Categories: Comportamento e Educação/ Crianças

Hora de dormir: rotina e ritual de sono do bebê

leo_soneca_blog vida materna

A hora de dormir é um pesadelo para muitos pais e foi por algumas vezes para mim também, com a Melanie. Lembro de ficar embalando-a no colo e cantando por intermináveis minutos (e até horas) e também da quantidade de vezes que ela despertava durante a madrugada.

Com o segundo filho eu já sabia o que me esperava, por isso tentei me livrar de qualquer expectativa com relação ao sono dele. E ao meu sono, também. Já estava ciente de que eu teria muitas e muitas noites em claro, que bebês acordam de madrugada – seja para mamar ou não – e, principalmente, que precisam ser ensinados a dormir e a diferenciar o dia da noite. E também, da importância de se ter uma rotina de sono, especialmente para o sono noturno.

Antes de mais nada, um pequeno histórico de como as coisas aconteceram por aqui.

recém nascido

Leo me surpreendeu muito em relação ao sono e à hora de dormir, desde que nasceu. O que eu mais ouvia de quem o conhecia pessoalmente era “nossa, ele é calminho, né?”. Sim, eu tinha um bebê anjo em casa, segundo o livro da encantadora de bebês.

Quanto à rotina noturna, mesmo tendo a orientação do pediatra da maternidade de que não deveria acordá-lo de madrugada para mamar, eu o acordava, porque o ganho de peso e o crescimento nesse primeiro mês é muito importante para o desenvolvimento do bebê. Amamentava em livre demanda de dia e de noite mantinha a mesma rotina, conforme ele requisitava.

Como todo bebê recém nascido, Leo mamava e em seguida dormia. Sendo assim não era necessário nenhum ritual de sono durante o dia. À noite, nos policiávamos apenas em falar um pouco mais baixo e em tentar diminuir os ruídos e barulhos da casa, como a tv, por exemplo. Como temos uma outra criança em casa, a Mel, era impossível manter o silêncio. Leonardo teve que se acostumar com isso e eu achei ótimo, porque na época da Mel eu era a louca do shhhhh. Ninguém podia se mexer, falar, tossir ou respirar, se ela estivesse dormindo. Eu era um porre (coitado do Alexandre). Ainda continuo a louca do shhhhh, mas tento me controlar. :)

Logo nas primeiras semanas, Leo estabeleceu sozinho um padrão bem interessante de sono noturno: tomava banho, mamava às 21h, dormia no moisés (na sala mesmo, mas com o nosso cuidado de fazer menos barulho) e mamava de novo por volta das 23h30. Ainda acordado, mas já sonolento, ia para o moisés novamente e subíamos com ele para o nosso quarto e ele dormia direto até as 4h. Mamava e então dormia direto até às 8h. Tipo, um sonho.

Para mim, isso era completamente novo (e espetacular!), porque a Mel acordava para mamar de 2 em 2, no máximo de 3 em 3 horas, inclusive de madrugada. Lembro de ligar para o pediatra deles perguntando se era ok esse intervalo de 4 horas sem mamar e ele disse que sim, que dois intervalos de 4 horas, mesmo no primeiro mês, não teria nenhum problema. Por isso, deixei que ele mesmo continuasse estabelecendo o horário das mamadas e estava feliz da vida por ter 4 horas ininterruptas de sono com um bebê recém nascido em casa. Claro que não eram todos os dias essa glória, especialmente durante saltos de desenvolvimento e picos de crescimento ou quando ele tinha um pouco de cólica (o que era bem raro). Mas na maioria dos dias, sim.

a partir dos 2 meses

A rotina já estava mais estruturada e tudo acontecia num período de 3 em 3 horas: Leo mamava, trocava fralda, brincava ou passeava e então dormia. Tudo isso num looping sem fim. A partir daí tive que começar um pequeno ritual de sono para as sonecas diurnas, porque já não era como antes que ele mamava e dormia (capotava) em seguida.

Para isso, eu precisava retirá-lo da atividade que estivesse fazendo aos poucos. Se ele estava com um brinquedo, no carrinho, por exemplo, eu retirava o brinquedo devagar e depois o pegava no colo. Dava uma voltinha pela casa, só para ele mudar de ambiente, e então, deitava-o no colo dando a chupeta e a mantinha dele. E tentava bloquear estímulos visuais, como lustres, muita claridade, a tv ligada, etc. Sempre ficava de frente para uma parede sem nada que chamasse a sua atenção. Logo ele estava sonolento e eu já o colocava no berço que montamos na sala, para as sonecas diurnas (aqueles berços desmontáveis, sabem? falei dele aqui e ainda uso o mesmo). E ele dormia por um período de 45 minutos a 1 hora.

a partir dos 4 meses

O salto de desenvolvimento dos quatro meses e meio foi punk. Leo ficou super manhoso para tudo e a qualidade do sono dele ficou péssima. Demorava a dormir de dia e dormia por pouco tempo. De noite, acordava várias vezes durante a madrugada.

Depois disso, não consegui mais colocá-lo no berço ainda acordado, tinha que fazê-lo ficar sonolento pelo menos, no colo, e depois então colocá-lo no berço. Seja de dia ou de noite.

dos 5 meses em diante e nossa rotina atual de sono

Hoje, com 6 meses e meio, Leonardo tira de 2 a 3 sonecas durante o dia. Normalmente, a rotina dele tem sido assim:

7h mama e dorme mais um pouco

8h30 acorda

10h fruta

11h15 soneca (às vezes ele pula essa soneca, quando acorda mais tarde)

12h15 almoço

13h fruta ou suco

14h soneca

15h15 mama

17h45 soneca

18h30 jantar

20h começo a prepará-lo para dormir

20h30 banho

20h45 mama

21h vai para o berço já dormindo

a partir daí, é uma incógnita. ele pode:

– dar uma acordada meia hora depois, uma hora depois ou dar várias mini acordadas, mas esses despertares normalmente só precisam da chupeta ou de um carinho para ajudá-lo a retornar ao sono. (sempre que isso acontece eu analiso o que houve naquele dia e especialmente antes da hora de dormir, e acabo percebendo o que causou o sono agitado. mas isso eu explico mais adiante).

– dormir direto até às 3h, mais ou menos (que é o que acontece na maioria dos dias).

3h / 3h30 mama (já tentei dar a mamada dos sonhos à meia noite, para ver se ele deixava de acordar esse horário no meio da madrugada para mamar, mas não adiantou nada. ele mamava à meia noite e ainda assim acordava às 3h.)

Agora que ele já almoça e janta, a meta é retirar essa mamada da madrugada, já que acredito que ele não acorde por fome e sim por costume. Vou tentar substituir o leite por um chá de erva doce (sem açúcar, claro!) e ver se ele se adapta.

O ritual do sono

Na verdade as coisas são bem simples por aqui:

De dia

Eu fico atenta aos sinais de sono – especialmente quando chega próximo dos horários onde ele normalmente dorme – e vou dando uma diminuída no ritmo e nas atividades. Pego ele no colo, dou a chupeta e a mantinha e embalo um pouquinho, fazendo shhhh ou cantando. Às vezes ele fica sonolento super rápido, às vezes demora mais, depende muito do dia. Coloco no berço que fica na sala e ele dorme por aproximadamente 30 a 45 minutos. (e é esse o tempo que eu tenho para fazer… tudo.)

De noite

Quando Leo era mais novinho e estávamos no verão, eu dava dois banhos por dia e no último fazia massagem com aquele óleo de passiflora da linha Mamãe e Bebê da Natura. Mas ele nunca teve muita paciência para ficar lá esperando que eu o vestisse. Por isso, aboli essa parte do ritual (e por causa do frio também, claro).

Depois do jantar, que normalmente acontece por volta das 18h30, Leo permanece sentado na cadeira de alimentação enquanto eu organizo a cozinha e lavo a louça (às vezes eu pulo essa parte da louça e deixo para o marido). Daí vamos para o tapete de atividades (agora com um edredon ou cobertor em cima, para ficar mais quentinho) e Leo brinca com alguns brinquedos que deixo ali para ele, livrinhos de pano, bichinhos, mordedores, etc. Nessa hora tento evitar os brinquedos mais barulhentos, como chocalhos ou aqueles que tocam musiquinha. Se a TV está ligada em algum DVD para a irmã, deixo o Leo sentado de costas para a imagem e o som mais baixo. Logo Alexandre chega e fica brincando com eles, enquanto eu tomo um banho. Quando termino já são umas 20h e então levo o Leo para o quarto dele.

Coloco ele no berço e deixo o móbile ligado (não tem luzes nem nada, apenas toca umas musiquinhas suaves) enquanto preparo o banho (encho a banheira, deixo sabonete, shampoo e a toalha já a postos, etc) e também preparo o difusor de aromas, com os óleos essenciais de capim limão ou lavanda (falei do difusor aqui). Separo as roupinhas que ele vai vestir e vamos para o banho.

Nessa hora ele já está menos agitado, acho que já aprendeu a reconhecer que esse momento em que ele fica no berço olhando o móbile e ouvindo a música, precede o banho e a hora de dormir. Ele já reconhece toda essa movimentação e espera por ela.

O banho é rápido, acredito que não leva mais do que oito minutos (até porque já está bem frio já por aqui) e quando começo a secá-lo e vestí-lo ele já demonstra sinais de sono, esfrega os olhos e chora um pouco. Tento ser rápida e logo descemos para que ele tome as suas homeopatias (ou algum medicamento que esteja tomando) e eu preparo o mamá.

Ele mama, arrota e já começa a virar a cabecinha para os lados, desviando o olhar de tudo. Aconchego bem ele no meu colo, dou a chupeta e coloco a mantinha dele encostada no seu rosto, cobrindo parte dele, como ele gosta. Dou uns passos com ele no colo, mas nada de loucos embalos. Tudo muito calmo. Canto a nossa música de dormir (do vídeo fofo no final do post), a respiração dele fica bem rápida e em poucos minutos ele fecha os olhos e então vai respirando mais devagar.

Subo, ainda cantando, coloco ele no berço e cubro com os cobertores, de acordo com o clima do dia. O quarto fica todo escuro mas ainda consigo enxergar por causa da luz de funcionamento do difusor.

Com a babá eletrônica em mãos eu desço e fico então monitorando por ela. Se ele se mexe eu apenas observo. Se ele acorda mesmo e dá uma choromingada, eu vou até lá, dou a chupeta, se for o caso, faço um carinho e pronto. Ele dorme.

Eu só o pego no colo se ele estiver chorando mesmo. Se forem só resmungos, tento ajudá-lo a adormecer no próprio berço, cantando, dando tapinhas de leve na perninha ou fazendo shhhh. Normalmente dá certo.

Ps: Muita gente acha que não se deve acostumar o bebê a dormir no colo e sim a adormecer sozinho no berço. Eu acho que é o mais indicado mesmo, porém, não é o que eu me sinto mais confortável em fazer. Eu prefiro colocá-lo no berço já sonolento, fechando os olhos, porque gosto desse nosso momento de colo e de chamego para dormir, de verdade. E ele adormece rápido, na maioria das vezes. Mas é uma questão de ver o que dá certo com você e o seu bebê. Com a gente, deu certo assim.

Fatores que atrapalham o sono por aqui

alterações na rotina noturna: nas vezes que pulamos o banho, por exemplo, seja por estar frio demais ou porque chegamos em casa muito tarde, notei que Leo acordava meia hora depois de ser colocado no berço. como se para ele aquela fosse apenas mais uma soneca, como as sonecas diurnas. é o resultado da repetição da rotina todos os dias. ele aprendeu a diferença entre o dia e a noite porque logo depois do banho vai para o berço, vai mamar e então dormir. eles são capazes de entender perfeitamente essa sequência e esperam por ela.

pular a última soneca do dia: ele fica muito agitado e demora a adormecer. e também acorda várias vezes até pegar no sono profundo mesmo. então, se ele quer dormir um pouco antes ou um pouco depois do jantar, ele pode dormir. normalmente não passa de 20 minutinhos. é a famosa catnap.

muito estímulo depois das 18h: quando Alexandre brinca com eles e fazem muita bagunça ou se Leo tem algum contato com a tela da TV, mesmo que por poucos minutos e sem a intenção de que ele assista algo, ele tem um sono bem agitado durante a noite toda. acorda várias vezes. como se o cérebro não conseguisse se desligar (e não consegue mesmo). é o que a Encantadora de Bebês chama de super estimulação.

saltos de desenvolvimento ou picos de crescimento: não tem jeito, eles prejudicam muito o sono do bebê, o fazem ter dificuldades para adormecer e para se manter o dormindo.

cólicas, refluxo, gripes, resfriados, tosses e todo tipo de incômodos que o bebê possa ter. bebê doentinho fica mais sensível e precisa de colo mesmo, tem que ter paciência.

As minhas dicas então, com relação ao sono, são as seguintes:

não crie muitas expectativas, principalmente no início. bebês acordam mesmo durante a madrugada, seja para mamar ou não (os que não acordam são exceção). temos que ensiná-los a dormir e a diferenciar o dia da noite.

tenha uma rotina, especialmente para a alimentação e para a hora de dormir. isso facilita muito o seu dia a dia com seus filhos e eles se sentem mais seguros, já sabendo o que esperar.

crie um ritual de sono noturno, que pode incluir banho, massagem, música ou óleo essencial relaxante e o que mais você perceber que seu bebê gosta. tente repetir isso todos os dias, no mesmo horário.

fique atenta aos primeiros sinais de cansaço do bebê, que normalmente são: esfregar os olhos, bocejar, ficar com o olhar meio parado, desviar a visão das coisas, entre outras atitudes que podem variar de criança para criança. por aqui, Leo normalmente esfrega os olhos ou fica mais manhoso, mas eu tento colocá-lo para dormir antes que isso aconteça, para que ele não fique muito cansado e depois tenha dificuldade para adormecer.

bloqueie estímulos visuais quando estiver colocando-o para dormir, seja no colo ou no berço. evite muita claridade, muitas cores ou qualquer imagem estimulante.

conheça o seu bebê, perceba como ele gosta de dormir, se prefere ser enrolado numa manta, se prefere ficar mais livre, se gosta que você cante ou prefere o silêncio, enfim, o que o acalma ou o agita.

deixe que o bebê tenha um objeto de transição, que pode ser uma mantinha, um cobertor, um bichinho ou a chupeta, se você optar por usá-la. com esse objeto por perto ele entende que chegou a hora de dormir.

entenda os estágios do sono do bebê (leia aqui) e identifique onde pode estar o problema (geralmente é durante algum dos muitos “breve despertar”).

bebês emitem sons mesmo dormindo, por isso, saiba a hora de intervir. muitas vezes eles conseguem emendar um estágio ao outro sem a nossa ajuda e é exatamente isso que tentamos ensiná-los. observando atentamente como seu bebê se comporta dormindo você consegue perceber se ele precisa da sua intervenção para continuar dormindo ou não. com o tempo conseguimos perceber se eles estão despertando de vez ou se vão conseguir dormir novamente.

aquilo que fazemos durante os primeiros meses define o padrão de sono para um, dois anos ou mais. essas medidas podem ser tomadas para ajudar o bebê a dormir melhor, de uma forma tranquila e carinhosa, sem envolver estresse e choro para nenhum de vocês.

E antes que eu me esqueça, a nossa música de dormir, que eu amo cantar para ele, surgiu de um episódio dos Backyardigans, acreditem. Cansei dos nana nenês e outras cantigas clássicas e acabo revezando entre essa e músicas que na verdade não são canções de ninar (Do Amor, por exemplo). A canção original se chama Hush Little Baby, e na nossa versão Backyardinesca, é assim:

Durma meu querido, o sol já vai partir

Eu sei, está ficando cansado, já é hora de dormir

Durma bem, Leo

Durma Leozinho, boa noite

Durma Leozinho, bonzinho

Já é hora de descansar e sonhar

Durma bem, Leo

Durma Leozinho, boa noite

Durma Leozinho, bonzinho

Já é hora de descansar.

E para ensinar a melodia, Melanie, cantando para o irmão (que não estava nem um pouco a fim de dormir)

comentários via facebook

11 comments

  1. Adoro o seu blog..também sou fã da Encantadora de Bebes. Eu tenho 2 filhas, uma de 1 ano e 10 meses e outra de apenas 38 dias. Acredite..as duas são BBs anjos. Graças a Deus!!! A minha pequena dorme quase a noite toda. E a minha maior quando pequena, dormia tbm. Acho muito importante ter rotina. Obrigada pelo seu post.

  2. Nossa não posso dar palpite em nada, lá em casa tenho mais que uma anjinha. Desde quê voltamos da maternidade e já faz 1 ano e 2 meses, a Maria Luisa nunca acordou à noite ainda mais chorando. Apenas nos primeiros 15 dias eu tinha que acordá-la pois perdeu muito peso depois do nascimento (500g). Mas depois deste período, sempre dormiu a noite inteirinha. Das 23h às 7h no mínimo. Não tenho do quê reclamar.
    E também sempre no berço e no quartinho dela. Essa foi uma escolha minha, já que minha mãe também fazia assim e deu certo conosco (eu e meu irmão).
    Hoje já acostumada com o lema “tomar banho, mamá e mimi”, ela já sabe que depois do banho ganha a chupeta a “naninha” e vai vir a mamadeira…daí vamos pra minha cama, no escurinho e ela mama tudo até dormir. Daí a levo pro berço. Mas nada que atrapalhe se precisar colocá-la no berço pra dormir sozinha, isso também funciona e às vezes ela até pede o berço quando vê a mamadeira. Uma gostosa essa minha Lulu. Não posso querer mais nada, é tudo de bom.

  3. Adorei o texto, hoje meu filho tem 1 ano e 6 meses e no começo foi bem difícil. Na época, aprendi muito sobre rotina do sono aqui e me ajudou bastante. Porém, o mais difícil no começo foi o fato de por mais silêncio que tivesse na casa eu sempre me culpava quando ele acordava, eu fazia de tudo pra não vê-lo chorar… tipo, quase uma paranoia.
    Bom, mas tudo passou e hoje bem mais tranquilo. Só penso em quando decidir ter outro filho…
    Beijos

  4. E o importante é estar preparado para os dias em que nada funciona! Meu anjinho também dorme muito bem geralmente, mas os dias que isso não acontece a gente fica meio frustrada, se culpando nem se sabe pelo o que. Por isso você disse tudo, temos que tentar entender o que afeta o sono, o que o deixa muito agitado.

  5. Adorei as dicas. Fiz muito parecido com meu filho e deu muito certo. Eu sempre coloco um cd com duração de 15 mim com músicas infantis (instrumenta)l e ele adora e já sabe que é hora de dormir… Ele já tem 1 ano e 10 meses e agora é só falar que tá na hora de dormir e pronto. Abraços, Suzanne Romão

  6. O Léo tá uma fofura! Meu baby é alguns dias mais novo que o seu, e aos 6 meses só dormiu duas noites inteiras (12 horas)… Cada noite é de um jeito por aqui, mas como você mesmo disse, sem criar expectativas a gente sofre menos….
    Beijo, adoro seu blog!

  7. Minha filha vai completar 5 mes este mês, ainda não criei uma rotina por aqui por conta das cólicas que ainda estão nos visitando e por que acorda muito de noite então dorme no nosso quarto. Você começou com essa rotina apartir do 6° mês ?

  8. Meu bebê tem 50 dias e comecei o ritual do sono com ele há uma semana. Ele sempre chora muito depois de sair do banho morno e parece ter refluxo. Mama antes do banho e após o banho. Quando sai do banho, às 19:20h, com música relaxante e tudo, o ambiente já está preparado no quartinho dele com luz azul baixa para calibrar na amamentação. Faço de tudo pra não dormir na mamada e após isso vem o pulo do gato. O diferencial é a manta que agasalho ele, faço o pacotinho nele e coloco no berço, sonolento. Então dorme das 20h até 01h da manhã, acorda pra mamar e depois de 1:30h até 04h. Depois de 04:30h às 6:30h mais ou menos. Quero que ele vá aprendendo a dormir sozinho, mas é difícil não colocar ele sonolento no lugarzinho dele. Ah, antes das mamadas eu tiro a manta e quando termina faço o pacotinho com a manta de novo. Ele dorme seguro e aquecido no ar condicionado. Beijos, tem sido muiiiito útil essas informações!! Obrigada!!!

deixe seu comentário!