Categories: Comportamento e Educação/ Crianças

Lidando com os sonhos ruins

mel_ensaio_logo-99

Dias atrás estávamos eu e Alexandre conversando sobre sono e, principalmente, sobre sonhos. Eu contei a ele que era muito raro acontecer de eu sonhar e ele estranhou muito, dizendo que sonha praticamente todos os dias. Depois, claro, lembrei do provável motivo pelo qual eu quase nunca sonho: porque eu quase não durmo! (tenho vontade de rir e chorar ao escrever isso). Mas a verdade é que são poucas horas de sono e menos tempo ainda de sono profundo, já que dormir ininterruptamente por uma noite inteira é algo que não ocorre para mim há anos.

Melanie sonha muito e quase todos os dias acorda ansiosa por me contar o que havia no seu sonho. Já voamos numa nuvem que tinha um botão vermelho para quando quiséssemos descer, já estivemos na floresta todos vestidos como o Tarzan, em festas vestidas de princesa, já viramos gatos, já fomos até para o espaço. Contudo, acontece também da pequena ter sonhos ruins, como a gente prefere chamar por aqui.

Com o tempo, agora que ela está maiorzinha, fui prestando mais atenção ao que acontecia durante o dia e nas horas que antecediam o momento dela ir para a cama. E pude perceber que o que atrapalha os bons sonhos da Mel são os vilões dos desenhos ou animações que assistimos, movimentos ou sequências muito bruscas (falando de filmes adequados para ela, é claro) e figuras ou histórias com partes desafiadoras ou de perda, por exemplo.

Lembro de quando ela assistiu Alice pela primeira vez. Naquela noite, ela sonhou que estava caindo num buraco também. E assim, percebi que ela era exatamente como eu quando criança: bastante impressionável com o que vê, ouve ou presencia. Tive que aprender a lidar com o jeitinho dela. E então comecei a tomar alguns cuidados, para tentar evitar que pesadelos acontecessem – esses que são causados por coisas que ela vê e que podem ser evitados. Uma das coisas foi diminuir o uso das telas, especialmente à noite ou antes de dormir, e evitar contar histórias de livros que tenham algo que possa causar medo nela (somente antes de dormir, de dia é tranquilo e lemos qualquer coisa).

Outra coisa que parece atrapalhar o sono dela é quando estamos estressados ou discutimos, eu e Alexandre. Se nos alteramos um pouco e levantamos o tom da nossa voz, mesmo que ela não esteja junto, acaba ouvindo, percebendo a situação e sendo afetada também. Como o ditado diz que “roupa suja se lava em casa” e isso inclui todo mundo, inclusive os filhos, estamos aprendendo e tentando melhorar por aqui.

“Não foi nada, não tem nada, não precisa ter medo, pode voltar a dormir…”– dizemos, com bastante pressa de também voltar para a cama. Não é assim que nós geralmente agimos assim quando queremos sanar logo um problema que achamos que não existe? Mas dessa forma nós negamos o sentimento da criança, de medo, nesse caso, e ela se sente incompreendida. O bacana é acolher, sempre. “Eu sei que você está com medo, sei que ficou impressionada com tal coisa. Não se preocupe. Pode chorar se sentir vontade de chorar. Mas estou aqui para te ajudar a enfrentar isso, porque você pode, você é forte e corajosa, filha”. É o que normalmente digo em várias circunstâncias.

Quando ela acorda chorando durante a noite por causa de um sonho ruim, normalmente sou eu quem vai até seu quarto para acalmá-la. Muitas vezes ela levanta para fazer xixi, pede água, enfim, acaba despertando um pouco. E, ainda com medo por causa do sonho ruim, ela tem medo de voltar a dormir. Então sempre faço a mesma coisa: peço que ela feche os olhos e apenas ouça a historinha que vou contar. E normalmente falo das coisas que ela mais ama, como o ballet, por exemplo. Vou contando em tom suave uma história onde ela é uma linda bailarina e descrevendo tudo, os trajes, o palco, a plateia, a música, cada movimento e rodopio que ela dá – e até os pequenos tombos que pode cair (porque sim, na vida real, a gente cai). Em poucos minutos, ela já está dormindo novamente, tranquila. E assim vai até o dia seguinte, quando acorda feliz e me diz: “mamãe, eu dormi tão legal!”.

E vocês, como lidam com os pesadelos dos pequenos?

comentários via facebook

4 comments

  1. pois é menina eu sonho as vezes heheheheh…essa noite eu sonhei haushuahs achei ate estranho hahahah…minha filha tema idade do leo faz amanha 1 a10m e sim ela sonha mtoooo fala e briga até ahsuhaus lá em casa somos assim…minha mae é assim irma e assim eu sou assim sobrinhos sao assim de falar ahhahahhaha é ate engraçado temos mtas histórias…..até primos são assim…é de família…uns mais outros menos….mas sempre tem um que fala dormindo….e é exatamente isso percebo que ela sonha mais quando o dia foi mtoo agitado ou nao dorme de dia por exemplo…….bom é um belo jeito de vc acalmar achei bacana ao inves de flara que ta tudo bem…….vivendo e aprendendo…ou melhor lendo e aprendendo…….bea ta começando entrar na fase dos medos…escuta uma barulho….ui que medo mamae……hehehehhee fica com olho arregalado dai falo e só tal coisa e barulho…e ela fala está bem……sim é super falante……ehhehe bjokas adoro seu blog e vcs todos….

  2. Olá, Michele, interessante você abordar esse assunto. Sou muito curiosa e observadora ao ponto escrever situações de rotina que tento modificar. Tenho uma filha de 5 anos e ela desfraldou cedo , com apenas 1 ano e 4 meses. Percebi que ela tomava sustos a noite, e comentava que via “bichos”, falando do jeito dela , claro, rss.
    Daí , depois dos sustos pedia sempre pra fazer xixi. Foi ai que mesmo cansada
    e os médicos falarem que é errado, eu levava ela ao banheiro no meio da noite (sem ela perdi) e não é que funcionou?!!, Kkk
    O tempo passou e comecei a diminuir o consumo de água a noite.
    Hj quando ela tem sonhos ruins, falamos bem mansos sugerindo pra ela fazer xixi e milagrosamente ela dorme como um anjo novamente. Compartilho algo daqui de casa, tomara que sirva de ajuda pra outras mães, mas, …cada caso é um caso ! Rs

    Aproveito pra parabenizar seu blog , por tantos temas legais. Quando lemos seus artigos nos sentimos próximas. Um abracao!

  3. Eu tb notei isto em meus pequenos. Que a cada situação marcante que ocorria durante o dia afetava o sono deles… Eu tb vou até o quarto converso com ele faça o cafune e ele volta a dormir. Geralmente eu falo algo do tipo: volte a dormir não vai acontecer nada pois eu e o papai os anjos estamos aqui pra te proteger. Faça uma oracao pra que seu anjo da guarda te proteja dos pensamentos ruins. E da muito certo.
    Já com o meu filho mais novo como é diferente, pois ele e mais agitado e está semprr disputando o espaço dele com o irmão mais velho… e tudo isso faz com que ele sonhe com suas disputas onde ele grita e chora e solta frases do tipo: esse é meu… solta… enfim… e no caso dele não há diálogo pois ele está dormindo porém nervoso. Si tento acalma lo ele fica mais nervoso. Então só sussurro pra que ele volte a dormir. Ufaaa falei demais… fui. Bj.

comentar resposta para Ari Menezes Cancelar