12 jun 2018

Diário de Viagem: de volta à Gramado & Canela

Estivemos em Gramado pela primeira vez em março de 2015, há pouco mais de dois anos. Na época, Melanie estava com 4 anos e meio e Leonardo com 1 ano e quatro meses. Então no ano passado, quando o frio começou a chegar com mais força por aqui, sentimos vontade de passar novamente uns dias na Serra Gaúcha, dessa vez com eles maiorzinhos – Mel com 6 e Leo com 3 anos e meio.

Apesar de termos viajado para o mesmo lugar, foram duas experiências bem diferentes, especialmente pelo clima e pela idade das crianças. Em ambas o aproveitamento nos passeios e andanças foi excelente, mas me arrisco a dizer que Leo curtiu um pouco mais nessa segunda vez, já podendo correr livremente pra lá e pra cá em cada lugar que a gente ia.

Em relação ao clima, na primeira vez fomos no Outono, no início do mês de março. Pegamos uma semana de sol e temperaturas bem agradáveis – mesmo quando esfriava um pouquinho. Apenas no dia da nossa partida que o clima virou e caiu uma chuvinha. Contei um pouco sobre o nosso planejamento e roteiro nesse post aqui. Um dos pontos altos dessa viagem com certeza foi a nossa estadia no Hotel Ritta Hoppner.

Na segunda viagem, fomos no início de junho e chegamos na cidade com o inverno já fazendo a curva. Pegamos dias bem frios e chuvosos, ou melhor, dias daquela garoa intensa que ora molha, ora não, sabem? Contudo, Gramado e Canela são tão lindas e aconchegantes, que as duas experiências foram igualmente maravilhosas.

Há um ano então, chegávamos em Gramado para a nossa segunda vez na cidade, num domingo frio e chuvoso. Todos os dias foram cheios de neblina, com aquela bruma de garoa fina e temperaturas bem baixas. Ainda assim, o clima em nada atrapalhou os nossos passeios e andanças pela cidade, já que agasalhar bem a turma – com jaquetas e casacos mais pesados, toucas e luvas – já resolvia o problema. Em alguns poucos momentos a chuva caiu de verdade – mas nada que um par de galochas e um guarda chuva não desse jeito.

Uma das coisas mais legais dessa segunda visita foi não termos aquela ânsia de tentar “gabaritar” a cidade, sabem? Na primeira vez a gente acaba tentado a encaixar um passeio atrás do outro, na expectativa de com isso conseguir maximizar o tempo. Mas nem sempre é assim, especialmente porque quando crianças pequenas nos acompanham, ela que costumam ditar o ritmo que a viagem terá. Então, nada melhor do que diminuir um pouco o passo e curtir tudo com mais calma.

A primeira coisa que definimos foi que esta segunda viagem deveria ser mais econômica do que a primeira, principalmente com relação a escolha da hospedagem. Fiz uma pesquisa e busquei por preços promocionais num dos sites que sempre utilizo para isso, o Booking. Encontrei uma promoção legal para a Borô Pousada e Spa e resolvemos arriscar. No final das contas, o balanço geral foi bem positivo: boa localização para quem está de carro, numa rua tranquila e silenciosa, ótima limpeza, quarto e banheiro amplos, lareira e aquecimento para garantir uma noite quentinha para todos. Só o café da manhã que, apesar de variado, me deixou aquela sensação de “falta mais um toque caseirinho e fresquinho de amor por aqui”, sabem? mas deixei as minhas impressões para que eles pudessem melhorar esse ponto.

Na hora de preparar o roteiro, repetimos algumas atrações preferidas e incluímos outras que não havíamos visitado da primeira vez. Deu super certo e nossos dias ficaram assim:

Dia 1

Chegamos em Gramado por volta das 14 horas, almoçamos e já seguimos para o Mini Mundo. De lá, visitamos o Lago Negro e pouco antes de anoitecer, fizemos o check in na Borô Pousada e Spa.

Nós já conhecíamos o Mini Mundo (tem um post aqui) mas como achamos esse passeio muito válido para as crianças e dessa vez Leonardo estava maiorzinho, fomos novamente. O Lago Negro foi pouco explorado na primeira viagem e por isso ganhou uma maior atenção nesta. Fizemos muitas fotos por lá, inclusive uma das minhas preferidas da vida, logo aí em baixo :)

Dia 2

Depois do café da manhã no hotel, fomos ao Hollywood Dream Cars, Museu de Pedras Preciosas e visitamos à linda Catedral de Pedra em Canela. Paramos para almoçar e continuamos os passeios com o combo DreamLand Museu de Cera, Harley Motor Show e o Super Carros.

Nesse dia o que mais nos surpreendeu foi a visita ao Museu de Pedras Preciosas. Mel adorou conhecer mais sobre o assunto e ficou maravilhada com as pedras lindas e enormes que o museu possui. As atrações que envolvem história, carros e motos são as preferidas do Alexandre e os pequenos também gostam muito. Então todo mundo curtiu.

Explorar o museu de cera na companhia das crianças é sempre muito legal. Eles acham o passeio super curioso e divertido – e não ficam reparando se o fulano de cera não se parece em nada com o fulano real, haha. Já a visita ao Super Carros aconteceu rapidinho e somente porque recebemos os ingressos inclusos no pacote, junto com as outras atrações. É uma das poucas atrações que não vale a pena repetir, na minha opinião.

 

Dia 3

Depois de acordar um pouco mais cedo e tomar o café da manhã, seguimos para o Snowland, que é um parque de neve indoor bem bacana. Tem atividades para os pequenos tanto na área quentinha quanto no frio e dessa vez Leo pode aproveitar tudo já que possuía a idade mínima para entrar na montanha. O uso das roupas de neve, botas, luvas e capacetes já é incluso no valor da entrada. Passamos um dia super divertido por lá. Mesmo com o aumento no valor dos ingressos durante esses últimos anos, ainda acho que vale muito a pena a visita.

Dia 4

Depois do dia agitado e congelante que tivemos na neve do Snowland, acordamos um pouco mais tarde e tomamos o café da manhã sem pressa. Do hotel, seguimos para uma das atrações que Mel e Leo mais gostam por lá, que é o Vale dos Dinossauros, em Canela. Acho o parque muito bacana, estruturado e bem cuidado, com dinossauros bem feitinhos, sabem? Nas duas vezes foi um passeio super tranquilo e gostoso de fazer com eles.

Já o Parque Terra Mágica Florybal – que tinha tudo para ser um lugar realmente mágico e encantador – estava um pouco abandonado e vazio – em se tratando dos personagens que deveriam estar interagindo em cada uma das estações. Não nos encantou muito, nem na primeira vez, sabem? Pelo valor cobrado por cada ingresso, falta um cuidado a mais, eu acho. Algo que torne a experiência mais completa e interessante.

Após o almoço, acabamos parando por acaso em um local recém revitalizado em Gramado: a Praça da Criança, que fica no bairro Vila Suíça. Nesse dia o sol resolveu mostrar sua cara e com isso as crianças puderam se esbaldar por algumas horas brincando por lá. Quando o tempo fechou e a fome começou a bater, lembramos do quanto era gostoso o chá da tarde servido no Ritta Hoppner e fomos para lá. Depois do chá, aproveitamos para conhecer e comprar algumas coisinhas e utensílios numa loja super bacana e com um precinho ótimo, chamada Casa + Prat-K.

Por fim, encerramos nosso último dia em Gramado com um passeio (e um waffle bem gostoso!) na Rua Coberta. Ela fica na minha parte preferida da cidade, ao lado da Praça Major Nicoletti e da Avenida Borges de Medeiros – com todas as lojas de chocolates e souvenires, as bodegas que vendem queijos, salames e vinhos e as lojas de vestuário.

Onde comer:

Vou deixar aqui algumas indicações de lugares que gostamos – tanto nesta última viagem quanto na anterior:

Maison de La Fondue – local aconchegante, fondue bacana, atendimento excelente e preço justo.

Churrascaria Chama de Fogo – indicação de uma leitora durante a nossa primeira viagem, uma das melhores que já fomos.

Josephina Café e Bistrô – bem lindinho e aconchegante, ótima pedida para um almoço, comida excelente.

Caracol Gourmet – que fica na Rua Coberta e não tem site nem maiores informações, mas que tem um ótimo atendimento, comida boa e preço camarada.

Ambrosia Bistrô que agora chama Du’prat Bistrô – menu enxuto mas com comida saborosa e ótimo atendimento. fica dentro da galeria ao lado da Igreja Matriz.

Caracol Chocolates – para nós, o melhor chocolate quente de Gramado.

Gostaríamos de ter ido mas não foi dessa vez:

Amis Restaurante – que parece ser excelente mas estava fechado no dia que havíamos planejado ir até lá. acredito que reservar seja o ideal.

E vocês? Já visitaram Gramado & Canela? Tem alguma dica pra compartilhar? Vou adorar ler! :)

 

2 comentários no blog

  1. Pri em

    Oi Mi!
    Fizemos as mesmas duas viagens a Gramado com os nossos pequenos Arthur (8) e Luiza (4) e também aproveitamos muito as duas vezes.
    Sabe que a Terra Mágica Florybal, nas duas vezes que fomos, tive a mesma impressão: acho tosquinho e algumas estátuas poderiam ser revitalizadas. Nessa última vez, o que fez (muito!) mudar meu conceito do parque foi a atividade do Casa do Mago (que as crianças participaram vestidas de bruxinhos) e, logo ao lado, a Casa da Fada. Saímos visivelmente emocionados das duas atrações…o Arthur ganhou uma pedra do mago e ele falou coisas lindíssimas sobre o amor e a coragem. Luiza conversou com a fada e ela perguntou se gostaria que ela a visitasse durante a noite (no momento que a fada me abraçou, ela me entregou um potinho de purpurina para que eu jogasse na cama dela e este seria o sinal de que a fada esteve ali).
    Junto a essa parte do parque tem uma mini tirolesa que eles andaram 275 vezes rererere.
    Tentem vir na época de Páscoa ou Natal, apesar de cheia, a cidade fica ainda mais encantadora!
    Beijocas!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Pri em

      Oi Pri! Então, na primeira viagem nós fomos uma semana antes da Páscoa, se não me engano! A cidade estava linda!!!

      Que legal saber sobre essa interação na casa do mago (e da fada)!

      Bjooo

      Responder

Deixe seu comentário!