15 mar 2013

Como fabricar um João Teimoso

Este é o título de um livro que se refere à construção de um boneco que tem a base redonda e pesada e por isso só fica de pé, não para deitado.

Pois bem, pegando carona nessa ideia, quero falar sobre um tema que me intriga bastante, a teimosia. Por que certas crianças têm tanta necessidade de teimar? Em fazer valer os seus desejos custe o que custar?

Então eu penso na questão que nunca chegamos a uma conclusão, quem veio primeiro, o ovo ou a galinha? Da mesma forma então pergunto: a criança teimosa veio primeiro ou vieram primeiro os pais que a tornaram assim? A criança é por natureza teimosa, ou ela se torna teimosa pela forma inadequada de se lidar com ela? A criança é teimosa porque é ou porque a induziram a ser assim?

Fundamento esta questão através de constatações colhidas ao longo de muitos anos de experiência com crianças e também em referenciais pedagógicos, considerando a natureza da criança e suas características, de acordo a cada faixa etária.

É claro que certas crianças são mais difíceis de lidar do que outras, há que se considerar o temperamento de cada uma. Aquelas que têm temperamento mais calmo exigem menos, porém as de temperamento mais inquieto, exigem dos pais muito mais paciência e compreensão, assim como estratégias mais elaboradas. Em ambos os casos, pode-se desenvolver resistência em maior ou menor escala se não se utilizar os recursos necessários para evitá-la.

A criança que é confrontada todo momento através de admoestações, cobranças e críticas, vai desenvolvendo uma resistência contra estes comandos desprovidos de empatia, tornando-se um João teimoso igual ao boneco da história. Parece ter um peso que não a deixa nunca ficar a favor e sim sempre contra as determinações e/ou combinados dos pais.

Quando a criança mais precisa dos pais, nos momentos difíceis, é nessa hora que se faz necessária uma orientação segura, impregnada de afeto e muita sabedoria, para não gerar a tal resistência. Diante de uma ação inadequada faz-se necessário corrigir, porém é preciso saber corrigir, utilizando um método adequado de correção, apontando com calma, a solução para o problema.

São sábios os pais que aproveitam os momentos de crise dos filhos para se aproximar deles com empatia e assim compreender o que estão sentindo nesse momento para poder ajudá-los. Sendo assim, a criança não terá necessidade de enfrentá-los tornando-se os teimosos que tanto incomodam os pais, chegando mesmo a considerá-los adversários.

Para que a teimosia não ocupe lugar de destaque na educação dos filhos, quatro ingredientes são indispensáveis, necessários e fundamentais:  paciência , compreensão, empatia e afeto. Portanto use e abuse desses ingredientes que custam tão pouco e valem tanto.

assinatura_coluna_educação_GB3

1 comentário no blog

  1. Ahmet em

    “Cada novo amigo que ganhamos no deoecrrr da vida aperfeie7oa-nos e enriquece-nos, ne3o tanto pelo que nos de1, mas pelo que nos revela de nf3s mesmos”.Muito agradecida pela visita e por sempre estar perto, mesmo que virtualmente!bjokas, Ce1tia Cecedlia

    Responder

Deixe seu comentário!