Categories: Maternidade/ Nascimento & pós-parto

Algumas razões para adiar o primeiro banho do bebê

parto_miniaturas-276
Leonardo, horas depois do nascimento – sem banho

 

Esses dias li uma matéria falando sobre os benefícios de se adiar o primeiro banho do bebê. Como tudo que envolve parto e nascimento me interessa bastante, achei bacana traduzir a matéria para o blog. A original (em inglês) pode ser lida aqui.

Quando Melanie nasceu, ficou alguns minutinhos comigo e logo seguiu com a pediatra para outra sala, onde foi examinada, limpa e tomou seu primeiro banho, pouco mais de uma hora depois de nascer, seguindo os protocolos da maternidade. Voltou para mim algumas horas depois, para iniciarmos nosso contato mãe e filha.

Com Leonardo, quis que fosse diferente. Fiz questão de que ele permanecesse comigo e de que não fosse levado, seja para o banho ou para qualquer outro procedimento. Embora ele tenha nascido com a pele praticamente limpa, não foi esfregado – o que normalmente é feito para tirar aquele aspecto esbranquiçado, o vernix, muitas vezes presente na pele do bebê – e nem tomou banho nas horas que se seguiram após o nascimento. Teve apenas seu corpinho seco por alguns paninhos, enquanto estava no meu colo, e depois já teve suas roupinhas colocadas. Ele nasceu às 07:37 da manhã e foi tomar o primeiro banho somente à noite.

Estudos mostram que não existe indicação médica que determine que o bebê precise tomar banho logo nas primeiras horas de vida. Porém, o que vemos na maioria das maternidades e hospitais, é uma urgência em dar o banho nos bebês, assim que nascem. Mas existem boas razões para adiá-lo, por algumas horas ou até mesmo dias.

O bebê nasce com uma proteção natural na pele, o vernix

Dentro do útero, os bebês têm sua pele protegida do ambiente aquoso por uma substância especial, chamada vernix. Pesquisas recentes mostram que o vernix possui propriedades imunológicas e deixá-lo por mais tempo na pele do bebê fornece uma camada de proteção para o sistema que ainda está se fortalecendo. Alguns bebês nascem com mais vernix, outros com menos. Isso geralmente tem relação com o tempo de gestação até o nascimento, mas não é regra. Resumindo, o vernix é uma substância poderosa e naturalmente hidratante para a pele do bebê.

O líquido amniótico, que esteve em contato com o bebê durante toda a gestação, também apresenta benefícios se mantido por mais tempo na pele. Confere uma proteção extra contra infecções.

O bebê quer estar perto de sua mãe

Assim que nasce, o bebê tem uma grande necessidade de estar o mais próximo possível da mãe, aconchegado em seu peito, sentindo seu cheiro, ouvindo seu coração – da mesma forma que passou todos esses meses ouvindo seus batimentos. Além disso, precisa estar perto de sua fonte de alimentação. Essa proximidade favorece muito o início da amamentação. Quanto antes ela é iniciada, melhor. Tudo isso ajuda o bebê a fazer uma transição menos agressiva da vida intra-uterina para a vida do lado de fora. Afastarem seu bebê de você assim que ele nasce, para o banho, adia esse primeiro contato tão importante entre mãe e filho.

Manter a temperatura corporal

Logo após o nascimento, os recém nascidos precisam descobrir como manter sua própria temperatura corporal e o banho – mesmo que quentinho – pode causar uma queda nessa temperatura. Bebês precisam manter-se aquecidos assim que nascem e o peito da mãe é o lugar ideal (e perfeito!) para isso. Não há berço aquecido nem nada que possa competir com o colo de mãe, definitivamente.

Controlar os níveis de stress e de açúcar no sangue

Ser separado de sua mãe assim que nasce pode ser bem desconfortável para o recém nascido, que normalmente chora e fica mais agitado. Isso faz com que seu corpo libere hormônios ligados ao stress, pode causar um aumento na freqüência cardíaca e na pressão arterial, além de reduzir temporariamente os níveis de açúcar no sangue. Quando o bebê é mantido perto de sua mãe, ele tem uma capacidade maior de regular seus sistemas e manter tudo como deveria estar.

Manuseio com o uso de luvas e ter o primeiro banho dado pelos pais

Considerando que o bebê se sente mais seguro e protegido quando está perto de seus pais, podemos imaginar que essa sensação seja a mesma em relação ao primeiro banho. Na maioria das maternidades é imposto que o primeiro banho seja apenas assistido pelos pais e o segundo, esse sim, pode ter a participação dos mesmos. Além disso, a política dentro da maioria dos hospitais e maternidades é de que os bebês sejam manuseados pelas enfermeiras com o uso de luvas, para minimizar o contato com quaisquer resquícios de sangue, vernix ou líquido amniótico. E ainda, reduzir o risco de infecções. Mas convenhamos que ter o toque de alguém usando luvas não é tão agradável quanto o toque verdadeiro da pele. Na minha opinião, o protocolo poderia ser outro. Os pais deveriam dar o primeiro banho contanto apenas com a assistência das enfermeiras, se assim desejassem.

Como podemos concluir, existem inúmeros benefícios em adiar o primeiro banho do bebê. E essa é uma decisão que deveria caber somente aos pais e não às maternidades ou hospitais.

* fonte: pregnancy.about.com

comentários via facebook

34 comments

  1. Concordo plenamente! Ontem mesmo eu estava assistindo a um vídeo que meu marido fez quando a Isa nasceu, do banho dado pela enfermeira… ela chorava tanto que me deu uma angústia assistir! Quando for ter o meu segundo, tudo será diferente!

  2. Eu não sei se Heitor tomou banho, pq ele veio para mim com um cheirinho estranho, que não era de quem tinha sido lavado… Acho que os bebês choram tanto no primeiro banho não por falta de hábito como justificam as enfermeiras (afinal ele estava na água), mas pq elas deixam a água do banho muito fria. Heitor berrou horrores no primeiro banho 12h depois de nascido e ficou um príncipe em casa, mas deixamos a água bem quentinha. Eu não quis dar o primeiro banho nele, mas dessa vez, se o parto normal acontecer como foi o primeiro, vou dispensar a enfermeira e eu mesma vou dar!

  3. Eu moro na Suecia e aqui assim q os bebês nascem os pais já sao os responsaveis por ele, eles nao aconselham o banho nos 3 primeiros dias, pq dizem q o vernix é mto importante, assim como o texto acima… mas se caso quiser dar banho quem tem q fazer é o pai ou a mãe, a enfermeira pode auxiliar… E o bebê nao vai para o berçario, ele fica no quarto junto com a mae, desde o nascimento… Estou gravida de 30 semanas, estou bem ansiosa e contente por estar em um país q somos respeitados! :)

  4. Nossa, não fazia ideia desses benefícios!Sempre soube que quando o meu filho(a) nascesse, a primeira coisa que eu quero é dar de mamar logo na primeira hora de vida do bebe!
    Vou colocar essa informação sobre o banho do bebê na minha lista de exigências para com a maternidade!!

  5. Eu moro na França, e aqui só se dá banho no terceiro dia. As enfermeiras apenas auxiliam os pais no primeiro banho, explicando como deve ser feito. Fiquei com minha filha desde o primeiro momento!

  6. Meus dois filhos tomaram banho logo após o parto, mas um diferencial da maternidade é que quem deu o banho foi meu marido! E confesso que foi emocionante!

  7. Minhas filhas não tomaram banho na maternidade, eles apenas limparam com paninho e as vestiram e já levaram para mim. Inclusive o pediatra pediu para evitar banho de imersão até o coto umbilical cair, o que aconteceu no sexto dia.

  8. Meu bebê está com 18 dias. Ao nascer, ficou durante 4 horas no berçário, sem contato com os pais. Os três banhos tomados no hospital foram, também, sem a participação dos pais. Apenas no segundo banho nos chamaram para “assistir”. Mesmo sabendo dos benefícios de não se dar banho, entre outros cuidados super importantes, é sempre muito difícil e estressante quebrar determinadas regras das maternidades. Infelizmente…

  9. Meu filho Pedro, nasceu, recebeu as primeiras checagens médicas e saiu da sala de cirurgia grudadinho comigo, ainda sujos, nós dois inclusive, mamou e ficou comigo, somente depois de 5 horas tomou banho e foi a vó que deu..e depois a madrinha e eu só depois de dias já em casa..ele chorava bem manhoso comigo..depois do umbigo cair melhorou..rsrsr

  10. No caso da Laura ela tomou banho após o nascimento, meu marido acompanhou tudo e me contou que a enfermeira foi muito carinhosa e bem delicada. Fazia parte do protocolo do hospital mas ela ficou bem sujinha ainda de vernix, ela estava branquinha de vernix quando nasceu e após o banho veio para os meus braços e nao saiu mais.

  11. Nossa adorei esse texto. Ainda não tinha lido a respeito. É muito importante sabermos de tudo mesmo antes de termos nossos bebês.

  12. Muito boa a dica, Michelle! Obrigada por compartilhar conosco seus aprendizados. Para mim, mamãe de primeira viagem, detalhes como esse poderiam passar despercebidos. Seus filhos são lindos como você! Parabéns!

  13. Nossa, não fazia ideia dessa proteção natural na pele do bebê e nem que a temperatura podia ser prejudicial.
    Claro que sempre me preocupei em deixar a água morninha e em fechar as portas para acabar com as correntes de vento, mas mesmo assim parece que o ideal é esperar pra dar o primeiro banho.
    Estou grávida novamente e essas dicas foram ótimas neste momento!
    Sem dúvidas vou esperar mais um pouquinho pra dar banho na minha filhota.
    Já compartilhei o texto no meu face, adorei! rs.

    Beijos,
    Suzana.

  14. Vou fazer um parto humanizado e minha médica perguntou se eu gostaria que meu bebê tomasse banho ao nascer ou se eu preferia que eu mesma desse esse primeiro banho. Eu já sabia de alguns benefícios de aguardar para dar esse primeiro banho, mas quanto tempo é necessário esperar? Após o primeiro dia? Dois dias depois? Como funciona isso? Alguém sabe?

  15. Pois é, essa atitude tem sido adotada na maternidade do hospital q trabalho, e dois ou três dias depois da alta muitos RN voltam e eu interno por piodermite neonatal…infecção na pele do BB….sou pediatra de PS…talvez isso seja muito bacana p paises desenvolvidos ou em grandes hospitais particulares, mas não p nossa realidade.

  16. Meu filho só tomou banho 24 horas depois de nascer. Existem estudos que mostram que o vernix reduz as chances do bebê desenvolver icterícia após o nascimento. O meu filho e eu temos tipos sanguíneos incompatíveis (eu sou O positivo, ele é B positivo) e ele saiu da maternidade com nível baixíssimo de icterícia. Para as futuras mamães que quiserem fazer o mesmo, basta pedir na maternidade assim que o beber nascer.

comentar resposta para THAISA MARTINELLO Cancelar