Categories: Dicas de Compras/ Diversos

Alguns fatos e dicas sobre o sono do bebê

DSC_0647 cópia

Um dos livros mais bacanas que já li sobre o sono dos bebês foi o Soluções para noites sem choro, de Elizabeth Pantley –  orientadora educacional e mãe de quatro filhos, portanto, experiente no assunto. O livro, que felizmente vai na contramão do “deixe seu bebê chorar até cansar”, tem como intuito ensinar aos pais a ajudarem seu bebê a dormir – sem deixá-lo chorar.

Gostaria muito de tê-lo lido ainda grávida da minha primeira filha, a Melanie. Com certeza teria me ajudado bastante, especialmente naquele começo de incertezas e de muito cansaço. A autora propõe dez passos para ajudar o bebê a dormir a noite toda e ao ler este livro, aprendi algumas coisas e reforcei outras que já sabia. E é sobre isso que quero falar hoje.

Entendendo alguns fatos sobre o sono do bebê

Primeiramente devemos ter em mente que cada criança é única e que quando se fala de maternidade, não existem padrões pré fabricados ou moldados. O que ocorre com um bebê não é exatamente o que ocorre com outro, e vice versa. Mas a maioria das pessoas concorda: os bebês precisam de rotina e, entre outras coisas, serem ensinados a dormir.

Durante o primeiro ano de vida o bebê acorda frequentemente à noite e isso não quer dizer que ele tenha algum problema relacionado ao sono. É apenas um fato biológico. O relógio biológico do bebê começa a amadurecer por volta de seis a nove semanas de vida e não funciona regularmente até os quatro ou cinco meses. À medida que esse ciclo amadurece, o bebê começa a passar a maior parte do dia acordado e a maior parte da noite dormindo, passando pelos mesmos ciclos de sono que nós adultos, porém, esses são mais curtos e em maior número, além de passarem mais tempo no estágio de sono leve e terem mais estágios intermediários.

O ciclo de sono noturno do bebê normalmente é assim:

  • Sonolento; adormece
  • Sono leve
  • Sono profundo durante cerca de uma hora
  • Breve despertar
  • Sono profundo por cerca de uma ou duas horas
  • Sono leve
  • Breve despertar
  • Movimentos oculares rápidos; período relacionado aos sonhos
  • Breve despertar
  • Sono leve
  • Breve despertar
  • Sono REM (período relacionado aos sonhos)
  • Breve despertar
  • Quase de manhã; outro período de sono profundo
  • Breve despertar
  • Sono REM (período relacionado aos sonhos)
  • Breve despertar
  • Sono leve
  • Despertar para a rotina diurna

 

Viram quantos “breve despertar”? Ele é o provável culpado pelos seus (nossos) problemas.

Quando o bebê acorda com frequência durante a noite, ele provavelmente não está com fome, nem incomodado com a fralda. Está apenas cansado e quer dormir, mas não sabe como fazer isso sozinho. Especialmente em condições onde ele adormece sendo amamentado, embalado, com a chupeta, enfim, com alguma ajuda “externa”. Quando acorda, quer aquela condição em que adormeceu novamente para voltar a dormir.

Sobre os bebês acordarem com fome, os especialistas concordam que, até os doze meses, algumas crianças de fato sentem fome durante a madrugada, por exemplo, e que devem ser alimentadas. Depois de algum tempo, passamos a reconhecer quando é fome realmente ou somente uma busca por conforto, especialmente o conforto do peito da mãe ou da sucção.

No livro, existe uma tabela com uma média de horas de sono diurno e noturno para bebês:

foto (1)

A autora sugere que você anote por alguns dias todas as informações sobre o sono do bebê, diurno e noturno. Com esses dados, você poderá identificar o que pode estar errado.

Selecionei alguns fatos e dicas sobre o sono dos bebês, retirados do livro:

– Todo bebê, mãe e família são singulares. Apenas você pode determinar o que é certo ou errado para todos.

– Até os três meses, em média, os bebês dormem quando estão saciados, ou seja, sem fome. Depois disso, passam a dormir quando se sentem cansados e normalmente acordam quando estão prontos para isso.

– Aceite o fato de que bebês recém nascidos (e até os maiores) acordam à noite. Mas que isso não irá durar para sempre.

– Aquilo que fazemos durante os primeiros meses define o padrão de sono para um, dois anos ou mais. Algumas medidas podem ser tomadas para ajudar o bebê a dormir melhor, de uma forma tranquila e carinhosa, sem envolver estresse e choro. Uma dessas medidas e talvez a mais importante delas, é a rotina.

– A rotina ajuda a acertar o relógio biológico do bebê, mas lembre-se: ela pode e deve ser flexível. Não adianta querer impor regras muito rígidas a um recém nascido. Mantenha um esquema regular de alimentação, sono e atividades para ele. Normalmente se usa um período de 3 horas para isso. Ou seja, de três em três horas. Mesmo bebês que mamam em livre demanda podem adaptar-se à essa rotina, porque ela diz respeito especialmente ao sono.

– Durante os primeiros meses, organize sua vida em torno das necessidades do bebê, evitando saídas noturnas que interfiram no ritual de sono e no horário dele dormir.

– Tanto para as sonecas diurnas quanto para o sono noturno, é necessário que haja uma rotina. Os bebês esperam por isso, já que aprendem por repetição e se sentem mais seguros quando sabem o que virá a seguir. Por isso é importante que os horários sejam respeitados, especialmente os horários de banho e sono noturno.

– A autora alerta sobre o fato do bebê adormecer nos braços da mãe e esta não colocá-lo imediatamente no berço. Porque convenhamos: tem algo mais gostoso que ver eles dormindo, tranquilos, ali, nos nossos braços? Não. Eu mesma já fiquei com Leo no colo por mais de meia hora, só curtindo o momento. Mas, é bom resistir à tentação, porque isso pode se tornar um hábito, para mãe e filho.

– O ideal é que o bebê seja colocado no berço (ou onde ele costuma dormir) quando estiver sonolento e não dormindo. Caso o bebê desperte ou fique agitado, podemos pegá-lo novamente no colo, embalar, dar a chupeta, o cheirinho, enfim, até que se acalme.

– É preciso aprender a ler os sinais do bebê, ouví-lo e observá-lo atentamente. Dessa forma conseguimos diferenciar fome de sono ou cansaço, por exemplo.

– Ajude o bebê a distinguir a noite do dia. Diferencie os ambientes de sonecas diurnas e de sono noturno. De dia, o bebê deve dormir em um local iluminado (não com uma luz ou o sol diretamente em seu rosto, claro!), mas com uma luz natural, do dia mesmo. O ideal é que ele possa ouvir os barulhos normais da casa e inclusive as pessoas conversando. Já à noite, o ambiente deve ser calmo, com luzes amenas e conversas suaves.

– Faça o bebê tirar sonecas regulares durante o dia, mas tente não deixar que elas se estendam por muitas horas. A qualidade e quantidade de sono diurno interfere no sono noturno, e vice versa. Crie uma rotina simples mas previsível para as sonecas durante o dia e de preferência que seja diferente da rotina de sono noturno.

– Algumas vezes, quando o bebê emite sons durante a noite, já corremos para ver o que houve e nisso eles acabam despertando de vez. Aprender a diferenciar esses sons também é muito importante já que resmungos, choramingos, gritos e até risadas podem facilmente acontecer durante o sono, ou nos períodos de breve despertar, como vimos acima. A regra é: bebê com fome, deve ser alimentado. Bebê que despertou, deve ser ajudado a adormecer novamente.

– No ritual de sono noturno, uma das coisas mais importantes é a hora do banho. O banho relaxa, acalma e prepara o bebê para o que está por vir. Com uma rotina imposta, eles já sabem que depois disso irão descansar, seu corpo já espera por isso.

– Durante as mamadas noturnas, evite conversar, acender luzes ou fazer movimentos bruscos, a fim de não despertar ainda mais o bebê.

– As trocas de fralda só devem acontecer durante a noite e madrugada, caso o bebê tenha feito cocô ou a fralda tenha vazado. Do contrário, não mexa nas fraldas do pequeno. Isso só irá despertá-lo. Usando boas fraldas (noturnas, de preferência) essa troca não será necessária.

– Aprenda a identificar os sinais de cansaço: redução nos movimentos e atividades, bebê mais calmo, desvia o olhar dos brinquedos e das pessoas, os olhos ficam “vidrados”, fica irritado, esfrega os olhos e boceja.

– Com o tempo, a gente aprende o que deixa o bebê confortável. Pode ser uma posição específica para dormir, aquele paninho ou mantinha que ele gosta de ter perto do rosto, um som ou música suave, aromaterapia e outras coisas.

– Veja qual o melhor horário para colocar seu bebê na cama e estabeleça um ritual de sono, a partir disso. Esse ritual pode levar em torno de 30 minutos, e inclui o banho e a mamada.

– Sobre dormir a noite toda, precisamos entender que, para um recém nascido, um período de cinco horas de sono consecutivos é dormir a noite toda. Só que para nós, pais, esse período não corresponde à noite toda, pelo menos não da maneira como gostaríamos. Tenha paciência.

Esses são alguns pontos que se sobressaíram no livro, para mim. Nele você encontra ainda muitas dicas para bebês que são amamentados, bebês que mamam na mamadeira, desmame e bebês que dormem na mesma cama que os pais.

Gostei do Soluções para Noites sem Choro por ser mais flexível quanto à rotina do bebê, nesse início, já que cada bebê, mãe e família são diferentes e portanto, têm necessidades diferentes. E apenas os pais podem identificar essas necessidades, o que precisa ser mudado ou não.

Existe a versão para crianças de 1 a 6 anos, que estou lendo ainda e em breve devo falar por aqui também. E em breve um relato de como é a nossa rotina de sono, ou melhor, a rotina de sono do Leo.

comentários via facebook

11 comments

  1. Michelle, eu li o Soluções alguns meses depois do nascimento do Gustavo e adorei! Muuuito melhor do que o best seller da Encantadora (que, sinceramente, foi dinheiro gasto à toa aqui em casa). A rotina é muito importante sim, mas não da forma “militar” como ela prega. Enfim, aqui não deu certo. O que funcionou foi sempre obedecer a uma sequência de eventos, não me ative a horários pré-estabelecidos.
    E quanto ao colocar o bebê ainda sonolento no berço, eu não consigo fazer até hoje:( Não resisto e fico com ele no colo uns 5 minutinhos…
    Bjs!

  2. Meninas eu costumo dizer que eu preciso ter um segundo filho para acreditar que não dorme. Claro que eu não duvido. É que simplesmente nunca passamos noites em claro com ele por não dormir, precisávamos acordar para amamentá-lo. Apesar de ter sido um parto cesárea, antes de 12 h de nascido eu já o amamentei e foi assim de 3 em 3 horas, cheguei com essa rotina em casa, que me deu muita segurança, e outro detalhe nunca dispensei o banho noturno…boa sorte a todas bjs

  3. Oi Michelle, obrigada por esse resuminho! Vou ter meu primeiro bebê em junho e são tantas inseguranças e dúvidas com relação ao sono e rotina nos primeiros meses! Sempre bom ter boas referências de livros. Obrigada!

  4. Oi. Li o texto e fiquei me perguntando qual a diferença entre esse livro e o livro da Encantadora de bebês porque foi exatamente da forma que vc resenhou que eu li no livro e pratiquei com o meu bebe que hoje já esta com 3 anos.
    Eu vejo tanta, mas tanta critica a el e não entre do o motivo.
    Fico no aguardo.
    Gleice

    1. Oi Gleice! Eu li todos os livros da Encantadora de Bebês e sinceramente acho o mesmo que de todos os livros que leio: nunca concordamos 100% mas sempre aprendemos alguma coisa com a leitura, sempre extraímos algo de bom. Pelo menos comigo foi assim :)

  5. Eu me identifiquei muito com alguns itens que fiz com Heitor e pretendo fazer com a Bruna. Ele dorme no quarto dele desde uma semana de vida, eu amamentava sem muitas palavras, só trocava se tivesse cocô. Criamos o ritual do sono desde o nascimento, com banho, mamada e dormir no berço, nunca no colo. E não é fácil. Mas hoje, com 1 ano e 5 meses, ele adormece sozinho. Coloco no berço, explico que é hora de descansar, que é importante para o aprendizado, para ter energia para brincar e ele fica. Reclama às vezes, lógico, mas com carinho, a gente consegue. E ter noites de sono sem interrupções é trabalhoso, mas vale a pena o sacrifício!

  6. Adorei o que li, mais ando buscando nos blogs uma dúvida em especial que não acho meu bebe tem 3 meses e 20 dias. Não consigo impor uma rotina para ele pois quando ele acorda dificilmente quer mamar, as vezes mama quando acorda, as vezes depois de 1hs, 1hs 30 ou 2hs, na maioria das vezes depois de 1hs 30 min ou seja acaba sendo na maioria das vezes amamentado para dormir já que a janela dele e de 1hs 30 min. Ele me da muito trabalho para tirar as sonecas do dia, as vezes o coloco para dormir logo 17hs e ele vai acordando para mamar e vai até o dia seguinte. Já houve dias de eu amamenta lo de 2hs da madrugada e ele 7hs não querer mamar, nem 8hs só umas 8hs 30 que é quando o sono vem. O que devo fazer? Incluir as mamadas na rotina sempre antes das sonecas? A noite ele acorda muito fica reclamando e por mais que eu nine e cante ou o pai, ele entra em desespero chorando daí quando coloco no seio já fecha o olhinho e fica calmo.

deixe seu comentário!