13 mar 2011

Livro: Criando Meninas

por Thais Bessa, mãe da Isabella – 12 meses

Escrito pela psicóloga e terapueta familiar Gisela Preuschoff, “Cirando Meninas” é a versão feminina do famoso “Criando Meninos”, escrito pelo igualmente aclamado autor de livros sobre pais e filhos Steven Biddulph (ele alias, escreve o prefácio do “Criando Meninas”). Li o livro no seu original em inglês, mas o livro foi traduzido ao português e está disponível nas principais livrarias do país, inclusive online.

O que eu mais gostei no livro é como a autora nos convida a refletir sobre os nossos próprios conceitos (e pré-conceitos) de feminilidade e dos papéis que associamos e aceitamos em relação às mulheres. O livro é recheado de questionários que colocam o foco na gente, como “quando criança, o que você gostava no fato de ser menino/menina?” ou “quais qualidades você gosta em um/a menino/a?” “o que você espera para a sua filha?”. Esse processo de auto-conhecimento é crucial: somente entendendo nós mesmos é que podemos racionalizar como queremos criar nossas filhas e que tipo de mulher queremos que elas se tornem.

Uma parte muito interessante é sobre o desenvolvimento emocional de nossas filhas. Ela foca bastante na importância de construir uma boa auto-estima, e o papel crucial que o pai tem nesse processo. Uma atitude que todos temos quase que inconscientemente é a super-proteção das meninas, tanto física quanto emocionalmente. Ela destaca a importância de deixar as meninas explorarem e desenvolverem instintos de sobrevivência, assim como se tornarem confiantes na sua própria capacidade e superarem a “síndrome de coitadinha”. Também é importante permitir que as meninas aprendam a lidar com sentimentos “negativos” como a raiva, sem cair no preconceito de que menina deve ser sempre doce e plácida e nunca ficar brava, pois “isso é coisa de homem”.

A autora também fala sobre como a sociedade influencia nossas filhas, e mais uma vez, cabe aos pais evitar reforçar preconceitos. Ela incentiva os pais a terem cuidado e variar os tipos de brinquedos que dão para os/as filhos/as (ir além da Barbie) e utilizarem livros para estimular a imaginação e passar imagens de mulheres fortes e seguras (cuidado com os contos de fadas escolhidos!). Por fim, os pais devem orientar as filhas sobre como lidar com a relação mídia-imagem da mulher e com as restrições impostas pela sociedade, por exemplo saber contestar quando ouvir na escola que não pode fazer isso ou aquilo porque é menina.

A autora dedica todo um capítulo à importante fase de transição para a adolescência e como os pais podem ajudá-la a entender as mudanças físicas e psicológicas, mantendo o vínculo e a confiança entre pais e filhas. Por fim, ela detalha as relações dentro da família, incluindo os atritos comuns entre mães e filhas e como eles costumam estar relacionados à bagagem emocional que as mães trazem de sua própria infância. Ela reforça o papel fundamental do pai como o primeiro modelo de homem na vida de uma menina, e como ele vai ser a referência dela para sempre.

Enfim, é um livro que recomendo para pai e mãe de qualquer menina. O livro ajudou que eu e o pai da minha filha refletíssimos bastante sobre os nossos próprios preconceitos e como evitar passá-los para ela, buscando criá-la para ser feminina, forte e segura de si.

Criando Meninas
Autora: Gisela Preuschoff
Editora Fundamento
Preço médio: R$30,00

Deixe seu comentário!