela 9 anos, acho que esperei demais, mas como a 1º gravidez
    foi meio no susto atrasei tudo completei faculdade, cresci profissionalmente me
    especializei( e ainda estudo)com ela ao meu lado.
    Hoje ela minha amiga amada e querida, companheira mesmo, mas também não
    quero filho mais tarde penso no limite de 36 anos… mas ela vai estar com 10 anos
    será que ainda caberia um novo bebe… sem contar grana não tenho, os custos deles
    vão aumentando com a idade… sou hoteleira ou seja tempo nenhum…
    Agora a gente viaja curte tanto a vida, se chegar um novo bebe tudo se estaciona…
    Há e o marido por ele já chega mas respeita meu desejo…e qual será o meu desejo??
    Valeu mesmo… um abraço

    Responder
  33. Gabriela em

    Bom, estou com sérias dúvidas sobre ter outro filho ou não . Meu filho tem 6 anos e 3 irmãos de outro casamento( filhos do meu marido ) mas não consigo ver daqui á alguns anos como irmãos bem próximos como os que moram na mesma casa brigam por canais de tv , conhecem os mesmos amigos em fim temos um orçamento apertado não temos casa própria e ainda por cima não trabalhamos em empresas tipo estou no lugar certo. Mas sei que meu filho precisa e eu também de outra criança complementando a família . Mas ainda não sei meu pequeno já tem 6 anos será que compensa ? Adoreiiiiiii seu blog nunca li algo tão sincero .

    Responder
  34. Gabriela em

    Bom, estou com sérias dúvidas sobre ter outro filho ou não . Meu filho tem 6 anos e 3 irmãos de outro casamento( filhos do meu marido ) mas não consigo ver daqui á alguns anos como irmãos bem próximos como os que moram na mesma casa brigam por canais de tv , conhecem os mesmos amigos em fim temos um orçamento apertado não temos casa própria e ainda por cima não trabalhamos em empresas tipo estou no lugar certo. Mas sei que meu filho precisa e eu também de outra criança complementando a família . Mas ainda não sei meu pequeno já tem 6 anos será que compensa ? Adoreiiiiiii amei seu blog nunca li algo tão sincero .

    Responder
  35. Elaine em

    Nossa, você escreve muito bem!! Já virei sua fã…
    Comecei com um posto do Doki e agora não consigo parar de ler tudo… quero ler o que vc escrever em anos em minutos… kkkk
    Já me conquistou! Parabéns linda por todas as dicas e super obrigada!!

    Responder
  36. Viviane (Mãe do Matheus) em

    Nossa Michele, primeiro gostaria de parabenizar pelo post e pelas sábias palavras!!!! Eu sou mãe do Matheus que vai completar 4 anos em julho, e o contrario de você eu que sempre quis e quero ter outro filho, e depois de horas….dias de conversa eu e meu marido (capricorniano) decidimos em ter outro!!! Olha não foi tarefa fácil não, sou sagitariana, sonhadora, alegre e gosto, quer dizer amo crianças, principalmente meu filho!!! Adoro e eu mesma que chamo ele pra brincar ao invés de ele pedir que brinquem com ele!!!! Minha vida é uma correia: trabalho de seg. a sex. das 8 as 18, quando chego em casa lavo, passo, cozinho e cuido do marido e filho e mesmo assim quero ter outro, pois acho muito triste ser filho unico!!! Dizem: ha mas tem os primos, amiguinhos!!! Sim mas NAO SÃO IRMAOS!!!! Tenho uma irma que somente agora que estamos nos dando bem rsrsrs, sempre brigamos quando criança….mas é isso que você disse: se olharmos a conta bancária, se pensarmos em mais noites e noites sem dormir (isso eu sei mto bem, mesmo porque até o Matheus nao operar a adenoide eu nao sabia o que era passar 3 noites seguidas dormindo a noite toda, isso faz 15 dias)…se pensarmos em tudo isso só ficavamos com um meeeesmo. Mas penso muito nele, acho que devemos sim (eu e meu marido) passarmos por tudo isso novamente…por ele e por nós também, mesmo porque não são só essas coisas “ruins” e sim, quantas alegrias ele já nos trouxe, quantas vezes rimos com eles, amamos, sentimos cheirinho de FILHO!! É isso, quando eu engravidar (se Deus quiser) eu volto aqui para contar…Ha já ia me esquecendo, quanto ao amor que sempre nos questionamos: será que consigo amar tanto assim o segundo filho? será que tem espaço pra mais um amor assim? Quem teve o segundo disse que o amor de mae nao se divide, SE MULTIPLICA!!! Acho que estou disposta a multiplicar o meu amor!!!
    Beijos em todas…

    Responder
    1. Maria respondeu Viviane (Mãe do Matheus) em

      Lindo seu depoimento, viu?!! Um grande incentivo para o segundo filho, para mim, por exemplo, que estou grávida há 6 semanas do segundo.. Parabéns por ser uma guerreira, li sobre sua rotina de trabalho e realmente não é nada fácil, porém as dificuldades iniciais passam e depois resta o sonho realizado! E uma vida muito mais feliz!!! Já que a decisão estas tomada, que venha logo o seu segundo também, sem esquecer Deus sabe o melhor momento para tanto! Um grande abraço.

      Responder
  37. Raquel Lotfi em

    Olha só, estou eu no Google buscando algo sobre “dedicisão do segundo filho” e derepente encontro um espelho…lá está uma mocinha escrevendo e pensando exatamente como eu…!! Que Hilário…..amei!! Minha primeira leitura de um blog!
    Bjs

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Raquel Lotfi em

      Que bom que você gostou Raquel! E volte sempre :)

      Bjo

      Responder
  38. patricia em

    Oi Michele, lindas palavras. Porque a decisão realmente é nossa. Minha Paula está com dois anos e dois meses e eu engravidei com 41 anos. Sim, faço 44 esse ano. Na verdade nunca quis ter filhos e a vida andava bem. Um dia, a realidade, ou a maternidade bateu a porta e disse tem que ser agora…e foi naquela hora porque não podia demorar mais. A gravidez foi tranquila, mas a leonina aqui sou eu: perfeccionista, cheia de idéias. Sonhos ficaram para trás e com ele o meu egoísmo nato. Com o nascimento, decidi que ela não podia ser filha única, e que quando completa-se dois anos a outra deveria estar nascendo. Mas no meio do caminho me acovardei. Mas o sentimento não me abandona. Sou muito pé no chão, mas estou vendo lá na frente, duas menininhas compartilhando o mundo. Vai apertar $$$$$…vai! Mas vai ser estímulo também. Esse ano decidi que vou fazer, e dois pensamentos me assolam, porque sei da carga de hormonios que nos coloca na montanha russa: se eu não tiver, vou me arrepender, mas se tiver vou me culpar por tantas coisas…que se resolvem de uma maneira ou outra.
    Aí, dúvidas…porques…mas aqueles sorrisos, aquelas gargalhadas…aquelas mãozinhas…são imagens eternas. Realmente, é a maior obra do ser humano…da mulher.
    Beijos para você.

    Responder
  39. Dalila em

    Olá Michele, tenho uma filha de dois anos e quero muito (horas quero/horas não) outro filho. Li seu post com lagrimas nos olhos, por achar alquem que coloque em palavras oque eu neste 2 anos não consegui… Obrigada! Nossas duvidas e pensamentos são quase os mesmos, e somente a gente pra saber a hora certa, porém eu ao contrario de vc não sou tão pé no chão (sou a verdadeira pisciana rsrsrs), na verdade oque me ainda esta me segurando é que acredito estar com um pouco de depressão, então tenho medo de estar colocando minhas expectativas de alegria todas no bebê…(uma carga muito pesado para ombrinhos tão pequenos…) mas estou me cuidando… e assim que tiver firme forte, poderei ter outro bebê, ja tão querido por nós (Papai, mamãe e Sophia). Gostaria que não divulgasse aqui o meu desabafo, mas se quiser pode comentar no email.

    Responder
  40. Renata em

    Menina,que legal seu texto me identifiquei com muitas partes,mas o meu caso é um pouquinho mais difícil,tenho 1 filho de 14 anos,e até agora estou pensando se vou dar um irmãozinho pra ele,a família está super pressionando como disse uma amiga acima estou me sentindo um et,penso penso penso e só consigo ter mais medo,não sei se vou conseguir amar outra pessoinha tanto quanto eu amo meu filho,se eu vou ter condições financeiras para criar mais 1,se eu vou ter tempo,energia,paciência.Mas por outro lado e futuramente será que meu filho ficará sozinho,na minha velhice será que vai ser importante ele ter um irmão,e nessas alturas ele já com 14 anos e eu ainda pensando,será que eu não terei 2 filhos únicos,tantas dúvidas tanta pressão isso está me angustiando fato.

    Responder
  41. Poliane em

    Ahhh adorei..o blog…estou orando para que Deus molde o coração do meu marido, para termos mais um filho..não vejo a hora, estou super emocionada com tudo que estou lendo aqui…adorei !!!! bjos e ahhh já vi que vc está grávida novamente…super legal !!!1 Deus a abençoe !!!!!!!

    Responder
  42. Silvana em

    Olá, amei o post engraçado como me identifiquei. Olha as coincidências: sou capricorniana e meu marido leonino, hj meu bebe está com 2 anos e 3 meses e minha gravidez toda estava fazendo uma reforma interminável em minha casa…as dúvidas e medos são as mesmas.Como a Michele falou meus pés são aterrados no chão quisera eu ser uma sonhadora e não pensasse tanto nas coisas.Penso demais e isso é ruim para quem pensa em outro filho.Vivo esse dilema tenho ou não tenho outo filho…chega a ser triste queria arriscar logo e ter…mas não consigo não sou assim.Meu receio é no futuro olhar pra trás e ver que poderia ter tido mais um, só mais…Meu pequeno Gabriel é tão saudável, inteligente esperto, ele me preenche sabe…é complicado…vou pensar mais um pouco rsrsrs

    Responder
  43. Luiz Aguiar em

    Oi. Adorei o post e me identifiquei bastante. Minha filha tem hoje 6 anos e eu gostaria de ter um segundo filho. Por coincidencia, um dos nomes que minha esposa disse foi Mel . Estamos pensando em conjunto e seu post veio bem a calhar, pois,eu venho com essa idéia ha um tempo, mas minha esposa sempre recusa, no entanto, ontem á noite antes de dormir , conversamos sobre o assunto e senti que ela se sentiu tocada. Acho que vai rolar ! Depois eu te conto ! Abraço !

    Responder
  44. Priscila em

    Oi Michele.Nossa! É fiquei impressionada em como as suas ideias são parecidas com as minhas. Aos olhos alheios, ter o segundo filho é quase que uma exigência de quem já tem um filho ( principalmente qdo este tem 9 anos, já), mas só nós, mães, sabemos o quanto nos é penosa a maternidade. Amo meu filho, ele é maravilhoso, nem me imagino sem ele, definitivamente, é um pedaço de mim. Mas sei tbm do quanto já chorei por ele, por vários motivos: por aqueles dias em que ele queimou de febre e vomitou até a casinha do cachorro; pelos dias que precisava trabalhar mas não tinha com quem o deixasse; pela sensação de impotência que sentia quando não podia ( não posso) comprar aquela roupinha que o deixaria lindo ou aquele brinquedo que ele me pede a meses; por não poder dar o irmão que ele tanto me pede pq não tenho condiçõe$$ pra isso…é sofrível ser mãe, muito mesmo, ainda mais quando não se tem ajuda de ninguém, nenhum parente próximo pra te dar uma mão, é tudo vc. Tenho quase 30 anos, há 9 anos qdo tive o meu filho, pensei: “Nunca mais quero ter outro.” Hoje, as coisas aqui nessa cabeça ( e coração) mudaram…sonho em ter uma família “mais completa”, sonho em ver o sorriso de alegria do meu primogênito ao saber da notícia da chegada do irmãozinho que ele sonha, em ver a alegria e satisfação do meu marido que também sonha com mais um filho, em sentir novamente um outro ser desenvolvendo dentro de mim. Mas ( sempre tem um “mas”…odeio ele), não sei se devo chutar o balde e dar isso a minha família e automaticamente renunciar os meus outros sonhos…sei lá…vou vivendo assim, como vc, deixando a vida acontecer…só espero que um dia eu consiga olhar pra trás e pensar: “Valeu a pena.”

    Responder
  45. uilma em

    olha é a primeira vez que leio este blog, tenho um filho de 6 anos e tenho 31 anos, tenho uma enorme duvida se quero ou não outro filho, pelo menos não agora, pois vivo com uma pessoa que tem 3 filhos, inclusive tem 1 que também mora comigo, mas o que realmente me deixa em duvida em relação a ter outro filho, é que gosto do meu companheiro , mas sinto que não é uma relação muito sólida, gostaria de saber o que devo fazer? no fundo do meu coração tenho vontade de ter outro filho, mas ao mesmo tempo tenho medo, por que já crio um filho sem pai, tenho medo de ciar outro.

    Responder
  46. Michele em

    É um assunto complicado, pois se formos tratarmos com a razão o segundo não vem.
    Eu pensei e pensei muito, tipo será que com quatro/cinco anos de diferença do primeiro eu encomendo outro filho? Será que já vamos ter a nossa casa equipada para o outro filho? Será que vai me desestabilizar?
    Fiquei muito tempo na razão, até que entreguei a Deus todas essas dúvidas e a resposta que eu tive foi a seguinte: Peça a Deus para abençoar seus planos. E assim o fiz. Hoje estou grávida e feliz.
    Claro que mãe de dois tem que se puxar muito mais, pois com um filho os pais são maioria e com duas crianças a relação empata. No dia a dia é desigual mesmo, pois é uma mãe para duas crianças, duas vontades, duas birras e por aí vai.
    Sinto que sou a peça fundamental da minha família, tipo se estou bem, tudo vai bem. É um exercício diário não me aborrecer com pequenas coisas, sempre dar a voz a minha família enfim, constatar que não sou a prioridade na minha vida.
    Ter o segundo é um risco, é uma aposta alta pois no segundo você entende melhor as regras do jogo. Mas se a resposta for sim, não há nada mais a fazer senão curtir esse momento como se fosse único pois eles crescem e a vida acontece. Simples assim.

    Responder
  47. Bianca em

    ‘É um assunto complicado, pois se formos tratarmos com a razão o segundo não vem.’ Ser feliz ou ter razão? … Meu filho tem 9 meses e decidimos ter outro. Sim. Já! Esperar demais dá nisso … nos confunde, dá tempo de aparecerem novas prioridades. Sair da ‘zona de conforto’ é difícil. Decidimos que nossa família será prioridade! Estamos tranquilos … será difícil, mas vai passar e daqui a 6 anos já teremos os dois e sem dúvidas! rsrs. Boa Sorte e todas vcs!

    Responder
  48. Melina Mourão em

    Caramba, você conseguiu traduzir em palavras todos os meus sentimentos atuais! ser mãe é punk mesmo. É padecer no paraíso. Quanto a ter um segundo filho, levanto dados, analiso, traduzo, e analiso de novo, mas meu coração pede um irmãozinho para o meu João Pedro de 2 anos e meio. O amor problema é o temor mesmo, porque o João Pedro teve uma série de dificuldades, como alergia a leite, hérnia inguinal, motivo pelo qual fez uma cirurgia com um aninho e meio, em fim, não sei se tenho estrutura para aguentar algo semelhante de novo, mas essa paixão por mais um filho não sai de mim!
    Parabéns pelo post.

    Responder
  49. Renata em

    Nossa vc traduziu tudo o que venho pensando a alguns anos e especialmente nesse momento me encontro chorosa a 2 noites sem dormir,pois me sinto como vc sou super perfeccionista e qualquer decisão me faz pensar muito,tenho um filho de 15 anos e desde que ele tinha 10 penso em dar um irmãozinho para ele,mas sempre vou adiando,não é por mim sabe eu estou completa até pq hoje aos 35 anos estou fazendo a segunda faculdade e nesse momento gostaria de começar a curtir a vida,viajar coisa que eu não pude fazer pois fui mãe tão cedo,ano passado meu filho teve problemas cardíacos e para mim foi uma barra,me destruiu tentei ser forte mas entrei em depressão não aguentei ver ele fazendo tantos exames tão frágil sendo revirado pelos médicos com um risco iminente e eu ali tão impotente,eu não podia fazer nada,só e restava aguardar e ficar na mão dos médicos,nunca tinha me sentido assim como se minha vida tivesse tido um divisor de águas pela 1ª vez eu senti muito próxima a possibilidade de perdê-lo,graças a Deus deu tudo certo depois disso já se passou 1 ano e estamos aqui fortes.Mas penso e se eu tiver outro filho e se acontecer de novo acho que eu não suportaria,me sinto egoísta,penso no futuro do meu filho todos dizem que ele vai ser sozinho,infeliz e mais uma vez o medo me ronda.
    Difícil muito difícil,estou sofrendo muito em tomar essa decisão e fora as cobranças de todos em volta,sinceramente estou cansada e desanimada,não sei o que fazer.

    Responder
  50. Elaine Rocha em

    Que confortante ler esse post Michele…
    Que pé no chão e que carinho vc tem nas palavras…
    Estou a quase um ano angustiada pois para mim uma filha está ótima, porém meu marido quer mais um filho…
    Acho muito bom que minha filha tenha pelo menos um irmão, mas a forma de vida que levamos fora de casa o dia todo e com todas as tarefas esperando quando chegamos me faz desistir da ideia…
    Estou bem angustiada com isso…
    Mas gostei muito de ler seu depoimento, me trouxe um novo horizonte para ser analisado…
    Parabéns!

    Responder
  51. Dayane Andrade Vitor em

    Infelizmente hj parece uma obrigacao ter dois filhos. Tirando a famosa frase que mais me parece uma maldicao : quem tem um não tem nenhum. O povo é sem noção mesmo…

    Responder
  52. Fernanda em

    Oi gente, gostei muito do post. Minha filha tem só 5 meses e eu já estou praticamente decidida a ficar só com ela. Quando digo isso a primeira coisa que ouço é: ah, vc ainda está traumatizada com o trabalho que dá, daqui há pouco vc esquece tudo e vai querer outro. Ok, pode acontecer. Mas acho MUITO difícil. Ela não dá trabalho nenhum, não teve cólica, dorme a noite inteira desde sempre e é só sorrisos. Mesmo assim, não quero outro! Meu marido quer, mas paciência, a decisão final será MINHA, pois quem engravida sou eu, quem tem sempre a maior carga (física e emocional) é a mulher, por mais parceiro que seja o pai, e meu marido é! Estou curtindo muito ser mãe, mas também amo minha vida a dois com meu marido. Amo ter tempo pra nós, AMO viajar, sair, comer fora, passear. Continuar fazendo tudo isso com um filho só é beeem mais fácil do que com dois, simples assim. Sempre tem uma tia, avó, amiga que se dispõe a ficar com a criança..com duas não é bem assim! Vou ter que colocar nossa vida de casal bem mais de lado, não quero isso! Além disso, sou muito preguiçosa, disposição física pra fazer tuuudo de novo? Duvido que eu tenha….e ah, no meu caso, tenho percebido que quem mais cobra o segundo filho são as mães que “se ferraram” tendo o segundo, enlouqueceram, não conseguiram mais dar conta de nada e piraram. Aí parece que querem que todas paguem o mesmo preço que elas pagam…é o que me parece. As que levam numa boa os dois filhos, não me cobram nada, impressionante. rs Portanto, minha firme decisão (até o momento) é parar no primeiro. beijos

    Responder
    1. Patricia (Blumenau - SC) respondeu Fernanda em

      Excelente comentário. Lúcido. Penso como você. Minha mãe teve dois filhos. Perguntei para ela como era ter o segundo. Ela me respondeu: “É não ter tempo para o primeiro”. E eu quero ter tempo para a minha filhota, quero criá-la com muito amor, paciência e dedicação.

      Responder
  53. Ines Alves em

    Tenho 39 anos uma menina de 12 anos será possível ir ao segundo?

    Responder
  54. Juliana em

    Adorei mensagem muito verdadeira !!!

    Responder
  55. Joseane Pessoa em

    será?

    Responder
  56. Danusa Rodrigues Ferreira em

    Então….. Meu filho já tem 4 anos…eu voltei a dançar e pedalar….além de trabalhar fora é claro…..tenho literalmente preguiça de começar tudo de novo…..e meu marido está pressionando muito …me sinto mal…obrigada por saber que não estou só nesse barco hahahah

    Responder
  57. Andréa Rodrigues em

    Michelle que texto é esse??? Ameeeeeeeiiiii!!!!
    Descreveu todos os meus sentimentos em relação a ter um segundo filho. Em tudo literalmente. Necessidade de casa, paciência, dúvidas, idade, cursos etc….Noooooosssssaaa.
    Vivo está situação…já aos 33 anos. E o tempo urge.
    Parabéns pela dedicação e pelo lindo texto

    Responder
  58. Morgana Cconti em

    Tô cm 31 e um filho de 11 anos.
    Tenho vontade de ter o segundo, falta coragem.
    Tbm não quero ter outro beirando os 40.
    Não sei o que fazer.

    Responder
  59. Daniela Araújo em

    Morri de amores por este post!
    Falou direto ao meu coração.
    Falou da dor de ter um filho e também da doçura infinita de tê-lo.
    Vivo este mesmo dilema da segunda gestação.
    E cada palavra sua foi recebida com tanto amor por mim!
    Parabéns pela leveza e acima de tudo pela honestidade com você mesma!

    Responder
  60. Angélica Louise Rocha em

    Minha filha tem 11 anos e em junho nasceu a Lara. É uma loucura, comecei tudo de novo! Mas näo me arrependo. É muito trabalho, mas é muito amor! Amor que multiplica. Agora nossa vida säo as nossas meninas! To cansada, esgotada, mas a infância passa muito rápido. Näo ter o segundo filho por näo ter vontade é louvável. Por outros motivos, é bobagem. Dá trabalho? Muito. Mas é a melhor coisa do mundo!

    Responder
  61. Lorena em

    Eu estou com uma grande dúvida, quero ter outro filho, mais não sei se devo mesmo, já tenho uma, é a Sofia, tem 1ano11meses, eu tive ela, no mesmo caso que você citou no texto, explicando quando teve sua filha, eu não aproveitei muito a gravidez sabe, quero muito outro, mais eu fico imaginando nos comentários dos outros-besta eu né?! – por que realmente, eles sempre falam o que você postou…. O que você acha?! Eu tenho 20 anos.

    Responder
  62. talita em

    Oi meninas!!!
    Tenho a mesma duvida de ter o segundo bebe ou nao…
    Amo meu filhote de 1 aninho e 3 semanas, mas meu problema é q meu bebe nunca dormiu de noite…NUNCAAA…ele dorme sempre de madrugada e nunca a noite toda, vive acordando, e ele ainda mama no peito!!!
    Me sinto cansada e nunca tenho tempo pra mim, pois me divido entre meu bebe e meu marido!!!
    Mas por incrivel q parece ainda sinto vontade de ter mais um, e outras vezes penso q seria loucura!!!
    Sera q estou pedindo demais??
    Sempre me dizem q um bebe nunca é igual ao outro, e q nao devo esperar muito pois quem cria um cria dois…
    Mas meu bebe é um fofo, adora brincar, e nao só tenho uma amiga q tem filho e é 6 meses mais novo…
    Por favor me ajudeeeem…

    Responder
  63. Marcela Rafael Carlos em

    Você falou exatamente o que eu sinto… minha filha tem 09 anos e eu indo pro 31. Ainda estou com muita dúvida. .

    Responder
  64. Vanessa em

    Adorei o assunto,isso perturba minha cabeça,esperar pra ter o segundo filho ou não,tive pré enclampcia na primeira gestação com 18 anos
    Atualmente tenho 22 anos,os médicos me assustam bastante falando que não posso demorar muito pra ter outro filho,porque quanto mais o tempo passa mais riscos posso ter,porém me considero uma pessoa nova pra ter mas um bb.
    Só que estou preparada,em casa somos em 4 pessoas e consigo dar conta de tudo.
    Tenho muitas duvidas.

    Responder
  65. GOmes Pa em

    Estou ouvindo tanto isso ultimamente…estou bem apavorada..

    Responder
  66. GOmes Pa em

    Olha melhor texto que li até agora,quantas duvidas,como é difícil pensar no segundo filho,principalmente apos 10 anos

    Responder
  67. Tania em

    Lindo o texto. Eu tenho uma filha d 13 anos do meu primeiro casamento. É desse segundo casamento fazemos 12 anos d casados em novembro. Com esse atual marido não tenho filhos. Ele tem uma casal d adolescentes tb do primeiro casamento dele. Eu tenho 33anos e ele 45. O maior desejo dele é ter um filho comigo. Mas minhas dúvidas são muito parecidas com as suas. Medo insegurança e começar tudo d novo. Não sei oque fazer. Ele é uma pessoa maravilhosa pra minha filha. Um padrasto nota 10. Aiii minha cabeça da um nó. Bjs adoro seu blog

    Responder
  68. Paula em

    Olá…já se passaram 4 anos. Veio o segundo filho??
    Fiquei curiosa!
    Muita Saúde pra ti!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Paula em

      Sim, ele já vai completar 3 anos :)

      Responder
  69. em

    Olá, eu tenho 28 anos e um filho de 10 anos. Estou pensando bastante nisso, mas não tenho psicológico para começar tudo de novo…então decidi, no momento, parar por aqui.

    Responder
  70. Laryssa marques em

    Quando penso em ter um segundo filho me dá uma agonia. Não quero. O marido quer, mas ele não me ajudou em.nada com nossa filha, tive depressão e so tinha vontade de sumir, e ele lá sentado no sofá vendo tv e tomando cerveja. Fala q se arrepende q ajudará com o próximo. Duvido! Até hj nao vai nem pegar a filha na escola, nao fica com ela nem qndo to doente, eu que me vire. Se ele fosse bom pai eu poderia ate pensar ter outro, mas não é e eu nao quero passar por tudo q passei e passo novamente. Desculpa o desabafo. … kkkkk

    Responder
    1. Cyntia respondeu Laryssa marques em

      Verdade se a gente tivesse certeza que teria o marido sempre alí pronto pra nos ajudar no que precisar., Seria bem mais fácil tomar uma decisão. Ajudar não só em questões financeiras ( pq o meu acha q ajuda é só isso e basta) .. mas no dia a dia.

      Responder

Deixe seu comentário!