Categories: Café da Tarde/ Inspirações

Deixe o amor existir, sempre.

IMG_5734

Para minha Mel.

Você completa seis anos de vida em poucos meses, filha. Seis anos que terão passado muito mais rápido do que eu gostaria e poderia imaginar. Mas, também, serão seis anos sem que um dia sequer acabasse antes de você ouvir o quanto eu amo você. Às vezes penso que mesmo que cem anos já tivessem passado por nós, ainda assim não haveriam palavras suficientes para que o tamanho desse amor fosse totalmente compreendido. O que me deixa feliz, porém, é ter a certeza de que você já o sente dentro desse seu coraçãozinho, que pulsa agitado e feliz. E que irá, ao longo da sua vida, compreender ainda mais esse sentimento e o poder que ele tem sobre as outras pessoas e sobre a própria vida.

Hoje você perdeu seu primeiro dente. Eu estava lá em cima, tirando das suas gavetas todas as roupas que já não te servem mais e que eu, teimosa, insistia em manter por perto. Querendo desesperadamente te manter pequenina por mais tempo, mesmo que você tantas vezes já tenha se mostrado gigante.

Por alguns dias você se sentiu ansiosa e contente que uma mudança estava por vir. Um desafio novo para você, até então. E, me surpreendendo mais uma vez, você não demonstrou medo em nenhum momento, pelo contrário. Parecia extremamente satisfeita em poder enfrentar esse momento. E, quando seu dente finalmente caiu, você gritou de alegria, veio correndo até mim e disse que “seu dente caiu para que um mais saudável viesse”. Completou com um “não fica triste, mamãe. tá tudo bem, logo vem outro.” Nessa hora só consegui te abraçar forte, dizer que estava orgulhosa de como você lidou com a sua perda e que eu sabia que logo logo outro dentinho iria nascer ali, naquele buraquinho.

Você foi se vestir e eu fiquei num cantinho, apenas observando. Havia um sorrisinho meio tímido no seu semblante, que em algumas horas acabava escancarado, enquanto você colocava suas meias e lutava contra a perna da calça que insistia em subir. Ali eu admirei a sua destreza, a sua autonomia, os seus trejeitos, as suas mãos e pés já não tão pequenos como antes. Admirei sua coragem, sua calma e sua esperança de que algo melhor viria daquela perda. Você não derramou uma lágrima sequer, mas eu não consegui conter as minhas e então aquele filme passou na minha cabeça.

Lembrei de quando descobri que estava carregando um ser humano pela primeira vez. Lembrei dos medos que tive na época, e do quão bobos eles foram, perto dos medos que tenho hoje. Lembrei do momento em que você veio ao mundo e do primeiro olhar que trocamos. Lembrei dos nossos primeiros momentos juntas, das primeiras vezes que amamentei você. Lembrei do seu desenvolvimento durante o seu primeiro ano de vida. Lembrei dos anos seguintes e de todas as vezes que você caiu ou se machucou, sem que eu pudesse evitar. Lembrei da sua amabilidade e coragem ao se tornar a irmã mais velha. Lembrei de quantas lutas nós vencemos juntas. E pensei em quantas mais ainda venceremos.

Hoje, meu amor, queria que você soubesse que os espaços vazios irão sempre existir. E que, infelizmente, nem sempre eles serão preenchidos. Nem sempre eles serão totalmente curados. Queria que você soubesse que amores vêm e vão. Que sonhos se tornam realidade dia sim, dia não. Que as frustrações podem nos deixar sem esperança muitas vezes. Que pessoas nos decepcionam mas que também nos surpreendem. E que nós mudamos tanto ao longo da nossa vida que descobrimos várias pessoas dentro de uma só.

Nunca deixe que calem a sua voz, nunca deixe que te digam o tamanho da dor que você deve sentir, nem quantas lágrimas você deve derramar. Lembre-se que a dor é sua, de mais ninguém. O mesmo vale para o amor, filha. Deixe o amor existir. Em cada decepção, em cada frustração, em cada perda, em cada mudança de direção. Nunca deixe que te digam o quanto, quem e como você deve amar. Nem que alguém ou algo merecem ou não o seu amor. Seus sentimentos, seu corpo, sua alma, são seus, de mais ninguém. Até que você decida o contrário. Até que você escolha se doar e alçar novos voos, em novos céus.

Eu sei que as coisas nem sempre serão boas, nem sempre darão certo. Se eu pudesse, evitaria todo e qualquer sofrimento seu. Mas sei, também, que dessa forma não estaria tornando você um ser humano completo, capaz e corajoso – como eu desejo do fundo do meu coração que você se torne. Não teremos como evitar as quedas e as perdas na sua vida, mas, deixa eu te contar uma coisa: elas nem sempre são de todo ruins. E, muitas vezes até, acabam nos trazendo as melhores surpresas, as melhores pessoas e quem sabe até o amor das nossas vidas.

Contudo, por mais que eu deseje, eu não posso te garantir nada disso. O que eu posso, é te dizer que o amor e a positividade tem muito mais poder do que as pessoas imaginam. Por isso, nunca deixe que os tirem de dentro de você. Por mais que o mundo e as pessoas tentem, deixe o amor existir, sempre.

Hoje, quando seu primeiro dente caiu, quando aquele buraquinho se abriu, eu estava ao seu lado, para segurar a sua mão caso você quisesse. Mas sei que nem sempre será assim. O que me resta então, é fazer transbordar até você todo esse amor, essa força e essa vontade de ser e de fazer feliz.

Eu estarei sempre ao seu lado, de uma forma ou de outra, nós sabemos disso. Não importa o quanto você cresça, não importa quantos anos se passem. Você pode encostar a cabeça no meu peito quando quiser, seja para sorrir, para chorar ou apenas para sentir esse amor tão grande que corre nas nossas veias. E eu espero que você more nesse abraço para sempre.

“Come on, baby blue
Shake up your tired eyes
The world is waiting for you
May all your dreaming fill the empty sky
But if it makes you happy
Keep on clapping
Just remember I’ll be by your side
And if you don’t let go
It’s going to pass you by

Let there be love
Let there be love”

(Oasis, Let There Be Love)

 

comentários via facebook

20 comments

  1. Aqui já caíram dois dentes. Eu fiquei super nervosa quando a dentista me avisou que o dente dela logo cairia. Lembrei de como foi essa experiência para mim, de como eu tinha medo, de como eu tinha medo que doesse ao cair. Lembro da minha mãe tentado arrancar meu dente com fio dental. Nossa, eu tinha muito medo.
    Estava preparada para ser assim com Olívia. Mas como com a Mel, ela simplesmente arrancou o próprio dente, sem medo e sem aflição, e veio correndo me mostrar. Fiquei boquiaberta. E chocada. E emocionada. E orgulhosa.

    O mais legal da maternidade é como nossos filhos nos surpreendem a cada dia. Eu jamais imaginei que Olívia reagiria assim ( ainda mais porque ela é a rainha do band aid!hehe) mas ela me surpreendeu! E fiquei feliz de ver que ela não passou por nada daquele medo e aflição que eu senti na mesma idade!

    Sinal de que estamos fazendo algo certo, né?

  2. Acompanho seu blog desde antes de ser mãe, minha Clarice vai fazer 01 aninho dia 19, ela é uma alegria em nossas vidas.
    Como muitas pessoas já disseram suas palavras são sempre tocantes, acho que pela sinceridade com que você escreve. Esse post é muito emocionante. Continue escrevendo textos tão profundos, nos faz refletir tanto, buscar a nossa essência, às vezes adormecida pela correria do dia-a-dia.
    Por que não lançar um livro com esses textos tão lindos???

    Um grande abraço!!!

  3. Nossa Mi, que texto lindo, que declaração de amor para sua Mel…
    Como disse no insta, conforme vou lendo vou montando um filminho na minha cabeça e parece que estou ali, vendo tudo acontecer, e é tanto amor e ternura envolvidos que me traz paz. Claro que mais uma vez derramei lágrimas ao ler tanto amor. Me coloquei no seu lugar, será que terei tanta calma com um dentinho “perdido”, ou se saberei lidar com as outras perdas na vida das minhas filhas. Não será fácil, isso eu sei, já tive algumas demonstrações desse sentimento nas meninas e confesso que foram bem difíceis de administrar, mas assim como vc disse no texto, nesses momentos de desespero de saudade eu estava ali, dando meu amor, meu colo,meu abraço, meus ouvidos, meus beijinhos, minhas explicações, minha compreensão. (Ana Luiza teve uma amiga de escola – melhor amiga – que mudou de SP para PE no final do ano passado e ficou bem triste com essa perda, ainda hj qdo pensa na amiga ela chora, e muito; e mês passado mais um amiguinho das duas mudou de SP, só que para um pouquinho mais longe, México, vira e mexe elas ficam tristes de saber que ele não mora mais pertinho de nós).

    Bjos Mi, obrigada pelo seu texto.

  4. que coisa linda! é de encher os olhinhos de lágrimas.
    e que nossos filhos preservem sempre esse amor. com certeza é o maior aprendizado que podemos deixar.

    Forte abraço!

  5. Saudade desses textos… o que dizer… como não me emocionar! Me senti dizendo cada palavra para meus filhos, pois de um jeito ou de outro é o que desejo para eles: transbordem amor!

  6. Parabéns pela sensibilidade.. Lindo texto… Meu coração se encheu de alegria só de imaginar que um dia serei eu a passar essa emoção com a minha filha Marina.
    Quanto amor… Felicidades!!

  7. Chorei!

    Transborda amor em cada palavra sua, Mi. Quão imenso é o amor de uma mãe, e isso você demonstrou aqui em um texto tão belo. Tenho certeza que todas nós paramos pra refletir sobre isso. Domingo simbolicamente é dia das mães, nosso dia, que somos tão guerreiras, fortes, e corajosas, nós que tantas vezes abnegamos de nós mesmas por nossos pequenos, pois por mais que a maternidade seja apenas uma de nossas facetas, é aquela que mais muda nossa visão de mundo, que mais nos transforma!

    Parabéns a todas as mamães, que são as melhores que podem ser, sempre!

    Parabéns a você, por nos motivar e nortear nesse caminho que é maravilhoso, mas também muito árduo. Seu blog faz uma diferença enorme na minha vida de mãe, eu aprendi tanto aqui. Obrigada!

    Michele, você é um ser humano excepcional!

  8. Ai, meu Deus já quero chora :(
    parabéns que texto maravilhoso, só de imaginar que logo irei passar por essas emoções com a minha Nicole e de vê-lá crescer já me dar uma sensação no coração!

  9. Parece que foi ontem que a Mel completou seus cinco aninhos. O tempo realmente voa, deixando uma imensa saudade de tudo aquilo que deixamos para trás. A cada post do blog e das tuas redes sociais Mi, noto como a Mel está se tornando uma criança incrível, tenho certeza que será uma mulher incrível também, assim como tu mostra-se ser. Parabéns pelo primeiro dente banguela dessa menina linda, que ela saiba reagir com essa maturidade e sabedoria a todas as outras perdas que temos ao longo da vida. Obrigada por proporcionar-me esses momentos incríveis que se passam nessa família iluminada. Texto incrível, assim como a pequena Mel. Beijos com fundo do coração, fiquem com Deus.

    Com amor, Brenda Marry

  10. Primeira vez no seu blog e cheguei aqui super por acaso andando de blog em blog.
    Meu Deus, quanto amor em post! Me deu uma vontade enorme de abraçar minha mãe que esta a 170km de mim. E que vontade de te abraçar. Porque mesmo sem ter lido qualquer outro post seu e sem eu ser mãe sei que o dia que eu for eu vou me lembrar desse post, de você e da sua Melanie (que curiosamente era o nome que eu dava para quase todas as minhas bonecas). E que lindo é ver a sua emoção com o desenvolvimento dela. Fico feliz principalmente pela sua filha, pois quando ela ja for adulta é estiver encaminhando a vida dela com certeza ela vai ter o mesmo sentimento que tenho pela minha mãe hoje. Uma gratidão eterna, um amor que também não cabe no peito e uma vontade de fazer por você tudo e mais um pouco do que você fez por ela.
    Esse é o comentário de uma filha com um amor pela mãe que não cabe dentro do peito.

comentar resposta para Mariane Calderan Cancelar