11 abr 2018

Chichén Itzá, Riviera Maya e Cancun com crianças – nosso roteiro de viagem

Continuando com os posts sobre a viagem ao México, hoje vou compartilhar com vocês o nosso roteiro de viagem: o que foi planejado, o que fizemos diferente e algumas dicas também. Espero que ajude quem estiver planejando uma ida para lá.

Para quem está chegando agora, recomendo a leitura dos posts anteriores:

  1. Dicas para você planejar suas viagens
  2. México: Chichén Itzá, Riviera Maya e Cancun com crianças – as dúvidas mais comuns

Depois de pesquisar bastante sobre essas regiões e selecionar o que gostaríamos de fazer e quais locais gostaríamos de visitar, veio aquela hora meio tensa que é montar o roteiro da viagem. Tem que pensar na logística, no tempo de deslocamento, nos horários de cada atração, nos itinerários em que mais se aproveita o dia, enfim, um bocado de coisas. Mas é uma das minhas partes preferidas da viagem.

Definimos então que nossos destinos em Yucatan e Quintana Roo basicamente seriam:

Cidades/Praias: Valladolid, Playa del Carmen, Tulum, Akumal, Xpu-Há, Cancun e Isla Mujeres

Ruínas: Chichen Itzá, Cobá e Tulum

Cenotes: Ik-Kil, Grand Cenote, Cenote Azul

Parques: Xel-Há

O primeiro grande aliado que podemos ter nessa hora é o My Maps do Google Maps. Nele você consegue personalizar o seu mapa, marcando com itens e cores que você estrategicamente escolhe para facilitar a sua vida durante a viagem. Essa ferramenta fica dentro do Google Maps: na barra de menu que aparece na tela à esquerda, existe a opção “your places”. Clicando nele, abrirá outra aba com mapas já existentes ali (para quem já usou essa opção) e lá no final aparece “create map”. Depois disso é só abrir sempre clicando na opção “open in my maps” que aparece na barra lateral, bem em cima. Vou deixar o link para o mapa que criei pra gente, assim dá pra vocês terem uma ideia melhor.

Quando você tem todos os seus pontos de interesse marcados no mapa fica mais fácil ir montando o roteiro dia a dia, conforme a localização de cada programa ou atração. Claro que as coisas nem sempre acontecem exatamente como a gente planeja e que mudanças e adaptações são necessárias, ainda mais numa viagem com crianças. Mas ter um roteiro ajuda demais na organização e no aproveitamento da viagem.

Depois das pesquisas e escolhas que fizemos, nosso ROTEIRO DE VIAGEM de 12 dias ficou assim:

dia 1 | domingo | saída de Curitiba para São Paulo > pernoite no Fast Sleep

Nosso voo saiu de Curitiba às 19:20 em direção ao Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Entre nossa chegada e o próximo voo, tínhamos uma escala de nove horas aproximadamente. Já havíamos reservado duas cabines no Fast Sleep Slaviero, que fica dentro do aeroporto. Essa escolha foi feita visando otimizar a logística e os gastos também, já que teríamos que pegar um táxi para sair do aeroporto, pernoitar em um hotel por poucas horas e retornar de táxi um pouco antes do horário do check in. Parecia ser uma boa escolha dormir no Fast Sleep, mas acabou sendo uma experiência ruim. As paredes são muito finas e se houve até mesmo a respiração (ou o ronco) das pessoas do quarto ao lado. As cabines são realmente pequenas mas o que incomodou na verdade foi a falta de ventilação ou de um ar condicionado que atendesse a demanda. Sentimos muito calor dentro dos quartos porque o ar é central e fica numa temperatura fixa de 22 graus. Como a ocupação máxima das cabines é de dois adultos e uma criança, não nos permitiram ficar os 4 numa cabine só. A cama e a roupa de cama na suíte que fiquei com o Leo eram bem bacanas. Já os mesmos itens na cabine simples com beliche – em que ficaram Mel e o pai – eram bem ruins. Acabamos não conseguindo dormir nem descansar direito. Acho que recomendaria o Fast Sleep apenas se você precisa tomar um banho e dar uma pequena relaxada durante uma conexão, mas não para passar uma noite – mesmo que por algumas horas apenas – como nós fizemos.

. dia 2 | segunda-feira | voo Guarulhos > Bogotá | voo Bogotá > Cancun | retirada do carro alugado | passagem por Valladolid | check in no Mayaland Hotel & Bungalows

Depois de uma noite não dormida no Fast Sleep, nos arrastamos até o embarque do nosso próximo voo. Era bem cedinho, as crianças estavam com sono e nós mais ainda. Teve derramamento de café quente dentro do pote de pão de queijo, gente impaciente pelo suco de uva, choro… tudo isso na fila, com o embarque iniciando. Nesse voo Mel começou a passar mal, reclamava de dor na barriga e na cabeça. Ficou febril e não comeu quase nada. Como levei uma mini farmacinha na mala de mão, mediquei ela para febre e seguimos viagem até Bogotá num voo de aproximadamente 4 horas.

Achamos o Aeroporto El Dourado super bacana e foi uma pena ter uma conexão pequena entre a chegada e o próximo voo. Ainda assim, conseguimos parar em algumas lojas e quiosques e em um deles comprei o melhor café da viagem toda: Café 100% Colombiano Medium Roast do El Market Colombia.

Hora de embarcar para o último voo que nos levaria até Cancun e nele já tivemos episódios de “nossa, como demora!”, “outro avião?! não quero mais andar de avião” – e essas coisas de quando os pequenos já estão injuriados de passar em raio x, andar apressadamente em corredores intermináveis e ficar em pé nas filas. Mas deu tudo certo e chegamos no horário no nosso destino final.

Voamos pela Latam e em apenas um dos voos foi servido um lanche com sanduíche, bolinho e bebidas. Nos outros dois havia apenas a opção de compra pelo Mercado Latam (o que achei meio absurdo num voo de 4 horas em pleno horário do almoço… mas enfim). De qualquer forma, sempre levo uns lanchinhos ou fruta na bolsa de mão e isso ajudou muito.

Chegando no Aeroporto Internacional de Cancun, teve tensão na hora de pegar as bagagens porque elas simplesmente não apareciam… O monitor que indica qual esteira está recebendo tal bagagem (vinda do destino x ou y) mudou umas três vezes e lá íamos nós – e todo mundo – para o outro lado e para outra esteira. No final das contas ficamos sabendo que a inspeção em Bogotá é intensa e por isso houve essa confusão e atraso. Mas saímos de lá com toda a nossa bagagem.

Levamos dólares daqui do Brasil e lá no aeroporto de Cancun trocamos por um pouco de pesos mexicanos. É bem importante fazer isso porque você irá precisar para pagar pedágios (se eles existirem na sua próxima rota) ou para comprar algo em um local que não aceite dólares. Dá para trocar um valor mínimo e depois trocar o restante num local com melhores cotações, como Playa del Carmen ou mesmo em Cancun.

Seguimos para o balcão da Alamo, locadora em que já havíamos feito nossa reserva. Não demorou um minuto para que uma senhora uniformizada nos acompanhasse até o local externo onde uma van também identificada nos levaria até a loja, juntamente com toda a nossa bagagem. O trajeto não demorou nem cinco minutos, a loja fica dentro do aeroporto mesmo.

Lá na Alamo fizemos todos os tramites e acabamos apressando um pouco a entrega do carro – estávamos muito cansados, na verdade exaustos por causa da saga aeroportos, voos, malas e crianças – e acabamos pegando nosso Jetta menos limpo do que gostaríamos, mas finalmente sentar e sentir o ar condicionado geladinho fez a poeirinha de areia no chão ficar imperceptível.

Crianças, adultos e bagagens no carro, pegamos a estrada e essa parte da viagem pareceu um pouco com aqueles filmes em que os personagens rodam por uma estrada no meio do nada, sem comércio ou muita gente a vista. É uma reta longa e tranquila, mas é bom estar com o carro abastecido e de posse de alguns pesos mexicanos para os pedágios.

Rodamos aproximadamente 206km em pouco mais de 2 horas e 15 minutos – o que para Mel e Leo, pareceu uma eternidade. Passamos por Valladolid, que é uma pequena cidade colonial bem lindinha, próxima às ruínas maias de Chichen Itzá. Nosso plano era explorá-la no dia seguinte, o que acabou não acontecendo porque nos atrasamos com a nossa programação. Lá pelas 19 horas então, chegamos ao nosso hotel, que fica coladinho ao sítio arqueológico de Chichen Itzá, o Mayaland Hotel & Bungalows. Aqui não vou me estender muito porque o próximo post será sobre esse hotel incrível e nosso dia seguinte.

. dia 3 | terça-feira | Chichen Itzá | Cenote Ik-Kil | ida e check in no apartamento em Playa Del Carmen | compras básicas no Walmart

Este dia terá um post especial e bem detalhado :)

. dia 4 | quarta | Ruínas de Cobá | tarde em Playa del Carmen | noite passeio e jantar pela Quinta Avenida

Esse dia me causa uma dorzinha no coração porque acabamos não indo até as ruínas de Cobá :( Eu queria muito, mas Alexandre e as crianças nem tanto. Depois da expedição um pouco cansativa do dia anterior em Chichen Itzá, eles queriam praia e piscina ao invés de mais ruínas. Então acabamos acordando mais tarde e desistimos de ir até Cobá (eram mais de 100km até lá). Mas recomendo muito essa visita aos que também curtem esse tipo de passeio. As ruínas de Cobá são menos imponentes e altas do que as de Chichen Itzá, mas o fato de ficarem no meio da mata, com muita sombra e a possibilidade de fazer o caminho de bike ou triciclo alugados, torna essas ruínas bem especiais.

. dia 5 | quinta-feira | Parque Xel-Há dia todo | noite passeio e jantar pela Quinta Avenida

Este dia terá um post especial e bem detalhado.

. dia 6 | sexta-feira | Ruínas de Tulum | Playa Maya e Paraíso | Grand Cenote | Noite passeio e jantar pela Quinta Avenida

Este dia terá um post especial e bem detalhado também.

. dia 7 | sábado | Akumal Beach | Cenote Azul | Xpu-Há Beach | última noite em Playa del Carmen

Este dia terá um post detalhado.

. dia 8 | domingo | check out Airbnb Playa del Carmen | ida até Cancun | check in no Emporio Cancun | Las Plazas Outlet

Nos próximos posts vou contar pra vocês sobre o hotel, as praias de Cancun e também sobre compras e o que trouxemos de lá.

. dia 9 | segunda-feira | sem programação agendada durante o dia | Shopping La Isla

É bacana deixar um dia de respiro no período de viagem. Aquele dia pra acordar um pouco mais tarde, curtir as coisas sem pressa, sair “sem destino certo” e descobrir coisas legais pelo caminho. Passamos o dia com eles na praia e na piscina, passeamos pelo centro de Cancun e conhecemos alguns shoppings da região, como o La Isla e o Kukulkan.

. dia 10 | terça-feira | Isla Mujeres 

Este dia também terá um post especial e bem detalhado, claro!

. dia 11 | quarta-feira | último dia em Cancun, sem programação agendada

Em nosso último dia em Cancun, aproveitamos ao máximo a praia e a piscina do hotel. Descansamos, começamos a arrumar as malas, fomos atrás de comprar aquele souvenir que faltou, enfim, foi um dia tranquilo e bem proveitoso, especialmente para as crianças.

dia 12 | quinta-feira | check out no hotel em Cancun | ida para o aeroporto | devolução do carro alugado | voo Cancun > Bogotá | voo Bogotá > São Paulo

Como nosso voo era somente às 15 horas, deixamos que as crianças ficassem na piscina após o café da manhã. Enquanto brincavam com o pai, eu arrumava o restante das malas no nosso quarto. Fizemos check out na noite anterior (uma recomendação do hotel) e com isso ganhamos tempo. A devolução do carro alugado na Alamo foi bem simples e de lá fomos levados ao aeroporto. Correu tudo bem no nosso retorno e pegamos um voo noturno de Bogotá até Guarulhos. Neste voo teve um jantar bem bacana e as telas individuais para que cada um assistisse um filme de sua preferência. As crianças adormeceram deitadas no meu colo, um de cada lado, logo após o jantar. Eu não consegui dormir e aproveitei para assistir Mulher Maravilha (finalmente!).

dia 13 |  sexta-feira | voo São Paulo > Curitiba | home sweet home

Dia em que finalmente chegamos em casa e pudemos matar as saudades da Boo. Como ela é bem apegada ao lugar onde vive e não fica bem em locais estranhos, optamos sempre por deixá-la em casa com alguém vindo dia sim dia não para verificar a ração, trocar a água, limpar a caixinha de areia e dar aquele chamego nela. Mas ainda assim ela fica super carente e quando chego ela não me larga mais. <3

E esse foi o nosso roteiro para essa viagem ao México. Se tiverem alguma dúvida é só deixar nos comentários, tá? Nos próximos posts vamos falar sobre os pontos altos da viagem – e olha, foram muitos! :)

8 comentários no blog

  1. Silvia Adriana Silva Rossi em

    Olá Michelle,

    Adorei sua publicação.

    Estou indo para Cancun em junho com minha filha de 3 anos e 7 meses, minha irmã e minha mãe. Procurava por alguém que havia vivido a experiência de viajar para lá com crianças e encontrei seu blog. Adorei!!

    Ansiosa para saber como foram os passeios.

    Um grande abraço.

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Silvia Adriana Silva Rossi em

      Oi Silvia, tudo bem?

      Ah, que bom que ajudou! Essa semana terá mais um post sobre a viagem :)

      Bjo grande

      Responder
      1. Ana Beatriz respondeu Michelle Amorim em

        Olá Michelle! Pretendo ir p Cancún em outubro ! Estou no aguardo de seus novos posts!! Obrigada pelos anteriores!

        Responder
  2. Evelyn em

    Ansiosaaaa pelos próximos posts! Tipo, todos! Que não demore,… e põe mais fotos!!!

    Responder
  3. Nívera em

    Olá Michelle,

    Adorei a publicação!!
    Em virtude da parada (conexão) em Bogotá, foi necessário tomarem a vacina da febre amarela?

    Obrigada e Abraço!

    Responder
    1. Michelle Amorim respondeu Nívera em

      Oi Nívera, tudo bem?

      Por causa dessa exigência, achamos por bem tomar a vacina nós todos, por garantia. Não nos pediram nada, mas preferimos não arriscar.

      BJo

      Responder
      1. Nívera respondeu Michelle Amorim em

        ok Michelle, obrigada!! Beijo

        Responder
  4. Cris Veiga em

    Oba, roteiro!!!! Arrasou Mi, obrigada <3

    Responder

Deixe seu comentário!