23 jul 2015

Leonardo e minhas dúvidas sobre a escolinha

Captura de Tela 2015-07-22 às 08.22.18

Muitas pessoas me perguntam se Leo já frequenta a escolinha, se irá em breve e como tenho me preparado para esse momento. Na verdade eu comecei esse post há algum tempo já, mas só agora voltei para finalizá-lo.

Leo está com 1 ano e 8 meses e ainda não vai à escola. Fica aos meus cuidados o dia todo, em casa. Não temos babá, nem empregada doméstica, mas temos uma diarista (uma moça muito querida que vem duas vezes na semana) e isso ajuda bastante.

Eu não consigo pensar nesse assunto ou começar esse post sem lembrar que existem pessoas que simplesmente não tem a opção de decidir se o filho ou filha irá ou não para a creche ou escolinha. Seja por necessidade financeira e/ou por não querer abandonar um emprego bom ou uma carreira que foi conquistada com muitos sacrifícios. Mas que, ao final da licença maternidade – de apenas quatro meses, para a grande maioria – precisam entregar seu bebezinho aos cuidados de terceiros. E que sofrem bastante durante todo esse processo, especialmente em relação à amamentação do bebê. Por isso, há de ser dito: quando há opção, o caminho com certeza fica muito menos tortuoso. Eu tive e tenho essa opção e me sinto verdadeiramente agradecida por isso. Eu não tinha um emprego supimpa com um alto salário, nem uma carreira ou um cargo importante, que eu tivesse lutado, estudado muito para conquistar. Por isso, não tive grandes dificuldades em deixar tudo para trás. Para quem não sabe como isso aconteceu – de eu parar de trabalhar fora – contei aqui.

Feita essa introdução, vamos ao que andava se passando na minha cabeça desde o final do ano passado, onde eu, inclusive, assinei contrato, preenchi ficha e fiz foto 3×4 do pequeno – para matriculá-lo na mesma escolinha que a Mel frequenta desde que tinha 1 ano e 8 meses.

Tenho que contar para vocês que até final de novembro, eu estava convicta de que, sim, Leo iria para a escolinha, somente à tarde, assim como a irmã, no ano seguinte. Mas que, também, depois de entregar toda a papelada na secretaria, eu voltei para casa com ânsia por pensar em tudo que vocês irão ler abaixo.

Esses foram alguns dos meus pensamentos e conversas internas, no início deste ano:

Meu Deus, será que eu coloco Leo na escola? Ele só tem 1 ano e 2 meses… Mel tinha quase dois quando entrou… Mas, por que mesmo a gente colocou ela na escola? Ah, porque morávamos na casa de trás, pequenina e sem espaço externo seguro para ela brincar (estávamos em obra) … Ah, foi por isso. Eu já não tinha mais o que fazer para entretê-la dentro de casa e senti que estava impedindo que ela explorasse e vivenciasse coisas diferentes, mesmo que a gente a levasse para o parque ou para qualquer outro lugar para brincar ao ar livre. Senti que ela precisava de mais… e caramba, foi ótimo! Ela amou desde o princípio e eu não me arrependi por nenhum segundo dessa escolha… porque encontrei o lugar certo – em todos os sentidos – para ela e para nós.

Poxa, mas hoje eu tenho o privilégio de trabalhar em casa… será que não consigo mesmo trabalhar e ficar com o Leo? Algumas pessoas que conheço fazem isso… ficam com os filhos o dia todo e trabalham de noite e de madrugada… (que horas será que essas pessoas dormem??? será que elas dormem? será que tomam energético para ficarem acordadas?) Por que eu não consigo mais trabalhar de madrugada? Por que eu sempre estou com sono? Exausta?

Ah… deve ser porque eu durmo muito mal à noite – de quatro horas e cinco horas, com sorte, e com interrupções – Leo anda acordando direto durante a madrugada, especialmente quando está doentinho.

E de manhã? Porque eu levanto às 7h para trabalhar!  Ah, mas Mel acorda logo em seguida e deixo tudo para atendê-la… Logo Leo também desperta e a manhã se segue num misto de cuidar da casa, deles, preparar e dar o almoço para os dois, arrumar Mel para a escola…

E à tarde? Ah, depois de deixar Mel na escolinha, coloco Leo para tirar a sua soneca que, com sorte, durará pelo menos uma hora e meia. E é justamente essa uma hora e meia que terei para escrever novos textos, revisar os pendentes, escrever aqueles que preciso mandar para aprovação, fotografar, baixar as fotos, editá-las, responder as centenas de e-mails que chegam todos os dias, os comentários, as mensagens, atualizar as redes sociais… a criatividade e a inspiração tem que estar aqui nessa uma hora e meia em que ele estiver dormindo. Mas, infelizmente, não funciona assim. Como é ruim escrever na pressão de que a qualquer momento você terá que parar, mesmo se estiver no auge da sua inspiração… Poxa, é verdade… não consigo fazer nem um terço do que preciso em uma hora e meia…

E à noite? Ah, à noite fico envolvida (eu e Alexandre) com o jantar, algumas brincadeiras, muitas coisas inesperadas que acontecem ao mesmo tempo, o banho e por fim, a hora de dormir… vou eu então para o banho e, quando finalmente penso em sentar para escrever, o que acontece? Estou como um zumbi, caindo de sono, pescando em frente à tela do computador… não sai nada… E no dia seguinte, um novo ciclo desse se inicia… e assim vamos… 

Hum… deixa eu ligar lá na escola… Quantas crianças serão na sala do Leo? Doze? Ah, e quantas professoras? Três? Bacana! E quem são? Jura? Eu a conheço bem, ela foi professora da Mel no maternal I também, um amor!

Será que ele vai gostar? Hum… Acho que sim, né? Crianças da mesma idade para ele brincar, espaços novos e seguros para explorar, espaço externo bacana, atividades lúdicas para ele vivenciar…

Mas e quando um amiguinho empurrar ou morder? Ou tomar o cheirinho dele e sair correndo? Ai, coitadinho. Ele é tão pequeno… Vai sentir muito a minha falta, falta de casa, das coisinhas dele, do pai… 

E as coisas que eu vou perder nesse tempo que ficarmos longe? As carinhas novas que ele faz a cada dia, as descobertas, as peraltices… Quero acompanhar tudo isso de perto, não quero perder nada… 

Mas serão umas quatro horas apenas… Teremos a manhã toda, final da tarde e parte da noite… E talvez ele até durma melhor… Por estar mais cansado.

Putz, mas o primeiro ano na escola é punk. Eles ficam doentes direto! Imagina o Leo… Super alérgico, com essa rinite que qualquer coisinha vira rinusinusite… Fora a APLV… Se bem que com isso não precisaria me preocupar porque o cardápio da escola já é planejado para atender as crianças alérgicas… E quanta coisa bacana é feita lá! Leo que é bom de garfo ia adorar…

Mas… será que eu não consigo meeeeeesmo me organizar melhor para conseguir conciliar o Leo em casa e o trabalho? …

Qual seria o impacto dessas quatro horas e meia na escolinha, na vida dele? Hum, não há como ter certeza… Ele iria sentir a minha falta, principalmente… Contudo, eu sei que, por mais que os pais sejam sempre o porto seguro da criança, eles também curtem novas aventuras, descobertas e pessoas. Mas será que ele precisa disso agora? 

E qual seria o impacto de ter essas quatro horas e meia para efetivamente trabalhar, pensar com tranquilidade, ter alguns momentos sozinha, na minha vida?  

E assim se passaram muitos meses. E eu continuo com as mesmas dúvidas e indagações em relação à escola e ao que meu filho precisa, além de nós.

Não tem sido fácil e acho que isso fica bem claro para quem me acompanha aqui no blog. Eu realmente tive que deixá-lo um pouco de lado porque não estava (não estou) dando conta de me dedicar a ele como eu gostaria, como seria necessário. Leo tem demandado muita atenção. Está naquela fase de querer fazer tudo sozinho, inclusive, aquilo que seu tamanho e desenvoltura não permitem ainda. Sobe nas cadeiras para tentar subir na mesa, fica em pé no sofá e ameaça pular, tenta abrir todas as portas e gavetas (até as que possuem travas), enfim, coisas normais de uma criança ativa e saudável. Fora o colinho, o chamego, a companhia para brincar, que ele está acostumado a ter sempre que precisa.

Ainda me preocupo muito com a questão da saúde dele, já que recentemente reconfirmamos, por meio de exames de sangue, que ele é uma criança muito alérgica (especialmente a pó). Porém, sua imunidade está ótima, o que era o meu maior receio desde que ele começou a ficar doente constantemente.

Ter uma babá nunca fez parte dos meus planos, não sei dizer bem o motivo. Talvez pelo fato de gostar e confiar tanto na escolinha que a Mel frequenta. Talvez por achar que não me sentiria a vontade com alguém o dia todo aqui em casa. Talvez por não ter achado a pessoa ideal. São muitos os motivos. O fato é que, acabo preferindo a escolinha.

A maioria das pessoas me diz que eu realmente preciso desse tempo e que ele irá adorar passar umas horinhas com outras crianças, fazendo atividades bacanas que nem sempre podemos vivenciar em casa. Mas ainda não me decidi. Talvez ele vá no início de setembro, em que o inverno já vai deixando de ser tão frio. Até lá, continuo pensando, tentando me acertar com os prós e os contras do home office e, principalmente, curtindo essa pessoinha aqui do meu lado. Vamos ver o que meu coração me diz mais para frente.

28 comentários no blog

  1. Eliana em

    Mi…
    Estou passando pela mesma fase que vc, minha filha mais nova de 1,6 vai agora em agosto pra escola do irmão mais velho de 3 anos. Ele foi com 2 e 2 messes. Eu também senti um super frio na barriga na hora que eu fiz a matricula, uma mistura de tristeza com felicidade, que não sei nem explicar. Pensei até em voltar atrás quando conversei com uma amiga psicóloga e ela disse o seguinte ” você está assim pq é seu último filho, depois disso será vc com vc de novo, a quanto tempo isso não acontece?” Parei pensei e analisei ” meu bebe cresceu , ainda é um bebê mais tá crescendo, daqui a pouco será uma criança com vontade própria, e cada dia dependerá menos da gente. Será que estamos preparadas pra lidar com isso?”
    Faça o que seu coração mandar, mas lembre-se também que o caçula geralmente é muito mais desenvolvido e espero que o mais velho, que já entrou mesmo que por tabela com as viroses da escolinha, e principalmente vc voltará a ter um tempo só seu, um tempo que nós mães de dois precisamos tanto e nunca nos damos conta disso .
    Um beijo grande!
    Eliana

    Responder
  2. Tati Carvalho em

    Ei Michelle,
    assim como você, tenho a opção de escolher sobre colocar ou não na escolinha! Desde a gravidez da minha Luana tenho alguém em casa, a quem costumo chamar de meu “anjinho sem asas”. Ela cuida da Luana pra mim, enquanto trabalho (meus horários não são rígidos e nem puxados). O fato é que, por estar comigo desde a minha gravidez, e também pelo fato de eu ter voltado a trabalhar somente aos 10 meses e meio de vida da minha boneca, pude fazer com que o meu “anjinho sem asas” se adaptasse direitinho àquilo que eu queria pra minha filha! Luana está com 2 anos e 2 meses e nem de longe a ideia da escolinha passa pela minha cabeça! Só gostaria de colocá-la aos três anos de idade, mas sei que vou ter dificuldades em relação à isso. Enfim… vou tentar mais um pouco! Ela fez natação durante um tempo (para socialização), moramos num condomínio fechado onde existem muitas crianças que sempre se encontram nas pracinhas e se visitam em casa! Hoje, por exemplo, participou de uma oficina infantil onde houve pintura, desenho, massinha… E assim vai! Vou buscando programas para que a vida dela não fique muito “paradinha”! rsrs… Se o seu coração ainda não pede totalmente pela escola, não o leve! Espero que tenha ajudado de alguma forma! Beijinhos pra sua duplinha,
    Tati Carvalho
    Ah… Procura pela minha princesa no insta! Vc vai gostar de conhecê-la!

    Responder
  3. Gabriela em

    Olá Mi…
    Adorei o post.
    Tenho uma princesa de 6 meses e quando estava grávida eu e meu marido decidimos que ficaríamos em casa até ela completar um aninho. Eu não tenho ninguém para me ajudar, meus pais não moram muito perto e não tenho nenhum parente próximo, sou eu e ela durante o dia e a noite meu marido chega e nos faz companhia, brincamos… Em relação aos afazeres de casa também não conto com a ajuda de alguém para me auxiliar, pois financeiramente aperta demais para nós.
    As vezes sinto a necessidade de ter um tempo para mim, porém só de imaginar perder tudo que estou acompanhando já me sinto triste…acompanhar os nossos pequenos crescendo não tem preço e sou grata ao meu marido e a Deus por isso. Estou vivendo os melhores momentos da minha vida e aproveito ao máximo, pois sei que será passageiro, pois só a com a renda do meu marido não dá não… hoje estou no seguro e com reserva no banco…mas dinheiro acaba e rápido demais.
    Já estou trabalhando em mim que ano que vem será um ano diferente, pois terei que voltar ao mercado de trabalho e na minha área infelizmente não tenho a opção de trabalhar meio período…mas estou feliz por acompanhar boa parte do seu desenvolvimento, pois a realidade de muitas mulheres é escolinha a partir dos 4 meses e todas minhas amigas colocaram seus filhos na escolinha super cedo.
    No seu caso quem sabe fazer um teste, ir levando aos poucos até que você e ele se acostumem com a rotina, você vai ver tudo vai dar certo. E com o tempo tudo entra na rotina, afinal, o que importa é a qualidade de vocês quando estão juntos.. E pense que será algo bom para ele, é bom brincar com outras crianças, participar de atividades… e que legal que tens a opção de coloca-lo em uma escolinha que já conheces…
    Mas como foi mencionado, talvez pelo fato de ser o segundo filho os sentimentos são outros…ainda não passei por isso….mas te desejo boa sorte e tudo vai dar certo.
    Bjs

    Responder
  4. Fabiana em

    Oi Michelle.. Esse assunto rende né!! Olha eu tenho uma filha que hoje está com 8 anos e um bebê de 3 meses. A Amanda minha primeira filha coloquei na escola com quase dois anos… mas hoje com o Leonardo o menor vejo o mundo completamente diferente…. ele não irá pra escola antes que seja necessário (obrigatório). Veja num mundo onde é tudo terceirizado nós que podemos ficar com os filhos somos privilegiadas, hoje pra mim essa história de que tem que ir por causa de socialização é jogo de marketing, falo pois trabalhei numa escolinha com crianças de maternal e consegui ver o outro lado da moeda. Pena que ai a Amanda já estava com quase 5 anos e vi que deveria ter ficado mais com ela em casa. Hoje tudo passa tão rápido… na minha opinião criança tem que ficar com mãe e pai o máximo possível…depois que a gente deixa eles na escolinha e vira as costas tudo é diferente não tenha duvida…

    Responder
  5. Tami em

    Mi do céu!
    Eu simplesmente NÃO ACREDITO que com o segundo filho é assim? (vou chorar) Jurava que o segundo ffosse mais fácil… mimimimimi (to querendo MUITO um irmão(a) para o Otávio)
    Sabe, tudo isso que tu escreveu sobre o Léo, eu senti com o Otávio. Mas olha só, a Mel foi! Tu já tem essa experiência, vai doer no primeiro mês, talvez no segundo também… mas as coisas engrenam! Uma hora ele vai ter que ir, em relação as doenças… é isso aí mesmo, adoeceu tem que tratar, de novo e de novo. Por mais que isso seja horrível (Otávio passou esse ano com asma) eles precisam desse tempo longe! Pra amadurecer, e pra explorar tudo de bom que tem fora de casa! O Otávio também começou com 1 ano e 8 meses!!! :)

    Beijos… fica bem! Relaxaaa!

    Responder
  6. Priscila Klein em

    Oi o meu filho começou ir à escolhinha com ano e 5 meses, foi melhor coisa que fiz, é pra ele se desenvolver e aprender comviver em sociedade.

    Responder
  7. Priscila Klein em

    1 ano e 5 meses

    Responder
  8. Thelma em

    Um texto tão sincero…
    Muito legal vc colocar suas conversas internas. Todas nós as temos, certo?
    Estou certa de que a sua decisão está sendo a melhor pra esse momento e será a melhor quando chegar a hora. Vai dar tudo certo!
    Boa sorte! ?

    Responder
  9. Milene em

    Tenho certeza que essa energia toda do Leo vai ser muito bem canalizada na escolinha!
    Ele vai adorar!!

    E você está cansada… E tem todos os motivos para isso!

    Tô achando que essas quatro horinhas de separação vão ser bem interessantes para vocês dois, viu!
    Boa sorte na decisão!

    Responder
  10. Natália dias em

    Oi mi!Primeiro, fique tranqüila a hora q o seu coração de mãe estiver pronto vc vai saber q o Léo tbm vai estar pronto!Olha ,não sei não, mas meus filhos (Melissa 4 anos e Arthur 1 ano) são muito parecido com os seus filhos, a melissa foi p escolinha com 3 anos,o Arthur está com 1 e já penso (só penso) em colkxa

    Responder
  11. Natália dias em

    Nossa esse teclado meu ta uma maravilha…. Continuando, penso .colocar o Arthur pelo mesmo motivo ,trabalho em casa com encomendas e não estou dando conta ele é muito bagunceiro,muito mesmo! Então como o tempo passa muito rápido, me tranquiliza saber q quando eu piscar os olhos ele já vai estar pronto e eu tbm!Assim como vc e o Léo….

    Responder
  12. Michele em

    Mi,
    Me sinto tão íntima de ti, que já considero uma amiga. A maternidade tem umas coisas muito interessantes,e o instinto materno está lá, esse sim nunca falha.
    Somos muito parecidas, também trabalho em casa e também fui mandada embora após a licença maternidade. Mas a verdade e que meu emprego, mesmo sendo muito importante, nunca foi em um cargo muito alto ou relacionado a minha formação. Junto com isso o desejo de ser mãe em temo integral e curtir essa fase era muito alto em mim. Não foi difícil escolher.
    Mas eu nunca me senti muito tranquila em relação a escolinha. Meu filho foi para a escola com um ano e meio, mas por pressão social e por não conseguir conciliar casa/comida/filho mesmo.
    Não gostei da experiência, eles chegavam e praticamente brincavam de massinha e faziam lanchinho. A gota d’água foi a professora dizer que meu filho arrumava a sala com ela enquanto os outros bagunçavam. Era uma escola particular e tudo era dinheiro sabe? Era festa tal e dinheiro, dia dos pais dinheiro…mas dinheiro nunca foi o problema, a gente vivia bem financeiramente, mas vi um comercio ali e não uma proposta pedagógica.
    Bom com essa experiencia e a bebe a caminho não matriculei ele na escola no outro ano. Vi muitas escolas mas o fator grana agora começava a pesar, com outro a caminho. Nesse meio tempo descobri a miopia dele que é altíssima (uns sete graus) e entendi o fato dele não se interessar muito pelas outras crianças.
    Ele voltou esse ano, com três anos e uma escola com uma linha pedagógica muito bacana. Ele tem bolsa integral e é uma escola que inclui sabe? Antes das férias ele deram um cd pra gente com as fotos…foi atividade todo dia!!! Ele floresceu nessa escola, ele gosta de ir pra escola e ama a professora.
    Eu sofri muito nesses dois anos com essa insegurança sabe? Já matriculei nele um dia e voltei no outro dia cancelando nesse ano que ficou fora. Não me sentia segura.
    Ouvi uma frase de uma nova amiga que define muito bem isso: “filhos vêm com uma bula, a gente sabe qual é o que vai dar trabalho”. O meu foi o mais velho, muito alérgico e extremamente tímido, com miopia e não falava. Está na phono hoje e está começando a se soltar com seus coleguinhas. A professora é muito paciente com ele e a direção comemora cada crescimento dele sabe? Eles realmente se importam.
    Ficar comigo em casa só fez bem a ele, afinal é o meu filho e eu amo sua companhia. Temos uma relação bem próxima e é muito confortante pra ele ficar em casa comigo. Fora que naquela escola ele vivia doente e na atual ele não ficou doente o semestre inteiro.
    Confie no seu instinto e fique com Leo mais tempo em casa. Não o compare com a Mel, você era diferente, ela é diferente e estavam até em uma realidade diferente. Se abra para outras propostas pedagógicas. A escola do nando usa como base o construtivismo, amei saber que lá não tinha televisão. Que o lanche é feito por nutricionistas bem rígidas e eles são muito estimulados seja por artes cênicas, arte, literatura. Tem aula de musica e os brinquedos são todos de madeira.
    As reuniões com as famílias são mensais e não tem que pagar nada por isso. Lá não se tem o hábito de comemorar datas religiosas, e as crianças são estimuladas a fazer os presentes, o que acho bem divertido.
    Eu ando pesquisando muito sobre a linha montessori e construtivista e entendi que as crianças não precisam ter um mar de brinquedos e ficarem no tablet e vendo televisão para não dar trabalho. Ou que tenho que viver para suprir as necessidades deles, mesmo que isso seja sufocante.
    Hoje entendo que eles gostam de companhia e procuro incluir-los no que estou fazendo. Tarefas domésticas, compras e até resolver um assunto no shopping fazem parte da rotina. Mas temos nossas horas juntos para as atividades em família.
    Não se cobre demais, você é uma ótima mãe, só precisa relaxar um pouco….serão dezoito/vinte anos bem acompanhada. O resto sempre se adapata. Um grande beijo!!!!

    Responder
    1. Ludmila respondeu Michele em

      nossa que bacana seu comentário…….eu penso exatamente em por minha filha na escola depois dos tres anos senao com quatro anos ou direto no primeiro aninho…….vamos ver ate quando a babá pode ficar com ela e vou deixando…..pois minha filha é mto independente já com 1a e 7 meses e desenvolvida…fala mto bem..e canta e desenha e brinca sozinha…..acho que as vezes ficamos mto ansiosos e acabamos mtas vezes antecipando as coisas……..mas achei mto bacana a tua experiência de esperar e perceber que agora nem doentinho seu filho fica pois ja tem um imunidade ja desenvolvida e forte,……eu nao fico em casa mas fiquei mto aliviada de encontrar a babá que pode ficar com a minha filha…..e raramente ela fica doentinha…….entao pra nós está otimo…..e como vc mesma disse essas escolas mtas vezes é um comércio…….nao critico quem deixa pois nem sempre tem pessoas em que confiam ou podem ficar em casa mas penso que se puderem ter outra opção vale a pena….agora ainda mais co0m seu depoimento sei que estou no caminho correto.

      Responder
  13. Lelê Back Vieira em

    Nossaaa, me descreveu por completo!!! Meu pequeno também tem 1 ano e 8 meses e tentei levá-lo no inicio do ano mas desisti quando vi ele chorar. Pensei, pra que este sofrimento agora? Quem sabem mais tarde quando entender…. tbem pensei em setembro…mas parei de me martiriza com isso. Sim, pq me sinto culpada de não envolver ele nesse tal meio social que tanto defendem. Mas depois de muitas leituras sobre desenvolvimento infantil e de seguir meu coração cheguei a conclusão de que ate 2 anos e meio o melhor lugar é no convívio familiar, seja mãe, pai ou avós. Vc faz certo ficar com ele, já que tens esta disponibilidade. Quanto ao trabalho, uns ajustes aqui, uns ali e no fim tudo da certo…nossos filhos crescem rápido demais, o trabalho? Ah esse podes ter certeza que vai estar sempre ali te esperando pq oq é feito com amor não se acaba assim tão rápido!!! Beijos e adorei seu post!!

    Responder
  14. Eliane Nunes Farah em

    Difícil mesmo. Parei minha vida para cuidar do meu filho que agora está com 2 anos e 6 meses, somos muito grudados, mas sinto que este é o momento de colocá-lo na escola. Encontramos uma que adoramos e ele está entusiasmado (ao menos por enquanto) e eu com planos profissionais que não conseguiria colocar em prática com ele o dia todo em casa.
    De qualquer forma será corrido para mim, pois pretendo trabalhar e continuarei sem tempo para mim, pois pretendo ficar com ele a tarde.
    Creio que sentimos o momento, deles é nosso, mas de qualquer forma dá um aperto no coração e saudade antecipada.
    Boa sorte para vocês

    Responder
  15. Flávia em

    Como sou funcionária pública, voltei a trabalhar aos 10 meses do meu filho. Eu e meu marido escolhemos bem a creche e ainda assim foi sofrido. A rotina é desgastante pois desde que meu filho entrou para a creche começaram as doenças mas como ele AMA ir para lá! Ele tem 1 ano e 4 meses e se desenvolveu muito, canta, faz as dancinhas, tem aulinha de música (os bbs amam!), pinta na parede, coisa que em casa nem pensar, rs… fora os brinquedos, o parquinho… E quanto às doenças, se ele for à escola mais tarde, vai passar lá na frente o que está passando agora porque qualquer criança novinha, de qualquer idade, sente o baque de uma exposição que antes não tinha. Eu não tive escolha porque meu trabalho nem pensar em poder largar mas, vendo a empolgação do meu filho, mesmo que trabalhasse em casa, mandaria mesmo que de vez em quando. É a minha opinião. Bjs

    Responder
  16. Renata em

    Oi,
    Estou passando pelo mesmo, ando mto angustiada quanto por ou não meu filho de 11 meses na creche, mesmo as creches daqui sendo muito boas, no momento minha mãe está cuidando mas já não está dando conta ( meu Davi é uma criança saudável e bem sapeca), tenho cogitado essa ideia mas tenho dúvida ainda, meu filho mais velho de 7 anos não precisei colocar na creche, mas em compensação é muito dependente da minha mãe e de mim, quero ser diferente com o Davi mas sem me sentir culpada por estar tratando ele diferente do irmão…é difícil a decisão e também estou trabalhando muito essa ideia, vamos ver daqui mais alguns meses.
    amei o post…bjos

    Responder
  17. Ludmila em

    aii michele essa decisão nao é facil e muito menos simples…..bom enfim….. minha realidade é utra deixei minha filha com 6 meses na casa da babá…e fiquei mto mto aliviada por nao ter que deixar na escola…….sei que tem toda essa questão de outras crianças e socialização e enfim mtas coisas…mas eu quis babá pra quando eu estivesse fora pra ela ficarm “em casa” é na casa da mulher mas so cuida dela ela fica mais proxima ao trabalho do meu marido mas nunca precisamos ir lá…….correndo…enfim como o Leo tem todas essas particularidades com a saúde acho sinceramente desnecessário a escola agora…..ele tem a irmazinha……deixa ele ficar maior e mais fortinho…..aqui em curitiba o problema nao é nem o frio e sim a variação de temperatura se fosse friozao sempre nao teria problema ou calor semrpe…agora essa variação de temperatura influencia mto…..bom…minha opiniao vou deixar minha filha até quando der com a babá….ela se desenvolve super e fala mto e sabe mto nao está fazendo falta a escola…talvez vc contrate a bebá por meio período e isso te ajudará a desesnvolver tuas atividades mas nao tira ele de casa……pq depois que começarem a ir pra escola nao param mais por mtos mtos e mtoss anos…..entao…..eu apoio a ideia da baba nao o dia todo mas meio período entao pra te desafogar um pouco….bom essa pe a minha opiniao a ideia da escola nao me agrada por isso passará mtos anos la entao nao precisa pressa ne…….bjinhos e boa sorte na tua escolha…..

    Responder
  18. Juliana em

    tô num dilema bem parecido. a diferença é que tenho só 1 filho e não trabalho.
    Desde que o meu Leo completou 1 ano ouço comentários sobre escola. a minha própria mãe diz que ele ja devia frequentar uma.. tudo para que eu pudesse ter tempo pra mim. mas veja só, tempo pra que? pra dormir? pra limpar a casa? pra ir na academia?

    Agora quando ele completou 2 anos, q era a data que eu havia estipulado para matricular de vez o Leo na escola, comecei a me refazer essas perguntas.. e aí veio de novo as indagações. pra que mesmo? pra que por o Leo na escola?

    Pra mim o Leo está ótimo comigo. dá um trabalho fud*do mesmo. normal. mas as vezes penso que tudo isso era totalmente previsível, era óbvio que seria assim. Ele já é um rapazinho, mas ainda é tão bebê. não tenho coragem de pô-lo na escola apenas pra ter algumas (poucas) horas pra mim.

    Sei que nossas situações são completamente diferentes e só você juntamente com a família saberão tomar a decisão.. mas siga a tua intuição de mãe, Mi! Se acha que o Leo ta bem contigo, continua.. as vezes o que mais nos consome (pelo menos por aqui é assim) é o trabalho de casa mesmo.. louça, roupa.. tem dias que olho pra pia e dá vontade de chorar! e quando vejo que o Leo quase nao tem mais calça pra vestir que lembro da pilha de roupa pra passar. é de sentar e chorar mesmo. esses momentos sao deprês. eu gostaria mto de ter alguem pra me ajudar com tudo isso, iria desafogar minhas mágoas de dona de casa com certeza.

    bom, ja escrevi demais! beijão pra vocês!

    Responder
  19. Tere de Liz em

    Oi. Acho que Léo vai gostar bastante. Meu filho tem 1 ano e 7 e ama escola. Nunca quer ir embora. No início pensava tudo isso mas agora vejo quanto foi bom para ele até mais calmo está. Sem falar que precisamos de umas horinhas nossa.

    Responder
  20. Luma em

    Nossa Michelle, sempre leio seu blog e nunca tinha comentado. Infelizmente na minha situacao eu nao tenho escolha!! Meu bebe tem 4 meses e ja tera que ir pra creche, to com uma dor infinita no coracao. Mas so o salario do meu marido nao da. Detalhe que ele nasceu de 33 semanas, pelo tamanho nao da pra perceber, ja que ele é um bebe gigante, mas acho ele mt grudadinho cmg ainda sabe, principalmente porque ele so mama. Cara, se eu tivesse escolha meu bebe so iria depois dos 2 anos ou 3 que é quando eles se relacionam entre si de verdade, antes disso papo furado pra aliviar nossas culpas e para o grande negocio que se tornou uma creche/escola.

    Responder
  21. Mirela Costa em

    Michelle, esse assunto é um dilema… Coloquei Heitor no berçário com 9 meses, mesmo eu não estando trabalhando fora, para que eu pudesse ter essas 4 horas do dia para mim, para fazer as coisas que eu gostava e cuidar da casa, já que eu tbm não tinha ajuda. Após 2 meses, voltei com ele pra casa. Adoeceu demais e eu não dei conta das noites mal dormidas. Logo eu estava grávida de novo e quis que ele ficasse comigo e a irmã em casa. No final do ano passado arrumei uma empregada e foi ótimo, pq eu estava entrando em colapso de cuidar da casa, deles, do marido, de mim… Decidi que ele precisava de crianças da idade para brincar e desenvolver a fala, já que nós entendíamos tudo o que ele queria sem que ele precisasse dizer nada. Com 2 anos e 2 meses ele voltou para a mesma escola e não me arrependo. Apesar de continuar a adoecer e trazer para a irmã. Ele ama a escola. Há 15 dias ele tirou as amígdalas e a adenoide e já tem 20 dias que não vai à escola. Todos os dias ele pede para ir pra “colinha”. Agora a Bruna está com 1 ano e 3 meses e penso em colocá-la no ano que vem, quando ela terá a idade do Leo. Acho que ela vai sentir minha falta, pois é muito agarrada comigo, mas acho tbm que ela vai amar brincar com as outras crianças!

    Responder
  22. Vânia Andrade em

    Ahhh….Não.
    Não o ponha agora na escolinha, se você tem condições de ficar com ele mais um pouquinho, aproveita. Espera mais um tempo. Esses momentos nunca mais irão voltar.
    Escolinha nenhuma neste mundo será melhor que o lar dele e sua mãe, digo isto nessa idade 1 ano e 8mes, mais pra frente você o matricula, pois chegará a fase que ele mesmo vai pedir, vai ir sorrindo para escola. Espera mais um pouquinho….

    Responder
  23. Carolina em

    Oi Michelle!

    Descobri seu blog por acaso e acabei de ler esse seu post.
    Engraçado como tudo é relativo e cada mãe vivencia experiências diferentes.
    O importante é você não ir na justificativa de ninguém! Seguir o seu coração e sua intuição, que nunca deixa a gente, principalmente quando se trata de filhos :)
    Isso foi o que fiz com meus meninos e nunca me arrependi. Faço o que sinto ser certo pra nós e não dou ouvidos ao que outras pessoas “mais experientes” queiram me dizer ser o correto.
    Ouça a si mesma, aos seus sentimentos. Quando a gente ouve demais os outros acaba entrando em muitas situações que nos machucam e aos nossos queridos.
    Confie no seu próprio instinto maternal no que concerne seus pequenos e deixe os outros pra lá. Justificativa alguma vai substituir o que seu coração te diz :D

    Um abraço!

    Responder
  24. Mei em

    Não é uma decisão fácil… O Mathias começou a frequentar a escolinha com 1 aninho (hoje com 1a5m). Consigo, nestes 5 meses, observar pontos positivos e negativos. O que faz com que ele permaneça na escolinha é que vejo muito mais coisa positiva acontecendo com ele e nossa rotina. Moro em Itapema/SC longe de todos os familiares e portanto este meio período que passa na escolinha é uma oportunidade de resolver todo tipo de pendência e necessidades do dia a dia. O mais importante é que o Mathias amou a escolinha desde o primeiro dia, nunca chorou pra ficar… a profe é uma pessoa maravilhosa e confiável, a estrutura da escola é segura e divertida, gosto da interação com outras crianças já que em casa somos só eu e meu marido. Gostaria de ter mais espaço para as crianças brincarem, já que não é um colégio grande e eles ainda tem muito pra melhorar na questão dos lanches e jantinhas (isso não acho 100%). Mas tento compensar com uma alimentação saudável em casa. Nas manhãs passeamos na orla da praia… quando está mais quente brincamos na areia.
    Sempre me questiono se estou fazendo a coisa certa, se posso melhorar a rotina do pequeno de alguma forma. Dúvidas, eternas!!! Mães…

    Responder
    1. Mei respondeu Mei em

      Ahhhhh… acho que o Leo vai amar… ainda mais agora que está maiorzinho.
      Porque tu não faz um teste?
      (bem metida aqui) rssss
      Bjxxx

      Responder
  25. Tatiana em

    Minha filha foi para a escola com 5 meses e meio. Eu tinha a opção de babá ou escola, mas tinha que voltar a trabalhar… E optamos pela escola e eu acho que foi a melhor decisão!!
    Acho que a escola ajuda em muitas coisas e vou fazer uma listinha para ajudar na decisão:
    – socialização: óbvio, a criança aprende a conviver e a ter regras – em casa, sempre é mais difícil impor regras
    – energia/atividades: é impossível em casa a criança ter tantos estímulos, gastar tanto sua energia qto na escola
    – tv/ipad/afins não entram: se for uma boa escola, a criança não vai passar o tempo sentada em frente a uma tela… que é o que acaba acontecendo por mais tempo quando fica em casa
    – alimentação: sem dúvida, uma das melhores partes! na escola, a criança aprende a comer de tudo e fica bem menos seletiva
    – amizades: minha filha fala com muito carinho nos amigos (hoje ela tem 3 anos) e eu acabei ficando amiga das mães tb! muito bom para nós

    Lógico que há pontos fracos, mas ainda acho que umas horinhas na escola fazem um bem danado para a criança e para a mãe!! bjs e boa decisão!

    Responder
  26. Graci em

    Olá, em qual escola estuda a Mel? Estou procurando escolas… aiaiaia como é dificil, já visitei umas 30…. eu não tenho muita opção, queria ficar com ela, pelo menos até completar um ano, mas precisei voltar para o trabalho… me sinto muito mal por isso.. ainda mais que é minha primeira e, talvez, unica filha rsrs. Se quiser, me responda por email :) obrigada Beijos

    Responder

Deixe seu comentário!