13 meses de Leo

IMG_6596

Nos últimos dias eu estive pensando se iria continuar esse registro do desenvolvimento e aleatoriedades do Leonardo, agora que ele já completou seu primeiro ano de vida. É tanta coisa que acontece, que muda de um dia para o outro, que sim, merece continuar sendo registrado. Eu acho, né?

– Leo está pesando 11.050kg e medindo 80,5cm. Perdeu um pouco de peso nas últimas semanas, o que se justifica pelos dentes que nasceram ou estão nascendo – porque ele come menos nessas épocas – e por ele ter começado a andar e não parar mais quieto.

– Tem três dentes em baixo (mais um quaaaase saindo) e dois em cima bem separados, meu coelhinho.

– Falando nisso, ele deslanchou a andar e pseudo correr dez dias depois de completar 1 ano de idade. Ainda cai, tropeça, reclama, se frustra, tudo normal dessa fase engatinhante/andante. A gente ajuda quando sente que ele quer e precisa, caso contrário, deixamos que ele  se vire sozinha e curta o aprendizado.

– Continua muito arteiro e sempre quer se enfiar em buracos, frestas, colocar o dedo nas tomadas, comer as cacas do chão, subir no rack e mais um monte de coisas que deixam a gente louco. Nem sei como eu tenho só um pelo branco na sobrancelha e não os cabelos da cabeça todos.

– Três coisas parecem ser metas primordiais para ele: 1. comer tudo que estiver ao alcance ou que alguém esteja comendo. 2. tentar acessar e subir a escada. 3. sair pela porta da frente.

– Aprendeu a dizer “eeeeeeeee” enquanto bate palminhas. Coisa mais fofa do mundo.

– Arranca as meias e fica andando ou engatinhando com elas na boca.

– Tem uma guitarra de brinquedo que toca música (que foi presente dos dindos) e entre as várias opções de botões e melodias, ele tem duas preferidas e sempre aperta o botão correspondente. E bate palminhas durante a música. Quando para, ele aperta de novo, num looping lindo e sem fim.

– Se eu falar que nesse um ano de vida compramos apenas três brinquedos para ele, vai parecer brincadeira. Mas não. Ele simplesmente herdou tudo da irmã e, principalmente, não vemos mais necessidade em ter ou oferecer tanta coisa para que ele se desenvolva.

– Falando nisso, os brinquedos preferidos dele são: esses potinhos de empilhar e esse baldinho de blocos de encaixe. Podem haver cem brinquedos no chão que ele certamente irá nesses dois. Não enjoa e sempre acha um jeito novo de brincar. E o melhor: também foram herdados da irmã.

– Continua tirando apenas uma soneca durante o dia, lá por 13:30. E aí é uma incógnita. Pode acordar uma hora depois, uma hora e meia ou duas. Eu sempre torço pela última opção.

– À noite, ele voltou a acordar de madrugada (buáááá – esse choro é meu, tá?) e caso eu vá até ele somente para cobrir, dar a chupeta ou fazer um carinho, ele chora muito. Quer mamar, nem que seja um tiquinho, mas quer e não volta a dormir até que eu o atenda. Quero tirar esse hábito, mas ó, tá difícil. (e não, não é fome. o carinha come bem durante o dia todo).

– Leo ainda dorme no meu colo para eu então colocá-lo no berço, porém é coisa de dois minutos para ele adormecer. Já com outras pessoas, mesmo com o pai, ele demora mais e reluta em se entregar ao sono. Não sei se é meu cheiro, se é apego somente, se é porque eu sei exatamente o jeitinho que ele gosta de dormir…

– Falando em apego, continua sendo meu chicletinho. E não vou mentir: eu amo. Porque não vivi isso com a Mel, sempre apegada ao pai. Então deixa eu curtir meu tutuken chicletes enquanto é tempo.

– Gosta muito de passear, seja no carrinho ou no colo. Melhor ainda se o soltarmos no chão. Mas nem sempre isso é possível porque ele ainda é total sem noção de alturas, descidas e degraus. Sempre temos que estar de mãos dadas com ele.

– A rinite passou um tempo bem controlada e eu estava feliz da vida. Aí as coisas pioraram novamente. Segundo o pediatra deles, temos que atentar para o ambiente e o que ocorre em cada dia, para sabermos o que pode ter causado uma crise.  Continuo tendo todos os cuidados que contei para vocês aqui.

– A APLV (alergia à proteína do leite de vaca – leia aqui) está controlada, ao que parece. Leo não consome nada que contenha leite ou derivados, mas acontece de roubar um biscoito da irmã e enfiar na boca antes que possamos tirar ele. Nessas ocasiões, notamos que: ou dá assadura; ou o intestino fica preso ou aparecem eczemas na pele. Porém, tudo isso acontece com menos intensidade do que antes. A próxima consulta com a alergista que o acompanha é somente no meio de janeiro. Até lá continua tudo como está.

– Falando em leite, quer cada vez menos mamar e é um sufoco. Prefere mil vezes comer e se pudesse ele provavelmente iria comer o tempo todo.

– Das bebidas, ele gosta mesmo é de água, tanto que não toma sucos, come as frutas in natura. Melão, banana, mamão e manga continuam sendo as preferidas.

– Quando sente algo mais sólido na comida (pode ser até um arroz, quando ele decide implicar) tira da boca, olha o que é e come de volta.

– De novidades, nesse mês que passou ele provou (e amou!) tapioca, pêssego e ovos mexidos. Quero falar direitinho da alimentação dele, agora com 1 ano de idade, num próximo post.

– Tem fixação pelos controles remoto e pelo telefone sem fio. Quando consegue pegar, sai correndo. Daí quando tiramos da mão dele (tenho medo por causa das pilhas e tal), ele faz bico e chora.

– Quando estamos com ele no colo e conversando com outra pessoa, ele de repente para e puxa nosso rosto em direção ao dele, do tipo “olhem para mim”.

– Brinca muito com a Mel, mesmo com essa diferença de pouco mais de 3 anos de idade entre eles. Anda ou engatinha atrás dela, brincam de bola, de balão, com as peças de encaixe e dão muita risada um do outro.

– Já a Melanie sacaneia o irmão to-do dia. Pega os brinquedos da mão dele, estraga suas brincadeiras, aperta, abraça, beija, empurra, enfim, um Deus nos acuda. Mas também dá carinho, colo e amor. Ufa.

– Continua tão amoroso e carinhoso que às vezes me pego com ele no colo mesmo sem precisar. Como ele gosta de um chamego, de encostar a cabeça no meu ombro, de abraço e beijo. É tanto amor, que acabo nem ligando para a dor no braço ou na coluna depois.

– Faz que não com a cabeça (own). Ele já fazia isso há algum tempo, mas agora entendeu bem que significa que ele não quer algo. Como no vídeo abaixo. <3


por mãe da Mel e do Leo



Dez dicas de livros (escolhidos a dedo) para presentear a criançada no Natal

cigarra

Comecei a montar esse post tentando me lembrar de como foi que conheci a Daisy e o Francisco e, caraca, já faz quase cinco anos desde que entramos em contato pela primeira vez, no meu antigo blog. Desde então, dividimos alguns dilemas e confidências, muitas conversas e risadas, trocamos figurinhas e tomamos muitos cafés :)

A maioria de vocês já conhecia o blog Os Livros de Francisco, não é? Então. Ele mudou de nome e agora se chama A Cigarra e a Formiga (o novo layout é uma fofura que só e fiquei sabendo que além das resenhas tão bacanas de livros infantis, virão outras novidades por aí). Para quem ainda não conhece, vale muito a pena dar um pulinho lá para conhecer. Vocês com certeza irão se encantar. E curtam a fan page para não perder nenhuma novidade.

Enfim, entre uma virada de página e outra, entre a correria do dia a dia e, em especial essa de final do ano, ela conseguiu fazer um texto bem bacana para a gente: dez dicas de livros infantis escolhidos a dedo e com muito carinho. Obrigada xuxu <3

1. para presentear um bebê

“Gildo e os amigos na escola”, “Gildo e os amigos na praia”, “Gildo e os amigos no jardim”

Livro infantil não tem idade – qualquer livro bacana e que você curta pode ser um presente legal pra um bebê. Nunca é cedo demais para criar o hábito da leitura, e ler juntinho desde muito pequeno é bem importante – mas não adianta, livro de banho é sucesso sempre – todo bebê curte (e é um bom jeito de distrair em banhos difíceis, quem nunca?). Esses aqui são historinhas do Gildo: em cada um deles, o elefantinho simpático criado por Silvana Rando passeia com os amigos em diferentes lugares. Da editora Brinque-Book, saem por cerca de 20 reais a unidade. Mais uma coisa legal de livro de banho: e só pesquisar um pouquinho que dá pra encontrar por bons preços – a Todo Livro, Ciranda Cultural e Girassol são três outras editoras que têm boas opções.

GILDO

2. para presentear um bebê um pouquinho maior

“Ai, machuquei!”

Esse é outro livro bacana para os bem pequenos: tem capa e páginas duras, bem resiste e e interativo. É um livro pra ler e brincar: com rimas simples e desenhos coloridos, a brincadeira é socorrer os personagens do livro que estão machucados. Colocar e tirar o band-aid de plástico, preso por um velcro e por uma fitinha vermelha. Um presente divertido para crianças na faixa dos 3 anos. Também da Brinque-Book, custa 29,90 na loja da editora.

MACHUQUEI01

MACHUQUEI02

3. para presentear crianças que curtem princesas (mas sair do óbvio)

“Até as princesas soltam pum”

Eu não sei vocês, mas procuro passar longe da parte de princesas, Disney e afins das livrarias. Quer dizer – já vi muita coisa interessante até (ai que chata eu), mas acho que um livro é uma chance e tanto de justamente sair do óbvio. Nesse livro do divertido Ilan Brenman, a história das princesas é bem diferente: a menina Laura quer descobrir se elas também soltam pum. O pai então consulta o Livro Secreto das Princesas e conta para a filha a verdade: elas soltam pum, sim senhor. Não só soltam, como as badaladas do sino da meia-noite ajudaram Cinderela a disfarçar um acidente daqueles; a Branca de Neve desmaiou foi com um pum tóxico, e não com a maçã. Outro livro da editora Brinque-Book – esse vale pesquisar antes de comprar: dá pra encontrar na internet a partir de 18 reais. Um presente diferente para as meninas mas também para os meninos – o Francisco adora o dele!

PRINCESASSOLTAMPUM01

PRINCESASSOLTAMPUM02

4. para presentear uma criança curiosa

“O grande livro das perguntas sobre o espaço e o tempo”

Por que isso, por que aquilo, o que é, alienígina existe? Esse é um presentão para as crianças nessa fase, prato cheio para os curiosos. Divertido, colorido e cheio de explicações minunciosas sobre o tempo e o espaço: do que é feito o universo, o que acontecem quando as estrelas morrem, como você constrói uma máquina do tempo? Tá tudo lá, explicadinho, com as devidas citações, referências e bastante ilustração. É da editora Ciranda Cultural, que tem livros bem legais por preços geralmente mais em conta (vale visitar o site deles). Na Amazon sai por 23 reais.

PERGUNTAS01

PERGUNTAS02

5. para encher os olhos de beleza

“A gigantesca pequena coisa”

Pensa num livro lindo. Por isso eu digo encher os olhos – mas ele enche o coração também, fácil. De capa dura e grandona, formato A2, é um dos livros da estante do Francisco que eu mais admiro. Falei dele lá no blog há algum tempo, e, desde que comprei pela primeira vez, já presenteei outras crianças e adultos com o livro. Não adianta, todo mundo se encanta quando o lê pela primeira vez. O livro fala sobre essa tal pequena grande coisa que passa muitas vezes despercebida por aí – a felicidade. É uma grande reflexão, com ilustrações lindas da artista Beatrice Alemagna. O livro é da editora portuguesa Bags of Books, e por isso às vezes não é tão fácil achar por aqui. Mas se liga: há alguns disponíveis na Amazon com um super desconto: de 59 por 43 reais. Apenas: corre!

GIGANTESCA01

GIGANTESCA02

6. para fazer rir muito

“Deixei o pum escapar”

Eu ia pedir desculpas que esse assunto tá meio recorrente aqui nessa lista, “pum”, mas calma aí que aqui se trata de um cachorro. Um cachorro chamado Pum, assim, com letra maiúscula e tudo. Posso falar que olha, acho que nunca vi o Francisco rir tanto com um livro como com qualquer um que fale do cachorrinho Pum. Aqui eu mostro apenas um deles, mas são três já publicados: o primeiro foi o “Quem soltou o Pum?”. Depois veio o “Soltei o Pum na escola” e esse último, o “Deixei o Pum escapar”. É da Companhia das Letrinhas, bem fácil de achar e com preços que variam bastante de livraria para livraria. Vale pesquisar. É legal dar um de presente, dois ou a trilogia completa mesmo, pra qualquer idade. Bebês ou crianças maiores, ninguém escapa sem rir das histórias do Pum.

PUM01

PUM02

7. para presentear uma criança que curte cozinhar

“Minhas aulas de culinária”

Esse foi um livro que o Francisco ganhou de aniversário e adorou – desde então já fizemos algumas receitas dele. Problema é que meu filho gosta mesmo é de cozinhar – comer que é bom (no caso, minha parte preferida), é às vezes um problema. Mas ainda assim, nos divertimos bastante na cozinha. Aqui tem receita de hambúrguer caseiro, frango crocante (uma boa alternativa para os nuggets) e também de biscoitinhos (essa receita sim, amplamente aceita e devorada por aqui). Tudo bem explicadinho, com fotos detalhadas da preparação e da criançada com a mão na massa. A edição é da PubliFolha, e no site da editora sai por 43 reais – aí vem a Amazon e faz a felicidade do povo: metade do preço por lá.

CULINÁRIA01

CULINÁRIA02

8. para conversar sobre tolerância e diversidade

“O meu vizinho é um cão”

Sou suspeita pra falar de literatura infantil portuguesa – tenho paixão por ela. A editora Planeta Tangerina é uma que tem um livro mais bonito que o outro – vivo namorando o site e procurando os livros deles por aí. Mas é aquela coisa: como são de Portugal, não é fácil achá-los por aqui não (e menos fácil ainda achar por preços acessíveis). A sorte é que muitos dos livros dessa editora já estão sendo impressos no Brasil, como esse aqui, um dos nossos preferidos. Por aqui saiu pela Cosac-Naify, numa edição tão caprichada quanto a portuguesa (tá aí outra coisa que me encanta nos livros de lá: o capricho). O livro trata das relações entre vizinhos – mas vizinhos diferentes: aqui, eles são bichos. Na voz de uma garotinha, ela admira os diferentes vizinhos que vêm morar ou que estão partindo do seu prédio – e ainda questiona a (falta de) tolerância dos seus pais. Já contei dele lá no blog e até mostrei uns trechinhos – é a coisa mais bacana. O livro já recebeu muitos prêmios por aí e é recomendado pela Amnistia Internacional. Dá para encomendar pelo site da editora ou dar aquela pesquisadinha maneira e encontrar, por exemplo, a 17 reais nas Lojas Americanas. Rá!

VIZINHO01

VIZINHO02

9. para ler e rabiscar

“O livro com um buraco”

Esse foi o último livro do qual falei lá no blog. Recebemos aqui em casa em clube de leitores do qual participamos, da livraria A Taba, e foi uma surpresa: é um livro com um buraco, de verdade. É um livro meio almanaque de férias, para brincar e criar – pode vir com canetinha e giz sem medo que o rabisco ali é muito bem-vindo. Uma ideia legal pra quem está sem ideia entre livro ou brinquedo. É também da Cosac-Naify e sai por 34,90 no site da editora.

BURACO01

BURACO02

10. para apostar num clássico (e ainda impressionar)

“O pequeno príncipe”

Quem não curte um clássico, né? Ainda mais O Pequeno Príncipe – livro das frases mais citadas e repetidas por aí (“tu te tornas inteiramente responsável por aquilo que cativas” e umas dezenas de outras), é um presente garantido para absolutamente qualquer idade (criança ou adulto!). Ainda mais nessa edição, com texto integral, aquarelas do próprio autor e um pop-up mais bonito que o outro. Grandão, o livro se abre em novas surpresas a cada página. Coisa bonita de ver! Pra deixar lindo na estante, em cima da mesa, pra ler, reler, grifar e brincar com a interatividade que ele permite. É da editora Ediouro, mas dá pra comprar por um preço bem em conta (considerando a edição especial e o quanto baixou – antes era muito mais caro!) na Ponto Frio. Pois é! De 99, está a 55 reais – vale o investimento!

PRINCIPE01

PRINCIPE02

Gostaram das dicas? Se tiverem alguma dica deixem pra gente nos comentários.

Para acompanhar as aventuras (literárias ou não) da Daisy e do Francisco, acessem www.acigarraeaformiga.com e curtam a página no facebook :)


Tags:
por mãe da Mel e do Leo



Momento da leitura: para ficar ainda mais perto

DSC_0612_2

Desde que Leonardo nasceu, há pouco mais de um ano atrás, me vejo numa missão quase diária de tentar equilibrar a atenção e o carinho que ele e a irmã recebem. Afinal, ambos precisam do meu tempo, do meu cuidado e da minha dedicação. Ele, descobrindo o mundo em seu primeiro ano de vida e ela, aos quatro, entendendo como a vida e tudo ao nosso redor funciona.

Na correria do dia a dia, é difícil conseguir balancear bem tudo isso. São os imprevistos que caem de paraquedas e tumultuam a nossa rotina, são os trabalhos que assumimos de última hora ou um dos pequenos que fica doente e acaba demandando mais da nossa atenção. Inevitavelmente, alguém sempre está tendo que esperar a sua vez.

Normalmente os mais velhos acabam perdendo um pouco do terreno já conquistado, para os bebês que chegam. E isso aconteceu por aqui também. Me vejo constantemente tendo que resgatar a minha relação com a Mel, lutando para preservar a nossa cumplicidade, a nossa amizade e o nosso afeto.

Nesse ano que passou, mesmo com os compromissos e afazeres, tentei manter momentos e atividades só nossas, que nos fizessem passar um tempo – seja ele qual for – só nós duas.  Para que ela sentisse que, naquele momento, eu estava me dedicando de corpo e alma à ela e à nossa relação mãe e filha.

E, em meio a diversas atividades, brincadeiras e momentos corriqueiros como a hora do banho ou das refeições, encontrei na leitura um momento de refúgio, de estar presente na vida da minha filha dando um pouco do meu melhor: minha emoção, minha criatividade, minha imaginação e meu amor.

Melanie ama livros e histórias desde muito pequena. Agora, aos quatro anos de idade, ainda mais. Gosta de ouvir e depois de nos contar a sua própria versão, usando toda a imaginação que uma criança dessa idade tem. Adora quando vamos à uma livraria e exploramos livros dos mais diversos temas, porém, nem sempre conseguimos fazer esses passeios ou, quando conseguimos, por vezes ficamos em dúvida sobre qual livro escolher.

Por isso a proposta da Booxs – mistura de books e box – é tão bacana. Um clube de livros infantis que oferece uma assinatura mensal para receber em casa uma caixa com dois livros, selecionados por um time de especialistas com mais de quinze anos de experiência – do qual fazem parte escritores, professores, contadores de histórias, educadores, pedagogos, entre outros.

Os livros são escolhidos com base na faixa etária da criança e a caixinha também acompanha um guia de dicas e aprendizado super legal, o Dixs. Nele a gente encontra informações sobre cada um dos livros, porque foram escolhidos e, ainda, o que fazer antes, durante e depois da leitura, para aproveitar ao máximo esse momento com os pequenos.

DSC_0640

DSC_0643

DSC_0644

DSC_0646

Para mim o mais bacana nessa proposta é essa garantia de que, mesmo que a gente não consiga ir à uma livraria ou ao shopping para comprar um livro, vamos sempre estar abastecidos de leitura de qualidade, recebendo a caixinha todo mês em casa. Ah, e o frete é grátis para todo o Brasil.

É muito amor :)

Para mais informações, acesse:

www.booxs.com.br

www.facebook.com/booxs.clube

Publipost-Vida-Materna-Identificação


por mãe da Mel e do Leo



Mãe na Direção

mel carrinho blog vida materna

Melanie, há alguns anos atrás

 

A maioria das pessoas geralmente mal espera até completar dezoito anos para entrar em uma autoescola e tirar a carteira de motorista. Já eu demorei um pouco mais e, somente aos vinte e cinco, senti vontade de aprender a dirigir.

Lembro que, na época, não tive muito apoio dos que me cercavam, sempre com a alegação de que não era algo realmente necessário e de que eu tinha pessoas para me levar aonde eu quisesse ir.

Ainda assim, a vontade de aprender algo novo, de encarar um desafio, prevaleceu, e, depois de três reprovações pelos motivos mais banais possíveis, tirei a minha habilitação.

Por um longo período, mesmo já estando habilitada, eu permaneci como passageira dentro do carro. Isso mudou somente quando a Melanie tinha quase um ano de idade, e confesso que, no início, eu me sentia muito insegura ao dirigir. Era comum errar os caminhos e sempre acabava me perdendo, mesmo com o GPS (podem rir, mas tenho em minha defesa que ele estava desatualizado!).

Com o passar dos meses, fui adquirindo mais prática, melhorando meus reflexos, aprendendo alguns atalhos e, de repente, dirigir passou a ser uma das minhas coisas preferidas. É algo que, por incrível que pareça, me deixa mais relaxada e me ajuda a acalmar os ânimos.

Sei que muita gente tem medo de dirigir e até de tentar tirar a carteira de motorista, pensando, principalmente, nas provas e exames. Mas posso afirmar que essa independência de ir e vir é algo que vale muito, ainda mais depois que temos filhos. Tudo que possa tornar nossa vida mais prática ajuda muito a enfrentar os desafios que vêm acompanhados da maternidade.

Uma das maiores dificuldades para mim – e tenho certeza que para a maioria dos pais e mães que dirigem – é manter a concentração e atenção no trânsito ao mesmo tempo em que damos atenção aos pequenos. Minhas táticas por aqui incluem cantar junto com minha filha maior e ter sempre brinquedinhos para distrair o menor. Mas sei que existem muitas outras dicas e ideias de como sobreviver ao trânsito com os filhos.

Com esse pensamento é que foi criada a comunidade Mãe na Direção, um projeto da Renault que busca, através da troca de informações e experiências, o contato com as mães, filhos e famílias que passam uma boa parte do tempo a bordo. Lá, vocês podem compartilhar dicas e soluções para os problemas enfrentados no dia a dia de quem está ao volante e esclarecer dúvidas. Vocês também podem acompanhar os episódios da websérie, que já está na sua terceira temporada e mostra as aventuras e dificuldades na rotina de diferentes famílias.

Além disso, ainda é possível fazer parte do Cantinho Mãe na Direção e receber um brinde personalizado da comunidade. Basta se inscrever aqui.

Espero que vocês tenham gostado da dica.

Para saber mais, acesse: www.facebook.com/MaeNaDirecao

Publipost Vida Materna - Identificação


por mãe da Mel e do Leo


Aniversário Festas 9 dez 2014

Festa do Tigre – 1 ano do Leo

Leonardo (BR)_225

A festa de 1 ano do Leo aconteceu há duas semanas, mas ela foi escolhida – na minha cabeça e no meu coração – há mais de dois anos atrás (fiz um post sobre ela aqui ó). Antes mesmo de saber que esse meu bebê amado viria a existir.

Acabou não sendo tema de nenhuma das festas da Melanie, provavelmente porque deveria ser dele mesmo. Acho que por isso ela foi tão especial para mim. E o fato de tê-la feito em apenas duas loucas e desesperadas semanas também contou pontos para isso. Especialmente porque, no final – apesar das olheiras e do cansaço – deu tudo certo.

Como eu queria exatamente o mesmo design e os mesmos bichinhos, comprei os arquivos da talentosa Vivian lá de Hong Kong, na loja dela do Etsy que chama Envi Anvi. Tem festas lindas, uma mais fofa do que a outra. E ela foi muito bacana em me mandar os arquivos sem a personalização, para que eu mesma escrevesse tudo conforme a minha vontade e em português. Então foi assim: comprei os arquivos dela e personalizei eu mesma.

Mantive a mesma paleta de cores da festa que serviu de inspiração: teal, aqua, amarelo e marrom, mas acabei inserindo outros tons de azul e verde também. Decidi fazer a papelaria mesclando os itens impressos e técnicas de scrapbook, sempre com a ajuda de furadores, refiladora e da Silhouette Cameo, que é uma máquina de corte basicamente. (para quem ainda não viu, tem dicas sobre isso aqui e aqui)

Muito dessa festa foi feito manualmente e deu bastante trabalho. Como os mini leques das tags, por exemplo. Essa foi a festa em que mais improvisei e fiz coisas decididas assim, de última hora. Tinha uma ideia, via o que eu já tinha de material e fazia, arriscava. E em muitas coisas ela me lembrou a festa de 1 ano da Mel, que também foi bem marcante para mim.

Nossa ideia inicial, aliás, era comemorar o aniversário do pequeno do mesmo jeito que fizemos no da Mel, num café colonial bem bacana aqui em Curitiba. Mas daí lembramos de um detalhe: na época do aniversário dela, os primos e filhos de amigos mais próximos, eram todos bebês. E bebês ficam no colo, no bebê conforto, no carrinho, enfim, ficam numa boa num ambiente que não tenha um espaço planejado para crianças. Mas, esses bebês cresceram, claro, e não haveria como mantê-los sentados e comportados por horas num café colonial.

Como nos demos conta disso faltando menos de um mês para a festa, nem se a gente quisesse daria para conseguir uma data em um buffet. Então tivemos que partir para o plano B (que na verdade, sempre foi o eu preferido): fazer a festinha aqui em casa, lá no ático, do mesmo jeitinho que fizemos a festa de 4 anos da Mel. Para isso, tivemos que dar uma reduzida na lista de convidados e bolar um esquema um pouco diferente do que da outra vez, porque seriam cerca de 38 adultos, 12 crianças e alguns bebês.

Então tive a ideia de transformar uma parte da garagem, que fica do lado da porta lateral da sala, em um espaço para as crianças maiores. Com isso pudemos desmontar parte daquele cantinho dos pequenos brincarem lá em cima e ganhamos espaço para mais mesas. Vou explicando melhor a seguir e todos os links de quem fez, onde comprei e onde locar cada item estará no final do post :)

A festa aconteceu num domingo lindo de sol, no dia 23 de novembro.

O convite foi super simples, no tema da festa e entregue dentro de um envelope azul fechado com washi tape. Nessa foto ele estava enfeitando a nossa geladeira.

Essa festa originalmente se chama Festa do Tigre e do Elefante, mas, por razões de apego e amor à primeira vista a esse felino fofinho, eu chamo de Festa do Tigre apenas :)

convite

No dia da festa, Leo estava super manhoso, só queria colo e colocava tudo na boca (mais do que o normal). Dois dias depois, mais um dentinho rasgou a gengiva, na parte de baixo – o que eu já desconfiava.

Leonardo (BR)_102

Leonardo (BR)_108

Na entrada do salão, optei pela mesma disposição que ficou tão boa na última festa: uma mesa de apoio com bebidas, pratos, copos, guardanapos, talheres e algumas comidinhas pensadas especialmente para os bebês e as crianças. Em cima, um quadro lindo do tutuken com o varal de fotos com números representando os meses que ele tinha em cada uma delas e mini grampos de madeira, que foi uma das coisas que mais gostei nessa festa. Vou explicar certinho como fazer num post só para isso, já que muita gente gostou da ideia, tá?

Leonardo (BR)_172

Leonardo (BR)_132

Dessa vez, comprei copos de plástico mas que são reutilizáveis e bastante resistentes. Basta lavar, secar e usar novamente. Os pratos eram de papel no formato quadrado: maiores para os salgados e menores para doces. Usei mini colheres de madeira e coloquei washi tapes nos cabos.

Fizemos uma salada de frutas um pouquinho antes da festa começar e servimos nesses copinhos de papel listrados, que também ganharam um adesivo de tigre ou de elefante. Naqueles potinhos de vidro, fiz papinhas fresquinhas para os bebês: creme de manga e papinha de melão. Ambas são as preferidas do Leo e tive certeza de que os outros bebês também iriam gostar. Depois soube que até alguns adultos comeram e adoraram.

Para cobrir as tampinhas dos potinhos, usei washi tape + adesivo e foi bem menos trabalhoso do que pintar ou encapar com tecido. Alguns potinhos foram colocados dentro de uma cestinha de madeira com mini bandeirinhas.

Pouco antes das pessoas chegarem colocamos as bebidas – refrigerantes, chás, sucos, cerveja, água e um balde com gelo – na mesa. Logo depois colocamos também uma bandeja com café, leite, açúcar, adoçante, copinhos térmicos e colherzinhas.

Leonardo (BR)_173

Leonardo (BR)_130

Leonardo (BR)_126

Leonardo (BR)_179

Leonardo (BR)_178

Leonardo (BR)_147

Leonardo (BR)_131

Para os centros de mesa, pensei nessas tags com leques num tamanho médio + tags redondas + palitos de madeira. Usei cachepots de plástico na cor marrom e buxinhos redondos, que há tempos eu tinha vontade de usar nas festas. Em cada uma das mesas coloquei um lugar americano daqueles de madeirinha, os mesmos que usei na última festa da Mel.

Leonardo (BR)_073

Leonardo (BR)_064

Leonardo (BR)_006

Leonardo (BR)_059

Leonardo (BR)_175

Num dos cantos deixei um espaço para os bebês menores, com tatame no chão, alguns brinquedos e a cadeirinha de alimentação do Leo, para quem quisesse usar. No alto pendurei algumas lanternas sanfonadas em tons variados de verde.

Leonardo (BR)_159

Leonardo (BR)_247

Na decoração da mesa principal, rolou uma mudança de planos um dia antes da festa. Eu havia pensado em pompoms de lã, comprei vários novelos e fiz algumas dúzias deles. Mas ao colocar no local que eu havia planejado, não ficou como eu imaginava. Então, a apenas algumas horas da festa eu decidi mudar toda essa parte e optei por algo mais simples: um banner de bandeirinhas, escrito “parabéns”. O leque grande com o tigrinho + banner com as letras do nome do pequeno coladas uma a uma, também é uma das minhas coisas preferidas nessa decoração.

Dos lados do banner, pendurei algumas lanternas sanfonadas, todas que eu já tinha e uso há alguns anos. Também usei nessa mesa dois vasos com buxinhos e aproveitei para enfeitá-los com um pequeno varal de bandeirinhas, feito com papéis de scrapbook e aquele barbante chamado twine.

Leonardo (BR)_088

Leonardo (BR)_143

Leonardo (BR)_156

Eu queria muito fazer cupcakes dessa vez e, depois da festa de três anos da Mel, em que servi bolo + cupcakes e sobrou praticamente o bolo todo, cheguei a conclusão de que poderia fazer apenas um deles, já que os cupcakes nada mais são do que bolinhos, certo? Então o bolo era fake e ficou lindo lindo, exatamente como eu queria. No topo, além das fofuras dos bichinhos, coloquei um banner de bandeirinhas e um número 1 feito de papel.

Leonardo (BR)_116

Na mesa principal então, tinha o seguinte: o bolo fake, cupcakes com massa de baunilha e recheio igual de torta de limão (que coisa dos deuses!), cupcakes com massa de chocolate e recheio de doce de leite, cakepops de tigre e elefante, brigadeiro, beijinho, dois amores, olho de sogra, uva cristal e morango cristal (que são brigadeiros na cor verde e vermelho e tem uvas e morangos dentro, respectivamente). Além disso, coloquei alguns potinhos com gotinhas de alfarroba dentro.

Usei meus pratos de porcelana e as molduras como bandejas, como mostrei nesse post. E também improvisei um suporte para os cakepops usando um retângulo de isopor, tecido para encapar e washi tape para finalizar.

Leonardo (BR)_033

Leonardo (BR)_066

Leonardo (BR)_036

Leonardo (BR)_169

Leonardo (BR)_068

Leonardo (BR)_170

Leonardo (BR)_150

Leonardo (BR)_072

Leonardo (BR)_032

Leonardo (BR)_037

Leonardo (BR)_119

Leonardo (BR)_157

Como dessa vez eu fiz muitos mimos e frufruzinhos personalizados, usei um armário que faz parte do conjunto de mesas que loquei, as mesmas da outra vez. Gostei demais de como tudo ficou e dos espaços que tive para trabalhar cada coisinha. E por uma grande coincidência, a largura do armário era exatamente a mesma da coluna que temos lá no ático. Ficou bem legal.

Leonardo (BR)_160

Bem em cima coloquei letrinhas de papel e um tigre fofinho que acabamos encontrando por acaso na volta da última viagem. No primeiro nicho ficou um porta retrato com uma foto do ensaio que fizemos há pouco tempo e uma cestinha de madeira com tubetes cheios de balas de goma com casquinha e enfeitados com washi tape.

Leonardo (BR)_145

Leonardo (BR)_025

No segundo nicho ficaram as lembrancinhas. Escolhi fazer bolinho no pote e gostei muito! Ficou lindo e gostoso. Os bolinhos eram recheados com doce de leite e amendoim, todos com uma mini colherzinha junto, também com washi tape na ponta. Nas tampinhas colei adesivos de tigre e de elefante e no cordão coloquei uma tag agradecendo a presença.  Fiz trinta potinhos, mas poderia ter feito mais porque não sobrou nada.

Leonardo (BR)_016

Leonardo (BR)_012

Leonardo (BR)_015

No terceiro nicho ficaram os potes de algodão doce na cor azul. Coloquei um adesivo na tampa de cada um deles e washi tape novamente para alegrar.

Leonardo (BR)_020

No último nicho ficaram as garrafinhas de água mineral, cada uma com um adesivo de tigre ou elefante e bakers twine amarradinho. As crianças amam essas garrafinhas e também não sobrou nada.

Leonardo (BR)_018

Leonardo (BR)_168

Há anos eu sempre encomendei os salgados numa panificadora perto da casa dos meus pais, mas da última vez achei que não estavam tão bons. Pedi algumas indicações para uma amiga querida e acabei encomendando tudo na Confeitaria Acapulco. Fiz o pedido e o pagamento pelo site deles e chegou na hora certinha que eu tinha solicitado, tudo bem embalado, etiquetado e uma delícia! Muito bom mesmo.

Encomendei barquinhos de palmito e barquinhos de frango (eles chamam de barquetes – uma massa fininha tipo de torta com recheio, para comer frio mesmo), coxinhas de frango, bolinhas de queijo, kibes, esfihas de carne. Em cada prato montado para servir aos convidados, coloquei algumas bandeirinhas.

Apesar de estarem deliciosos, sobrou bastante dos barquinhos e acho que o principal motivo foi que as pessoas não sabiam do que era. Tem muita gente que é alérgica a camarão, por exemplo, e ficaram na dúvida se era ou não. Infelizmente não lembrei (não deu tempo mesmo) de fazer algo para identificar, mas tudo bem. Fica a dica.

Leonardo (BR)_253

Leonardo (BR)_252

Leonardo (BR)_250

Como contei para vocês ali em cima, montamos um espaço pensando nas crianças maiores na parte coberta da garagem, que tem entrada para a sala por uma porta lateral. Colocamos tatames de eva no chão todo, caixas com brinquedos, livros, quadro para desenhar, mesinha e cadeiras, o escorrega da Mel e locamos uma piscina de bolinhas, já que pela altura do teto seria impossível colocar uma cama elástica ali. A locação da piscina de bolinhas foi estratégica também porque eu queria restringir o acesso à garagem de cima, onde tem uma rampa e as crianças descem correndo e poderiam cair e se machucar. Então colocamos a piscina de bolinhas, a mesinha com cadeiras e uma lona de plástico para que o vento não encanasse e para o caso de chuva.

Contratei duas queridas que trabalham na escola da Mel para tomar conta das crianças, propor atividades, enfim, entreter os pequenos. Foi muito bom porque deu tranquilidade para mim e para os pais que estavam lá em cima.(Gi, Mari, beijo grande!). O engraçado foi que logo que elas saíram as crianças se trombaram, começaram a chorar e fazer manha. Enquanto elas estiveram ali, tudo rolou na maior harmonia. Santas meninas, serão ótimas professoras, viu? <3

Para que as crianças ficassem mais a vontade com as comidinhas e bebidas por perto, montei uma mesa ali para elas com: suco de uva, suco de manga (nas suqueiras), água, minha gelatina de morango, salada de frutas, copos de papel com canudos, pratos, colherzinhas e guardanapos. Depois foram sendo trazidos os pratos de salgados e doces.

Para que as suqueiras ficassem mais altas usei quadrados de isopor cobertos com um tecido que eu tinha sobrando do quarto do Leo. Era a mesma cor de várias outras coisas.

Ah, olha só aonde os pom poms de lã foram parar :)

Leonardo (BR)_180

Leonardo (BR)_196

Leonardo (BR)_184

Leonardo (BR)_192

Leonardo (BR)_190

Leonardo (BR)_188

Leonardo (BR)_185

Leonardo (BR)_198

Leonardo (BR)_191

Leonardo (BR)_183

Algumas pessoas ficaram na sala assistindo o jogo e é bacana ter esse espaço mais sossegado para quem não curte muita bagunça, tipo os avôs, sabem? A gente servia eles ali mesmo e ficaram bem de boa. Subiram só para o parabéns :) (não coloco foto dos convidados e das outras crianças, porque, né, questões de privacidade).

Leonardo (BR)_342-2

Leonardo (BR)_345-2

Leonardo (BR)_378

E foi isso aí pessoal :) Gostaram? Foi uma das minhas festas preferidas de fazer e do resultado final também (mas não me peçam para escolher porque eu não consigo).

Agora aquela listinha básica de quem fez, onde comprar/locar/encontrar:

Decoração e papelaria: Como sempre, eu que fiz :)

Fotos: Tonial Fotografia (obrigada mais uma vez dupla dinâmica! vocês já se tornaram amigos e, entre amigos, tudo fica mais leve e bonito. obrigada por terem registrado do jeitinho que eu queria <3)

Bolo fake, cupcakes, cakepops, doces e bolinhos no pote: Pâtisserie By Danielle Taher (a Dani é outra pessoa que já se tornou amiga, né, Dani? é a responsável por essas delícias todas – os meus preferidos da vida são o dois amores e a uva cristal, só para constar. não tem uma pessoa que não elogie os doces dessa moça querida. brigadão Dani!)

Salgados: Confeitaria Acapulco (super recomendo. fiz o pedido pelo site, a entrega foi pontual, tudo certinho e os salgados são maravilhosos)

Conjunto de mesas rústicas e armárioProvençal (a Nadia é muito querida. ela tem peças e móveis lindos de vários estilos para locação e venda, além de dar cursos na área)

Conjunto de mesas de madeira com cadeiras: Stillo Locações (é a segunda vez que faço a locação dessas mesas e cadeiras. são lindas!)

Copos, pratos, guardanapos, cachepots, canudos, bakers twine e cestinhas de madeira: Decore & Comemore (adoro essa loja e fico bem feliz que a gente tenha tanta coisa linda aqui em Curitiba. agora também vende pelo site)

Mini copos de papel, mini colherzinhas de madeira e bakers twine: Tom & Sophie (tem coisas lindas nessa loja bacana lá de Brasília. também vende pelo site)

Potinhos de vidro de 100ml (que foram usados para as lembrancinhas, os bolinhos no pote): Shop Festas (outra loja cheia de lindezas para quem gosta de festejar. recebi tudo bem embaladinho e antes do prazo).

Porta retratos usados como bandeja e porta retrato azul: Santa Composição (loja linda, cheia de criatividade e amor, aqui de Curitiba mas que também vende pelo site)

Buxinhos e tubetes: Wiki Festa (descobri essa loja há pouco tempo e adorei, tem muita coisa bacana! me salvou porque eu não encontrava os buxinhos por um preço acessível em lugar nenhum. recebi tudo direitinho também. obrigada Priscila!)

Letrinhas 3D: Personatta – Personalização de Eventos (a Camila faz essas letrinhas fofas que ficam perfeitas e outras festas personalizadas bem lindas! tem de tigre também, entre muitos outros temas)

Potinhos de vidro de 30ml, algodão doce azul, garrafinhas de água mineral: Dom Distribuidora (loja conhecida já onde compro papel fotográfico a um preço legal e tem muita coisa para festas)

Papeis de scrapbook: Grafitti Artes

Washi Tapes: veja aqui

Materiais diversos: lojas de embalagens perto do Mercado Municipal, aqui em Curitiba

Looks (ai que chique!): Leo inteirinho com look da B&K Closet e Mel de vestido Carinhoso (muito amor por vocês, viu?)

Sempre recebo muitas perguntas sobre festas e tem vários posts com dicas já no aqui blog:

Checklist e dicas para preparar uma festa

Artes gráficas e papelaria para festas

Comprando arquivos e imagens no Etsy

É isso. Obrigada por todo o carinho e pela torcida para que tudo desse certo. Vocês são especiais <3


por mãe da Mel e do Leo



© Vida Materna | 2011
Todos os direitos reservados

Powered by WordPress tema por xCake