Categories: Maternidade

Isthar – Espaço para gestantes

 

 

Fui a primeira da minha turma a engravidar e me senti, em alguns momentos, um pouco desamparada. Sentia falta de conversar com quem estivesse, como eu, “monopapo”, só querendo saber de fraldas e bebês.

Por volta da metade da gravidez conheci o Isthar – Espaço para Gestantes. As reuniões já aconteciam em diversas cidades do país (Brasília, Fortaleza, Recife, Sorocaba, Divinópolis, Rio de Janeiro e Belém) e havia acabado de ser criado em BH. Fui ao primeiro encontro e fiquei absolutamente fascinada.

Trata-se de um grupo de apoio para gestantes e mães, que auxilia na preparação para o parto e o pós-parto. O ambiente é maravilhoso: um milhão de barrigudas, bebês e crianças. Mães de primeira viagem, outras mais experientes, algumas em tempo integral, outras atoladas de trabalho, mas com algo em comum: todas empenhadas em fazer o seu melhor pelos seus filhos.

Nos encontros, as mulheres relatam como foram suas experiências de parto, antes que ocorra uma palestra sobre um tema pertinente à gestação, sempre tendo como norte as evidências científicas e as preconizações da Organização Mundial de Saúde. Há pesquisas que sugerem que mulheres que participam de grupos de apóio relatam experiências de parto mais gratificantes. Isso faz todo o sentido para mim.

O Isthar contribuiu para que eu vivesse minha gravidez intensamente, além de ter me dado acesso a informações imprescindíveis sobre parto e “maternagem”, me tornando mais apta a decidir como eu queria que meu filho viesse ao mundo. O grupo foi essencial para que o parto fosse um momento prazeroso para mim e para que o João nascesse de forma respeitosa.

Preço: é grátis!!!!

Conclusão: toda grávida merece um Isthar para chamar de seu!

***

PS: Se você conhece algum serviço ou lugar assim em outras cidades, compartilhe nos comentários! Obrigada :)

Blog da Gabi: http://dadadablogdotcom.wordpress.com/

comentários via facebook

18 comments

  1. Gabi querida, que bom que o Ishtar pode acrescentar à sua experiência de gestação, parto e maternagem, sabe que tudo é feito com muito carinho, não é?
    Que mais e mais mulheres tenham a chance de encontrar companhia para que a experiência dessas vivências seja rica e maravilhosa!

  2. Que singelo esse post, Gabi. Verdadeiro presente de aniversário para nós, né?! :) Adorei a conclusão e fico muito feliz de saber que você sente assim, que o Ishtar é seu! Pessoalmente agradeço pela confiança e o carinho de sempre e em nome de todo Ishtar agradeço por compartilhar sua vida e ter adotado essa ideia no seu coração tb! Sabemos que podemos contar com você para proporcionar a mais e mais mulheres esse apoio que é tão importante! Bjos no seu coração e nos vemos no domingo pra cantar parabéns e soprar a velinha!
    PS: O Ishtar é um GAPP (Grupo Apoiado pela Parto do Princípio). Acho que já tinha dito isso no post sobre doula, mas falei tanta coisa que a info deve ter se perdido! kkk Aqui http://partodoprincipio.blogspot.com.br/2009/11/teste-2.html tem um lista dos GAPPs pelo Brasil. Em Curitiba tem o GestaCuritiba, coordenado pela querida amiga Paty Bortolotto.

      1. Ei Michele, não precisa ficar grávida para começar a participar. Muitas informações sobre maternidade costumam ser partilhadas, especialmente se tiver um grupo virtual também. Além de tudo, quanto mais multiplicadoras de boas práticas qualquer pessoa puder ser, melhor. Se você tiver um tempinho, procure começar a participar. Beijos.

        1. É verdade Polly! Ainda mais depois de ler o depoimento da Katia ali em baixo. Esqueci que mesmo não estando grávida, eu sou mãe! E como ela escreveu muito bem, como é difícil essa tarefa.

          Vou me informar melhor e começar a participar sim :)

  3. Gabi, eu acompanhei este processo e achei super bacana grupo ishtar! Eu sou testemunha do quanto você se sentiu acolhida e feliz durante a gestação! Tudo fica mais fácil quando compartilhamos nossas experiências formando uma rede de carinho e informação! Bjos

  4. Gabi, é isso mesmo! Quanto mais informação temos, a criança se sente mais segura. Com certeza terei um Ishtar para chamar de meu!!! Bjos!

  5. Gabis, parabéns pelo post. Compartilho, como você bem sabe, da posse do Ishtar. Ele também faz parte dos meus tesouros!!!

    Quando alguém me questiona o porquê de participar de um grupo como este ou mesmo sobre o motivo de continuar participando ativamente, mesmo a minha filha já tendo 1 ano e 4 meses eu respondo o seguinte: sem um apoio incondicional e desinteressado assim, eu teria muito mais dúvidas se estou no caminho certo na minha maternagem :) E eu escolhi que quero fazer o meu melhor.

    É simples pra mim: ser mãe é difícil. Muito difícil. Além de toda a entrega física e emocional, também inclui se tornar estudiosa de Medicina, Pedagogia, Psicologia… independente da formação que você tenha. E discutir cada uma destas linhas com os profissionais titulados não é simples (pra eles, principalmente). Talvez eu também me sentisse chocada em ter que discutir gestão de riscos em engenharia com um farmacêutico ou qualquer outro profissional…

    Mas no grupo, isso fica mais simples… não soa agressivo. É interesse genuíno, materno, instintivo e todos ali entendem isso. E topam estar ao seu lado para decifrar o que você sozinha ou com o profissional que te atende não conseguiu… e isso não inclui te indicar remédios, laboratórios ou algo equivalente. Muitas vezes o simples fato de te devolver o questionamento inicial já faz uma diferença gritante.

    Claro que exitem os seus amigos extra-maternidade e seus familiares, mas discutir com eles alguns dados da OMS às vezes (hehe, acho que todas as vezes), soa como um decreto: “você enlouqueceu em questionar as condutas que já vêm sendo adotadas há anos e anos e além disso, o profissional X ou Y sabe o que está dizendo. Ele estudou pra isso…”

    Enfim, o conforto, o colo, a empatia, o acolhimento existente neste tipo de grupo, a mim abriu novos horizontes. Reafirmou as minhas convicções de que ainda existe neste mundo a possibilidade de se viver dentro do que acreditamos genuinamente, que é possível termos eco aos nossos anseios e alegrias e que não é necessário ceder ao que é imposto pela massa apenas para não se sentir um E.T.

    Abraços carinhosos!!

  6. É isso mesmo Gabi:”toda grávida merece um Ishtar pra chamar de seu.”
    Mesmo conhecendo o grupo somente em minha terceira gravidez me senti em casa, como se fosse amiga dessas mulheres maravilhosas desde sempre e com certeza me senti mais preparada para receber meu filho com muito mais prazer e respeito pra nós dois e pra minha família também. E quando me dizem que enlouqueci e não falo de outra coisa(todas nós ficamos no “monopapo” por um tempo!) me sinto uma E.T. mais feliz !

deixe seu comentário!