07 fev 2013

Escola, creche ou babá: Optando por ter uma babá

assinatura_colaboradora_Gabi

Quando João tinha cinco dias, recebi na minha casa clientes que queriam romper uma sociedade. Terminar sociedade é igual a divórcio: quando a decisão é tomada, ninguém quer esperar mais nada. Nem mesmo a licença maternidade da advogada…

Trabalho praticamente sozinha: hoje, o escritório tem outro advogado, mas, quando eu estava grávida, ele ainda não havia se formado. Contratei um profissional da minha confiança para me substituir, mas sabia que as coisas mais complicadas seriam indelegáveis. Advogado é igual terapeuta: não pode mandar substituto.

Estas peculiaridades profissionais foram determinantes para que eu optasse, antes mesmo do João nascer, por contratar uma babá. Resolvi que trabalharia em casa, mas sabia que eventualmente teria que me ausentar, para reuniões ou audiências. Precisava de alguém que estivesse disponível de acordo com a agenda do escritório, ou seja, não podia contar com a minha mãe – que também trabalha – ou com a minha sogra. Nem cogitei matriculá-lo em um berçário, pois, a maior parte do tempo, eu podia estar com ele.

No meu caso, ter babá foi imprescindível para que eu conseguisse trabalhar e estar com o meu bebê. Enquanto João dormia, ao meu lado, no escritório, a cuidadora lavava e passava as roupinhas dele, esterilizava a bomba de leite, limpava o quarto… Sou muito grata a esta primeira pessoa que nos ajudou, pois ela também cuidou de mim no puerpério: sempre me lembrava de comer e tomar água, ficava com ele para que eu tomasse banho tranquila, me auxiliava nos cuidados com os seios, no início da amamentação. Quando eu tinha que me ausentar, deixava o leite materno estocado para ela dar no copinho e não prejudicar a amamentação exclusiva.

Quando João completou seis meses e comecei a introduzir alimentos sólidos na sua rotina, voltei a trabalhar no escritório, no período da tarde. Ficava com ele até o almoço, amamentava e ia trabalhar. A babá dava uma frutinha no meio da tarde e, quando eu voltava, já estava na hora de mamar de novo.

A medida que o Pequerrucho foi ficando mais independente e eu voltei a trabalhar o dia todo, começou a me incomodar o fato de ele ficar com a babá. Achava que não estava sendo devidamente estimulado e que um berçário, onde ele convivesse com outras crianças e tivesse cuidadores mais qualificados academicamente, poderia ser mais adequado.

Como meus horários são muito flexíveis, relutava em matriculá-lo numa escola. Pensava: se a minha audiência acabar mais cedo e eu puder estar em casa às três da tarde, será tão horrível se ele não estiver lá!

A solução foi trocar de babá. Encontrar uma pessoa mais jovem, mais dinâmica, com uma formação técnica mais completa. Hoje, estou muito satisfeita, tanto que adiei os planos da escola por mais seis meses…

Prós:

Você determina as regras: não é como uma escola, onde tem que se adaptar ao estilo da instituição;

Flexibilidade de horário;

A mãe pode passar mais tempo com o bebê, enquanto ela cuida das coisas operacionais (lavar a roupa, limpar o quarto, fazer a comida, etc).

Contras:

É caro;

Como em todo relacionamento, às vezes temos que aparar algumas “arestas”;

Um dia seu filho não vai mais precisar de babá. Como mandar embora alguém que ele ama???? (esta dúvida me corrói).

Conclusão:

A minha experiência foi gratificante, pois ter alguém em casa, para me ajudar, fez com que eu pudesse me concentrar no João e vivenciar a maternidade da forma mais plena possível, mesmo estando trabalhando.

Gabi é autora do blog Dadadá.

11 comentários no blog

  1. Andrea em

    Ei Gabi! Onde vc achou essa babá mais qualificada? beijo, Déia

    Responder
    1. Gabi respondeu Andrea em

      Andrea, contratei a Lê através de uma agência. Ela está se formando como técnica em enfermagem, mas, o mais importante, é que ela é muito inteligente e interessada. Sempre lhe apresento textos que têm uma visão da maternagem parecida com a minha, discutimos livros, notícias… Isto é muito bacana!

      Responder
  2. Gabi em

    Obrigada pela chance de estar mais uma vez aqui, Mi, neste espaço que adoro!!!

    Responder
  3. Vera Bruder em

    Também quero saber sobre a babá mais qualificada, nem mesmo o curso de pedagogia qualifica sobre desenvolvimento de bebês…

    Responder
    1. Gabi respondeu Vera Bruder em

      Vera, acho que a qualificação vem do estudo e nisso podemos ajudar. Lá em casa, lemos juntas a bibliografia indicada pela Ana Júlia (http://ensineseubebe.blogspot.com.br/), já discutimos os textos do Carlos Gonzalez, da Elizabeth Pantley… Ela tem mais experiência prática, é babá desde os 10 anos :(. Eu tenho mais conhecimento teórico. A troca é maravilhosa.

      Responder
  4. Rafaelly viegas em

    Gabi, sei que você já sabe disso, mas João está em boa companhia, ele é estimulado e respeitado, ontem na sua casa mudei meu conceito de babá, quebrou um preconceito que eu tinha.Esqueci o nome dela, mas é nítido o carinho que ela tem pelo Jõao, e além do mais ela é sua parceira no modelo de maternagem que você e eu escolhemos para nossos babies.

    Responder
    1. Gabi respondeu Rafaelly viegas em

      Rafa, não sabe como fico feliz em ouvir isto!!! :)
      A Lê é mesmo uma grande parceira! Depois quero saber o que conversaram! Ela tb te adorou!

      Responder
  5. Camila em

    A baba pode virar babysiter! Nao é mandar embora mas alterar um cado a relacao! As vezes da certo, outras nao, ne?

    Responder
    1. Gabi respondeu Camila em

      Ainda não tenho a solução para este dilema, Camila. Uma hora ou outra teremos que nos desligar, né! O vínculo é tão íntimo…

      Responder
  6. Shirley - Macetes de Mãe em

    Muito bom o texto. Claro e bem informativo. Fiquei feliz pela Gabriella, que encontrou alguém de confiança, carinhosa e qualificada para cuidar do seu filhote. Hoje em dia, isso é artigo de SUPER luxo. Muitas vezes, nem pagando salários homéricos se consegue alguém assim.

    Responder
    1. Gabi respondeu Shirley - Macetes de Mãe em

      Que bom que gostou do texto, Shirley! Dei sorte, mas tb trabalhei mmmuuuiiitttoo para encontrar a Lê ;)

      Passei no Macetes de Mãe e achei muito bacana! Vou passar a visitar! Bjs!

      Responder

Deixe seu comentário!