03 abr 2015

Os benefícios de termos uma impressora em casa

DSC_0016

Quem já me acompanha há algum tempo aqui no blog, sabe que eu gosto de fazer as festas dos meus filhos em casa e de colocar a mão na massa mesmo, como costumamos dizer. Já foram mais de oito comemorações, entre Mel e Leo, entre aniversários e batizados. E uma das coisas que mais me ajudou a viabilizar essa vontade do “faça você mesma”, foi ter uma boa impressora em casa.

Atualmente temos duas impressoras aqui em casa, ambas HP Deskjet Ink Advantage, conhecidas também como multifuncionais: dá para imprimir, escanear e copiar documentos nela.

Gosto muito da qualidade de impressão e, por esse motivo, raramente faço em outro lugar, como em gráficas, por exemplo. Mesmo as impressões coloridas, maiores e mais detalhadas ficam muito boas quando usamos o papel correto para cada propósito e cartuchos originais HP, que duram mais e, portanto, são mais econômicos. Além disso, os preços hoje em dia estão super acessíveis.

É muito cômodo ter uma impressora em casa porque facilita bastante o dia a dia, principalmente o nosso que é tão corrido por conta das crianças. Por aqui, além da papelaria das festas dos pequenos, fazemos a impressão de boletos, digitalizamos e imprimimos documentos sempre que precisamos.

Nos últimos meses, ter uma impressora em casa tem me ajudado em outro aspecto relativamente novo e bem bacana: nos trabalhos escolares da Mel.

Desde o final do ano passado, ela tem tido cada vez mais atividades para fazer em casa ou em conjunto conosco. Muitas vezes precisamos de figuras, desenhos e ilustrações, que são facilmente encontradas na internet. Só precisamos escolher as melhores imagens para garantir impressões de qualidade.

Um das últimas atividades que Mel precisou fazer foi sobre o fundo do mar. Ela ficou responsável por apresentar o polvo para a turminha, contar detalhes e curiosidades sobre esse molusco e demonstrar tudo através de fotos.

Selecionamos algumas imagens e fizemos a impressão em casa enquanto eu ensinava à ela as peculiaridades do polvo. E ela apresentou aos amiguinhos seu novo amigo de oito tentáculos, super orgulhosa do que aprendeu.

DSC_0022

DSC_0020

DSC_0031

Então, para quem me pergunta se vale a pena ter uma impressora em casa, eu digo que sim. Vale muito a pena. Ainda mais se você também tiver filhos em idade escolar ou quiser se aventurar no mundo das festas e do diy, como eu.

Hoje existem diversos modelos, que garantem impressões lindas e de qualidade, feitas na sua própria casa. Só lembre-se de sempre preferir os cartuchos originais HP, que além da qualidade superior, geram economia.

Publipost-Vida-Materna-Identificação

13 jan 2014

Faça você mesma(o): quadrinhos

Quadros são itens que fazem muita diferença na decoração, deixando o ambiente mais harmonioso, acolhedor e muitas vezes com a cara do dono.

Foi isso que tive em mente quando decidi fazer vários quadrinhos para o quarto da Mel e do Leo e até para outras partes da casa, como a cozinha, por exemplo. A maioria muito simples e fácil: um print, um paspatur (ou não), uma moldura e pronto.

Os prints foram comprados no Etsy, de diversos vendedores (pesquise por digital art print ou algo assim). A maioria deles tem como medida 8×10 inches, o que convertendo significa aproximadamente 20×25 centímetros. É legal sempre verificar as medidas dos prints e das molduras, antes de comprá-las (você pode converter polegadas em centímetros aqui).

Voltando aos prints, comprei somente o arquivo, ou seja, nada me foi enviado fisicamente. Somente em arquivo, para download. Logo que a compra é finalizada você recebe um e-mail com a confirmação e então pode baixar os arquivos, quantas vezes quiser. Só não pode redistribuir (revender, disponibilizar para download de terceiros, etc). Afinal, é o trabalho de alguém.

Imprimi os arquivos na minha impressora de casa mesmo, escolhendo a melhor opção de impressão. Para o papel usei Opaline e papel fotográfico Glossy, ambos de gramatura 180.

Em alguns quadros usei como paspatur papéis de scrapbook que tinha em casa e as molduras foram compradas na Leroy Merlin e custaram em torno de vinte reais. Então eu diria que cada quadrinho desses não deve ter custado no total mais do que quarenta reais. Alguns bem menos até (os menores, que não aparecem nesse post).

Em duas molduras retirei o vidro para colocar tecido e a inicial de cada nome, feita em mdf.

O resultado desses trabalhinhos manuais foram paredes que ganharam mais vida e cor e ainda me deram a oportunidade de deixar o quarto de cada um deles mais personalizado. Porque a gente adora um do it yourself. :)

Alguns dos quadrinhos do quarto do Leo:

DSC_0245

DSC_0255

DSC_0247

DSC_0254

Alguns dos quadrinhos do quarto da Mel:

DSC_0212

DSC_0214

DSC_0207

DSC_0206

DSC_0213

Numa das paredes da cozinha (amo esse demais da conta!):

936618_579462085459381_1905122565_n

Ainda tem bastante coisa para mostrar por aqui, do quarto do Leo e da Mel. Aos poucos vou conseguindo :)

Prints: Elefante  /  Balão  /  Árvore/Corujas  /  Passarinhos  /  Café

14 out 2013

Para fazer com os pequenos: porta recados em formato de balão

para fazer com zig - balão

Há pouco tempo apresentei para vocês a nova campanha Volta ao Mundo da Zig Zig Zaa, falando de viagens, brincadeiras e muita imaginação. Com um presente que recebemos da marca (um kit com uma caixa e alguns Teimozig’s), a Mel se divertiu muito na companhia dos primos, numa tarde na casa da vovó, lembram?

Para mim, um dos diferenciais mais bacanas dessa campanha foi a produção de uma websérie composta por 5 vídeos exclusivos, protagonizados por Estéfi Machado, que é mãe, blogueira e crafiteira. Fazendo uso de elementos simples e que por muitas vezes temos em casa, ela tem dado dicas de como criar alguns dos objetos lúdicos usados no cenário da produção da campanha (como uma girafa e um binóculo feitos com papelão).

Acho muito importante essa preocupação da marca com o desenvolvimento saudável infantil e por estimular ainda mais o aprendizado e a percepção natural dos pequenos. As atividades feitas em conjunto também nos dão a oportunidade de passar um tempo bacana ao lado dos filhos, criando e aprendendo junto com eles.

Por aqui, como estamos nessa louca fase de mudança de casa, temos muitas caixas e papelão sobrando. Por isso fiquei com muita vontade de tentar fazer esse projetinho do último vídeo da websérie: um porta recados em formato de balão. Prometo que se der tempo, vamos tentar fazer e depois mostro o resultado aqui para vocês. Parece muito fácil!

Os vídeos ainda contam com a participação da pedagoga da Zig Zig Zaa, Bernadete Wolff Cisz, que explica aos pais como cada objeto criado pode ajudar no desenvolvimento infantil.

Acompanhe todos vídeos e dicas no canal da Zig Zig Zaa no YouTube (http://www.youtube.com/zigzigzaaoficial) e na página da marca no Facebook (www.facebook.com/zigzigzaa).

Publipost Vida Materna - Identificação

24 set 2013

Como revestir cúpulas de lustres e abajures

Há alguns meses eu venho trabalhando em ideias e projetinhos para o novo quarto da Mel, que começou com a escolha das cores e depois a escolha dos tecidos.

Embora a maioria dos projetos ainda esteja somente na minha cabeça – ou no papel – comecei a colocá-los em prática neste final de semana que passou. Coisa simples, mas que com certeza ajudará a dar mais vida e personalidade ao quarto dela.

Quando começamos a definir a iluminação do cômodo, optamos por spots em pontos estratégicos (estante de livros e cômoda que depois dará espaço para uma escrivaninha) e por uma luz central, que ainda estava sem definição.

Eu não queria um lustre muito chique ou com penduricalhos (tipo cristais, por exemplo) porque achei que fugiria da proposta que estou criando para o quarto dela. Mas também não queria algo sem graça, sem vida e sem cor.

Pensei então num lustre estilo candelabro, mais simples, com cúpulas que pudessem ser revestidas com um tecido da minha escolha. Encontrei exatamente o que procurava numa das lojas da Leroy Merlin e coloquei a mão na massa.

A primeira coisa foi definir o tecido. Pensando na parede amarela já existente no quarto, na cortina e nos tecidos que serão usados para os outros elementos, acabei escolhendo duas das dez opções de tecidos que eu tinha.

O bacana nesse caso é que eu posso revestir de novo se o tecido desbotar, sujar ou se simplesmente enjoarmos da estampa e quisermos mudar. Dá trabalho, mas é um upgrade bem barato de fazer.

Aqui, as cúpulas como vieram da loja.

DSC_0074

Depois de pré-selecionados os tecidos, fiz uma prova, somente enrolando-os nas cúpulas.

DSC_0082

Aí veio a parte que me deu um pouco de trabalho e dor de cabeça (como eu estava empolgada, nem pensei em assistir algum vídeo ou buscar por algum tutorial, antes de fazer…)

Primeiramente eu tentei cortar o tecido reto, como num quadrado e achei que assim daria certo. Foi só desperdício de tempo e de tecido, e claro que não funcionou. Eu precisava de um molde.

Depois de pensar um pouco, resolvi tirar o tecido que veio na cúpula e fazer meu molde dali, cortando o tecido como ele deveria ser, como mostra a foto abaixo.

DSC_0093

Depois disso, ajeitei o tecido em volta da cúpula e comecei a colar nas extremidades. Ambas tem um ferrinho em formato de círculo, o que facilita o trabalho.

Usei somente tesoura e cola quente (na falta de cola branca ou cola para tecido mesmo). E o resultado foi esse:

DSC_0105

DSC_0108

Para evitar que o tecido pegue pó e com a limpeza acabe desbotando, devo aplicar um spray impermeabilizante para tecidos (já vi da Scotchgard, da 3M). Espero que dê certo.

Apesar das horas que levei para revestir todas as cúpulas e dos dedos queimados de cola quente, fiquei muito feliz com o resultado. E a Mel também :)

Abaixo deixo alguns links interessantes de tutoriais e mais ideias para revestir cúpulas.

Como revestir a cúpula do abajur com tecido

Abajur estampado

Como revestir cúpulas