24 set 2018

Dica de viagem: nossa experiência com hospedagens pelo Airbnb

Num dia desses eu estava relembrando do tempo em que a gente viajava com meus pais dentro de um carro pequenino e 1.0 – e que bravamente carregava gente, bagagem, bicho e até tv de tubo, vez ou outra. Meu pai saía de casa apenas com a lembrança das coordenadas que aquele tio da pousada tinha passado por telefone – numa ligação pra lá de rápida já que o interurbano custava caro – e um papel meio amassado com um mapinha desenhado à caneta nas mãos. A gente se perdia algumas vezes e demorava mais do que crianças impacientes por pisar na areia da praia podiam esperar, é verdade. Mas a gente sempre chegava.

Lembro que da primeira vez em que fui responsável por planejar uma viagem por conta própria, nós ainda não contávamos com esse acesso online, rápido e ilimitado às informações, onde tudo pode ser pesquisado e encontrado facilmente. E, apesar de achar emocionante (e divertido!) aquele modo de viagem old school dos nossos pais, acho mais bacana ainda fazer uma viagem dentro da viagem, antes mesmo dela começar. Parece louco, eu sei. Mas já contei para vocês que planejar viagens é uma das coisas que mais me deixam feliz nessa vida, não é? Tem até um post aqui no blog explicando direitinho como eu costumo planejar tudo.

Durante esse planejamento, a busca por hospedagem geralmente é a parte em que mais me divirto – e, ao mesmo tempo, em que mais quebro a cabeça. Analiso as regiões, locais por onde planejamos passar, o custo benefício, transporte, enfim, todos os prós e contras de cada local.

Por isso, para quem gosta de ficar bem instalado (sem gastar os tubos) enquanto explora novos rumos ou reencontra algum cantinho que ama ao redor do mundo, buscar pela hospedagem perfeita pode ser um tanto desafiador. Mesmo nos dias de hoje. E é aí que entra o Airbnbuma empresa que nasceu lá em 2008, da ideia criativa de dois amigos de alugar um espaço dentro da própria casa usando colchões de ar – daí nasceu o nome “air”. Pelo que li, a proposta inicial seria apenas suprir a carência de hotéis da região onde moravam, no caso, em São Francisco, na Califórnia. De lá para cá, o Airbnb cresceu e apareceu: conta com anúncios em mais de 190 países e mais de 4,5 milhões de acomodações cadastradas pelo mundo afora. Mas é normal ainda termos muitas dúvidas a respeito dessa plataforma: como o Airbnb funciona? Airbnb é seguro? é mais vantajoso alugar um espaço pelo Airbnb do que um hotel? 

Então, para não repetir mais do mesmo – e antes de contar como foram as nossas hospedagens via Airbnb – vou deixar para vocês o link de um post bem completinho do blog Vida Cigana aqui.

Nós ficamos em Airbnb’s quatro vezes, por isso achei que já poderia compartilhar com vocês um pouco da nossa experiência com a plataforma, com os locais e os anfitriões. Esse esquema de hospedagem – que nada mais é do que alugar um espaço de outra pessoa por um período determinado de tempo, resumidamente – tem vantagens e desvantagens – muito mais vantagens na minha opinião.

Das coisas que mais amo, estão ficar quase como se estivesse na sua própria casa, com conforto, aconchego, aquela carinha de lar espalhada pelos cômodos e tudo que você precisa para cozinhar e economizar com as refeições ou para lavar aquela peça de roupa que sujou, entre outras coisas. Em relação à estrutura, tamanho, mobília e sofisticação, tem opções para todos os bolsos e gostos, desde alugar apenas um quarto com banheiro privativo ou compartilhado até casas e apartamentos lindões e que serão só seus pelo tempo que você escolher. Todo mundo fica mais à vontade, principalmente as crianças que têm mais espaço para brincar, por exemplo. O preço é uma das maiores vantagens, porque geralmente optar por um airbnb sai bem mais em conta do que reservar um hotel. Na nossa primeira hospedagem via Airbnb, lembro que o valor ficou uns dois mil reais a menos do que se ficássemos num hotel nas regiões mais indicadas. Geralmente vale super a pena.

As desvantagens são poucas ao meu ver, mas existem. Ficando num apartamento, você não terá a comodidade de contar com o serviço de quarto, com a cama sendo arrumada todos os dias, as toalhas trocadas a cada dois e com o café da manhã incluso nas diárias. Algumas pessoas levantam questões de segurança com seus pertences e bagagens, mas acredito que ao escolher um anfitrião bem recomendado e com excelentes avaliações, você fica isento desse problema. O pagamento via Airbnb não permite parcelamentos maiores do que 3 vezes, o que também pode ser uma desvantagem já que alguns sites oferecem hospedagens em até 12 vezes sem juros, como o Decolar, por exemplo. Mas ainda assim, geralmente o valor menor compensa bastante.

1. Buenos Aires, Argentina (setembro, 2016)

Os posts dessa viagem ainda não saíram, eu sei, mas eles ainda serão postados. Ficamos por seis dias num apartamento bem bacana na região de Palermo Hollywood (este aqui) e ficamos satisfeitos com tudo, desde o apartamento em si até a localização e conveniências nos arredores. O irmão da dona estava lá para nos receber quando chegamos e tudo saiu conforme o esperado. Dando uma olhada no calendário de disponibilidade, não vi datas disponíveis, então talvez eles não estejam mais locando o espaço.

2. Praia do Campeche, Florianópolis-SC (dezembro/2016)

Decidimos meio em cima da hora passar uns dias na praia no final de 2016 e, dentro do que buscávamos, esse apartamento estava disponível (link aqui). Foi uma boa estadia com ressalvas apenas da piscina que não pudemos usar (estava em manutenção) e da localização que achamos um tanto afastada das praias que gostamos mais de ir com as crianças. Mas o apartamento em si era muito aconchegante, espaçoso, limpo e bem equipado. A anfitriã foi bem bacana e permitiu que levássemos a Boo conosco e deu tudo certo. Também nos concedeu um desconto já que não pudemos utilizar a piscina, o que achamos bem legal da parte dela. Para quem gosta da região do Campeche e Joaquina, pode ser uma boa opção de hospedagem.

3. Playa del Carmen, México (fevereiro/2018)

Na nossa terceira hospedagem via Airbnb tivemos alguns problemas mais chatos. Apesar de sempre pesquisarmos muito (mas muito mesmo!) e acertarmos na escolha da região e do apartamento em si, existem coisas que não temos como prever, como por exemplo, que o aquecedor de água a gás não funcionaria por 2 dos 5 dias que passaríamos no imóvel. O problema demorou a ser resolvido e no final das contas era algo super simples, mas que gerou o incomodo de termos que tomar banho na água praticamente fria (o que foi horrível para as crianças) e ficarmos em casa para atender o técnico. Com isso, prejudicávamos um pouco a nossa programação. Contudo, o apartamento era excelente (link aqui), muito bem mobiliado e decorado, roupas de cama e banho ótimas, cozinha equipada, ar condicionado, piscina, enfim, tudo aquilo que ocasionou conforto durante a hospedagem. A localização não poderia ser melhor, super pertinho da Quinta Avenida, cheia de opções de restaurantes, bares e lojas.

4. Providencia, Santiago/Chile (agosto/2018)

Nossa última estadia via Airbnb foi a melhor de todas, com certeza. A localização foi muito acertada, a rua era calma e tranquila, o prédio lindinho, mas, principalmente, o apartamento era muito bom e o anfitrião super atencioso. Ficamos sete dias nesse espaço e não sentimos falta de nada – além da Boo, claro. No quesito conforto, limpeza, aconchego, qualidade e carinha de casa mesmo, essa foi a melhor hospedagem (link aqui). Camilo, o anfitrião, ainda nos mandou uma lista de recomendações de restaurantes com links e endereços, e também deixou a disposição um cartão do metrô para que utilizássemos, apenas tivemos que carregar com as passagens que iríamos usar. Ele possui outros apartamentos – alguns no mesmo prédio – e foi difícil escolher, porque todos são lindos. Essa é uma hospedagem que recomendo de olhos fechados porque foi uma experiência maravilhosa (deu até saudade já!).

Ao reservar pela primeira vez a gente se sente um pouco inseguro e é normal ter muitas dúvidas. Para mim, entre as coisas mais importantes estão avaliar o anfitrião – aqueles que tem o selo de superhosts são uma ótima escolha – e, principalmente, ler as avaliações: elas são uma mina de ouro mesmo! Você encontra informações preciosas ali, desde se a roupa de cama e o colchão são bons até mesmo se existe o básico para cozinhar já disponível no imóvel (sal, açúcar, óleo, temperos, etc). Vale a leitura com calma, além de dar uma boa olhada nas fotos e atentar para a localização dando uma volta pela região com o Google Maps, claro.

Alguns links bacanas:

Para as nossas viagens, a opção de hospedagem pelo Airbnb tem sido ótima e mesmo com os poucos contratempos que tivemos, o saldo é sempre muito positivo.

E vocês? Já se hospedaram pelo Airbnb? Passaram algum perrengue ou correu tudo bem? Me contem que vou adorar saber :)

4 comentários no blog

  1. Jussara em

    Também já viajei 4 vezes pelo Airbnb e foi uma excelente opção de escolha. Muita gente ainda nem conhece. Suas escolhas foram ótimas. Lindas instalações.

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Jussara em

      Oi Jussara! Bom saber que pra vocês também tem sido bacana :) E obrigada por comentar <3

      Responder
  2. lydia em

    Você arrasou nas suas escolhas. Conheci o Airbnb por causa de você. Obrigada!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu lydia em

      Ah, que bom saber disso! Beijo grande <3

      Responder

Deixe seu comentário!