Categories: Comportamento e Educação/ Crianças

Dicas para a retirada da chupeta

mel_vidamaterna-600x600

Já tivemos aqui no blog dois textos bem esclarecedores sobre esse assunto, um do ponto de vista emocional e outro do ponto de vista odontológico. Recomendo a leitura de ambos.

As dicas que encontramos por aí, para ajudar a quebrar esse hábito de chupar chupeta, são as mais variadas e todas elas já deram certo para vários pais. Desde cortar um pedacinho do bico para anular a sucção; trocar a chupeta por uma igual porém menor, e assim dar a impressão de que a criança cresceu; trocar a chupeta por algo que a criança queira muito com o papai noel ou o coelhinho; e outras técnicas.

Por aqui, o caminho foi encarar o desafio de frente, na cara e na coragem, como diriam.

Baseada na nossa experiência com a retirada da chupeta (que você pode ler aqui), eis um resumo do que deu certo conosco, para ajudar quem está passando ou vai passar por esse processo com os filhos.

1. Analise o momento que vocês vivem. Se outras mudanças ou fatos importantes já estiverem em curso, é melhor esperar que tudo se acalme, antes de começar. Você irá sentir quando for o momento certo, quando estiverem realmente preparados para isso. Acredite.

2. Converse com seu filho sobre o uso da chupeta, os problemas que podem ocorrer, na dentição, por exemplo, agora que ele já cresceu.

3. Não retire a chupeta de forma brusca. Antes de mais nada, informe ao seu filho que em alguns dias ele não a usará mais. Isso ajuda a criança a se preparar e demonstra respeito por ela.

4. Seja persistente. Se você decidiu iniciar esse processo porque sentiu que estão preparados para isso, não volte atrás. Os primeiros dias serão difíceis, sim, com muito choro, talvez gritos, birras. E é perfeitamente normal que isso aconteça.

5. Trabalhe sua calma e paciência porque elas serão testadas ao limite e são essenciais para que tudo dê certo.

6. Entenda que para você a chupeta é apenas um acessório do qual seu filho não precisa mais, porém para ele, é um objeto de apego, segurança e dependência.

7. Por mais difícil que seja, acolha o choro, quando ele surgir. Faça com que seu filho se sinta compreendido, isso demonstra que você respeita os seus sentimentos e acima de tudo, que o entende. Por aqui foi o mais importante.

8. Use palavras de incentivo e sempre diga o quanto se orgulha por ele estar conseguindo. Enaltecer o espírito guerreiro, a força e a coragem sempre surtem um efeito muito positivo durante essas mudanças.

9. Todos os envolvidos na criação e no convívio com a criança devem agir da mesma forma, a fim de não confundí-la. O melhor é que uma pessoa fique responsável por conduzir o processo.

10. Nos momentos de crise, use e abuse do poder do abraço. Diga a seu filho que está ali para ajudá-lo, que entende o que ele está sentindo mas que juntos irão superar isso. E que será bom, muito bom.

Boa sorte :)

comentários via facebook

8 comments

  1. ola michele,tudo bem? olha depois que tive filho, fiquei com umas manchinhas no nariz e perto da boca, são manchas chamadas de melasma,graças a deus nao sao muitas,mas me incomodam…je fiz muitas pesquisas,mas estou na duvida,vc conhece algum creme que ajude a resolver o problema?.
    bjs.

  2. Oi Michele, gostaria de saber a sua opinião sobre a amamentação exclusiva até os seis meses da criança e se vc pretende seguir com o Leo. Procurei pelos arquivos mas não consegui achar um depoimento seu a respeito, li o post da nutricionista mas gostaria de uma opinião mais pessoal.
    Aguardo resposta.
    Grata pela atenção!
    Thayse

    1. Oi Thayse!

      Eu apoio totalmente a amamentação, em todos os sentidos. Infelizmente não consegui em nenhuma das duas vazes seguir com ela exclusiva até os seis meses. Estou escrevendo minha experiência de amamentação com o Leo e logo devo postar.

      Bjo

  3. Meu filho não pegou chupeta, mas ele chupa fraldinha de pano pra dormir, e não sei como tirar dele. Acho que não é o momento ,pois me separei recentemente. O que eu faço?

deixe seu comentário!